História Me, Jimin and the Dying Boy - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Deathfic, Jeon Jeongguk, Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Taeguk, Taehyung, Taekook, Vkook
Visualizações 62
Palavras 1.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


demorou, mas ta ai ok? nos vemos nas notas finais :)

Capítulo 2 - The First Day


O relógio marcava 7:00 da manhã, isso iniciava mais um ciclo. Mais uma vez, eu começo o ano letivo querendo voltar para casa já.

 

Mas dessa vez é diferente. É meu último ano. Eu sinto uma sensação de vazio enorme só de pensar que no próximo ano estarei entrando numa faculdade.

 

O tempo realmente passou. 

 

Me levantei e coloquei as pantufas que minha mãe me deu para dias frios. Provavelmente você deve estar pensando 'Hey! Você tem quase 17 anos e ainda usa a porra de uma pantufa infantil?' Sim, eu uso. Pode não ser a coisa mais máscula do mundo, mas é confortável, então a minha masculinidade que se foda para que eu possa usar minhas pantufas de tigrinho em paz.

 

Visto meu roupão e desço para a cozinha, encontrando minha mãe vestida igualzinha a mim, terminando de fazer panquecas.

 

Como eu amo a comida da minha mãe, é a mistura do paraíso com o mundo real.

 

"Bom dia, Taetae." Ela diz, sorridente. O que eu mais gosto nessa mulher, é que além de linda, ela sempre está com uma aparência calma, o que a transforma na mulher mais bonita que ja pisou na terra.

 

E eu posso falar da beleza das mulheres, eu sou gay, se eu digo que uma menina é bonita, então ela realmente é e eu não vou repetir duas vezes.

 

"Bom dia, mamãe. Panquecas?" Sorri.

 

"Sim, eu levantei inspirada, bebê." Apertou minha bochechas e continuou de arrumar a cozinha, trazendo duas xícaras de café para nós em seguida. "Mas se você não quiser, eu como por você, não me incomodo." 

 

"Não. Deixa meu pratinho aqui quieto, tira o olho, urubu." Falei em um tom brincalhão e bati na mão dela. 

 

Minha mãe é dócil e brincalhona, ela sempre gosta que eu faça piadas e tente descontrair o clima, ela diz que melhora o ambiente desde que meu pai nos largou. Ele fez isso alegando que minha mãe era muito boa para ele, que não poderia me ver crescer e sentir que não merecia estar lá. Talvez ele devesse ter decidido isso antes de engravidar a minha mãe, agora já não da mais para fazer muito. 

 

Agora, a cada quatro semanas, minha mãe liga para esse abestado, lembrando ele de pagar a nossa pensão, já que ele casou com uma mulher rica e tem o dinheiro dela.

 

Ele até tentou, com os advogados dela, suspender a pensão, mas isso só aborreceu o juiz e o fez triplicar o valor. Agora, além de gastar o triplo, ele também não tem mais o direito de pisar na nossa casa. E eu acho isso ótimo. 

 

Terminamos de comer em silêncio. Eu e minha mãe nos amamos, mas isso não quer dizer que temos bom humor matinal para lidar um com o outro. Depois da refeição, ajudei ela a guardar e lavar a louça, subindo para me arrumar para a escola logo em sequência.

 

Meu colégio, por ser um saco, nos força a usar a porra de um uniforme de mauricinho. Blusa social, gravata listrada vermelha, azul, verde ou amarelo, calça social ou jeans e o moletom ou sweater do colégio. Me vesti, optando pela gravata vermelha, calça jeans e moletom, e calcei meu all-star velho, saindo em direção ao colégio.

 

Encontrei o Jimin logo na entrada, conversando com Yoongi, um garoto baixinho da outra sala. Jimin se despediu dele e se aproximou de mim, se jogando em meus ombros.

 

"Como foi de férias, meu caro amigo?" Sua voz possuía um tom humorado, afinal, Jimin sabia que não nos víamos apenas a três dias.

 

"Ah, você sabe, fiquei em casa, mantive minha virgindade intacta jogando LoL, não fui a academia, comi pizza até meu cu encher, esse tipo de coisa." 

 

"Oh... Jura? Eu pensava que você era ativo." Ele me encarava incrédulo.

 

"Cala a boca, Jimin. Falei tantas coisas e focou nisso? E sim, eu sou ativo, foi somente uma metáfora." Revirei os olhos.

 

"Ah..." Jimin parecia... decepcionado? "Que coisa. Mas olha o que eu consegui." Disse, levantando um papelzinho com uma sequencia de números escrita. "Yoongi hyung aceitou sair comigo! Menino, eu vou perder o cabeço!" 

 

"Quanta animação para dar o..." Fui interrompido pelo barulho do sinal, alegando que faltava 10 minutos para o início das aulas. Apressamos o passo, chegando descabelados na secretária e pegando nossas informações novas rapidinho."

 

"Sala A e armário 167, e você?" Jimin perguntou quantos saímos de lá.

 

"Sala A e armário 150. Por um momento fiquei preocupado de ter que realmente conhecer pessoas novas, interagir e fazer aquelas coisas que pessoas normais fazem." Suspirei aliviado.

 

"Socializar? Eu também." Rimos e fomos para a sala.

 

Jimin e eu nos sentávamos no fundo. Não por uma questão de "ah, eu odeio minha sala", mas sim porque toda vez que eu interagia com eles, me irritava. Algumas meninas bobas, outras muito populares, atletas idiotas, emos, era tão estereotipado que me dava desgosto. 

 

No intervalo, você nunca me encontraria na cantina. Aquele excesso de gente, suada, fedida, falando alto e parecendo animais, não. Isso não é para mim. Eu e Jimin comprávamos nossos lanches na lanchonete do lado de fora do colégio e ficávamos ou na biblioteca, ou na sala do professor Choi. Ele era o melhor professor, e ainda dava aula de história.

 

Ah, e mais um recado. Nunca tenha um crush em garotos bonitos, eles vão partir o seu coração em 15 segundos. 

 

"Olá?" Ouço aquela voz melodiosa chamar. "Ah, oi Jimin, oi Taehyung, como vão?" Ah... Byun Baekhyun. Lindo, completamente lindo. Eu me apaixonaria por esse homem lindo todos os dias...

 

"Na sala G." E meu melhor amigo já corta a minha barra. "Pode ir, tchauzinho." Jimin nem mesmo tirou os olhos da tela do computador que passa o filme no Netflix. Espero Baekhyun sair e me viro para ele.

 

"Porra, Jimin! Caralho, tem três anos que eu espero a chance de me aproximar dele, você ja mandou ele embora, porra?" 

 

"Ah... Ele nem queria falar com você mesmo, o que muda? Eu só te poupei de pagar um papel de idiota." Bufo indignado. Caralho, Jimin, você me paga. "Além do que, você sabe, ele namora aquele cara bonito do time de basquete, o Chanyeol. Você é praticamente invisível, só aceita." 

 

Vocês, provavelmente, a uma hora dessas, acham que eu e Jimin somos melhores amigos, mas a realidade não é essa. Somos parceiros. Eu posso contar com ele e ele pode contar comigo. Se eu matasse alguém, chamaria ele para me ajudar a me livrar do corpo.

 

Mas apesar disso, Jimin me faz passar nervoso, ele nem mesmo me deixa tentar falar com o crush. Fudido.

 

O resto do dia passou muito rápido, não que meu dia seja diferente de qualquer dia de escola que eu já tive desde o começo do ensino médio.

 

Mas a minha vida veio a mudar quando eu cheguei em casa, naquela tarde.

 

Porque foi naquela mesma tarde quente de agosto que minha mãe veio falar comigo sobre ele. Foi lá que minha mãe quis que eu me tornasse amigo de um garoto doente. 

 

 

Foi naquele dia que eu fui obrigado a ser amigo de Jeon Jungkook, o garoto que vai morrer.


Notas Finais


como eu deixei pequenininho, tem a possibilidade de eu atualizar ainda hoje ou amanhã.

sabe, voces vao ficar muito putos ao redor da historia, assim como eu fico lendo...

seria pedir demais se eu pedisse para que voces divulgassem talvez? ksksks por favor?

me contem o que estão achando :)

outras historias:
https://spiritfanfics.com/historia/hero-or-not-9560708
https://spiritfanfics.com/historia/fascinio-10216658
https://spiritfanfics.com/historia/abracadabra-10818452

fiquem bem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...