História Medo de Amar. - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags One Direction
Exibições 36
Palavras 1.964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello people!!! Eu sei, eu sei, faz quase um mês que não posto, né?! Sorry! Mas é porque esse mês foi trash na faculdade, teve semana de apresentação de trabalho, semana de prova e mais uma porrada de coisas. Então só deu tempo de postar agora, maaaaaaaas acho que esse cap. vai compensar porque eu gostei bastante de escrever e espero que vocês gostem de lê-lo também.
Ahhhhh, eu queria muuuuuuuito agradecer as lindas que comentaram cap. passado e dizer que isso me motivou muuuito, se não ia ter cap. só em dezembro viu? Não por maldade, mas porque minhas provas ainda não acabaram :'(
Enfim, espero que vocês gostem desse cap. >.<

Obs: Links dos looks das meninas nas notas finais.

Boa Leitura e até lá embaixo .-.

Capítulo 34 - Uma nova amiga e um reencontro.


Fanfic / Fanfiction Medo de Amar. - Capítulo 34 - Uma nova amiga e um reencontro.

Zayn On.

Recebi uma mensagem de Samantha dizendo que iria se atrasar, então ao invés de continuar esperando dentro da biblioteca, onde tínhamos combinado de nos encontrarmos, decidi ir até uma cafeteria ali perto, a mesma onde tinha comprado o café que derrubei nela tempos atrás. Sorri, pensando no quanto as coisas, a vida e até mesmo eu tinha mudado de lá pra cá.

Ainda sorrindo e caminhando pela rua, senti alguém se aproximar de mim sutilmente.

- Viu passarinho verde, é? – Perguntou a loira ao meu lado, sorridente, enganchando seu braço no meu e eu a encarei surpreso.

- Gigi? – Falei e ela sorriu para mim, fixando seus olhos perfeitamente verdes nos meus. – Onde está o Joe?

- Ela foi voltou pra NY, coisas de trabalho – ela disse e então continuou andando de braços dados comigo como se fossemos velhos amigos. – Mas e você, o que ainda está fazendo aqui?

- Você já me ouviu dizer isso, estou de férias – falei, com uma sensação pegajosa em meu estômago de que aquilo não tava certo.

- Ah, não me venha com essa! Joe me contou o quanto você é inquieto, nunca para em um lugar, ele até me disse que estava impressionado por você realmente ter passado suas férias todas aqui – ela disse e eu dei de ombros.

- Gostei daqui, das pessoas, da comida, dos costumes – falei, vagamente e ela estreitou seus olhos verdes parecendo uma gata. Aquilo me fez suar frio.

- Vai dizer que não tem nada de especial aqui pra você ter ficado? – Ela perguntou arrastando a palavra “nada” e eu engoli o seco, aquilo tinha sido muito sexy, mas a sensação pegajosa no estômago continuava lá.

- Não, não tem. E você, ficou aqui por algum motivo especial? – Tentei desviar a conversa daquele assunto, porque eu não queria contar a ninguém sobre Samantha e também estava começando a desconfiar de que a loira ao meu lado estivesse pensando que o meu motivo pra ficar em Paris tinha sido certa modelo que conheci. O que não era o caso.

- Hm, em breve você vai descobrir – ela falou sorridente e então piscou pra mim de um jeito que me fez perder o ar por dois motivos: o primeiro era que ela era muito linda e o segundo era a maldita sensação pegajosa que agora se tornava mais incômoda que nunca.

- Hã... Eu vou entrar aqui pra pegar um café – avisei, quando chegamos perto da cafeteria, tentando me desvencilhar de seu braço e ela sorriu mais.

- Ok, nos vemos depois – disse, leve e então saiu desfilando de meu campo de visão, perfeita.

Fiquei ali, parado, ainda tentando entender o que estava acontecendo comigo e porque aquela maldita sensação pegajosa continuava dominando meu estômago, me fazendo ficar enjoado quando senti mãos tapando meus olhos.

- Advinha quem é – a voz de Samantha (1) saiu cantarolada e aquilo me fez sorrir tanto de surpresa quanto de prazer.

- Ah, só pela voz acho que não vai dar pra saber quem é não – falei e então me virei para ela, continuando de olhos fechados. – Preciso de um beijo pra reconhecer.

- Ah, é isso que você diz pra qualquer um que tape seus olhos? – Perguntou e senti um sorriso em sua voz, mas continuei de olhos fechados, segurando, agora, sua cintura.

- E quem é que disse que eu deixo qualquer um tapar meus olhos? – Perguntei e então senti seu rosto se aproximar do meu.

- Justo! – Respondeu, tão perto, que senti sua respiração fazer cócegas em meu rosto logo depois enlaçando meu pescoço com seus braços e colando seus lábios nos meus e então, de repente, a sensação estranha no meu estômago passou e a única coisa que eu podia sentir eram os lábios macios de Samantha massageando os meus, delicada e suavemente.

E aquilo parecia certo.

Muito certo.

Tris On.

- E então, qual é o plano? – Yanne Liz perguntou, me encarando com seus olhos castanhos cheios de expectativa e eu respirei fundo, tentando me acalmar.

- Eu (2)... Não sei! – Falei frustrada e então me levantei de meu sofá. – Olha, eu preciso de um tempo, o Liam ainda não sabe que eu sei e... Bem, ele é o maior interessado nessa história.

- Ué, então chama ele aqui e conta – Yanne falou, simplesmente e eu neguei.

- Não dá, eu... Não sei o que fazer, de qualquer forma ele mentiu pra mim, ficou encontrando Cheryl às escondidas e não confiou em mim pra contar o que tava acontecendo – eu estava me sentindo uma bagunça.

Hoje de manhã já tinha sido péssimo encontrar Liam e fingir que tava tudo bem, mas de alguma maneira enquanto ele estava por perto meu foco saía dessa situação e ficava só nele, entretanto chegar em casa e encontrar Sam e uma desconhecida que ela achou na rua me propondo maneiras de acabar com a chantagem e carreira da Cheryl fez tudo o que meu inconsciente tentava afastar voltar com força total.

- Olha, eu não conheço você direito, nem seu namorado, mas... Não acho que você deva deixar a Cheryl e as maluquices dela atrapalharem sua vida, porque isso é exatamente o que ela quer. Se você ficar assim, indecisa sobre seu namoro é ela quem vai sair ganhando – Yanne disse e eu me virei pra garota de cabelos escuros e olhar sincero.

- É, você está certa – disse, me dando conta disso e depois ri sem humor. – Sabe o que é pior em tudo isso?

- O quê? – Ela me perguntou curiosa e eu suspirei.

- Eu estou estudando pra ser psicóloga, mas pareço nunca conseguir pensar nas coisas direito – lamentei e vi o olhar da garota se demorar em mim.

- Você já almoçou? – Ela perguntou pra mim, do nada, e eu ri.

- O que isso tem a ver? – Perguntei incrédula com sua pergunta estranha e ela revirou os olhos, como Sam, não era a toa que as duas tinham se dado tão bem que minha amiga teve confiança o suficiente pra me deixar sozinha com ela.

- Almoçou ou não? – Perguntou de novo, incisiva e eu neguei.

- Não, com essa coisa toda de chantagem de Cheryl e esse plano maluco que a Sam quer criar para acabar com ela eu acabei não comendo. – Expliquei e Yanne se levantou do sofá.

- Então é por isso! – Ela disse e eu ri, de novo, a achando muito louca.

- Por isso o quê?

- É por isso que você não tá conseguindo pensar direito, ninguém pensa direito de barriga vazia.

- Agora você falou igual vó – comentei rindo e ela riu também.

- É, eu tenho dessas – disse e então pegou sua bolsa e me olhou sorrindo. – Vem! Vou te levar pra almoçar e você vai ver como vai conseguir pensar direitinho – disse e eu ri mais ainda.

- Sério, tem como você agir mais ainda como vó? – Eu perguntei, zombando, mas achando-a muito divertida.

- Ah, você namora um cara que foi apelidado de Daddy então não venha me dizer que não está acostumada com comportamentos avessos – ela falou rindo e eu sorri mais.

- Está certa! – Concordei e então saímos de meu apartamento, ainda rindo de nossa conversa maluca e, eu juro que, naquele momento, tive certeza de que tinha feito uma nova amiga.

Samantha On.

- E então, o que achou? Muito difícil? – Perguntei enquanto corrigia os exercícios em francês que passei para Zayn.

- Muito! – Ele falou e eu o olhei surpresa.

- Ué, mas pelo que eu tô vendo aqui, você acertou a maioria – disse e ele sorriu mais.

- Ah, mas foi com muita dificuldade – falou ainda sorrindo.

- Em quê? – Estranhei.

- Em me concentrar perto de você – falou, colocando a sua língua entre os dentes, algo que fez meu coração acelerar dentro de meu peito e meu rosto esquentar, rapidamente.

- Hm... Certo, fora isso o que você achou? – Perguntei e ele chegou ainda mais perto de mim, já que estávamos sentados lado a lado em uma das mesas da biblioteca.

- Que você fica ainda mais incrível tímida – e, então, com seus olhos cor de âmbar me fitando, ele continuou se aproximando de mim até pressionar seus lábios levemente nos meus.

- Hm, hm – um pigarro mal feito foi ouvido e paramos o beijo vendo a bibliotecária nos encarando mal humorada. – A biblioteca é local de estudo.

- Desculpa – falei e ela assentiu virando as costas e saindo. – Acho que é hora de ir embora.

- E fazer o que depois? – Zayn perguntou, enquanto se levantava e me observava colocar a bolsa no ombro.

- Ir pra casa? – Respondi sua pergunta com outra pergunta.

- Sério? Tá uma noite tão linda, a gente podia, sei lá, ir ao cinema... – Ele deixou a frase no ar e eu sorri percebendo que ele parecia não querer me pressionar.

- Parece uma boa, sabe o que tá passando hoje? – Perguntei e vi seu sorriso crescer.

- Ainda não sei, mas estou muito ansioso pra descobrir – disse e então, com um simples gesto, ele entrelaçou nossos dedos enquanto começávamos a andar de mãos dadas e aquilo me fez tão feliz que eu tive que revirar os olhos pra mim mesma e meu comportamento de adolescente de filme de comédia romântica.

(...)

- Ah, acho Chocolate uma boa opção de filme viu?! Parece incrível – falei e Zayn fez uma careta.

- Tem legenda? Porque eu não vou conseguir entender em francês – ri dele.

- Acho que não tem legendado, mas qualquer coisa eu vou te ajudando, é bom que você pratica um pouco – eu disse e ele sorriu travesso.

- De repente me pareceu agradável ficar numa sala escura com você sussurrando bem perto do meu ouvido as falas – ele foi falando e chegando perto de mim, com a intenção de me beijar, mas como estava cheio de gente o cinema e algumas pessoas já começavam a nos olhar curiosas afastei meu rosto do dele.

- Então isso é um sim? – Perguntei e ele fingiu pensar.

- Isso é um claro que sim, já disse, gata, tudo o que você quiser – e então me lembrei da mensagem que ele me mandou no começo do dia e sorri.

- Ok, então – já me sentia toda boba e prestes a ceder ás suas tentativas de beijos quando, de repente, ouço uma voz me chamar.

- Glock! Glock! – Me virei e, em meio ás várias pessoas do cinema, vi um rosto conhecido vir ao me encontro, sorrindo.

- Hey, que legal te ver aqui – a garota de cabelos um pouco menos escuros que os meus disse e eu sorri amigável. Em outra época, eu, provavelmente, teria revirado os olhos, mas acho que Zayn me deixava de bom humor, então repliquei:

- Bom te ver também.

- E quem é o gato aí, hm? – Ela perguntou, dando um sorriso malicioso de lado e nessa hora eu não pude evitar e revirei os olhos.

- É só... Um amigo – falei e então me virei, para olhar para Zayn que tinha se virado um pouco de costas e via mais cartazes. – Hey, Zayn essa é uma colega de faculdade – chamei-o e ele se virou relutante enquanto via o sorriso da menina crescer ainda mais.

- Oi, Tina – ele disse, parecendo desgostoso e ela riu.

- É Tânia, Zayn, Tânia. Será que você nunca vai aprender? – Talvez tenha sido o tom de familiaridade que ela usou ao dizer seu nome, ou a intimidade que as palavras revelavam, ou até mesmo o brilho que se instalou nos olhos dela, o que eu posso dizer com certeza é que uma dessas coisas, ou talvez todas elas, me incomodaram muito e, com muita vontade de dizer “que porra é essa?”, eu perguntei:

- Vocês já se conhecem?


Notas Finais


Heeeeeeey, espero de verdade que vocês tenham gostado eeeeeee que me digam o que estão achando da história! Aceito críticas construtivas, sugestões, ideias e tudo o mais então, pleeeeeease deixem suas opiniões aqui pra mim e me desculpem pelo atraso :)) Amo vocês e até o próximo >.<

Links dos looks das meninas:

(1) Glock: http://www.polyvore.com/mda_cap_34/set?id=181371452

(2) Tris: http://www.polyvore.com/mda_cap_34/set?id=195126693

Beijinhos da Elly e até mais :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...