História Me, Myself and I - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Deadpool, Homem-Aranha
Personagens Peter Parker, Wade Willson (Deadpool)
Tags Spideypool
Exibições 78
Palavras 673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi garela, minha primeira fanfic spideypool, olha que coisa linda! ^.~
Fanfic totalmente inspirada na música do lindotesãobonitoegostosão G-Eazy ~ sim eu tenho um crush megamaster nele, desculpem ksdanj ~ com a maravilhosa Bebe Rexha, que vou deixar o link nas notas finais sz
OBS: Não existe Homem-Aranha apenas Peter Park (que pra mim é O Espetacular Andrew Garfield, tá parei ksckjan) e ele terá alguns problemas pessoais que no decorrer da história vocês irão descobrindo e entendendo.
Ignorem os erros bestas e não desistem de mim, aproveitem e comentem o que deve ser melhorados e blá blá blá.
Enfim, vou parar de encher o saco e deixar vocês lerem, amorinhas... Boa leitura e espero que gostem!
^3^

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Me, Myself and I - Capítulo 1 - Capítulo 1

  Eu não consegui parar.

 E mesmo se conseguisse, não poderia o fazer. Não, claro que não. Pelo menos não àquela altura dos acontecimentos. Definitivamente, não poderia parar, havia passado os últimos cinco anos programando este dia, que até então, nunca ocorreria por ser apenas um desejo perverso. Perverso para os outros, não para minha mente. Mesmo assim, ainda era de muito custo acreditar que aquele sonho infantil havia, de fato, se realizado.

 Sem dúvidas, esse foi o único momento de maior valor em minha vida - tirando o dia em que soube da morte fulminante de Tia May. Um esporádico e raro momento, onde consegui encontrar um pouco de alívio. Devo dizer também que no meio de toda essa bagunça, acabei esquecendo do meu passado, que antes era e o que se passa agora. Lembrando disso, agora me permito rir, mesmo que sem humor, e reavaliar a importância da minha eterna ânsia por incitações desafiadoras.

 Não consigo entender o porquê do meu nascimento prematuro, e ainda mais, o porquê de ter permanecido vivo apesar das contrariedades após um mau acontecimento. Se fui criado no céu, fui previsto após o ato pecaminoso de dois anjos que, apenas agora, conseguiram me enxergar. Infelizmente eles eram como todos os outros, não viam nada além das aparências. Só que eu sou diferente, sou mais do que os olhos das pessoas podem ver.

 Arrisco até mesmo dizer que, talvez, apenas Tio Ben e Tia May conseguiram chegar o mais perto de descobrirem o verdadeiro Peter Parker. Entretanto, a vida é uma jornada que provavelmente eles desistiram de continuar.

 Queria ter sido reconhecido pelos meus pais antes, quem sabe só assim pudesse tê-los redimido da morte dolorosa que os fiz passar. Eu lamento, juro que não foi nada pessoal. No entanto não tenho tempo para me arrepender de meus atos precipitados e sem qualquer vinculo com minha sanidade. É doloroso pensar que ninguém além de mim pode assistir os olhos inexpressivos ganharem uma tonalidade da cor das chamas que... Acendi.

 A cada segundo que passava, ouvia o estalar das labaredas nutrindo-se dos cantos da velha casa. Sentia também uma sensação estranha. Que era totalmente diferente da sensação de completo êxtase e libertação que sentira minutos atrás. Não havia se passado tanto tempo desde que saíra do controle e realizara, o que era julgado pelos outros como sandices.

 Se eu não deveria me arrepender, então por que um sentimento pouco conhecido por mim começava a me dominar naquele momento? Estava com medo. Mas não podia me permitir a ter este tipo de sentimento, pois o mesmo não passa de uma perturbação propagada por minha mente confusa. Mente essa que se enfraquecia diante da ideia de estar sendo exposta a algum tipo de perigo. Que na verdade, não existe.

 E por mais que eu fuja, esses dois anjos já se tornaram mortos. E miseravelmente estarão a partir de agora presos a mim, vivendo em meu corpo, visando meus passos. Tentarei me reestruturar mesmo sabendo que as sirenes policiais foram ligadas. Posso ouvir daqui da escuridão eles a minha procura, e não importa o que eu faça, elas foram soadas e não tem mais volta.

 Agora estou correndo. Perambulando com plenos dezenove anos sem direção, devaneando e sonhando sem ninguém para me dizer o que fazer ou como fazer. Nem mesmo Gwen ou Harry podem me ajudar nesse momento de dor e angústia. Bom, não posso culpá-los por isso pois não nos falamos mais como costumávamos e eu nem consigo entender o porquê. Gostaria de ter a resposta clara em minha mente mesmo depois de tanto tempo. 

 Infelizmente não consigo deixar nada para trás. Para ser sincero, existe uma infinidade de coisas que não consigo fazer; pedir ajuda ou desculpas, esquecer, excluir ou deletar. E isso não faz sentido. Só deixa mais evidente o quanto minha vida é - mesmo que sem meu consentimento - cada vez mais atraída para o sofrimento. Gostaria muito de ignorar da mesma maneira que todos conseguem me ignorar tão facilmente. 

 

 

"It's just me, myself and I"

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...