História Meant To Be - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 13
Palavras 1.524
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem!!
Me perdoem a demora :)

Capítulo 14 - Capítulo 14


Fanfic / Fanfiction Meant To Be - Capítulo 14 - Capítulo 14

Carly

Meu guarda roupa estava todo revirado e minha cama inundada de roupas. O que se veste para uma festa beneficente? Eu não faço ideia. Carter havia me convidado semana passada e eu ainda não sabia o que vestir. Eu pensei em pedir dinheiro ao meu pai para comprar um vestido novo, mas acho melhor não, já que ele nem queria me deixar ir na tal festa, só depois de minha insistir muito que ele acabou cedendo, mas mesmo ainda tenho algumas condições a cumprir.

“Chegar em casa à meia noite.”

“Nada de bebidas alcóolicas.”

“Nada de ficar sozinha com o Ethan (ou seja, não dê uns perdidos durante a festa para namorar).”

“blá, blá, blá, blá...”

Eu só concordei com tudo que ele falou e subi para o meu quarto, afim de começar a me arrumar, no entanto, aqui estou eu duas horas depois, encarando minhas roupas espalhadas pelo quarto e sem nenhuma ideia do que vestir.

Preciso de ajuda, urgente!! Sendo assim, só me resta uma alternativa.

Quinze minutos depois escuto a campainha e desço para atender, minha salvadora chegará.

Quando Amanda entra no quarto ela se assusta com a bagunça que está lá dentro, tem roupa pra todo canto, sapatos até pendurados na grade da cama.

- Oh My God!! Um furacão passou por aqui, foi??

- Sim, um furacão chamado Eu Não Sei o Que Vestir Para Uma Festa Beneficente – Levanto os braços exasperada – Me ajuda, por favor!!!

- Tudo bem, primeiro se acalma – Ela segura meu rosto entre suas mãos e me encara – Respira, isso, muito bem, agora, vamos por partes.

E por incrível que pareça, apenas 40 minutos depois já tínhamos escolhido roupa, sapato e até maquiagem, agora só faltava o cabelo, e enquanto eu me banhava ela ficou pesquisando algumas opções. Não disse que ela era minha salvadora!!

Depois do banho me vesti e Amanda me maquiou e arrumou meu cabelo. No fim acabamos entrando em uma pequena discussão de qual seria o melhor colar para usar, assim como o brinco e a pulseira, mal ouvimos quando a campainha tocou, e só me dei conta de que já estava na hora da festa quando ouvi a voz de Ethan no andar de baixo. No mesmo momento minhas mãos começaram a tremer e a suar, não sei porque estou tão nervosa, Amanda está me acalmado e me empurrando para fora do quarto, já que minhas pernas mal respondem aos meus comandos.

Quando chego ao topo da escada Ethan se vira e me vê, seu olhar fica preso ao meu, e sinto meu rosto corar. Mas o incrível é que aquele nervosismo estrondoso sumiu assim que o vi, deixando somente algumas borboletas no estomago, estas nunca sumiam, mas eu até que gostava da sensação.

- Nossa!! Você está linda Carly – Ethan elogia-me assim que desço o último degrau.

Ele toma minha mão e a beija fazendo uma reverencia, nesse momento não sou capaz se conter o riso. Minha mãe nos observa toda melosa, já meu pai está com a cara fechada, como sempre fica quando Ethan está perto.

- Podemos ir Mademoiselle Young?

- Oui Monsieur Carter.

Durante todo o trajeto ficamos quieto, o silencio era tanto que conseguia ouvir meu coração pulando dentro do peito. O máximo que trocamos foi alguns olhares tímidos e sorrisos mais tímidos ainda. O que estava acontecendo com a gente? Nunca fomos tão tímidos assim!

Alguns minutos depois o carro estacionou em frente a uma grande mansão, Isaac abriu a porta que eu e Ethan saíssemos, depois de um leve cumprimento com a cabeça ele se despediu, mas antes ele cochichou algo para Ethan que não consegui, e ele sorriu com o que o outro disse, me deixando um pouco intrigada e curiosa.

- O que vocês estavam cochichando ali? – Perguntei assim que ele chegou ao meu lado.

- Nada de importante senhorita curiosa – Ele sorriu e me ofereceu seu braço. Eu aceitei e sorri também, admito sou curiosa mesmo e também não desisto fácil.

Entramos na festa e fiquei perdida no tamanho daquela casa, a entrada dava de frente para um enorme salão onde estavam os convidados, uma escadaria gigante de mármore levava ao segundo andar que eu suspeitava ter quartos maiores que minha casa.

Ethan cumprimentou algumas pessoas enquanto andávamos pelo salão, nem notei que seu pai se aproximara e me assustei ao ouvi-lo me chamar.

- Carly?! Está gostando da festa?

- A-ah sim, está tudo muito lindo.

- Que bom, eu vou ter que ir falar com alguns sócios então divirtam-se, mas com juízo – Ele aponta para o filho que assente – Eu volto assim que puder.

- Então, está com fome? Nós podemos ver se tem algo que seja realmente comestível aqui – ele faz cara de nojo ao ver um dos garçons passar por nós carregando uma bandeja com algumas coisas moles e gosmentas.

- Claro.

Depois de muita procura encontramos alguns bolinhos de camarão que estavam até gostosos. Ethan me apresentou alguns de seus conhecidos que estavam na festa e logo já estávamos envolvidos em alguma conversa sobre escola, faculdade que queremos cursar e acabamos com qual foi o momento mais embaraçoso que já passamos.

Quando Ethan estava prestes a contar seu momento embaraçoso seu pai chegou e nos convidou a segui-lo para nos apresentar a alguns sócios, apresentar Ethan na verdade, já que ele seria seu sucessor na empresa.

Depois de alguns sorrisos forçados e elogios igualmente artificiais nos despedimos e fomos para outro lado do salão, agora o pai de Ethan foi com a gente.

- Já comeram alguma coisa?

- Sim, nós conseguimos encontrar alguns bolinhos de camarão comestíveis.

- Querem algo para beber?

- O que é aquela bebida? – Perguntei apontando para uma bebida azul que estava bem convidativa.

- É um Blue Hawaii, você quer experimentar?

- Isso é alcoólico? Eu não posso beber.

- Ele não é muito forte, nós podemos dividir um se quiser e se meu pai permitir – Ele acrescenta ao se lembrar que seu pai estava ao nosso lado, mas por incrível que pareça ele não parecia nervoso, pelo contrário até sorriu.

- Um Blue Hawaii, por favor – Ele pediu para o garçom.

- E não pensem que podem sair bebendo por aí, só estou comprando esse porque estou aqui e posso ficar de olho em vocês e um coquetel não vai deixá-los bêbados, talvez mais alegres.

Quando o drink chegou Ethan me deixou provar primeiro, devo admitir não pensei que aquilo era tão gostoso.

- Até que não é ruim.

- É aí que está o perigo, ele é tão gostoso que você nem percebe quando já bebeu demais.

Terminamos de beber e começamos a conversar e o pai de Ethan estava até bem-humorado, conversava alegremente com a gente, nem parecia aquele homem estressado que chegava em casa e passava sem nem ao menos dar um oi. Pensando nisso, ainda não entendi a reação de meu pai aquele dia que ele encontrou com o pai de Ethan, ele parecia bem chateado e até com raiva, agora vai saber porque, mas como eu disse antes, sou curiosa e não desisto fácil e vou tirar essa história a limpo, só preciso achar o momento certo.

- Carly – Ethan me chamou, tirando-me do devaneio.

- Sim.. – Respondi e ao me virar me deparei com ele de pé a minha frente, estendendo-me sua mão. – A não, não...

- Vamos, por favor, só uma dança.

- Não Ethan, você sabe como eu sou horrível.

- Não é nada, você era, mas agora já está melhor, confie em mim, você dançou graciosamente aquele dia na escola.

- Aquilo foi diferente, nós tínhamos ensaiado muito e eu sabia exatamente o que fazer, mas agora... e-eu... não posso.

- Por favor, uma dança e eu prometo não te pedir mais nada o resto da noite.

Continuo o encarando ainda não convencida.

- Tá, o resto da semana.

Agora estava tentada a aceitar, afinal ele não me incomodaria o resto da semana, por mais que ficar ao lado dele não é incomodo nenhum, pelo contrário são as melhores horas do dia, ouvir sua voz, principalmente quando canta pra mim, sentir seu cheiro, ver seu sorriso, o brilho de seus olhos, é tudo tão bom, que ainda tenho medo que tudo seja só um sonho.

- Está bem, mas só uma dança

Acabo aceitando e seguro sua mão, ele me guia até o centro do salão e começamos a dançar, a música que tocava era antiga, mas bem agradável, ele levou sua mão a minha cintura e eu apoiei meu braço esquerdo em seu ombro.

(Para quem quiser ouvir essa era a música: https://youtu.be/Zg2H1Ou5bYU)

A música nos embalava pelo salão e por um momento não existia mais nada, só eu e ele, e por mim poderia continuar assim para sempre. Afinal tem coisa melhor do que ficar com a pessoa que ama? E sim eu o amo, o amo muito!!

It was fascination I know, and it might have ended
Right there at the start
Just a passing glance
Just a brief romance, and I might have gone on
my way
Empty hearted

Fascination - Nat King Cole


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...