História Meian (Luz e Escuridão) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Blackwords, Comedia, Escuridão, Fantasia, Kemono, Luz, Magia, Meian, Reino Raito, Reino Yami, Romance, Suspense
Visualizações 14
Palavras 1.203
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpem a demora, mas como já tinha dito, houveram muitos conflitos e vários motivos que me desmotivaram para escrever, mas estou de volta!!
Espero que apreciem o capítulo e boa leitura ;)

Capítulo 7 - Capítulo VI


O que Zen fazia ali? Quer dizer, depois de desaparecer por uma semana inteira, aparece ali, sem mais nem menos. Ketsui estava muito nervosa, principalmente quando ouviu as vozes de Taida e Evelyn a surgirem.

“Mas que palhaçada é esta?!” Pensava Ketsui. “O mundo decidiu ir contra mim hoje, só pode!”

-Okay, parece que hoje será uma tarda para explicações então, antes de falarmos ou sequer cumprimentarmo-nos, vamos sentar-nos. – Disse Ketsui, tentando utilizar o seu lado racional. Agora não era o momento de entrar em pânico ou ficar stressada com a situação.

Permitiu-se suspirar e relaxar um pouco quando os presentes ali fizeram o que a mesma tinha pedido e fez um leve carinho na cabeça de Koe, que tinha acabado de aterrar no seu ombro. Aquilo tudo parecia a cena de um dos seus vários livros. Ela gostava de poder gargalhar ou achar piada, mas estava demasiado ocupada a tentar manter a calma.

Sentou-se ao lado de Evelyn e Yume sentou-se a seu lado. Claro que iria fazer isso, não conhecia ninguém ali. “Pobre coitada” Pensou.

-Okay, agora que estamos todos numa boa forma “posição” para se conversar, eu irei fazer as apresentações. – Ninguém disse nada, mas Zen parecia incomodado com a presença de Yume e, olhava de forma estranha para Taida. – Do meu lado direito, tenho a humana inglesa Evelyn, ao lado de Evelyn está a Kemono Raito Taida. Um pouco mais afastado e sendo o único rapaz deste grupo, está o Kemono Raito Zen e, por fim, ao meu lado está a Kemono Yami Yume. – Disse, tudo num só folego.

-Muito prazer a todos, mas antes de continuarmos com esta conversa que parece ser importante, tenho uma dúvida. – Pronunciou-se Taida, alegre e tonta como sempre. Ketsui assentiu com a cabeça, forma já conhecida pelas duas amigas que servia para “autorizar”. – Bom, gostava de saber porque o Príncipe do Reino Raito, Zen, está aqui.

Evelyn e Ketsui trocaram um olhar e arregalaram os olhos.

-What the hell is going on here? (O que raio é que se passa aqui?*) – Perguntou a humana, na sua língua natal, perdendo um pouco da compostura. Ketsui entendia o que a amiga estava a sentir, também estava muito confusa com tudo o que estava a acontecer, desde Yume a aparecer, até Zen ser um príncipe.

-Zen, por favor, explica. – Mais uma vez, teve de ser ela a tomar atitude, vendo que ninguém iria falar.

-Bom... – Começou a esfregar as mãos, num gesto que demonstrava, perfeitamente e obviamente nervosismo. Mais uma vez, estava aquela sensação de nostalgia, como se já o tivesse visto a fazer isso antes. Era sempre uma sensação tão estranha. – É exatamente como a tua amiga disse, sou o príncipe do Reino Raito.

-Mas porquê omitir?! – Perguntou, não entendendo a situação, mas depois inspirou fundo. No fundo, sentia-se um pouco dececionada por ele não lhe ter dito, mas era ridículo pensar dessa forma, quando se tinham encontrado só duas vezes. – Okay, toco nesse assunto mais tarde, mas antes, preciso que me ajudem com Yume. Por favor, Yume conta-nos a tua história. – Pediu à única pessoa que ainda não se tinha pronunciado naquele estranho grupo de pessoas.

-E-Eu não sei se vocês vão acreditar em mim. – Gaguejou e Ketsui acariciou a sua cabeça, num gesto para continuar. Ela não sabia muito bem confortar as pessoas, mas aquilo parecia o certo. – Eu sou Yume, princesa do Reino Yami. Há 12 anos atrás, no 4º aniversário, e-ela, digo, eu fui sequestrada pelas tropas do Reino Raito.

-Nós ouvimos falar sobre isso, mas é mentira. – Zen pronunciou-se. – Era impossível serem as tropas do Reino Raito, os meus pais verificaram cada cavaleiro, para saber onde estavam. Eu assisti, escondido atrás de um pilar. Aparentemente, só as armaduras tinham desaparecido. Mas, essa não foi a única mentira que contaste na tua história, não é Yume? – Sibilou o nome da rapariga, que se encolheu e Ketsui estranhou.

-E-Eu... – Encolheu-se ainda mais.

-Chega desta conversa. – Ketsui disse, fazendo todos espantarem-se. – É claro que não iremos deixar isto em branco, ainda quero ouvir a verdade por detrás desta história, mas não quero que Yume fica nervosa demais, pois ainda se está a recuperar. Além disso, foram demasiadas revelações para um dia só. – Suspirou novamente, levemente frustrada e Taida e Evelyn riram-se.

-O que foi? – Perguntou Zen, com uma expressão confusa.

-Típico da Ketsui. – Disse Evelyn e Taida concordou. – Pensar no bem-estar dos outros e não querer sobrecarregar a mente de ninguém aqui, não é mesmo? – Riu novamente, e Ketsui corou.

-Francamente, vocês duas são loucas. Mas também não como se eu fosse ou quisesse ser normal. – Declarou, com um pequeno sorriso divertido nos lábios.

-Só poderia ser a nossa Ketsuizinha! – Exclamou Taida, indo abraçar a Kemono Yami. – Tão fofa!

-Eu já disse que não sou fofa! – Exclamou. Taida e Evelyn tinham o péssimo hábito de dizer que ela era fofa ou adorável. Ela não conseguia entender o que aquelas duas tinham na cabeça sempre que lhe diziam isso. Sempre tão confusas.

-Incrível como o rumo da conversa mudou de sério para brincalhão em poucos segundos. – O loiro disse, deveras surpreso com a mudança de clima.

-Acredita, não é a primeira vez e nem será a última que isto acontece. – Sorriu para Zen e o mesmo sorriu de volta. – A propósito, porque vieste cá hoje? Digo, claro que estou contente com a tua visita, mas estou surpresa por apareceres cá, depois de uma semana. – Amaldiçoou-se mentalmente por ter sentido o seu rosto quente quando disse que estava contente por vê-lo. Zen ficou um pouco vermelho durante um instante e Ketsui perguntou-se o porquê.

-Pensei que estivesses aqui, pois da última vez que estivemos juntos disseste que vinhas para cá todos os dias.

-Então vieste de propósito aqui para a ver? – Perguntou Evelyn, com um sorriso matreiro no rosto. Taida e Yume, por incrível que pareça, gargalharam e Ketsui corou, não conseguindo ver o rosto de Zen. – Que querido.

-Que raio de sorriso é esse? Duvido que o faças à frente do Michael. – Retrucou e Evelyn corou.

-Ketsui!

-Sou eu. – Acenou para a amiga. O restante grupo, que observava as duas amigas, gargalhou.

Continuaram a conversar e a fazerem brincadeiras durante duas horas, até que Ketsui e Yume tiveram que ir para casa. Decidiram encontrar-se todos no dia seguinte e iriam terminar aquela conversa.

-Por acaso encontraste-te com a minha mãe? Ela costuma ficar na sala e nunca sai de casa, então talvez a tenhas encontrado? – Perguntou Ketsui, enquanto iam para casa. Koe tinha ficado com Evelyn a pedido de Ketsui, que tinha de cuidar da sua nova hóspede.

-Ah, sobre isso, não entendi o que quiseste dizer sobre a tua mãe. Ela vive noutra casa? É que não existia nenhum indício de viver outra pessoa lá. Desculpa, enquanto estavas fora, estive a explorar a casa e o teu quarto era o único que tinha coisas. – Ketsui não tinha palavras para descrever.

A morena de olhos castanhos esverdeados começou a correr para casa, ela precisava de verificar isso que a sua nova companheira acabara de dizer. Yume também começara a correr, para tentar alcançar a sua salvadora.

“O que é que ela quis dizer com aquilo?!” Era o pensamento que rodeava a mente de Ketsui.


Notas Finais


Muito obrigada por terem lido até ao fim.
Hum... O que será que Yume quis dizer com aquilo? O que será que está a acontecer? Lancem as vossas teorias ;)
Comentem se gostaram ou não e se acham que devo melhorar ou corrigir algo *--*
Muitos beijinhos com todo o meu coração >3<

ASSINADO: Telma <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...