História Medo de Amar. - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags One Direction
Exibições 43
Palavras 1.594
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello people!!!
Eu sei, eu sei, estou há dois meses sem postar e isso é uma completa vergonha. Sorry!!!
Mas eu tenho bons motivos, a faculdade está sugando a minha vida, bom, agora nem tanto, então não prometo muita coisa, mas prometo tentar, vejam bem, TENTAR postar mais, pelo menos uma vez por semana, começando por essa semana ;)) Também quero pedir desculpas as duas lindas que comentaram no cap. passado e agradecê-las por terem feito isso: VOCÊS SÃO UNS AMORES!!!

O Cap. está cheio de babados e eu gostei bastante de escrevê-lo (a semana do saco cheio me deixou inspirada kkkk) então espero que vocês gostem!
Ahh, feliz dia das crianças! <3

Obs: As meninas estão com os mesmos looks do cap. passado então não temos links nas notas finais.

Boa Leitura e até lá embaixo .-.

Capítulo 29 - Quando o mundo fica bizarro.


Fanfic / Fanfiction Medo de Amar. - Capítulo 29 - Quando o mundo fica bizarro.

Samantha On.

Eu detesto ficar nervosa, mas, realmente, aquilo ali tinha passado de todos os limites.

- O quê? – Eu disse, atônita, quando ouvi o Ramon falar sobre o que minha mãe tinha feito e então, o garoto começou a repetir tudo, como se eu fosse surda e não tivesse entendido direito.

- De verdade, Glock, a sua mãe me contou e está tudo bem, porque eu estou aqui e... – Ele começou, mas eu o interrompi.

- Olha, Ramon, de verdade, você tá me irritando! Não tem ninguém me perseguindo além de você, que é um chato que não consegue entender que eu não tô afim de você, entendeu? – Falei e saí andando, deixando ele lá, com cara de taxo.

Quando já estava chegando perto do carro, senti alguém puxar meu braço.

Me virei e vi Haylee.

- Ah, não, vai querer outro soco na cara? – Perguntei e ela se retraiu, mas logo voltou a mesma posição, porque estava com o bando de piriguetes que a seguem pra qualquer lugar.

- Eu só vim te dizer que o reitor vai ficar sabendo, ouviu? Isso não vai ficar assim! – Ela disse e eu revirei os olhos, apesar de ter gelado por dentro.

- Garota, eu não mandei você ficar longe da minha amiga? – Tris veio, junto com Liam, e de repente, ela já estava puxando os cabelos da garota e a derrubando na calçada.

- Puta que pariu! – Eu e Liam falamos ao mesmo tempo, vendo Tris subir em cima de Haylee e começar a dar tapas na cara da garota.

- Você vai lá separar? – Ele perguntou e eu comecei a rir.

- Claro que não, ela está levando a melhor – falei e então me virei para ele: - Você vai?

- Acho que não, como você mesma disse, minha loirinha tá ganhando – ele falou e nós rimos.

- Se você não vai fazer nada, nós vamos – as três garotas que pareciam cópias umas das outras, todas loiras e sem graça, disseram e rumaram para perto de onde Tris e Haylee estavam.

- Se vocês deram mais um passo e vou acertar a cara de cada uma – ameacei e elas riram entre si.

- Você e mais quem? – Elas falaram e eu comecei a estralar meus dedos pronta pra acabar com a cara daquelas piranhas.

- Não que eu ache que ela precise, mas eu tô aqui pra ajudar – Tânia apareceu, do nada, ao meu lado, e Liam deu um pulo, assustado. O que me fez rir e ele fechar a cara.

- Não falem nada – ele exigiu e percebi que Tânia tava se segurando pra não rir também.

- E então, vão encarar ou não? – Ela perguntou e eu estralei meu pescoço, um truque que aprendi com meu irmão e que realmente deixa as pessoas com medo e te faz parecer durão.

- Acho que não – disse, por elas, que pareciam engolir o seco e então me voltei para a briga de Tris. – Hey, acaba logo com ela, Tris! Acerta o nariz machucado que tenho certeza que ela desmaia! – Gritei e vi Liam arregalar os olhos e correr até elas, porque Tris estava se preparando pra fazer exatamente o que eu disse. – Sem graça! – Gritei pro Liam, quando ele pegou Tris no colo, apartando a briga.

- Você não tem jeito mesmo, ein Glock – Tânia disse, rindo e eu dei de ombros.

- Ah, qual é, briga sem um pouco de sangue não tem graça – falei e ela riu mais. Olhei ao redor e percebi que uma galera da faculdade tinha formado um semicírculo ao nosso redor e estava olhando a briga.

- Incrível, era só o que faltava – ouvi Liam resmungar e então outra voz surgiu, do meio do povo.

- Me deixem passar, abutres da guerra – assim que o garoto se aproximou, sorri, era Luke, com sua jaqueta de jogador de futebol e sua aversão as pessoas. O cara era legal, tinha de admitir. – Ah, é claro que você tinha de estar no meio, né? – Ele olhou pra mim rindo e eu revirei os olhos, mas ri.

- Na verdade, dessa vez foi a Tris – falei e ele arregalou os olhos quando olhou em direção á ela, que ainda se debatia, tentando se soltar do aperto do Liam.

- Ela é que tá certa, se eu tivesse um cara assim pra me segurar depois das brigas, eu brigaria todos os dias – ele falou e Tânia riu.

- Vocês me pagam, eu juro! Meu pai vai falar com o reitor e vocês serão expulsas! – Haylee disse, sendo erguida pelas loiras esquisitas robóticas.

- Ai, tá, tá bom, agora vão pastar um pouco que tá estranho ver vacas no asfalto – comentei e todo mundo que tava em volta riu. Me virei pra eles – isso serve pra vocês também, cambada de esquisitos! Se querem ver uma briga de perto, entrem em uma, babacas! – Gritei, estressada com aquela gente toda e, de repente vi todo mundo saindo de perto da gente.

Me virei pra Tânia, Liam, Tris (ainda nos braços de Liam) e Luke, e falei sorrindo:

- Sério, esse foi um dos melhores dias nessa porra de faculdade! Tô até pensando em fazer isso mais vezes e... – Eu ia continuar, mas todo mundo começou a fazer caretas estranhas, então parei e me dei conta do que tava acontecendo – tem alguém atrás de mim, não tem?

- Desculpe incomodar, Srta. Glock, mas eu tenho reclamações á seu respeito e á respeito da Srta. Davies – o reitor, Sr Cardin disse, debochado e eu me virei, quase que instantaneamente, mas ainda sim, mantendo a pose. Já tava tudo ferrado mesmo, não ia adiantar me desesperar.

- Quais tipos de reclamações? – Tris perguntou, se fazendo de inocente ou debilmental, dependendo do ponto de vista, porque tava na cara  que ele iria reclamar das nossas surras na Haylee.

- Vocês têm praticado bullying com a aluna Haylee Williams, de acordo com alguns alunos – ele disse, pacientemente e vi Tris abrir a boca pra falar algo, mas ela foi interrompida pelo reitor. – E nem adianta negar porque eu vi o tumulto que você, senhorita Davies, causou agora, brigando com a Srta. Willians.

- Sr Cardin, o senhor tem que entender que ela nos provocou e nos fez chegar ao limite.  – Tris disse, com seus olhos verdes fixados no reitor. Dava pra ver que ela estava assustada com o que iria acontecer conosco.

- Ao limite da agressão? – Ele perguntou e Liam se interpôs.

- Foi apenas uma briga de garotas, Sr. Cardin, ninguém saiu realmente machucado – Ela garantiu e o reitor negou.

- Não é isso que consta nas reclamações que eu recebi de algumas alunas – provavelmente, uma das loiras cópias que andavam com aquela vaca. – Elas disseram que a Srta. Glock quebrou o nariz da Srta. Willians durante o jogo de Rúgbi.

 - É, eu fiz isso mesmo, mas a Tris não teve nada a ver com isso – defendi e Sr. Cardin me olhou, revirando os olhos.

- Não importa! O que eu vi hoje foi o suficiente pra tomar minha decisão final – ele fez suspense e eu senti meu estômago revirar – essa faculdade não é palco para violência e nem bullying, portanto vocês que são a favor desse tipo de comportamento estão sendo convidadas a se retirarem dessa instituição.

- Espera aí, como assim, convidadas a se retirarem da instituição? – Perguntei, enquanto via os olhos de minha amiga ficarem marejados enquanto os olhos de Liam, Tânia e Luke se arregalavam.

- Vocês, Srta Glock e Srta Davies, estão expulsas da Universidade de Paris. – Ele disse e sorriu pretensioso.

- Não! Você não pode fazer isso comigo, com a gente! – Tris falou, com a voz embargada e eu assenti.

- É verdade – comecei, procurando alguma coisa em minha memória que me ajudasse a tirar Tris daquela situação, eu sabia o quanto tinha sido difícil pra ela convencer os pais a pagarem aquela faculdade, só pra vir me acompanhar aqui, ela não poderia perder tudo agora e por minha culpa, sendo que fui eu quem começou a briga com a Haylee no jogo. – Você não pode expulsar a Tris por algo que ela nem fez dentro da faculdade, porque pra todos os efeitos, a briga entre ela e a Haylee, aconteceu aqui, na rua.

- Er... – Por um instante Sr. Cardin pareceu ficar sem fala, mas logo ele se recompôs – bem, você está certa, diante dessa circunstância, realmente, o código da Universidade não se aplica, entretanto, no seu caso, ele se aplica totalmente, porque o campo de Rúgbi, onde o jogo ocorreu é da faculdade, então, para todos os efeitos, você estava numa propriedade da Universidade, o que faz com que os seus atos sejam repudiados pelo código da escola.

- Espera aí, você está revogando a expulsão da Tris, mas mantendo a da Glock? – Luke perguntou, revoltado.

- Exatamente isso! – O diretor agora parecia satisfeito. – Amanhã os papéis para sua saída estarão prontos, Srta. Glock, passe na secretaria para assiná-los e desocupe seu armário. Até nunca mais!

- O que foi isso? – Tânia perguntou, abismada e Tris se agarrou ao Liam, chorando, agora.

- Ai meu Deus, o que você vai fazer agora Glock? – Luke veio até mim, mas eu dei minhas costas á ele apenas com as palavras do reitor ecoando em minha mente.

“Até nunca mais”

“Até nunca mais”

“Até nunca mais”

E por mais que elas ecoassem em meu cérebro, eu ainda não conseguia acreditar nelas, porque apenas num mundo extremamente bizarro, eu, Samantha Glock, a melhor aluna da turma, seria expulsa por agredir outra aluna.


Notas Finais


Heey people!!! Espero que tenham gostado do cap. e que deixem suas opiniões aqui, ok?! É muuuito importante pra mim saber o que vocês estão achando!!!
Enfim, é isso, espero que tenham gostado, que se comuniquem comigo e...

Beijinhos da Elly e até o próximo cap. :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...