História Me ensina a amar de novo? - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~Yatsu

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chen, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Xiumin
Tags Bangtan Soyeondan, Crossover, Depressão, Exo, Fluffy, Kpop, Xiuchen
Visualizações 18
Palavras 1.136
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oie :3

esse capitulo ficou bem pequeno, mas é pq eu e a yatsu estamos com um bloqueio lindo e foi isso que conseguimos
é isso
espero que gostem

Capítulo 6 - Second lesson


Ao sair da casa do Seok, eu estava me achando a pessoa mais maravilhosa do mundo inteiro. Cabelos coloridos (literalmente, já que tinha pintado de azul, roxo e rosa) parecendo naquelas cenas de filme, que brota um vento só para sua auto estima melhorar. Andei pelas ruas com uma confiança que brotava uma vez a cada três anos. Fui quase que saltitando para o hotel onde os meninos se encontravam.

Subi de elevador, visto que o hotel estava quase vazio, sem falar da minha preguiça de pensar em escadas, não é mesmo?

Ao chegar na frente do quarto deles, começo a bater na porta como uma clara retardada com problemas mentais. Por um momento, acabei desviando o olhar da porta, sendo assim, não percebi que já estava aberta. Continuei batendo, porém dessa vez na testa do Jimin, que por sua vez ficou levemente emputecido com a minha pessoa.

- Park Jiwoo, se você não parar de bater na minha testa em um segundo, se prepare para ter um chinelo na sua cara.

- Ops, foi mal, Jimin.- disse enquanto me curvava e ria da cara de ódio do mais velho.

Sem esperar o senhorzinho, entrei no apartamento e fui em busca dos outros para exibir meu cabelo novo.

Em menos de dez passos, trombo (literalmente) com  Namjoon, que me olhava estranho, mas um estranho bom. Tipo "nossa, não ficou ridículo, pode continuar usando."

- O que você fez no cabelo?- perguntou como se não fosse óbvio.

- Ah, botei uma parte pra lavar e joguei merda na que sobrou. O que você acha?- perguntei quase cuspindo as palavras em sua cara.

- Nosfa, que menina agressiva. Nem pergunto mais, depois dessa.- respondeu virando a cara de brincadeira para mim. Por um momento fiquei com medo que ele realmente tivesse ficado puto. Mas então vi aquele sorrisinho de lado desgraçado de bonito brotando em seus lábios fartos.

- Oppa, não fique bravo.- disse fazendo uma voz de criança que não sabia que conseguia fazer. Por um segundo, vi seus olhos arregalarem ao escutar "oppa" vindo da minha boca. E não, até hoje, eu nunca o chamara de oppa, na verdade eu nunca chamei ninguém de oppa. Só de Nam, ou Joonnie, ou Namjoon. Enfim, nunca com algo adequado.

- V-você me chamou do quê?- indagou ainda em choque.

- De oppa, não é isso que você é, oppa?- respondi querendo encher o saco mesmo.

- Ahhhhhh, hoje vai nevar.

- NEVAR? ONDE?- perguntei super iludida, achando que de fato nevaria. Eu amo o frio, mas morava no Brasil, meio filho da puta o destino, não é mesmo?

- Em lugar nenhum, Jiwoo.

- Que feio me enganar, à partir de hoje, você é minha unnie por causa disso.- continuei provocando.

- Quem e tua unnie mesmo?- perguntou fingindo raiva.- Te dou cinco segundos para fugir.

- Ops, foi bom estar com você, mas agora eu vazo.- disse já começando a correr para longe do coiso, vulgo Namjoon.

Até porque é uma boa ideia me deixar correndo em um apartamento cheio de coisas espalhadas no chão. Eu sou aquele tipo de pessoa que tropeça no ar, então é mais que óbvio que eu cairia em alguma coisa ou em alguém. E como eu sou uma pessoa super inteligente e pensante, eu cheguei em um pensamento: "Não vai ter problema nenhum se eu começar a correr de costas, afinal, se vier alguém, a pessoa vai desviar de mim, certo?" 

Estaria certo se eu não vivesse com um bando de viciados em celulares. Enfim, seguindo essa linha de raciocínio, eu me virei e voltei a comecei a correr de costas. Mas eu não percebi que um Hoseok distraído vinha da cozinha em minha direção. Eu caguei, achando que ele desviaria de mim, mas né? Sobre os celulares… que ódioooooo daquele mongo (fala a The Flash em questão de percepção).

Consequência? Eu caí em cima do Hobi e lá fiquei fingindo que estava morta.

Ué, é a melhor opção quando você está em apuros.

Como sou uma atriz nata, eles ficaram desesperados, achando que eu tinha desmaiado, mas uma hora o desespero deles realmente ficou engraçado e eu não consegui segurar aquela risadinha escandalosa.

Sabe no que isso deu? Eu sendo agredida. Acredita nessa barbaridade?! 

Quando parei de ser agredida (amém), o Hobi quase teve um ataque de fofura.

-Olha esse cabelo que buritinho!- começou a bagunçar ele- E você cortou franjinha, OLHA QUE GRACINHA!- ele falou de um jeito que deu medo, será que ele estava sendo possuido por um demonio agora?- Você ta parecendo um bebezinho

-Um bebe com língua muito afiada- Namjoon se intrometeu

-Claro que não oppa- fiz uma voz estranha começando a rir da cara de retardado dele

-Oppa?- disse o Hobi confuso

-Essa dai resolveu ser educada, do nada.

-Mas eu sempre fui educada- fiz bico com uma cara ofendida

-É impressão minha ou com esse cabelo ela esta muito mais fofa? - o Nam falou e o Hobi, que poderia ter me defendido, só concordou

-Eu sempre fui fofa

-Só a cara né?

-Ei! –taquei uma almofada na cara deles –Eu sou fofa sim. Lembra quando comprei uma caixa de bombons para vocês?

-Sim, e comeu todos os doces enquanto dormíamos.

-Aish... E quando eu fiquei fazendo carinho no Jungkook para ele dormir mais rápido?

-Você só estava fazendo aquilo para poder ganhar a bala que te chantageou

-Ei! Eu não sou alguém tão ruim assim –fiz bico

-É sim –falaram em sincronia

-Ah, se fude

Sai da sala me arrastando para o meu quarto. Eu peguei meus fones e liguei no máximo alguma música qualquer do aleatório da minha playlist. Senti alguém sentar na do meu lado e tirar um dos lados do meu fone para poder escutar também. Quando olhei para o lado e vi o Hobi em uma distância muito pequena senti alguma coisa revirar no meu estômago. Acho que estou com fome.

-Lição dois: você não consegue ficar nem dois minutos longe da pessoa.

-Acho que vou precisar de um caderninho para anotar todas as lições –falei baixinho quase gaguejando. Porque eu estou assim do nada?

-Tudo bem –pegou um caderninho que eu tinha por ali e sentou ao meu lado de novo –Vai ser uma lição por dia okay? Até agora já foram duas né?

Ele anotou no caderno um título com uma de minhas canetas coloridas “Como é amar”. Ele anotou como: Primeira lição: Seu coração bate mais rápido pela pessoa a qual você ama. Segunda lição: você sente falta da pessoa mesmo estando com ela à alguns segundo atrás.

-Amanhã eu te ensino mais. Mas... antes eu posso fazer só uma coisinha?

Concordei com a cabeça e ele se aproximou um pouco apenas para me dar um selinho um pouco mais demorado.

Mas que merda de fome


Notas Finais


bom é isso :)
desculpa, eu sei que ficou bem pequeno, mas é a vida


minha OS:
https://spiritfanfics.com/historia/the-heaven-has-a-sea-9936167

atée


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...