História Aqueles Olhos... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boys Be...
Personagens Personagens Originais
Tags Boys Love, Comedia, Romance
Exibições 9
Palavras 626
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem, é uma coisa pequena, mas tamanho não é documento...
Obrigada por escolherem essa historia...
Tenho certeza de que cada vez mais menhora...
:)
Esperem o capitulo dois aonde a historia realmente começa...

Capítulo 1 - Derrepente voce...


Fanfic / Fanfiction Aqueles Olhos... - Capítulo 1 - Derrepente voce...

Noh estava em um avião, que ele nem sabia para onde iria,  indo encontrar sua noiva misteriosa. No avião ele ficou pensando sobre a conversa que teve mais sedo com su mãe

"-Bom voce esta indo encontrar sua noiva, vocês estão comprometidos um ao outro a muito tempo- Diz ela olhando pela janela do avião

-Ah...sim senhora e quando é que eu vou?- Pergunto de cabeça baixa, sem olha-la diretamente

-Hoje mesmo, pode arrumar suas coisas, o copitloto ira leva-lo para seu avião- Diz ela em um susupiro

-Sim  senhora- Digo em resposta e logo de pois me retiro"

A quela conversa de noiva tinha o pegado de surpresa, tudo bem ser mandado pra cá e pra lá por seus pais, estar sempre viajando sem poder ir a uma escola, ou mora em uma colina aonde ele nem sabe a localização e não conhecer ninguem, não ter amigos, ou saber o que são interações humans, mas um noivado, um noivado era algo fora dos limites, fora da linha de segurança, fora de qualquer regra ja criada,isso era um pouco de mais para ele. Então ele ficou remuendo essa conversa durante a viajem inteira, sem parar, e pensando o que seria da sua vida dali em diante

Umas 23horas depois o avião finalmente havia polsado, Noh desceu do avião, e foi pegar suas malas, mas elas não tinham vindo, ele achou estranho, e então foi para a aria de desembarque, pois alguem iria esperar ele lá, ele olhou para os lados a procura de alguma placa com seu nome, mas não encontrou ninguem, pensativo, e acham tudo aquilo estranho, depois de muito pensar, ele decide ligar para sua mãe.

Chama... chama... chama... chama... não atende... chama... chama... chama... chama... não atende... chama... chama... chama... chama... atende...

-Alo mã...- Antes que Noh pudesse terminar a frase a bateria desliga e ele fica olhando para o celular como quem diz: "Bateria de mer"

Ele olha pros lado e então se senta, esperando que alguem vá buscalo, mas as horas passam e niguem veio, então ele começa a ficar preocupado, decidindo então sair pela cidade e tentar ajuda para falar com seus pais, pois os telefones do aeroporto precisavam de moedas, coisa que ele não tinha com ele. Então ele sai pela cidade pedindo ajuda, mas todos só viravam a cara para ele ou o ignoravam, deixando ele cada vez mais desanimado.

Ja era noite e estava uma brisa gelada, ele estava se sentido fraco e tonto, foi quando ele viu um grande muro, e descidiu seguir em volta dele, na esperança de que ali fosse um orfanato e que lhe deixasem fazer uma ligação. Ele acelerou o passo, até encontrar um grande portão grande com extenças barras de metal.

Logo depois que parou na frente do portão, ele ouviu vozes e então se escondeu, grudando-se na parede, pessando que isso o ajudaria, e então o portão se abre e de lá sai um garoto de cabelos negros, com dois sacos de lixo, um em cada mão, e os coloca dentro de uma grande lixeira que tem ao lado do portão, encostada no muro.

Noh vai se desgrudando da parede aos poucos, para não assusta-lo, ele o observa, e então o garoto se vira, paralisa e tambem fica o observando, por alguns segundos os dois ficam ali parados se encarando

-Es...es...espera - Diz Noh ao garoto que se vira para o portão - Me...me...a...ju...da...por...por...por favor - Diz Noh com a voz tremula, se sentindo tonto, e antes que perceba tudo fica escuro.

Garoto desconhecido ON

"Não pode ser... quando eu menos esperava... esse cara... desmaiou... se bem... que... esse cara... me lembra alguém ...não ...não ... não... deve ser impresão minha... bom... não poço deixalo aqui... droga..."

Garoto desconhecido OFF


Notas Finais


Espero que tenham gostado, me desculpem por quais quer erro de portugues, se gostarem deixem seu comentario, vai me encentivar a traser mais conteudo, obrigada por lerem, compartilhem para seus amigos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...