História Mechanical Heart(Chanbaek) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Suho
Exibições 4
Palavras 837
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Isso foi inspirado em um sonho que eu tive, mas espero agrade a todos.

Capítulo 1 - Prólogo- BaekHyun


Eu sou humano, mais não sou, como isso é possível? Não sei, meu pai diz que eu continuo humano, mais eu não me sinto assim, como posso ser humano? Meus orgãos são sensores, meu esqueleto é uma estrutura mecânica, meus nervos são fios que mandam informações pelo meu ''corpo'', meus músculos são fluidos sólidos e articulados. Nada é orgânico, tudo é completamente programado.

Meu pai sempre tenta me acalmar, me diz que é temporário, que ele vai achar uma solução, que eu vou voltar a ser o que eu era.

Não é que eu duvide das habilidades dele, mas eu simplesmente não consigo acreditar naquelas palavras de conforto... Desculpem, não devem estar entendendo nada, vou tentar explicar. Bom, foi mais ou menos assim...

 

FlashBack On

Hospital Central Para Doenças Terminais De Seul.

24/06/2245

04:50 PM

Eu permanecia imóvel na cama de lençóis brancos ouvindo o ''bip-bip'' do medidor de batimento cardicos ligado ao meu corpo enquanto aspirava o cheiro de álcool e éter hospitalar. 'Estou em um hospital' Conclui. Ouvi a porta ser aberta e fingi que continuava dormindo.

-Sr.Kim Jun Myeon, eu serei franco, a síndrome de Chediak-Higashi foi identificada em menos de 200 pessoas no mundo, sabemos muito pouco sobre ela, é um milagre ela ter começado a ruir o sistema imunológico do seu filho somente agora tendo ele 16 anos quando ele deveria ter vivido no máximo até os 6 anos e meio, o senhor como um famoso cientista na aréa da biologia e anatomia humana com certeza sabe muito bem que oque eu digo é mais que verdade...

Abri minimamente os olhos vendo meu pai conversando com um médico, voltei a fechar os olhos continuando a ouvir.

-Quanto tempo ele tem?

Ouvi me pai perguntar com a voz trêmula, tenho que adimitir que estava com medo também.

-Eu não sou um especialista nesta área mas... Dois anos, no máximo.

 

FlashBack Off

 

Foi desesperador, era uma doença sem cura, bem ainda é, mais meu pai não aceitou isso, afinal, Kim Jun Myeon(ou Suho para os amigos próximos) nunca aceita engolir sapo. Engolir sapo... Nota mental: Passar menos tempo com a vovó. Enfim... Ele, como o grande cientista que é colocou meu corpo em sono criogênico(ou sono de morte, como é popularmente conhecido) e passou minha conciência e cérebro para um rôbo que ele mesmo havia construído e que era uma cópia perfeita de mim(pois é, hoje em dia se faz qualquer coisa se você tiver recursos e inteligência, ou seja, se faz qualquer coisa se você for meu pai, ou igual a ele). Quem me via nem imaginava que eu não sou humano. Meu pai diz que é só até ele encontrar uma cura para aquela doença que eu herdei da minha mãe, e que matou ela. Mas eu não acredito muito que ele vá conseguir, apesar de não dizer isso para ele, não quero estragar o ânimo que ele tem e eu não... Enfim, foi isso que aconteceu.

*Batida na porta*

-BaekHyun, está acordado?

-Estou. Pode entrar.

Digo tirando os olhos do livro e olhando a Hyuna entrar no quarto sorrindo, sorrio de volta, ela era governanta da casa e cuidava de mim quando eu era pequeno. Era uma das poucas serventes da casa que sabia da minha ''condição especial'', como meu pai dizia.

-Bom dia Hyuna.

-Bom dia querido, seu pai está te chamando no laboratório. Disse que queria conversar com você.

-Tudo bem, vamos ter aula hoje?

- De matemática ás três da tarde.

-Tudo bem, obrigado pelo aviso.

Ela sorri e sai. Ela me dava aulas já que meu pai não me deixava ir a escola, era como minha mãe. Deixei o livro de lado e retirei o pijama colocando uma blusa branca e calça de moletom na mesma cor. Sai do meu quarto e andei em direção ao elevador que havia no corredor, apertei o botão escondido que levava o elevador ao laboratório do meu pai. O elevador abriu revelando uma porta de aço firmemente trancada, digitei a senha e ouvi o barulho das trancas sendo destravadas. 

Meu pai estava de costas, ao lado da câmara onde meu verdadeiro corpo descansava, olhei os dados que apareciam na superficie de cristal, aparentemente meu corpo estava saudável e a doença não havia avançado, como já era esperado... Toquei no ombro de meu pai chamando sua atenção visto que ele estava distraido.

-Ah, Filho.

-Queria falar comigo?

-Sim, e que eu gostaria que você ficasse no segundo andar das dez da manhã ás sete da noite apartir de hoje.

-Por quê?

Pergunto curioso, não era comum esse tipo de pedido.

-Não é nada que você precise se preocupar, mas por favor, obedeça.

Suspirei, e olhei para ele que tinha uma expresão cansada.

-Tudo bem... sobre a doença...?

-Eu vou conseguir, eu sei que vou.

ele sorria, era um sorriso cansado, um pouco triste, mas ele sorria, então sorri também. Dei um abraço nele e me virei para voltar ao meu quarto. Porém quando me virei ouvi ele murmurar baixinho:

-Eu preciso conseguir...


Notas Finais


A câmara em o corpo do Baek está é igual á essa:https://fabioevangelistadasilva.files.wordpress.com/2015/07/cryogenic-chambers.jpg

Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...