História Meeting - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Invocação do Mal, Vera Farmiga
Personagens Personagens Originais, Vera Farmiga
Tags Parmiga, Patrick Wilson, Vera Farmiga
Visualizações 60
Palavras 2.589
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Último cap bora lá?

Capítulo 50 - Para sempre.


- Como assim não vai assinar? - Patrick disse audível segurando firme na mesa para buscar um pouco de auto controle.

- Tem muita coisa que eu não concordo, não quero vender minha casa...

- A casa é dois dona Dagmara - Dr Robert advogado da mulher a tentava a acalmar.

- Não, é minha, eu vivi todos esses anos lá, eu decorei, cada parte, você não pode me tirar isso, além de que eu ficava lá enquanto ele ia pra rua transar com um monte de piranha - ela disse passando a mão pelos cabelos pretos aparentemente nervosa.

- Você quer a casa? Pode ficar, quer meu relógio também? Quer que eu pague os impostos?

- Sr Wilson se acalme - o advogado do loiro comenta - meu cliente está de acordo em colocar a casa no acordo...

- Estou - ele disse ríspido - eu tenho horário Dagmara da pra cooperar pelo menos uma vez na vida, eu tenho horário.

- Eu não estou nem ai para seu horário, mas agora estou de acordo - ela segurou a caneta no dedo e assinou o papel, passando em seguida ao loiro que rapidamente assinou.

- Patrick espero que você seja bem infeliz com a vadia de olho claro - ela disse ríspida quando se levantaram para sair da sala.

- Nós já somos felizes, sou feliz com ela de modo como nunca fui feliz com ninguém, só desejo o mesmo para você.

Ela olhou o homem com indiferença e saiu batendo os saltos contra o mármore.


(...)


No outro lado da cidade logo após conversar com o corretor de imóveis recomendado por Samantha e acertar detalhes da venda da sua casa e um longo banho de banheira, Vera ajeitava o batom vermelho nos lábios e borrifava seu perfume favorito perto do nódulo.

Patrick chegava na porta da loira e sentia suas têmporas doerem só de ter estado no mesmo local que Dagmara.

Logo após que tocou a campainha esqueceu de tudo e apenas observou Vera que abriu a porta sorrindo.

- Oi - ela disse quando o homem a olhava de cima a baixo, observando o corpo dela moldado no vestido preto de alça.

- Oi - ele disse sem deixar de olhá-la por um segundo.

- Você ta bem Wilson? - ela o indagou.

- Agora estou - ele sorriu e a admirou mais uma fração de segundo, quando ela se virou e afastou os fios do pescoço.

- Me ajuda - ela mostrou o zíper aberto do vestido vermelho que ela usava

O loiro puxou o zíper do cóccix até a altura da clavícula da atriz, em seguida depositou um beijo em seu pescoço, fazendo ela fechar os olhos e sentir seu corpo se arrepiar.

- Pronto - ele sussurrou próximo ao nódulo dela e suspirou sobre o próprio sentindo o cheiro do seu perfume.

- Obrigada - ela respondeu no mesmo tom sentindo as mãos do loiro a puxarem para perto de sí pela cintura e a prender. - vamos nos atrasar, você é a estrela, isso não é profissional Wilson - a loira acariciou a mão dele - vai dizer o nome do filme para mim? Guardou suspense esse tempo todo.

- Se chama zipper.

- Verdade?

- Sim, espero que você goste - ele passou a mão pelos braços da loira.

- Tenho certeza que vou... Como foi lá com sua ex?

- Uma merda, mas só em te ver assim, ficar abraçado com você eu já estou bem melhor.

Vera sorriu como uma menina com a declaração do homem.

- Vamos para a première e quando chegarmos eu faço uma massagem em você.

- Proposta tentadora, desse jeito eu não vou querer sair daqui...

- Terá que sair, eu vendi a casa - ela sorriu travessa e se virou para ele - eu não vou passar pelo tapete vermelho, vou entrar escondida, não quero que as pessoas vejam a gente junto, os sites podem publicar algo.

- Tudo bem, estou acostumado a você sempre gostar do escondido.

- Somos atores, conseguimos disfarçar nossa tensão sexual, não acha? - ela disse próximo aos lábios dele e passando a mão por cima dos seus ombros.

- Com você assim perto de mim fica difícil disfarçar qualquer coisa - ele disse fazendo Farmiga soltar uma gargalhada.


(...)


Depois de desviar dos fotógrafos, Vera se acomodou na sala de cinema que o filme de Wilson passaria apenas para o elenco e alguns poucos convidados, sentada na última fileira ela deitou a cabeça sobre o ombro de Patrick.

Quando chegou na metade do filme onde já havia passado inúmeras sexscreen do ator Vera indagou irônica.

- Você vai comer todas as mulheres desse filme?

- Meu personagem tem vício em sexo - ele sussurrou próximo a ela.

- A você ta interpretando você mesmo - ela ironizou novamente.

- Ta com ciúme Farmiga?

- Claro que não - ela fechou o cenho e voltou a prestar atenção no filme.

Assim que terminou a première eles foram até o apartamento do loiro, Vera jogou a bolsa no sofá e sentou no local ainda sem dizer muitas palavras.

- Você ta brava comigo? - ele disse jogando sentando ao lado dela.

- Não - ela retirou os brincos sem encarar ele.

- Eram só cenas Vera, você já fez também que eu assisti.

- Só que você me escondeu detalhes desse trabalho desde que aceitou, por que? Não queria que eu descobrisse que você tava de conversinha com algumas das atrizes?

- Não é nada disso, só não queria que você sentisse ciúme ou algo do tipo, me achasse um canalha e terminasse comigo, estavamos nos relacionando a pouco, eu não podia te perder.

- Eu não posso ter ciúme mas você morre de ciúme do Nestor, e nós nem somos um casal na série - ela passou a mão pelos próprios fios - você saiu com alguma delas?

- Claro que não Vera, você é a única mulher da minha vida, eu me separei da Dagmara por você e faria mil outras coisas por você...

- Não fala essas coisas quando eu to com raiva de você.

- É verdade - ele segurou as duas mãos dela - eu daria o mundo só para te ver sorrindo, nunca desconfie que eu vá sentir atração por outra mulher porque é impossível depois de ver esses seus olhos, desdo primeiro dia que eu vi eles e você gritando comigo eu sabia que estava perdido.

Ele segurou o rosto da mulher a fazendo o encarar, colocando uma mecha de cabelo dela para trás da orelha.

- Wilson - num murmuro ela chamou o nome do loiro.

- Eu não quero brigar com você, já brigamos tanto... Quero te fazer feliz.

- Você já faz Wilson... Muito.

Ele grudou os lábios de ambos e logo pediu passagem, sendo correspondido pela atriz de imediato, levou a mão até a raiz do cabelo dela e puxou de leve, enquanto suas línguas em sintonia numa dança lenta.

Ela gemeu baixo apenas para ele ouvir, sentia seu corpo inteiro se arrepiar quando ele desceu a mão livre até suas pernas, apertou entre seus dedos a pele da atriz levantando seu vestido.

- Quer comer alguma coisa - ele perguntou colando a testa de ambos - eu posso fazer

- Agora eu quero você, depois a gente pede uma pizza - ela o puxou pela gravata e o beijou novamente, dessa vez com mais rispidez, puxando para sí e retirando seu blazer.

- Depois eu sou o viciado - Ele a ajudou a retirar o próprio blazer enquanto atacava seus lábios.

- Você não quer? - ela sussurrou lançando a gravata para longe - a gente para.

- Só vamos parar depois de você gozar para mim - ele a beijou novamente enquanto ela abria cada um dos botões da blusa social dele.

- Todos meus orgasmos são seus Wilson - ela sussurrou arrancando a blusa dele e passando a mão pela peitoral dele.

- Você ta me devendo uma massagem - ele levantou o vestido da loira e puxou sua calcinha, rasgando o tecido e fazendo ela soltar um gemido.

- Quem sabe se você merecer depois... - ela gemeu novamente sentindo os dedos do loiro tocarem sua intimidade.

- Eu gosto tanto de ouvir gemer, podia dormir e acordar o resto da minha vida ouvindo eles - ele sussurrou quando ela levantou o vestido e sentou no seu colo.

- Eu gosto quando você me faz gemer - com umas mãos ela retirou o cinto dele, sem seguida abrindo sua calça.

- Eu te faria gozar o dia inteiro só pra te ouvir gemendo meu nome - ele desceu a mão pelas costas da loira abrindo o zíper do vestido e puxando as alças, fazendo seu seios ficarem de fora - sem sutiã, gosto assim - ele sussurrou e abocanhou o seio dela, passou a língua pelo mamilo e sugou em seguida, fazendo ela gemer e segurar sua nuca.

- Já estava prevendo que acabariamos assim - ela disse com a respiração pesada e rebolando de leve sobre o colo dele, sentindo o membro dele cada vez mais duro dentro da calça.

Ele alternou o seio dela e sugou, enquanto apertava o outro entre seus dedos, fazendo ela gemer cada vez mais audível.

- Wilson - ela gemeu sentindo a mão dele subir mais seu vestido e apertar sua perna, sentindo ela se arrepiar por completo.

Vera libertou o membro dele da calça e o acariciou, o sentindo quente entre seus dedos e as veias pulsando na sua mão.

O puxou para sí e o penetrou, soltando um gemido enquanto sentia ele alargar sua intimidade.

Rebolou com ele dentro de sí enquanto Patrick distribuia chupões pelos seus seios, ela gemeu mais auto e segurou os ombros dele, começando a subir e descer no seu colo.

- Você é tão cheirosa - ele sussurrou puxando o cabelo dela enquanto ela subia e descia sobre ele.

- O que mais eu sou em Wilson - ela aumentou o ritmo dos movimentos sobre ele, sentindo a mão dele apertar forte suas nádegas.

- Você é uma gostosa - ele sussurrou com a respiração pesada.

- E... - ela rebolou sobre ele e o prendeu dentro de sí, sentindo o ápice se aproximando.

- Uma safada - murmurou - que gosta eu que te pegue com força - ele apertou novamente a nádega dela a fazendo soltar o gemido mais auto - além de ser minha.

- Só sua - ela aumentou o ritmo enquanto ele segurou a cintura dela, a guiando.

- Agora goza pra mim vai - ele passou o polegar pelo clitóris dela e massageou fortemente até ela se desfazer no seu colo.

Logo ele chegou também e ela deitou sobre ele.

- Mereço minha massagem?

- Só depois da minha pizza - ela sorriu e o beijou nos lábios aproveitando as carícias dele ainda dentro de sí. - vou tomar banho e você pede a pizza.

Ela se levantou e foi ao chuveiro, enquanto se banhava ouviu o loiro entrar no box e a fazer companhia.

Tomaram um longo banho junto e enquanto comiam falavam de como the conjuring estava com a bilheteria em alta.

Logo Patrick se deitou na cama e a loira ordenou que ele ficasse de bruços.

Sentou sobre seu cóccix e começou a massagear toda a extensão das costas dele, fazendo pressão em cada ponto da coluna do ator.

- Você poderia ser massagista, é boa nisso - ele disse de olhos fechados aproveitando as mãos de Farmiga sobre seu corpo.

- Sou boa em muitas coisas Wilson. - ela disse travessa continuando a massagear toda as costas do loiro.

Desenhou com seus dedos cada músculo definido, como um cego lendo braille.

Deitou-se sobre o loiro depois de longos segundos e o viu dormindo, passou o dedo por seus cabelos e continou deitada sobre ele, logo adormecera.


(...)


Na tarde seguinte depois de passar a manhã inteira misterioso Patrick convenceu a Vera de entrar no carro vendada para ele entregar uma "surpresa especial " palavras do loiro, para ela.

- Se você tiver me levando a um bordel eu vou te matar Patrick Wilson - ela sussurrou nervosa segurando a venda.

- Confia em mim é uma surpresa.

Ele dirigiu durante longos minutos até parar e segurar a loira pela cintura, entraram num prédio e em seguida ao um elevador, indo em direção ao último andar.

- Patrick Wilson eu juro que vou te matar se for alguma brincadeira.

Ele sorria do nervosismo da loira até que abriu a porta do apartamento da cobertura.

- Pode tirar a venda - ele disse e logo ela fez, olhando a enorme sala vazia do apartamento, apenas com uma janela enorme e tinha de vista o Central Park.

- O que é isso Wilson?

- Um apartamento oras.

Ela revirou os olhos e o encarou.

- Isso eu sei né? O que estamos fazendo aqui? - ela estava encantada com cada pintura da parede.

- Veja o restante - ele disse e com sua mente curiosa logo vasculhou todos os cômodos.

Até chegar numa enorme varanda onde observou toda a cidade abaixo de sí, silenciosa e calma, encantada pela vista e confusa do porquê de Patrick a levar a aquele lugar.

- Gostou? - ele disse a abraçando por trás.

- É um lugar lindo, a vista é maravilhosa.

- Você me disse que gostava de voar, de altura... que se sentia livre.

- E me sinto, daqui NY parece tão calma, parece que os problemas não nos afetam.

- E não afetam...

- Mas eu não to entendo, de quem é esse apartamento Wilson?

- Nosso - ele disse rápido e ela se virou ainda mais confusa.

- Como assim nosso?

Ele pegou um envolope com alguns papéis e entregou a ela, a escritura do apartamento no nome de ambos.

Ela estava chocada e sem reação, sentia um misto de surpresa e felicidade.

- Eu comprei pra gente, quero que seja nosso canto, nosso refúgio, onde podemos ser nós mesmos, quero dormir e acordar ao seu lado Vera... Quero te fazer feliz, mostrar o que um homem apaixonado é capaz por uma mulher... quero que esse lugar só tenha lembranças boas, que você e eu sintamos prazer em voltar para casa todo dia.

Vera o encarava com os olhos marejados, sentindo seu peito arder de sentimentos pelo ator.

- Quero que depois do dia duro você me conte sobre as gravações, quero você rindo enquanto fala da sua personagem, quero você por inteira.

- Wilson eu to - ela sussurrou - ninguém nunca disse isso para mim.

- Eu não vou deixar de dizer nenhum dia o quanto você é especial para mim, o quanto você é maravilhosa, quero te conquistar todos os dias.

- Você já me conquista - ela disse sentindo o dedo dele passar por suas maçãs.

- Me da uma chance - ele sussurrou próximo a ela e pegou uma caixinha no bolso do casaco. - eu sei que parece loucura, mas todo mundo tem um louco dentro de sí.

Ele a olhou nos olhos e segurou sua cintura.

- Aceita vir morar comigo? Dividir além da casa, sua vida comigo? - indagou e a loira o encarou durante alguns segundos, os mais longos da vida de Patrick.

Ela suspirou e soltou um sorriso.

- É lógico que eu aceito - ela colou os lábios no dele - eu aceito dividir o apartamento e minha vida com você, agora e para sempre.



Fim. 


Notas Finais


Bom né quero agradecer todo mundo que leu, a quem me fez pressão psicológica diariamente para atualizar - não disse Bella - é isso ai, quem gostou bate palma, quem não gostou paciência


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...