História Me Sinto De Novo - Capítulo 14


Escrita por: ~

Exibições 111
Palavras 2.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoal!! Aí vai mais um capítulo, desculpem pela demora, amores! Comentem pra mim saber o que vocês acharam, aceito sugestões também e críticas construtivas são sempre bem vindas! Espero que gostem e boa leitura <3

Capítulo 14 - End And Beginning Of Stories?


Fanfic / Fanfiction Me Sinto De Novo - Capítulo 14 - End And Beginning Of Stories?

“As decisões mais difíceis são aquelas que nos obrigam a deixar para trás aquilo que verdadeiramente precisamos.”

 

O silêncio que reinava na sala era perturbador. Hotch procurava palavras, mas parecia ter desaprendido como falar. Cerrou os punhos em puro nervosismo, encarou o chão e respirou fundo.

- Eu posso te pedir uma coisa? – Virou-se para olhar a mulher que estava sentada ao seu lado no sofá.

- Claro – Haley fez sinal positivo com a cabeça.

- Posso ver Jack antes de conversarmos? – Seus olhos encontraram os dela pela primeira vez naquela noite.

Ela havia sido seu primeiro amor, sempre sentiria um frio na  barriga ao encarar aqueles olhos, que hoje pareciam tão diferentes. Não conseguia decifrar o que estava com ela, simplesmente não queria faze-la sofrer.

- Ele está dormindo – Respondeu levantando-se – Mas pode vê-lo sim.

Andou alguns passos e Hotch rapidamente a seguiu até o quarto do filho.  Seus olhos percorreram o quarto decorado em amarelo e branco, adesivos de ursinhos na parede e uma foto de Haley segurando Jack pela primeira vez no hospital, acompanhada de Hotch ao seu lado que beijava a cabeça do filho. Seu olhar parou na fotografia e ele logo ouviu a voz baixa de Haley ao seu lado.

- O melhor momento da minha vida – Ela deu um suspiro tranquilo acompanhado de um sorriso.

Hotch a olhou sorrindo lembrando-se do momento. Olhar o filho pela primeira vez havia sido a melhor sensação de sua vida, tocar naquele ser que pesava pouco mais de 2kg  e já tinha a capacidade de derrubá-lo. Além de que tinha certeza que nunca havia visto Haley tão linda.

- Da minha também – Acariciou a foto e voltou sua atenção para o berço.

Aproximou-se do berço, enquanto Haley ficou atrás de braços cruzados o observando. Sorriu encarando a imagem do bebê de fios loiros na cabeça, que deu um leve gemido enquanto dormia tranquilamente. Hotch lembrou-se do dia que comprou a roupinha azul que envolvia o corpo de Jack. Lembrou-se que quando chegou em casa com pacote, Hayle acariciou a enorme barriga e sorriu de orelha a orelha. Sorriu com as lembranças e levou a mão até a testa do filho, acariciando-a lentamente.

- Eu te amo, capitão Jack – Sussurrou baixo.

(...)

Emily colocou as mãos no bolso do sobretudo sentindo o vento forte em seu rosto. A noite estava ficando cada vez mais fria. Trincou os dentes ao observar a fachada do prédio de seu apartamento. Tomou coragem e andou até o portão, o senhor de mais ou menos 60 anos com cabelos grisalhos, sorriu ao vê-la. Ele abriu o portão rapidamente, quando Emily explicou que estava sem as chaves.

- Bom vê-la de novo, senhorita Prentiss – O homem disse com um tom simpático – Seu Willian me disse que você ficaria fora porque estava trabalhando, a propósito faz uns dias que ele saiu e não voltou.

Emily lembrou-se que “Willian” era o nome falso que Ian usava e engoliu a seco e começou a mexer nas unhas. Limpou a garganta antes de prosseguir.

- Ah sim – Forçou um sorriso – Ele não me disse para onde ia, ele lhe falou alguma coisa, Joel?

- Disse que iria trabalhar e voltava em um semana, já fazem 5 dias, ele deve voltar logo – Joel respondeu prontamente.

- Obrigada, Joel – Tocou o ombro do homem e seguiu para dentro do prédio.

Entrou no elevador e foi até o andar de seu apartamento no terceiro andar. Quando chegou na porta, girou a maçaneta e viu que a porta estava aberta. Entrou com cuidado, sendo possível ouvir o barulho de suas botas ecoando pelo local. Observou ao redor e viu que tudo parecia estar no lugar. Caminhou até a mesa de centro, que ficava na frente do sofá e percebeu alguns bilhetes. Pegou todos de uma vez e foi abrindo para ler.

“Deixei a porta aberta, amor. Sabia que estaria sem as chaves.” – Dizia o primeiro bilhete.

“Te vejo no dia 22, esteja pronta.” – Sentiu as mãos suarem e a respiração acelerar ao ler o segundo bilhete. Era dia 15, faltavam uma semana.

“Só não direi onde para não estragar a surpresa, mas estou ansioso.” – Terminou de ler o terceiro e os guardou rapidamente no bolso, saindo do apartamento às pressas, não antes de pegar as chaves de seu carro que por sorte Ian não havia levado.

Correu para o estacionamento e rapidamente entrou no carro. Agarrou a direção e começou a deferir socos com força, apoiando a cabeça no local em seguida. Segurando fortemente, sentiu as lágrimas descerem sem que pudesse impedi-las. Dia 22 era aniversário de Declan, seu coração estava disparado. Limpou as lágrimas e tentou acalmar a voz, antes de pegar o celular.

- Kate? – Sua voz ainda soou um pouco trêmula.

- Senhora Prentiss? Posso ajuda-la? – A voz da babá de Declan soou preocupada do outro lado da linha.

- Oh me chame de Emily – Prentiss deu uma leve risada tentando descontrair. A mulher de 50 anos sempre cuidou de Declan e Emily gostava muito dela – Eu quero que faça uma coisa.

- Diga, senhora – Respondeu e corrigiu em seguida – Emily.

- Quero que arrume suas coisas e as de Declan, vocês vão para Paris – Emily fez uma pausa antes de prosseguir – Vou falar com um dos agentes que está aí e ele irá acompanha-los, e fará a segurança de vocês lá.

- Emily, mas Declan está em aula – Kate estranhou a ordem.

- Eu sei, não se preocupe, não será por muito tempo – Respirou fundo – Só alguns dias, e por favor me mande mensagens me dizendo como estão.

- Sim, senhora – Kate disse prontamente – Quer dizer... Emily! Eu cuidarei de tudo.

- Obrigada, Kate – Emily agradeceu – E ah, só mais duas coisas: diga ao Declan que o amo e não deixe Ian saber dessa viagem. Posso contar com você?

- Com certeza, senhora – Kate respondeu e Emily encerrou a ligação.

Girou a chave na ignição e arrancou o carro, saindo do prédio rapidamente.

(...)

- Eu entendo e agradeço por estar sendo sincero comigo, Aaron – Haley olhou diretamente nos olhos de Hotch – A nossa história foi linda, mas realmente acabou.

- Você sempre vai ter um lugar na minha vida – Hotch sentia o coração mais leve – Obrigada, por realmente tudo.

Hayle sorriu e baixou a cabeça por uns segundos.

- Quero que seja feliz – Disse as palavras e uma lágrima que não conseguiu conter rolou por seu rosto – Quero que encaremos nosso divórcio como um recomeço.

- Obrigada por ter me proporcionado a mais bonita história de amor que eu poderia ter vivido – Aaron deixou uma lágrima escorrer entre um sorriso – E por ter me dado o maior presente que eu poderia ganhar: nosso filho.

Algumas lágrimas escorreram entre um sorriso de Haley e ela se aproximou de Hotch no sofá. Seus braços envolveram-o num abraço apertado, Hotch encostou a cabeça no ombro dela e acariciou levemente suas costas. Quando separaram-se, Haley puxou a mão de Aaron e delicadamente tirou a aliança de seu dedo, pondo no bolso do casaco dele em seguida. Ela em seguida tirou a sua e guardou dentro do bolso da frente da própria calça.

- Vamos guardar nossa história, Aaron – Sorriu levemente.

(...)

Ao chegar em casa, Hotch chamou o nome de Emily várias vezes e não obteve resposta, percorreu todos os cômodos e andou até a sala novamente. Tirou o casaco preto e jogou sobre o sofá, pegando o celular em seguida. Andava de um lado para o outro, enquanto discava o número de Emily, que caiu imediatamente na caixa postal. A maçaneta da porta girou e ele levantou o olhar rapidamente para ver Prentiss caminhando em sua direção com duas sacolas na mão.

- Não faça mais isso, eu estava preocupado – Andou até ela e lhe deu um beijo calmo, passando devagar a língua em seu lábio inferior – Onde estava?

Ela abaixou a cabeça um pouco antes de prosseguir, certificando-se de que não iria chorar.

- Me desculpe, eu fui em casa pegar meu carro e também passei no mercado – Agitou as sacolas na sua frente e lhe deu um selinho, antes de andar até a cozinha, colocando as coisas sobre a mesa.

Hotch a seguiu até a cozinha e se apoiou no balcão, observando-a.

- Posso saber o que a senhorita trouxe? – Disse em tom divertido e analisou-a tirar o casaco, colocando sobre o encosto da cadeira – Ou é confidencial?

Ela abriu uma das sacolas e tirou dali uma garrafa de vinho e da outra um pote de sorvete. Segurou as duas coisas caminhou lentamente até ele, tendo o balcão separando-os. Colocou sobre a pedra de mármore o sorvete e o vinho, e apoiou-se com os cotovelos no balcão.

- Trouxe isso, agente Hotchner – Inclinou-se e sussurrou em seu ouvido mordendo o lóbulo de sua orelha.

- Se antes estava frio, agora está quente – Ele retribuiu o sussurro e ouviu a risada baixa da morena, tinha certeza que aquele era um dos sons mais bonitos que existem – Vem, estou doido pra provar esse vinho.

Arregaçou as mangas da camisa e pegou o vinho para abrir, enquanto Emily colocava o sorvete no frízer. Depois, ambos andaram até a sala, sentando-se no sofá. Ela esticou as pernas e colocou sobre o colo de Hotch que sorriu. Serviu vinho e entregou a ela, servindo para si mesmo em seguida. Brindaram e riram juntos.

- Então... Como foi? – Emily ficou séria e encarou fixamente a taça que segurava.

Hotch respirou fundo e bebeu um gole do vinho antes de responder.

- Nós conversamos e concordamos que o divórcio é o melhor a fazer. Vamos cuidar de tudo essa semana mesmo – Hotch encarou a taça e largou-a sobre a cômoda ao lado do sofá.

- Aaron você tem certeza disso? – Emily perguntou insegura e voltou seu olhar para ele. Encaram-se e ele não tinha dúvidas que a queria mais que tudo nesse mundo. Ouvi-la pronunciar seu primeiro nome fazia seu coração acelerar.

Hotch tirou os pés dela com cuidado de cima de seu colo, colocando-os no chão, fazendo-a se virar no sofá. Caminhou até ela, ajoelhando-se na sua frente e pondo as mãos nos joelhos dela.

- Eu tenho certeza disso, absoluta certeza disso, Emily – Levantou um pouco a blusa de seda que ela vestia e deu beijos em sua barriga, subiu e beijou seu pescoço, em seguida sua boca. Separou minimamente os lábios quando o a falta de oxigênio virou um problema. – E você?

Ouvi-lo sussurrar ofegante, sentindo seu hálito quente se misturar com o dela, a faz arrepiar. Arrepiar de novo. Ela tinha medo, medo de magoá-lo, medo de que um dia ele a odiasse, medo de tanta coisa. Segurou as lágrimas e colou seus lábios nos dele.

- Eu tenho – Sussurrou antes de beijá-lo novamente, entrelaçando os braços em seu pescoço, o puxando para mais perto.

- Eu quero você – Ele falou com a voz rouca em seu ouvido, fazendo sentir um arrepio percorrer sua espinha – Só pra mim.

Aaron subiu por cima dela no sofá, apoiando as mãos do lado de seu corpo, a olhando de cima. Ela sorriu timidamente e ele inclinou-se até ela mordendo seu pescoço com certa força, fazendo um gemido escapar de seus lábios. Emily travou as pernas na cintura dele, o querendo mais perto, enquanto desabotoava rapidamente a camisa do homem. Era difícil se concentrar nos botões, quando se tinha Hotch mordiscando e beijando seu pescoço. Ele deslizou a mão por de baixo da blusa dela, acariciando sua barriga e subindo até seus seios. Prentiss contraiu a barriga e ele sorriu maliciosamente contra seu pescoço. Quando estava na metade dos botões da camisa dele, ouviram a campainha.

- Ah não – Ele disse enquanto ofegava no ouvido dela – Eu não vou atender.

Voltou a beijar o pescoço dela e Emily segurou um gemido.

- Ei pode ser alguma coisa importante – Ela segurou o rosto dele entre as mãos, enquanto ambos ofegavam – Depois a gente continua.

Hotch revirou os olhos fazendo-a rir e deu um selinho nela, antes de levantar e abotoar rapidamente a camisa, enquanto a campainha soava pela segunda vez. Emily se revirou no sofá e mordeu o lábio.

- Não me provoca – Ele apontou pra ela e disse com a voz ainda rouca.

Caminhou até a porta e abriu desanimado. Quando se deparou com quem estava ali, tentou se recompor rapidamente.

- Jennifer? – Limpou a garganta e passou a mão pelos cabelos provavelmente bagunçados.

JJ encarou o chefe, percebendo sua roupa amarrotada e o cabelo desarrumado. Quando viu que estava encarando-o a muito tempo, balançou a cabeça.

- É, me desculpe vir até aqui, Hotch, mas você não atendia o celular – JJ explicou – Nós temos um caso.

 

“Eu gosto de te fazer sorrir

Porque gosto de saber

Que sou o motivo do teu sorriso”


Notas Finais


até o próximo, bjs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...