História Me explique porque eu gosto de você - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Kaisoo
Exibições 174
Palavras 2.760
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


BABY LOVE ME RIGHT ♫♪

Como está o dia das crianças de vocês??? Espero que legal, e que vocês tenham ganhado presentes ou passado o dia inteirinho dormindo e assistindo série ♥♥♥
Well, eu acabei de escrever essa one e eu gostei muito do resultado :3 Espero que vocês curtam esse KaiSoo bolado e tomem como um presentinho, haha

Nos vemos lá embaixo! ;)

Capítulo 1 - Capítulo Único


"Eu quero que você me explique porque eu gosto tanto de você, Jongin. Porque eu juro que eu mesmo, não sei."

 

Você se lembra dessas palavras, Soo? Você me disse isso na primeira vez que a gente brigou, uns dez anos atrás e mais alguns diazinhos pingados. Eu tinha combinado de me encontrar com você na praça perto do colégio, mas acabei me esquecendo e fui para um karaokê com o Sehun e o Baekhyun.

A parte boa dessa frase foi porque depois dela — com a sua confissão oficial que gostava de mim — a gente começou a namorar. A ruim é que eu realmente me pego pensando nela de vez em quando, quando você meio que pergunta isso baixinho para si mesmo. E é por isso que hoje eu decidi, pelo menos tentar, te explicar porque é que você gosta tanto de mim desse jeito, já que você pode muito bem encontrar alguém melhor do que eu por aí.

E eu não vou fazer drama aqui, Kyungsoo: Eu não quero nem ferrando que você encontre alguém melhor do que eu, mas nunquinha mesmo. Porque se você encontrar eu vou ser obrigado a dar na cara do desgraçado e aí você vai ficar bem puto comigo e então nós vamos brigar de novo e no fim eu vou dormir no sofá (de novo).

Enfim, por que você gosta tanto de mim, Soo? Eu não sei, você é a pessoa mais inteligente e carinhosa que eu conheço. E você lê muitos livros e sabe de tudo, além de sempre cuidar dos outros ao seu redor e assumir o posto de "mãe do grupo" sem perceber. Então eu acho que meio que faz parte do seu instinto natural gostar de mim do jeitinho que eu sou.

Acho que isso vai soar como uma declaração de amor invertida, não é? Como se fosse você se declarando para mim enquanto eu vasculho minha mente desses últimos dez anos juntos só para tentar entender que diabos você viu em Kim Jongin.

Vamos ser sinceros, se o mundo realmente não fosse fã de clichês nós nunca teríamos nem esbarrado um no outro. Você era o nerd do colégio, aquele que tirava dez em tudo e passava tardes inteirinhas na biblioteca. Eu era o atleta que podia pegar quem quisesse em alguma festa e se desse um sorriso para alguém me livrava de inúmeros problemas.

Então por que diabos nós dois acabamos ficando juntos?

Eu juro que não sei, Soo. Queria saber, queria poder fazer uma lista com todos os motivos que tínhamos antigamente para ficarmos juntos — porque agora tenho vários — ou com todas as possibilidades de encontro que tínhamos naquela época e todas se resumem em um grande: EU NÃO FAÇO A MENOR IDEIA rodeando pela minha mente.

Quer dizer, eu sei porque EU gosto de você. Sei o que me atraiu em Do Kyungsoo desde que o dia em que te vi naquela biblioteca depois do colégio e você ficava xingando o Baekhyun sem parar por ser tão lesado em matemática. Sei que fiquei pensando tempo demais nos seus lábios e me vi em meio aquele dilema já muito conhecido dos filmes clichês adolescentes que a gente sempre detestou.

Sabe como é, por mais que você nunca acredite nessa história, eu realmente fiquei pensando em você sem parar depois daquele dia em que a gente se trombou entre as prateleiras de Ação e Terror, ficava acordado até tarde me perguntando qual o seu gosto musical (rock e eletrônica) e se você iria maratonar Game of Thrones comigo (descobri que sim) ou toparia ir em um show da Lady Gaga (ok, sabemos que não, juro que já superei sua aversão pela deusa). Juro que fiquei tentado a perguntar de você para o Baekhyun, mas não tive coragem porque isso seria muito clichê — e basicamente porque o Baek te odiava, mas acho que a gente consegue entender o pobrezinho, você era do mal com ele, Soo.

De verdade, Kyungsoo, você acha mesmo que eu queria que você descobrisse através de um amigo em comum, cujo qual você detestava, que eu estava gamado por você? Seria no mínimo humilhante, pra não falar clichê e estranho. E foi por isso que eu mesmo fui conversar com você naquele dia e te chamei pra sair.

Imagino como deve ter sido estranho pra você, o garoto que nunca nem conversou contigo mais que duas palavras na vida, de repente aparecendo na sua frente em meio ao intervalo te chamando para ir no cinema com a maior cara de bunda do universo. Foi esquisito pra caramba, não foi? Me desculpa.

Agora porque você aceitou de primeira, eu não sei.

Talvez fosse porque você também tenha se interessado por mim depois daquela trombada na biblioteca, talvez você quisesse esquecer algum amor que deu errado ou simplesmente não quisesse todos aqueles olhares sobre si no refeitório, talvez você realmente quisesse assistir ao filme que estava passando naquela semana.

Talvez você só tenha aceitado porque estava curioso pra saber no que aquilo ia dar.

Será que você gosta de mim porque eu esperei mais cinco encontros pra finalmente te beijar, Soo? Eu juro que queria ter te beijado antes, mas fiquei com vergonha e não queria te assustar, você estava tão concentrado no filme...

Eu queria que fosse tudo perfeito (o que não foi, porque nós acabamos sujos de esterco) e, sei lá... de repente eu só não queria estragar tudo. Eu não quero estragar nada que envolva você.

Talvez você goste de mim por causa disso, huh? Por eu ser SUPER PROTETOR (em letras muito maiúsculas) em relação a você. Você gosta de carinho e eu amo te dar carinho, e sei que você prefere mais os beijos que eu dou na sua testa de manhã do que quando a gente se pega loucamente no meu carro. Você é um serzinho tão romântico, Kyungsoo!

Hmmm... você gosta de mim porque eu te pedi em namoro depois de ler o seu livro favorito, não foi? Aquele bem grosso cheio de palavras estranhas — que você segurava quando a gente se encontrou pela primeira vez —, o do palhaço assassino que matava criancinhas em um bueiro. Eu puxei papo com você sobre ele de repente e aí você ficou todo surpreso e a gente teve uma conversa tão gostosa que eu quase desisti de fazer a pergunta fatal e deixar para um outro dia.

Mas você gostou tanto de mim naquela hora, e estava tão feliz e tão bonito que eu só perguntei aquele "Quer namorar comigo?" e então você ficou todo vermelho e eu achei que você fosse chorar. Achei que eu ia me arrepender por ser tão impulsivo. Mas então você abanou a cabeça rindo e eu pensei que iria ser um não bem lindo jogado na minha cara... você aceitou me dando um beijo na bochecha e alterando o seu status do Facebook sem nem conversar comigo.

Naquele momento eu não gostei de você, quando eu cheguei em casa e loguei na rede social e vi aquele coração azul com nossos nomes eu realmente te amei, Soo. Muito. E espero que você tenha me amado muito também.

E quando eu te levei para conhecer meus pais? Você gostou de mim nesse momento, também? Eu estava mais nervoso que você, tanto que no fim foi você quem teve que me acalmar. Meus pais te amaram, te chamaram para vir jantar conosco sempre que quisesse e hoje em dia acho que eles te amam mais do que eu.

Lembra quando as finais do campeonato estavam chegando e você ficou puto da cara comigo por não estar te dando atenção? Só que então a final do jogo chegou e lá estava você, gritando mais do que qualquer um na torcida e quando eu fiz aquele gol e apontei para você... eu tenho certeza absoluta que você gostou de mim naquele momento. Só a forma que você olhou para as garotas de queixo caído ao seu lado já demonstrou isso.

Eu sempre amei esse lado possessivo seu, sabe? A forma como você olhava para as outras pessoas sempre que nós andávamos lado a lado no colégio. Eu sempre pensei que você teria vergonha, tive medo que você não se enturmasse com meus amigos ou o santo não batesse. E no fim minhas preocupações sempre foram bem idiotas, pois já no nosso primeiro dia de namoro oficial você entrou na rodinha de conversa como se sempre tivesse sido parte dela.

Meus amigos? Ele já te amaram desde o início só pelo fato de você me dar uns cascudos quando achava que eu merecia. Se lembra quando LuHan terminou com o Minseok e eu fiz aquela piadinha? Você me deu um tapa tão grande nas costas que eu fiquei sentindo dor a semana inteirinha.

E só porque eu pensei que você ia ficar se sentindo culpado com a minha cara de choro, você não deu a mínima.

Você gostou de mim quando nós fomos pra faculdade e acabamos dividindo um kitnet bem pertinho da sua cafeteria favorita. Nós dois dormíamos na mesma cama e a essa altura já estávamos namorando uns bom 3 anos e ainda assim não tínhamos transado. Não era questão de estar pronto, já tínhamos feito tantas coisas um com o outro envolvendo só toques que... sei lá, isso ficou tão em segundo plano na nossa relação que nós realmente não dávamos a mínima.

Mas então teve aquele dia que você chegou puto da cara da faculdade e eu estava assistindo um programa qualquer na televisão, e então você simplesmente fechou a porta em um chute e foi pro nosso quarto sem nem olhar para mim. E enquanto eu estava naquele meu conflito interno entre te deixar sozinho ou me arriscar perguntar o que havia acontecido, você já tinha saído de lá e se sentado no meu colo, me beijando como se fosse a última coisa que fizesse na sua vida.

Lembra do detalhe principal? Você estava completamente pelado, Kyungsoo.

Você beijou meu pescoço, meu queixo, arranhava meu abdômen e quando eu finalmente tive coragem de olhar pra você de verdade estávamos nós dois completamente nus. Se lembra do nosso diálogo? (ele deveria entrar para algum filme clichê atual, nós dois concordamos com isso)

— Você quer fazer isso? Agora?

— É.

E então nós fizemos.

Puta que pariu, Kyungsoo. Nem aquelas trilhas sonoras emocionantes de filmes dos anos 60 se comparam aos seus gemidos naquele sofá, o dia em que a gente finalmente alcançou aos "finalmentes" juntos e descobrimos que transar era bem divertido, sim. E nós ficamos viciados nisso, não foi? Nos primeiros meses parecíamos um perfeito casal de ninfomaníacos que trepavam em qualquer canto da casa ou em qualquer lugar que tivesse uma porta que pudesse ser trancada.

Mas não é por eu ser, modéstia a parte, bom de cama que você gosta de mim.

E então teve o nosso aniversário de 4, 5, 6, 8 anos de namoro. E nós já tínhamos nos formado e morávamos em uma casa maior e trabalhávamos uma boa parte do dia. E o nosso círculo social havia mudado, e você tinha arrumado um cachorro e as pessoas ainda não acreditavam que pessoas tão diferentes pudessem durar tanto tempo como a gente.

Mal eles sabiam que nós brigávamos todo dia e você quase me assassinou com um vaso de flor. Sinto pena dos vizinhos que escutavam nossos gritos de madrugada por n motivos: Alguém não trancou a porta, alguém esqueceu de dar ração pro cachorro, alguém não pagou a conta de luz e ficamos no escuro, alguém deixou a toalha molhada jogada em cima da cama, alguém não colocou gasolina no carro, alguém esqueceu o aniversário da mãe do outro e etc.

Puta merda, se lembra quando a gente brigou porque eu peguei o último brinde do Super Mário disponível do McDonalds e você teve que ficar com aquele da Barbie? E mesmo quando eu tentei trocar você ficou completamente revoltado comigo pois já tinha aquele Yoshi e não gostava de coisas repetidas.

E quando foi que eu te entendi, Kyungsoo?

Você gosta de mim porque eu sou o melhor namorado do mundo e comprei aquelas passagens para nós irmos juntos pro Japão conhecer aquele Ginásio Pokémon. E depois você me levou naquele show da Hatsune Miku e a gente se beijou tanto aquele dia que com toda certeza todos do Hotel sabiam que um certo casal estava muito animadinho naquela noite. Mas então você me odiou porque eu esqueci minha carteira em alguma parte da viagem e nós dois ficamos presos naquela cidade estranha com pessoas estranhas e uma língua que a gente definitivamente não conhecia.

Você gritou tanto comigo naquele dia que eu pensei que nós fossemos terminar quase três horas depois da melhor foda da minha vida. Mas acho que até você sacou que seria uma puta sacanagem, então a gente aguentou as pontas e andou até encontrar um lugarzinho com telefone e internet pra arrumar um jeito de voltar pro Hotel e você gritar a noite inteira de novo, mas dessa vez do jeito ruim.

E o meu amigo do escritório? Você realmente detestou o Chanyeol desde o primeiro dia que bateu os olhos nele, não foi? E depois que soube que ele na verdade namorava o Baekhyun, você pegou mais raiva ainda só porque ainda não tinha perdoado o Byun e sua lerdeza para os cálculos avançados.

Não é como se eu não fosse ciumento, acho até que você gosta mais de mim quando eu tenho meus — raros — ataques de ciúme. Tipo aquele Sehun que vivia dando umas piscadelas para você, eu tenho motivos para odiá-lo! Acho que se você não tivesse me parado aquele dia eu realmente teria batido nele até sangrar, ainda que no fim você batesse o dobro em mim.

Mas poxa, Kyung, você entende que quando se namora a pessoa mais bonita e fofinha do universo temos que ficar sempre alertas, não é? Você é meu bonequinho e todas as pessoas que conhecem você acabam se apaixonando, a única diferença entre elas e eu foi que eu cheguei aqui primeiro.

Ah, você também gosta de mim porque eu te elogio sempre que tenho a oportunidade. Gosto de comparar você com o Chopper, sabe aquela rena esquisita daquele anime que você me obrigou a assistir e cujo qual acredito piamente que nunca terá um fim pois o criador é um ser imortal tanto nas ideias quanto na vida? Então, ele se parece com você. Pois sempre que eu te elogio você fica todo bobo e xinga todos aos seu redor, ainda que no seu rosto esteja aquele sorriso sincero que eu posso ficar olhando o dia inteiro.

Você gosta de mim porque eu amo tudo em você: amo o seu sorriso, o seu cabelo, o jeito que você fala em espanhol quando fazemos amor, o jeito que você grita comigo, a forma como você fica concentrado como lê e morde o seu dedão, o jeitinho que você pisca quando quer chorar e quando você diz que me ama.

Eu amo quando você diz que me ama porque você sempre fala tudo muito rápido e eu nunca consigo compreender de primeira o que você quis dizer. Você poderia dizer só um "eu te amo", mas Do Kyungsoo não é clichê o suficiente para isso.

Você diz que me ama quando me xinga por beber o leite da caixinha mas então se aproxima de mim e beija o meu bigode. Diz que me ama quando eu pego um resfriado e você me proíbe de ir trabalhar. Diz que me ama quando me deixa assistir meu filme favorito quando ele está passando bem no horário da novela. Você diz que me ama toda noite quando se aninha em meu peito e então sussurra baixinho euachoqueamomuitovocê bem desse jeito, tão rápido que parece que foi uma mentira, uma ilusão da minha própria mente.

E é por isso que você gosta de mim, porque eu sempre entendo o que você quer dizer quando nem você sabe direito. E acho que agora é o momento perfeito de revelar o meu segredo: Sim, eu li o Manual Do Kyungsoo como você suspeitava. É por isso que eu sei tão bem de você.

Fui eu quem o escrevi, afinal.

Mas sabe o que mais, Soo?

Sabe por que você gosta de mim? Sabe por que, me permita ser convencido agora, você ME AMA?!

Porque eu vou te pedir em casamento hoje a noite. E sabe o mais incrível disso tudo? Você vai aceitar.

 

Com amor do seu futuro noivo,
Kim Jongin 


Notas Finais


Espero que tenha sido um bom presente, haha.
Perdoem os errinhos >.<'

Até a próxima e tenham um bom finalzinho de feriado! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...