História Meeting - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Invocação do Mal, Vera Farmiga
Personagens Personagens Originais, Vera Farmiga
Tags Parmiga, Patrick Wilson, Vera Farmiga
Visualizações 44
Palavras 2.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá terráqueos.

Capítulo 32 - Saudade


A tarde caía naquela sexta e Dagmara chegou no bar afastado, encontrando Renn sentado de costas no balcão.

- Fiquei feliz de você ter aceitado se encontrar comigo - a mulher se senta no banco e retira os óculos escuros.

- Você me ligou a semana toda, não tive escolha... - o loira a observa de cima a baixo - então você é a mulher do cara que ta comendo a minha mulher?

- Nossa que frase mais estranha de se falar mas sim, sou mulher do Patrick.

- Olha morena, eu não posso fazer nada para te ajudar, Vera não quer me ver nem pintado de ouro, registrou B.O contra mim... - ele pausou pedindo um drink de conhaque ao barman. - não quero mais problemas do que eu já to.

- E você vai da o divórcio de mão beijada para ela viver feliz com o amante como num conto de fadas?

- Estamos num processo litigioso...

- Mesmo assim com a fama e os advogados que ela deve conhecer, isso vai sair fácil - a morena bate as unhas pintadas de vermelho contra a madeira do balcão - vocês casaram em comunhão de bens?

- Claro que não, entrei nesse casamento sem nada - ele bebe o drink num gole só - e vou sair sem nada, como entrei.

- Com um par de chifres - ela o encara - Você não gostaria de se vingar? Separar o casalzinho 20?

- Mesmo separados, Vera não voltaria para mim, ela me odeia eu ainda ameacei o seu maridinho...

- Você o que? - Dagmara se assusta - Não ouse tocar no Patrick.

- Mas que porra esse cara tem? Para que esse fã clube todo?... Mas pode relaxar madame não vou fazer nada com seu marido, só queria botar uma pressão na Vera.

- Acho bom - ela bate novamente a unha enquanto Renn pede outro drink - eu quero meu marido de volta.

- Não sou cartomante, não trago a pessoa amada em três dias.

- Nossa to morrendo de rir - ironiza - Estou falando sério, preciso da sua ajuda, conheço os pontos fracos do Patrick mas não daquela vadia, digo da sua mulher.

- Não ligo, chama ela do que quiser... Daqui umas semanas será minha ex mesmo.

- Ela é ciumenta? - a morena pergunta

- Não muito, mas detesta que mintam pra ela - o loiro acendeu um cigarro - sempre dava ataque quando achava que eu tava mentindo sobre algo, e traição lógico, ela não aceita de forma nenhuma.

A morena riu e pediu uma dose de vodka.

- Então já sei o que vou fazer - ela suspirou consigo mesma virando o copo de bebida.


(...)


No interior da cidade, Patrick chegou até a casa de Vera, uma casa grande, com flores na entrada, uma varanda de madeira, típica casa vintage de campo.

Patrick bateu na porta e logo encontrou os olhos azuis que o dominava.

Vestida com uma blusa quadriculada vermelha e um short jeans.

- Boa noite Patrick Wilson - a loira diz com um sorriso travesso nos lábios.

- Boa noite Vera Farmiga - ele diz a encarando.

- Entra - ela da passagem para que ele entrasse e fechou a porta.

- Então aqui é sua caverna - ele olhou pela sala e em seguida agarrou a mulher pela cintura.

- É aqui que eu me escondo de homens altos e tarados.

- Estava com tanta saudade - ele disse próximo ao lábio dela

- Eu também estava - a loira segurou sua nuca e colou os labios nos dele - fiz jantar para gente.

- Eu só quero comer você - ele sussurrou no ouvido dela.

- Estava com saudade desse seu apetite.

Patrick beijou-a novamente, fazendo seus labios se encaixarem em sintonia, explorando e aproveitando o sabor de ambos.

O loiro a guiou até o sofá e a deitou, subindo por cima dela apoiando seu peso no braço.

- Devia deixar você sempre com saudade - ela mordiscou o lábio inferior.

- Isso não se faz Farmiga - com a mão livre ele abria os botões da camisa - Terei que te castigar.

- Posso saber como seria esse castigo?

- Eu vou te foder aqui - ele sussurrou no ouvido dela - te foder no quarto, na cozinha e em todos os outros cômodos dessa casa.

- Esse castigo está me parecendo bem agradável - ele terminou de abrir os botões e abriu a blusa da loira, apertando um dos seus seios dentre os dedos, colando os lábios nos dela, abafando seus gemidos.

Ela passou as mãos pela blusa dele, subindo enquanto ele devorava seus lábios, os dedos dela passeavam por suas costas.

Ele apertou mais forte o seio dela em sua mão e ela gemeu contra seus lábios.

- Gosto assim - ele mordiscou seu nódulo e desceu até o pescoço - gemendo só pra mim.

Patrick abocanhou o pescoço dela e sugou, fazendo a loira gemer mais alto de olhos fechados e cravar a unha nas costas dele por baixo da blusa.

O barulho da campainha tocando fez a loira abrir os olhos.

- Finge que não ta em casa - Patrick sussurrou enquanto a campainha ainda tocava.

- Pode ser alguma coisa importante - ela sussurrou empurrando o braço do loiro.

- E eu não sou importante?

- Dramático - ela beija os lábios dele e a campainha continua tocando.

Patrick da passagem para a atriz levantar e assim ela faz, abotoando a blusa por alto e ajeitando os cabelos.

Foi em direção a porta,torcendo para quem estivesse do outro lado não notasse que ela estava quase transando com Patrick no seu sofá.

Abriu a porta e viu Nestor do outro lado, de braços cruzados num casaco preto.

- Oi Vera, desculpa te incomodar mas hoje mais cedo eu pedi para você guardar um caderno na sua bolsa e acabei esquecendo de pegar.

- Verdade - a loira mexeu no cabelo novamente - esqueci mesmo, entra que eu vou buscar.

Ela deu passagem para ele entrar e olhou para Patrick que estava sentado no sofá.

- Desculpa mesmo atrapalhar vocês é que eu preciso desse caderno - o moreno avista Wilson - boa noite, Patrick né?

- Sim, boa noite - ele responde indiferente.

- Eu não queria mesmo atrapalhar.

- A gente estava... - Patrick comenta

- Conversando - a loira completa o encarando - vou pegar minha bolsa lá no quarto fica a vontade.

Vera se afastou pelo corredor e o loiro encarou Nestor de cima a baixo.

O moreno estava incomodado e mexia os dedos sem parar, parecia que se passava uma eternidade até que Vera voltou trazendo uma agenda.

- Obrigado Vera é que eu precisava mesmo dela.

- Desculpa mesmo ter esquecido, eu estava com a cabeça nas nuvens hoje.

- Tudo bem, eu também acabei esquecendo, me desculpa você ter atrapalhado - ele olha para Wilson - tenha uma boa noite.

- Você também - Patrick responde irônico.

- Liga para ele não, boa noite Nestor - ela disse rindo quando o moreno saiu.

Ela fechou a porta e se virou para Patrick que estava de cenho franzido sobre o sofá.

- Onde paramos - ela investiu no seu melhor sorriso.

- Aposto que ele deixou de propósito só para te ver...

- Deixa disso Wilson, vai ficar assim agora? Com ciúme?

- Não é ciúme, só estou falando a verdade.

- Para com isso - ela começou a desabotoar a blusa - estava tão bom com você sobre mim...

- E você preferiu atender seu amigo.

- Wilson você fica lindo com ciúmes - ela termina de abrir a blusa e caminha de costas pelo corredor lentamente sem tirar os olhos do dele.- Vai ficar assim? Terei que terminar sozinha?

- Você joga baixo - ele levantou se aproximando dela.

- Cade aquela homem que disse que ia me castigar? Me foder em todos os cômodos da casa - ela sussurrou o trazendo mais para perto.

- Onde é seu quarto?

- Segunda porta.

Patrick a pega pelas pernas e a joga por cima dos ombros, fazendo a loira solta um grito de susto.

- Você não perde essa mania é?

- É o início do seu castigo.

Vera gargalhou e sentiu seu corpo inteiro se arrepiar.

Patrick a carregou até o quarto e a jogou na cama.

- Vem aqui vem - ela o puxou pela blusa fazendo o loiro cair sobre ela.

- Você não sabe como me deixa louco - ele sussurrou antes de beijar os lábios dela.

- Deixo é? - no meio dos beijos ela retirou a blusa dele.

- Você sabe que deixa.

- E eu disser que passei o dia todo pensando - ela abriu a calça jeans do homem e passou a mão pelo membro dele - em você me fodendo nessa cama de quatro - ela sussurrou no ouvido dele enquanto se livrava das calças e sapatos dele.

- Eu devia ter deixar dolorida

- Eu gosto que você me deixe.

Patrick retirou a blusa dela e jogou no chão, abriu o shot e retirou a peça, atirando-a para longe.

- Não pegarei leve com você - ele disse puxando a calcinha dela, a deixando nua sobre os lençóis - você não ta merecendo.

- E o que eu mereço Wilson?

- Quieta - ele levou o dedo aos lábios dela - eu mando.

Vera se calou e sentiu os dedos do loiro tocarem sua intimidade rispidamente.

A loira gemeu e mordeu o lábio inferior, sentindo os dedos do homem passear por toda sua intimidade.

Ele afastou as coxas dela, retirou sua cueca e a penetrou, ela gemeu e mordeu o lábio, sentindo ele entrar e sair dela.

- Abre mais as pernas para mim - ele sussurrou autoritário e ela assim fez, adorava quando ele a dominava sobre os lençóis.

Dando maior passagem para o loiro, ela cravou a unha em suas costas, enquanto ele entrava e saia dela, sentindo ela se contrair e o prender dentro de sí.

- Me diz o que você quer... - ele disse retirando seu membro quase todo e colocando novamente mais forte.

- Quero que - ela suspirou entre os gemidos, com a respiração acelerada. - me foda.

- Assim? - ele continuou com os movimentos e aumentou o ritmo enquanto ela cravava forte as unhas em suas costas.

- Sim Wilson - o loiro sugou o pescoço dela fortemente sem parar os movimentos.

Ela gemeu e abriu mais as pernas sentindo o ápice se aproximando, cruzou as pernas e o prendeu dentro de sí.

- Pode gozar - ele disse no ouvido dela.

Ela soltou o ar e gozou sobre ele, sentindo seu corpo relaxar por baixo dele.

- Ainda quero mais - ele segredou a ela saindo da loira que gemeu se excitando novamente.

Ele a puxou pela cintura e a virou de bruços e passou seu membro duro pela nádega da loira.

- Ah Wilson - ela gemeu sentindo ele sobre sí empinou a nádega contra ele.

Ele puxou ela pelo quadril a deixando de quatro sobre a cama.

- Foi assim que você queria o dia inteiro? - ele passou seu membro por toda extensão da intimidade dela.

- Assim mesmo - ela disse com dificuldade.

Ele bateu na nádega dela fortemente e a penetrou novamente.

Vera sentiu os gemidos sair por sua garganta enquanto Wilson a penetrava com movimentos rápidos, o loiro mordeu o lábio ingerior enquanto o suor escorria sobre sua testa.

O único barulho que ouviam eram os gemidos de prazer de ambos.

- Mais forte - sussurrou Vera sentindo o orgasmo se aproximando novamente, seu corpo vibrava sentindo Patrick a invadir.

Ele puxou o cabelo dela pela raiz fazendo-a soltar um gemido alto de prazer. Com a outra mão ele acariciou o clitóris dela, sentindo ela pulsar cada vez mais rápido entre suas entocadas.

Ela abaixou o tronco se apoiando nos cotovelos, colocando a cabeça sobre o colchão.

Ela jogou mais a nádega contra ele enquanto ele a fodia e sentia o ápice se aproximando.

- Eu vou gozar Wilson - ela sussurrou quando ele bateu novamente em sua nádega, mordeu o lábio inferior sentindo Vera gozar novamente em seu membro.

Segurou firme a cintura fina da loira e gozou dentro dela.

Caindo ambos exaustos sobre a cama, ela deitou sobre o peitoral dele, ainda com a respiração pesada.

- Que saudade eu tava - ela suspirou beijando o peitoral dele.

- Não mais do que eu - ele passou a mão pelas costas da loira.

- Quer comer algo?

- Me da uns minutos que eu como - ela sorriu de lado como sempre fazia.

- Idiota - ela bateu de leve nele - falei do jantar que eu fiz.

- Quero sim, você me deixa faminto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...