História Melancolia. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 16
Palavras 805
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Poesias
Avisos: Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Ontem, eu tive um sonho... Foi algo, tão irreal mas ao mesmo tempo cheio de nostalgia, em meio as estrelas eu dormi, o sentido, alguém em algum lugar que possa ler pensamentos vai perguntar e eu irei responder... Algum dia quando eu souber.

Eu sai de minha casa, a vazia e solitária casa, a qual eu se me recordo... Dividia com quem amava.

Mas me pergunto, todos os dias, em frente a essa lua, a esse céu... Quem me amou? Quem olhou-me, sorriu e disse “eu te amo”?

Eu não lembro mais, minha mente foi apagada.

É como se um branco preenchesse minha mente, coração, pulmões, eu perco o ar de pouco em pouco, eu sinto as lágrimas secarem, meu primeiro amor, não sinto mais.

Meu dias felizes com meu primeiro amor se esgotaram, ele se foi, eu me fui, estou no céu de alma e na grama de corpo.

O que estou falando alguém vai se perguntar... E eu vou responder... Eu não sei.

Eu não faço a mínima ideia, estranho não é? Agora, eu estaria rindo, soltando o ar preso nos pulmões... Mas, eu senti algo molhado em meu rosto.

Lágrimas...

Não... Gotas de chuva.

São gotas de chuva, eu sou parte do céu e não do ser humano, então eu chovo, está chovendo pelos meus olhos, engraçado falar assim não é? É... Haha...

Rir dói, era para doer? Alguém no mundo está lendo meus pensamentos? Alguém... Alguém em algum lugar... Entende minha dor?

Socorro, sussurrei, me ajude, sussurrei, está doendo, falei, me ajude, gritei, eu os perdi, chorei.

...

....

..... Eu vi hoje uma estrela cadente.

Era tão, tão bonita.

Você viu a estrela cadente? Não? Lhe mostrarei.

Aqui, venha, pegue minha....... Mão....... Ah sim, como pude me esquecer... Não há ninguém aqui, só eu, o vento, a grama e o céu.

Nos sussurros do vento escuto uma voz dizendo “não chore”, “eu te amo”, “não te abandonei”, tive vontade de morrer. Sufocar em meio a grama.

Isso, se chama melancolia.

O que é melancolia, alguém vai perguntar, sei que vai.

E eu vou responder que não sei, mas é o que estou sentindo... E dói.

Não é uma dor física, é uma dor dentro, o que é uma dor dentro? Eu não sei, eu nunca sei, mas só uma coisa eu sei.

Estou perdida.

Minha mente não funciona mais, meu coração não pulsa mais. Meus pulmões não funcionam mais, minha vista não funciona mais.

Eu estou morta.

Mas a cada luar revivo.

O doce som da melodia da noite me renasce, quando abro os olhos, minha pele mais pálida está... Está decompondo, rasgando, apodrecendo, quebrando, mesmo assim os pingos de chuva insistem em cair.

Eles caem no chão, fazem as flores crescerem.

Rosas, negras como minha visão, se prendem a mim, como se me transformasse em algo negro, sem vida, demonstrando a morte... É tão melancólico.

Morrer e viver ao mesmo tempo é melancólico.

Chover por alguém é melancólico.

Ter saudade é melancólico.

Estar aqui, é melancólico.

Tudo é melancólico.

Pensar que uma vida que tive já se acabou... É melancólico.

Sou um ser morto, feito de melancolia apenas.

Alguém, vai se perguntar porque digo essas coisas confusas.

Porque repito ser melancólica, e eu te respondo.

É a única coisa que sei fazer, sem dizer não sei... Ser a melancolia em pessoa.

Então me diga, alguém, você, é melancólico?

...Não minta.

Não minta...

Por favor, não minta.

Mas eu sei que vai mentir..........

Esse, foi meu sonho de ontem, mentira.

Todos mentem.

E quem diz a verdade.

Mentiroso também é.

Pois a verdade ninguém sabe ao certo.

Não minta.

Mentiroso.

Você disse que me amava.

Você mentiu para mim.

Eu te odeio.

Olha o que fez comigo.

Sigo pendurada nessa corda.

E você, ri de mim.

Ó, como ri.

E adora rir, ver minha face morta e corpo se decompondo.

Preso a essa noite eterna.

Preso a essa árvore.

E nossos filhos? O que houve com eles?

Estão bem.

Mentiroso.

O que houve com o amor por mim?

Ainda existe.

Mentiroso.

Por culpa de quem eu me matei?

Sua.

Mentiroso.

...Seu mentiroso.

Por isso, eu sou feita de melancolia, por isso eu minto, por isso eu existo, por isso eu chovo, por isso sou confusa, por isso não sei, por isso, tudo por isso, por sua culpa, sua causa, por eu te amar, por confiar em você, por confiar na pessoa errada, por confiar em um mentiroso, dói, dói tanto, por que fizeste isso comigo? Achei que eu era especial.

Achei que seu sorriso, era verdadeiro.

...Mentiroso.

Me fez ser, a melancolia em pessoa, não tem volta para mim, vou seguir um espírito preso... A esse céu escuro, cheio de estrelas e uma lua brilhante, a grama verde, a o sopro do vento gelado, a noite onde tirei minha vida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...