História Me descubra - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, One Direction
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Zayn Malik
Tags Bissexual, Camila Cabello, Camren, Camren Jaurello, Fifth Harmony, Gay, Homossexual, Larry, Lauren Jauregui, Lésbica, Orange, Psicopata, Psiquiatra, Romance, Serial Killer, Sociopata, Yuri
Visualizações 183
Palavras 1.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Crossover, Ficção, Luta, Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boaaaaa leitura amores, tive que trazer um capítulo hoje para agradecer esse clipe maravilhoso e esse single perfeito ❤

Capítulo 4 - Angel


Fanfic / Fanfiction Me descubra - Capítulo 4 - Angel

Lauren se levantou devagar do chão, não tinha percebido, mas havia uma garotinha na frente dela com o olhar assustado olhando diretamente para Lauren, que depois de um tempo correu abraçar suas pernas.

— Que porra foi essa? Eu poderia ter te matado sua maluca — o cara do carro saiu do carro indo tirar satisfações com Lauren.

— Eu maluca? Meu querido, você quase atrapelou uma criança — disse enquanto afagava os cabelos pretos da garotinha. — Nem viu a pequena passando na frente do seu carro, podia a ter matado.

— Eu não mandei deixar a porcaria da sua filha correr entre os carros.

— Você é tão insensível — Lauren disse enquanto cambaleava para a calçada segurando a pequena mão da criança ainda assustada.

Ela se sentou na calçada enquanto apertava levemente sua costela esquerda. A garotinha olhava para Lauren sorrindo que retribuiu com o seu sorriso mais lindo, as duas começaram conversar então eu fui até lá.

— O que aconteceu? — perguntei.

— Aquele embuste ia atropelar a coitada — respondeu Lolo.

— Ela me salvou.

— Quantos anos tem? — perguntei me abaixando em sua direção.

— Seis — respondeu e usou os dedinhos para mostrar o número 6.

— E porque está aqui sozinha? — Lauren perguntou.

— Eu queria ir brincar no parque.

— E seus pais? — perguntei.

— Estão em casa.

— Eles devem estar preocupados, já é tarde — falei. — Aonde mora? Vamos levar você.

— Eu guio vocês.

A garotinha saiu saltitando em direção a casa, por sorte, saiu ilesa do acidente. Percebi que Lauren estava tendo dificuldade para levantar então a ajudei.

— Obrigada — falou e sorriu, eu amo o sorriso dela.

— Quer ficar ai? Eu vou levar a garota para casa e depois volto.

— Eu vou junto.

— Consegue andar?

— Um pouco lento, mas consigo.

— Okay — respondi pegando o seu braço e depositando no meu ombro, depois segurei levemente em sua cintura, pois não sabia aonde doía. — Deixe-me te ajudar — sorri e ela retribuiu.

Levamos a fugitiva infantil até em casa em pleno silêncio quando batemos na porta os pais dela saem desesperados para fora de casa.

— Acho melhor colocar uma coleira nela — disse Lauren rindo sacana.

— Graças a Deus — disse a mãe abraçando a garota.

— Alguma coisa houve com você? — perguntou o pai para Lauren.

— Sua filha ia ser atropelada, mas a Lauren a salvou correndo para frente, vocês devem ter mais cuidado — falei.

— Obrigada, você é um anjo — disse a mãe.

— Muito obrigada por salvar a Kara, vocês precisam de algo? Qualquer coisa? Quer um médico? — perguntou o pai em agradecimento.

— Algum dos dois podem cuidar da Lauren aqui na frente enquanto vou buscar o carro? — perguntei.

— Eu fico aqui — avisou o pai.

— Vamos entrar, Kara — disse a mãe.

— Tá bom mamãe, mas antes — ela correu até a Lauren. — Obrigada Supergirl — disse ela dando um beijo na bochecha da Lolo que a puxou para um abraço, aquilo foi a coisa mais fofa que eu poderia ver, não conhecia esse lado de Lauren, o que é muito estranho pelo fato dela ser uma psicopata.

— Não foge mais, talvez a Supergirl não esteja aqui — disse Lauren fazendo coceguinhas na barriga dela que riu.

— Está bem, não vou mais fugir para ir no parque eu prometo.

— Isso, obedeça seus pais — ela piscou.

— Vou indo lá — avisei saindo dali.

Embora seja errado, eu estou deixando a Lauren, uma psicopata estranhamente fofa com crianças, sozinha com o pai da garota indo pegar o carro, pois ela está machucada, isso é a coisa mais estranha que existe.

Assim que entrei no carro dei partida para a casa da pequena, o que não demorou, encontrei Lauren sentada na calçada rindo com o pai da garota, que havia ficado ali como tinha dito.

— Vamos lá — disse a levantando.

— Ei, cuida da sua filha — Lauren falou enquanto cambaleava com a minha ajuda para dentro do carro.

Entrei no carro e fiquei encarando Lauren, queria a xingar por ter feito aquilo, mas ela salvou uma pessoa entao não posso fazer isso, mas podia ter morrido.

— Vou te levar no médico — falei.

— Não faça isso, o que seu chefe vai dizer sobre ter soltado uma psicopata em público? Você me tirou de lá por que quis e ele nem sabe, e aliás, nem percebeu, mas eu nem estou com o tal "GPS" — fez aspas. — Aquilo nem era nada de verdade.

Olhei para o pulso dela e estava realmente sem a pulseira, quando tirou que eu não vi?

— Por que não fugiu? — perguntei.

— Não quero te encrencar, agora melhor voltarmos logo para a clínica.

— Como sabia que eu atirei de lá sem ninguém saber.

— Cabello, você não me engana — sorriu de lado se sentindo vitoriosa.

Dei partida no carro indo até a clínica, entrei com a Lauren sem que ninguém visse e fomos até seu quarto.

— Me ajuda a tirar a roupa? — perguntou e eu a olhei estranho. — Eu estou machucada — falou óbvio.

— Ah sim, espera.

Caminhei até ela e a sentei na cama, ajudei a retirar sua blusa, que deu visão para sua costela arranhada.

— Eu vou fazer um curativo, fique aí.

Fui até minha sala procurar alguns curativos e remédios para primeiros socorros. Quando cheguei no quarto de Lauren, percebi que não estava mais lá, havia desaparecido, era só o que me faltava, não dá para confiar em uma psicopata.

— Que cretina, fugiu… — comecei falar mais fui interrompida.

— Vou tomar banho e depois você faz os curativos — disse Lauren em tom mais alto para que eu possa escutar ela do banheiro.

Respirei aliviada por ela não ter fugido e estar apenas tomando banho. Coloquei as coisas para o curativo na cama e fiquei sentada ali. Lauren saiu do banheiro com apenas um camisetão e uma calcinha, seus cabelos negros estavam molhados e caiam pelo seu ombro como cascata até seu peito.

— Baba mais, baby — disse rindo com a língua entre os dentes, é só então percebi que eu estava olhando para aquela mulher sem parar.

— Eu estou procurando machucados — menti, eu estava mesmo era cuidando cada curva daquele corpo escultural.

— Okay, okay, vou te mostrar — disse vindo em minha direção. — Aqui — pegou minha mão e a guiou até sua coxa que possuía alguns arranhões superficiais.

Apenas passei um antisséptico, pois não era nada profundo.

— Aonde mais? — perguntei erguendo sobrancelha direita.

— Aqui — falou enquanto erguia a camiseta lentamente, naquela região havia realmente se machucado muito.

— Talvez doa um pouco — avisei.

Passei antisséptico, pomada e fiz um curativo.

— Pronto — falei e Lauren abaixou a camisa, mas eu realmente queria que ela tirasse, não abaixasse ela. — Agora eu vou embora.

— Ei, fica — disse colocando a mão sobre a minha. — Só hoje — falou fazendo beicinho.

— Vai me matar?

— Não.

— Não mesmo.

— Você é legal — ela falou se deitando.

— Está bem, só hoje.

— Obrigada, não gosto de ficar sozinha.

Lauren se deitou para dormir e eu fui tomar banho, peguei um short e uma camisa dela, só repeti minha roupa íntima. Quando sai do banheiro já estava tudo escuro então usei a luz do celular para me guiar até a cama.

— Já dormiu? — perguntei me deitando na cama e não obtive resposta.

Lauren dormia feito um bebê então fiquei mexendo nas minhas redes sociais. Olhei para o lado e Lauren estava dormindo ainda, enrugou seu nariz quando seu cabelo caiu em seu nariz, provavelmente havia feito coceguinha, acena foi muito fofa, Lauren parece um anjinho dormindo. Retirei o cabelo de seu rosto e fiquei a observando, olhando cada detalhe de seu rosto redondo e perfeitinho. Eu estava apaixonada por essa mulher, mas é errado, eu não deveria, não deveria mesmo me apaixonar por ela.

Me aproximei dela e por impulso selei nossos lábios, ela sorriu, não sabia se ela estava acordada ou ainda dormia, aquilo foi bom, mas não deveria repetir então fui um pouco para trás e me virei de costas para ela. Senti Lauren colar nossos corpos e me abraçar por trás, sim, ela estava acordada, droga.

— O que foi aquilo? Você não é um anjo que fica longe do mal caminho? — ela perguntou com a voz rouca, provavelmente por conta do sono.

— Quem disse que eu era um anjo?


Notas Finais


Pegaram a referência? Ein, ein? Tá parei... Espero que tenham gostado ❤

Obs.: Gente, para a felicidade de umas e infelicidade de outras, a fanfic vai ver normal, NÃO vai ser G!P, pois o estilo "normal" ganhou... Beijões amores ❤

Link do clipe maravilhoso e lacrador https://youtu.be/Bt626CEUCMQ

Quem quiser ler as minhas fanfic's no Wattpad http://my.w.tt/UiNb/goX4HQnudF

Caso queiram me seguir no Twitter https://twitter.com/DNA324b21?s=09

Grupo no Whatsapp https://chat.whatsapp.com/1a3Mc2lQ2tV0E88KSClRIq


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...