História Meio-Irmão - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~TheWalking7

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Harry Styles, One Direction, Romance
Exibições 120
Palavras 1.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Surpresa


Fanfic / Fanfiction Meio-Irmão - Capítulo 2 - Surpresa

Depois que meu pai foi embora,fiz minha mala emburrada pois não queria ir,não que eu não goste da minha mãe mas é estranho pois não à vejo desde a separação.

- Droga! — Bati a porta do banheiro com força. - Espero que pelo menos ela não tenha se casado.

(...)

Olhei para o relógio que ficava ao lado da televisão. 09:30am,e logo ouvir alguém bater na porta.

- Que é? — Perguntei ainda estressada.

- Senhorita Emma, está na hora de toma café. — A empregada disse enquanto eu continuava a arrumar minhas coisas,sentada no chão.

- Meu pai está na mesa? — Perguntei.

- Sim,ele quer tomar café com a senhorita antes de ir para o trabalho.

Pensei um pouco.

- Já estou indo. — Me levantei do chão e sair do closet,andei até a porta a abrindo. - Bom dia Nina.

- Bom dia senhorita Emma.

Passei pelo corredor,indo até a escada,à descendo, indo em direção a sala de jantar,vendo meu pai com seu jornal na mão esquerda,e sua xícara de café amargo em sua mão direita.

- Já arrumou suas coisas? — Perguntou, enquanto eu terminava de sentar ao seu lado.

- Terminando,aliás,por que de vez eu ir pra casa da mamãe,eu não fico com Meghan na casa dela?

Ouvir ele respirar fundo.

- Emma,não tente me convencer a deixar você morar na casa de sua melhor amiga.

- Mas é aqui perto,e a mãe dela iria deixar com certeza.

- Emma! — Seu tom de voz mudou. - Pare,você irá amanhã e pronto.

~ No outro dia ~

Na noite passada,terminei de arrumar todas as minhas coisas, emburrada e sem vontade alguma mas terminei. Eu não consegui dormi direito a noite, pensando o que seria de mim daqui pra frente?
Estava sentada no banco do carona pensando quando ouço a voz do meu pai.

- Filha o que você tanto pensa? Você nem falou comigo direito hoje.

- Se o senhor queria tanto que eu fosse embora,por que não me mandou para um orfanato? — Continuei a encarar o retrovisor do carro.

- Emma minha filha,você já tem 17 anos,deixe de drama.

- Drama? — Olhei para ele indignada com oque tinha acabado de dizer. - Eu estou perdendo tudo o que eu demorei anos para conseguir.

- Emma filha,lá você pode conseguir mais coisas... Vai ter sua mãe pra te ajudar.

- Pai,colé,eu e mamãe não temos mais aquela ligação... Não pense que eu indo isso irá mudar.

- Se você não tentar,você não ira voltar a morar comigo.

- Por que? — Perguntei irritada.

- Irei dar sua guarda para ela.

- Eu já tenho 17 anos,já posso escolher muito bem com quem quero ficar.

- Não é assim que a banda toca pra mim e nem pra sua mãe.

- Vocês dois se merecem. — Sussurrei .

Continuei todo o trageto calada,enquanto meu pai tentava puxar assunto,para faze-lo parar de falar,coloquei meus fones.

(...)

- Quando chegar lá,ligue para mim. — Me deu um beijo na testa. - Seu voou já ira sair. Tchau filha.
Me despedi dele,com uma vontade enorme de sair dali correndo. Mas aceitei os fatos e fui em direção ao portão de embarque.

(...)

Estava dormindo quando ouvi uma voz avisando que o avião já iria pousar. Olhei pela janela,avistando que Londres já estava perto. Suspirei decepcionada. Em pensar que terei que reconstruir minha vida por completo.

(...)

Peguei minhas malas e sai andando o procura de minha mãe. Depois de um tempo vi uma mulher com uma plaquinha e nela estava escrito meu nome andei ate ela não acreditando ser minha mãe pois ela tinha mudado muito desde a última vez que tínhamos nos vistos.

- Filha? — Perguntou ela meio que desconfiada.

- Mamãe quanto tempo. — Larguei minhas malas e sai ao encontro dela.Eu gostava muito de minha mãe mas já estava acostumada com meu pai por isso queria ficar morando com ele ,mas pensando por outro lado, acho que vai ser bom passar um tempo com ela.

- Meu Deus,como você cresceu, mudou muito desde a última vez. — Disse ainda me abraçando

- Você também. —Disse sentindo lágrimas escorrerem por minhas buchechas.

- Nem tanto,como foi sua viagem?

- Foi boa. — Disse me afastando dela.

- Vamos para casa você precisa descansar. — Disse enxugando algumas lágrimas.

(...)

Quando chegamos em casa. — Já cheguei á chamando assim. — Lembranças vieram. Ela ainda morava ali ,aonde eu havia passando os primeiros momentos de minha vida, até os quinze.
Tudo continuava ali,nada havia mudado.
O jardim continuava o mesmo, seu gramado impecável, e suas flores com uma cor que não havia comparação.
A cor da madeira marrom escuro como sempre.

Tudo continua como antes. -  Pensei.

Entramos,deixei as malas no chão enquanto observava a casa. — Tudo estava em seu devido lugar,apenas a sala de estar havia mudado, estava mais moderna.

— Queres comer algo?Ou preferi arrumar suas malas? - Disse minha mãe, enquanto deixava algumas malas minhas que havia trazido em sua mão,no chão.

— Arrumar minhas malas. - Respondi.— Tomei café antes de sair de casa,a no avião...- Olhei para o alto da escada.— Meu quarto ainda está no mesmo lugar?

— Claro...aliás, a uma surpresa lá em sua a sua espera...

Surpresa? Será que ela havia redecorado meu quarto,ou terá comprado um computador ou algo do tipo...

Sorrir,pegando minhas malas do chão e subindo as escadas.
Andei pelo aquele corredor, indo em direção ao meu quarto. Sorrir quando olhei para a porta. Havia uma foto minha com papai e mamãe, que botei ali quando tinha 9 anos.
Abrir a porta com certa dificuldade, por está com as mãos ocupadas, mas logo entrei, me deparando com nada novo, tudo estava ali,como eu havia deixado a dois anos atrás.
Claro que minha mãe deve ter arrumado algumas vezes e tirado o pó. Bom, nada de diferente... E a Surpresa? Não havia nada de novo ali, nada que eu pudesse notar.
Tirei meu casado a deixando em cima da cama super arrumada. Até sentir alguém atrás de mim,e uma voz rouca soar no comodo.

— Olá irmãzinha...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...