História Me leve pra casa priminho! - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amizade, Bts, Comedia, Família, Hot, Romance, Suspense
Visualizações 191
Palavras 2.721
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá fanáticos de plantão! 👋
Tudo bem com vocês??

Quero dedicar esse capítulo para todas as leitoras que shippan esse casal lindo do meu kokoro! ❤

Como ele sairia muito grande, resolvi fazer duas partes, assim como fiz com o do Suga e do Namjoon. As cenas serão fortes, então se tiverem o coração fraco é melhor não lerem. Também quero dizer que usei referências da primeira fic Me leve pra casa mamãe, quem descobrir deixa nos comentários, será divertido procurar esses ester eggs (é assim que escreve?kkkk não sei).

Boa leitura! 😘

Capítulo 30 - A culpa é sua, parte 1 (Diaba ruiva)


Fanfic / Fanfiction Me leve pra casa priminho! - Capítulo 30 - A culpa é sua, parte 1 (Diaba ruiva)

JIN


Aquilo foi demais pra mim, nunca vi tanta fúria e violência em uma só pessoa, jamais imaginaria que Diana fosse tão agressiva daquele jeito, mas olhando para Yumi que ainda se encontrava desacordada no hospital, percebi que não podia mais manter uma relação com a ruiva. Se ela fizesse aquilo de novo certamente não responderia por mim, mas até eu apanhei na confusão, ninguém foi capaz de segurá-la, parecia um demônio.

Saí do quarto de Yumi deixando outro médico encarregado dela, tinha que voltar para casa, passei à noite no hospital e nem dormir direito, por mais que quisesse fugir, uma hora terei que encarar Diana, já estava mais que na hora.

Peguei o táxi e fui para casa, ensaiando mentalmente o que diria para a ruiva, ao chegar abri a porta e todos estavam na sala e pareciam preocupados.
__ Já ligou para ela? _Esmeralda dizia andando de um lado para o outro.
__ O celular dela está em casa. _Lilian aparece segurando o aparelho.
__ Onde ela foi parar? _a morena sentou em uma cadeira com as mãos na cabeça.
__ Calma Esmeralda! Ela deve ter ido no mercado. _Namjoon colocou as mãos nos ombros da prima, até o momento não entendi aquele alvoroço.
__ O que aconteceu? _perguntei tendo a atenção de todos que me encararam sérios.
__ Diana sumiu! _Mitsui falou com os braços cruzados.

Dei dois passos para trás em choque, ela não podia ter feito isso, Diana não sumiria assim, meu corpo não reagia, antes eu estava disposto acabar com aquele relacionamento proibido e me focar no meu noivado, mas ouvir que a ruiva sumiu, mexeu comigo.
__ Não pode ser. _respondi fraco.
__ Pode sim! E a culpa é toda sua. _Lilian apontou para mim.
__ Isso não é hora Lilian. _Hoseok repreendeu ela, mas no fundo tinha razão, a culpa era minha. __ Namjoon tem razão, ela deve ter ido ao mercado.
__ Espero que tenha sido isso mesmo, porque se ela tiver ido para onde estou pensando, não respondo por mim Jin. _Esmeralda disse me encarando com amargura.

Subi para meu quarto longe daqueles olhos acusadores, no final tinham razão, eu não devia ter dado uma de ciumento, fui o pivô da briga, mas queria acreditar que a ruiva estava bem.

Tomei um banho e resolvi deitar, mesmo morrendo de fome não desceria para encarar meus amigos, quando já estava pegando no sono, ouvi batidas na porta, abri dando de cara com Fanny segurando uma bandeja com comida.
__ A Mel está chateada com você, mas mandou algo para comer. _sorriu fraco estendendo a comida, peguei a bandeja e antes que saísse segurei seu pulso.
__ Você acha que a Diana está bem? _a menor me encarou e deu um longo suspiro.
__ Os meninos não sabem, mas Diana não faz o tipo que chora quando se decepciona. _não entendi suas palavras. __ Conhecendo ela como conheço, coisa boa não foi fazer. _engoli em seco liberando Fanny.

Diana era uma incógnita, no tempo que estávamos juntos eu nunca sabia o que se passava em sua cabeça, ela tinha vários perfis que podiam ser todos falsos ou verdadeiros, sua forma de se comportar era único e misterioso, mas não fui capaz de desvendar.

Fiquei preocupado com o que Fanny disse, então comi às pressas, troquei de roupa e desci feito um furacão para procurar a ruiva, não permitiria que fizesse mais bobagem. Ouvi Namjoon me chamar, mas não quis ouvir, peguei o carro dele e acelerei, procuraria até nos confins da terra aquela maluca, dirigi como um louco procurando por ela.

Entrei em todos os mercados, bibliotecas, feiras e qualquer lugar que Diana costumava ir, mas não estava em nenhum desses lugares, já estava anoitecendo quando recebi uma ligação do hospital dizendo que Yumi havia acordada e queria falar comigo.

MERDA! MIL VEZES MERDA!

Larguei minha busca e dirigi de volta para o hospital, devo ter praguejado várias vezes no caminho, estacionei o carro e entrei pela emergência. Quando ia para o elevador ouvi uma voz conhecida, meu coração gelou, virei bruscamente e a vi sendo atendida por uma enfermeira, seu corpo estava cheio de hematomas, o lábio e nariz sangrando, o olho inchado e resmungava o tempo todo não querendo ser atendida.

Caminhei em sua direção sentindo meus batimentos acelerarem, havia um homem lhe acompanhando, mas estava de costas e não pude ver quem era.
__ Preciso que me deixe enfaixá-la moça. _a enfermeira tentava lhe colocar uma bandagem, mas a ruiva não permitia.
__ Já disse que não precisa! Estou bem, nem devia está aqui. _resmungou olhando para o homem.
__ Diana?? _ela me encarou e entendi o que Fanny quis dizer. __ Onde estava? Deixou todos preocupados. _ela olhou para o lado e riu.
__ Você preocupado? Não diga! _respondeu com sarcasmo. __ E não é da sua conta.
__ Não, não é da minha conta, mas você deixou suas amigas preocupadas.
__ Com elas me entendo depois. _cruzou os braços.
__ Por que está toda machucada? Andou brigando?
__ Já falei que não é da sua conta. _me virei para o homem e o reconheci.
__ Você de novo? _era o mesmo cara da festa. __ Então foi você que fez isso? _meus punhos estavam cerrados de tanta raiva.
__ Eu? _o cara sorriu apontando para si. __ Nunca bati em uma mulher na vida, eu que a trouxe para o pronto socorro.
__ E eu sabia que era uma péssima ideia. _Diana encarou o cara de braços cruzados.
__ Olhe pra você ruiva, está toda arrebentada. _ele parecia preocupado, mas tudo que eu queria era explicação. __ Falei que não devia ter participado dos cinco rounds.

Como é?? Rounds??

__ Do que estão falando?? _perguntei.
__ Não me ouviu Jin? Não é da sua conta. _antes que pudesse responder, sou chamado até o quarto de Yumi.
__ Quando eu voltar teremos uma conversa séria Diana. _disse e ela revirou os olhos, então virei para o cara. __ Não deixe ela sair daqui até eu voltar. _ele apenas assentiu e andei em direção ao elevador.



***



DIANA


__ Onde aprendeu a brigar daquele jeito? _Suho me encarava com curiosidade depois que saí do seu abraço.
__ Na rua! _fui breve, odiava falar daquilo com alguém.
__ Não acredito! _o encarei com o cenho franzido. __ Parecia até aquelas brigas de filmes! Você anda assistindo muito filme do Jack Chan. _ele sorriu lindamente o que me fez retribuir, foi algo muito inocente de se falar.
__ Talvez! _respondi fraco e voltei minha atenção para a grama.

Antes que ele falasse alguma coisa, Esmeralda apareceu avisando que iríamos para casa, só que antes de irmos, ela pagou o maior mico babando em Suho, não podia negar que ele era sim um pedaço de mau caminho, mas infelizmente meu coração ainda insistia em amar o Jin.
__ Nos vemos amanhã. _ele sussurrou no meu ouvido antes de eu sair.

Aquela frase foi bem estranha, nem dei meu endereço, mas espantei esses pensamentos e acompanhei Mel até o carro, agradeci mentalmente por ninguém falar sobre a briga no carro, acho que estavam com medo de mim.

Prometi que nunca mais machucaria alguém, mas em um momento de descontrole usei novamente meus punhos contra Yumi, eu podia não gostar dela, mas mesmo assim não tinha esse direito de feri-la, já fugi de tanta briga e essa simplesmente me deixei levar.

Quando chegamos em casa fui direto para o quarto, as meninas me jogaram no banho e vesti um pijama confortável, Fanny também brigou na festa, mas diferente de mim a baixinha se deixou ser agredida.

Me virei para todos os lados sem sono, então desci sem fazer barulho para beber um pouco d'água e nesse meio tempo encontrei Namjoon na sala, conversamos um pouco e eu voltei para o quarto. Quando deitei na cama senti meu celular vibrando, olhei no visor e engoli em seco, era ele, aquele desgraçado não tinha desistido, li a mensagem e arregalei os olhos.

"Sabia que não conseguiria passar tanto tempo sem brigar, não é minha diabinha?! Imagino que esteja frustrada e como te conheço bem, vai querer descontar sua frustração em alguém. Te espero amanhã!

Pablo


Como ele sabia que eu havia brigado?

Aquele cretino nunca me deixaria em paz, joguei o celular para longe e abracei os joelhos totalmente apavorada, olhei para Mila que dormia tranquila em sua cama, não podia permitir que ele voltasse a fazer mal para ela, então deitei novamente na cama fechando os olhos.

Na manhã seguinte vi quando Esmeralda levantou para fazer o café, como estava fingindo que dormia, esperei ela sair e as garotas voltarem a cair no sono, vesti uma calça moletom, uma camiseta branca de alça, um casaco de capuz e calcei meus tênis, coloquei um boné na cabeça e a cobri com o capuz.

Desci as escadas sem fazer barulho e percebi que Esmeralda não estava na cozinha, respirei aliviada saindo o mais depressa possível de casa.
__ Alô?! Quem é?
__ Não se faça de idiota! Sabe muito bem que sou eu.
__ O que minha diabinha favorita deseja?
__ Me manda o endereço, estou saindo de casa.
__ Essa é minha diaba ruiva.

Desliguei a chamada e logo em seguida recebi uma mensagem do endereço do local, respirei fundo e coloquei o celular no bolso, andando alguns quarteirões descobri que o local não era tão longe de casa, era um galpão abandonado dentro de um beco.

Ajeitei o capuz na cabeça e bati em um portão lateral, o guarda perguntou a senha e respondi, depois que entrei percebi que não era um lugar qualquer e vindo do Pablo, com certeza não era um lugar comum. Estava diante de um armazém que acontecia vale tudo ilegal, típico daquele cretino, ele conseguiu me colocar no lugar que jurei nunca mais voltar, um maldito club de luta.
__ Ei! _ouvi alguém me chamando, virei dando de cara com um homem enorme vestido de preto. __ O chefe está te esperando lá em cima. _segui o cara até um escritório no andar de cima.
__ DIANA! _Pablo gritou animado ao me ver. __ Que prazer em te ver ruiva.
__ Não digo o mesmo pra você. _cruzei os braços encarando o homem que arruinou minha vida sentado detrás de uma mesa como se fosse um rei.
__ Sempre ríspida! _sorriu mostrando seus dentes de ouro.
__ Me conhece tão bem! _forcei um sorriso cínico. __ O que você quer dessa vez? _não permiti ele responder. __ Espera! Já sei! Quer que eu lute?! _Pablo sorriu levantando os ombros.
__ Você me conhece tão bem! _usou minhas palavras. __ Sei que quando estava frustrada corria pra mim pedindo alguém para espancar. _aquele infeliz sabia muito bem me manipular, mas não daquela vez.
__ Você tem razão, então já que estou aqui farei o que tanto deseja. _ele sorriu satisfeito. __ Mas… tudo tem seu preço.
__ O que deseja?
__ Não sou mais sua lutadora e não te devo mais, então será setenta a trinta. _seu sorriso desfez e o meu se alargou.
__ Como ousa? _se levantou bruscamente, mas dessa vez não tive medo.
__ Tenho certeza que não sairá perdendo.
__ Como não? Está querendo dá uma de esperta comigo Diana?
__ Eu? _me fiz de inocente. __ Jamais! E para te alegrar, participarei de cinco lutas. _ele arregalou os olhos surpreso com minha atitude, nunca participei de cinco lutas.
__ Isso é suicídio Pablo! _reconheci a voz atrás de mim e virei encarando Suho.
__ Você?… o que faz aqui?
__ Pelo visto já conhece meu sócio, o Suho. _Pablo sorriu apresentando aquele que me salvou de matar Yumi.
__ Então tudo foi um plano para me trazer aqui? _tentei parecer indiferente, mas a vontade era de esganar Suho.
__ Na verdade não, pura coincidência, acredita? Devo dizer que foi o destino. _Pablo se aproximou abraçando a mim e Suho.
__ Cinco lutas é suicídio, já que lutará com homens. _ele me encarava aflito, mas eu estava pouco me importando.
__ Aceita o trato Pablo? _encarei o mais velho com um sorriso de lado.
__ Olhando para esse lado, o enterro é seu mesmo, então aceito. _apertamos as mãos selando nosso trato.

Conhecendo Pablo como conheço, ele iria jogar sujo para que eu não saísse viva dali, mas o que o desgraçado não sabia era que eu estava ali para vencer e ninguém me seguraria. Desci até o ringue, lutaria com a roupa que usava, tirei apenas o casaco, estralei os dedos e pescoço, mas antes de subir no ringue Suho segurou meu braço.
__ Não faça isso Diana! Lembre-se da sua promessa. _puxei meu braço de volta.
__ O diabo nunca cumpre suas promessas. _respondi subindo.
__ SENHORAS E SENHORES! _o apresentador anunciou. __ NA NOSSA DIREITA ESTÁ O ATUAL CAMPEÃO JOE MARRETA PRETA. _todos gritaram seu nome. __ E A NOSSA ESQUERDA, DIANA A DIABA RUIVA! _ouve vaias e mal sabiam aqueles imbecis que seria fácil vencer esse tal de Joe. __ AS REGRAS SÃO: NÃO HÁ REGRAS! QUE COMECE A MATANÇA.

Cheguei por um minuto que talvez seria difícil lutar com aquele cara, mas consegui derrubar ele em dois minutos, na verdade foi intediante. Como eu havia dito antes, Pablo jogaria sujo comigo e ele não deixou barato, as lutas foram ficando cada vez mais difíceis, chegando a ter dois oponentes para eu lutar, não disse que seria fácil, mas não ia perder.

Ao chegar na última luta, meu corpo já estava todo machucado, Suho por diversas vezes pediu que eu desistisse daquela loucura, mas provei para ele que ninguém segurava a diaba ruiva.

Minhas pernas tremiam de cansaço e o último lutador estava ótimo, então vencê-lo seria difícil, olhei para Pablo que se divertia com minha desgraça, e minha morte seria certa, o lutador me segurava pelos cabelos enquanto desferia alguns golpes em meu estômago.

Quando tudo parecia perdido algo me chamou atenção, uma cicatriz meio recente de uma cirugia de apendicite, sorri e sem que ele esperasse, acertei com toda força na cicatriz, o homem caiu de joelhos de dor e acabou me soltando.

Reuni minhas forças e acertei a cabeça dele com o martelo de Thor fazendo-o desmaiar, cambaleei para o lado e todos que até então permaneciam em silêncio começaram a bater palmas e a gritar.
__ E A CAMPEÃ DESSE QUINTO ROUND É, A DIABA RUIVA! _o apresentar anunciou e houve mais gritaria.
__ Você é louca! _Suho apareceu por trás me segurando para que não caísse.
__ Nunca neguei isso. _respondi sorrindo.
__ Vem, vou te levar para o hospital.
__ Não precisa, só quero meu dinheiro e ir pra casa. _respondi indo em direção a Pablo.
__ Esquece isso, ele não vai querer te pagar.
__ Se não fizer isso, garanto que ele dará bom dia para o capeta. _me aproximei do desgraçado e estendi a mão. __ Minha grana!
__ Você não morre mesmo não é Diana?! _me analisou de cima à baixo.
__ Deixa de conversa fiada, cadê a grana? Estou com pressa. _respirei fundo sem paciência, ele levantou a mão e um de seus homens apareceu com um pacote em mãos e me entregou, contei o dinheiro e sorri de lado.
__ Satisfeita?! _cruzou os braços, Pablo odiava perder.
__ Não fica chateado, tenho certeza que lucrou com apostas externas que eu sei. _respondi dando-lhe as costas.
__ DIGA A LOIRA QUE ESTOU COM SAUDADES. _gritou e lhe mostrei o dedo do meio.

Suho me acompanhou caso Pablo resolvesse me pegar na traição, depois de tanto me irritar acabei deixando que me levasse ao hospital, eu odiava hospitais, minha vida foi arruinada dentro de um hospital, então odiava eles.

Dormi quase que a viagem toda, mas algumas vezes senti o olhar de Suho para mim, ele era um tipo que dificilmente você ficaria com raiva, um bandido fofo eu diria, se fosse em outros tempos talvez ele tivesse chance.

Fui levada para a emergência devido às hemorragias internas, a pobre da enfermeira tentava cuidar dos meus ferimentos sem sucesso e Suho me repreendia por não facilitar o trabalho dela, mas o que eu não esperava era encontrá-lo.
__ Diana?? _sua voz ecoou em meus ouvidos e ferindo ainda mais minha alma.

*** CONTINUA ***


Notas Finais


E aí, gostaram?? Acharam as referências??
Deixem aqui👇nos comentários o que acharam e se encontraram os ester eggs.

💋💋💋 no ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...