História Meio-irmãos - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bisexualidade, Casal, Incesto, Irmãos, Mel, Real, Romance, Traição, Triângulo Amoroso
Visualizações 24
Palavras 1.487
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 25 - Party


Fanfic / Fanfiction Meio-irmãos - Capítulo 25 - Party

Sua língua deslizou pela minha devagar, enquanto nos dois brigávamos por espaço, suas mãos foram de encontro a minha cintura, apertando de leve e me puxando para próximo, institivamente passei os braços envolta do seu pescoço, seu beijo era calmo, porém parecia ter muito desejo, ele era tão doce... e macio, não havia como descrever, simplesmente, foi ótimo, quando nós nos distanciamos ele me olhou nos olhos e parecia naquele momento ter se tocado do que acabara de fazer

- Meu deus! – exclamou

- isso é tão errado! – respondi irônica ele apenas olhou para mim e riu, e depois me deu mais um selinho, após isso ele pegou minha mão e me puxou para dentro, entrei toda sorridente, como se tivesse recebido a melhor notícia, porem ao ver minhas amigas soltei a mão de Matheus e fui até as mesmas

- PARABEEEENS – disse Evelyn me abraçando com força, percebi que cristal não estava ali, então lembrei do que ela estava fazendo e sorri de canto, porém acabando por receber um tapa na bunda de Evellyn – está cada dia mais gostosa

- Ei! – a olhei acusatória ela apenas riu e foi beber algo, enquanto Ana se aproximava

- Parabéns more – seus olhos encheram de lagrimas – meu deus, desculpa, gente... está ficando velhinha, bom é uma coisa simples... mas espero que goste –ela me deu uma caixinha

- onw, não precisava, mentira, precisava sim – rimos e logo eu abri a caixinha, dentro havia dois colarem um completando o outro, sendo metade de uma fatia de pizza para cada, fiquei surpresa, e a abracei com força – sabe, você é a melhor amiga do mundo

Ela também me abraçou e ficamos assim por um tempinho apenas aproveitando o abraço, era tão quentinho e confortável, se eu pudesse ficaria abraçada a mesma a noite toda, porém meu pedido não foi aceito e logo me chamaram para cantar os parabéns, porem eu a puxei também e ficamos lá, juntas em frente à mesa de bolo e doces, olhei e lá vi a minha frente todos os meus amigos, todos e Matheus mais ao fundo, ao lado de Samuel, será que... eram amigos? Não deveria me preocupar com aquilo agora, respirei fundo quando as luzes apagaram e todos começaram a cantar parabéns, meus amigos, meus conhecidos, talvez meu novo amor, todos, talvez até o anjo, me sentia tão única, naquele momento era apenas eu e uma multidão ao fundo, apenas de passagem, era meu aniversário, o dia em que eu nasci meus 17 anos, acho que o desejo certo... seria apenas felicidade

(...)

A noite foi maravilhosa, após corta o bolo e todos comerem o DJ chegou e a música estava muito boa, dancei muito e com todos principalmente com Matheus, não sabia qual relação tínhamos, mas aquilo era tão bom, acho que minha obsessão pelo meu irmão acabou, finalmente eu posso ser alguém considerada normal

Já era em torno das 4 da manhã quando finalmente finalizamos a cara, a Ana já tinha capotado no sofá a uma hora, Evellyn estava dormindo sobre a mesa com um copo de catuaba na mão e Cristal, bom eu não a vi desde que cortei o bolo, estava sentada ao lado de Ana com a cabeça no ombro de Matheus, exausta, meus pés doíam muito, Samuel e Carol já nem se encontravam mais, suspirei pesadamente até que Arthur se aproximou de Ana

- Já está tarde, irei leva-la, a festa estava muito boa, amanhã volto aqui com ela, e se ainda estiver algo bagunçado ajudamos a limpar – disse apressado enquanto pegava a dorminhoca no colo, que logo em seguida começou a reclamar

- ok, obrigada Arthur... – disse sorrindo

- Acho que está na hora de eu ir também – comentou Matheus após uns cinco minutinhos se levantando – terça... as 14 horas, você vai estar livre?

- s..sim – será que ele me chamaria para sair? Abri um sorriso enorme

- ótimo, então será nossa primeira consulta – disse e logo em seguida se virou para ir, seu tom estava um pouco frio...

Será que eu havia feito algo de errado? Claro que não, aah deve ser o sono, até eu já estou de mal humor, me levantei e subi as escadas devagar, ao chegar em minha cama lembrei-me apenas de deitar e logo em seguida já tinha dormindo

(...)

Acordei bem tarde até era em torno das 15 horas, e não queria me levantar de jeito nenhum, a preguiça havia me tomado por inteiro, notei que meu celular vibrava o peguei e vi que era meu pai

- Alo? – disse com uma voz de sono

- Querida, oh meu deus, me desculpe meu amor, esqueci totalmente do seu aniversário – sua voz estava ofegante, parecia que havia acabado de chegar de uma corrida – me lembrei agora quando estava voltando na academia, quer dizer ainda estou né

- Ah... tudo bem, pessoas que realmente gostam de mim não esqueceram e foi tudo maravilhoso – disse com o tom de voz irritado e antes que ele pudesse responder mais algo desliguei a chamada e comecei a ver algumas mensagens, porém uma fez meu coração palpitar

“Desculpe ter saído daquela forma mais cedo, eu estava meio pensativo sobre o que havia acontecido conosco... mas acho que não foi totalmente errado, afinal ano que vem você já vai ser de maior e poderemos ter algo a mais, mas, por enquanto, vamos manter a relação apenas de paciente e doutor ok? ... ah, uma vez ou outra podemos esquecer que você só tem 17, feliz aniversário princesa e bons sonhos”

Apesar de ter que esperar um ano ainda, eu estava feliz, muito feliz, estava me envolvendo com um cara que não era um completo estranho ou meu irmão, sorri mais animada e levantei da cama, fui ao banheiro e tomei um bom banho, depois desci para o primeiro andar, esperando que estivesse uma zona, porém estava tudo arrumado, e no centro do mesmo estava Samuel pegando alguns poucos enfeites que faltava no chão

- Boa tarde... – disse, ele parecia ter tomado um susto e ao se virar para mim sorriu sereno porém triste

- Boa tarde – disse apenas enquanto ia para fora o acompanhei

- Acordou a muito tempo? Você quem arrumou tudo? – perguntei puxando assunto

- Não dormir – respondeu enfiando os enfeites no lixo – e sim, arrumei, desde a hora que todos foram dormir

- Onde ficou a noite toda? Não te vi depois do bolo – disse baixinho enquanto o acompanhava para todos os lados, ele já parecia estar se estressando

- Fui no Starbucks – depois disso me calei, suspirei profundamente e fui a cozinha, onde estava Clara, me aproximei e dei um beijo em sua bochecha, assim que ela me viu abriu um sorriso enorme e me abraçou

- Parabéns querida eu mal pude lhe desejar feliz aniversário ontem, me desculpe, em compensação fiz um delicioso café da manhã para você, apesar de já ter passado da hora do almoço – disse apontando para a mesa, que estava cheia de coisas que eu amava, sorri animada e abracei apertado

- você definitivamente é a melhor! – ela riu, em seguida fui a mesa e comecei a comer, logo Maria desceu estava com os olhos um pouco vermelhos e inchados – Maria... – comecei a falar, mas ela me interrompe logo que Mariana entra

- Bom dia irmãzinha! Hahaha – fingiu uma risada – como foi sua noite? A minha foi maravilhosa, vários boys para pegar, nem dormir, estou acabada, pode me emprestar sua maquiagem?

A olhei confusa, ela apenas olhou para Mariana que comia normalmente e forçou um sorriso, revirei os olhos e voltei a comer meu delicioso pedaço de bolo de cenoura

- Ah, sim, claro a vontade – disse apenas, ela se sentou sorridente e começou a comer também, parecia que Samuel não iria tomar café conosco já que logo após Carol descer e se juntar a nós com um sorriso enorme ele passou por nós com outra roupa, avisou apenas que não sabia a hora que iria voltar

- Ele está estranho – comentou Mariana

- Realmente, será que é por causa de alguma garota? Só lembro dele assim no primeiro relacionamento dele – completou Maria

- Talvez não ne, talvez é coisa da idade – disse, aquilo parecia uma conversa entre velhas senhoras fofocando sobre a vida de um adolescente sem rumo, mas eu estava realmente preocupada, após terminar de comer me levantei e levei o prato a pia, depois já não sabia oque fazer, porém encontrei a solução na tela do meu celular

Evellyn(15:30): Vamos no shopping? Faz tempo que não saímos, parque de diversão, Starbucks, ou só zoamos

Cristal(15:45): ah, eu topo, to no tédio mesmo

Ana(15:50): eu vou

Evellyn(15:51): só falta a Mel dorminhoca responder

Mel(16:05): vocês são minha salvação, estejam aqui em frente de casa em vinte minutos

Cristal(16:06): quer que eu me arrume em vinte minutos?

Evellyn(16:06): sim

Mel(16:07): claro, vamos ficar até tarde na rua, bora ir cedo então para aproveitar

Cristal(16:07): ok, ok, até....


Notas Finais


hey galera, eu tive uma ideazinha que talvez vocês vão gostar, eu estava pensando em postar todos os dias da semana (para compensa pela minha demora) eu irei tentar postar todos os dias a noite durante essa semana até a proxima segunda, claro com os capitulos com a mesma quantidade de palavras de sempre, se quiserem me mandar sugestões podem mandar mensagem para meu instagram
link >>> https://www.instagram.com/waifu_ml/?hl=pt-br

A leiam minha nova fanfic também
https://spiritfanfics.com/historia/girls-like-girls-9884269


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...