História "Melhores amigos" - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Romance
Visualizações 47
Palavras 1.246
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Acho que eu sumi um pouco né. Estava apertada por aqui, o trem realmente estava feio. Mas voltei, assim, não sei bem mais o que eu tô fazendo, porque eu acordo de boas e penso, mds preciso escrever alguma coisa. É isso acontece muito, até antes de eu ter essa fanfic, tenho um montão de caderno com histórias de vacas, flores, cogumelos, e até pessoas. Não sei bem o que eu tô falando, mas vamo começar.

Capítulo 23 - Você deixou no meu carro.


←←Letícia→→

Já estava na calçada, Arthur já tinha ido embora, e eu estava lá parada. Resolvi entrar, minha situação não estava das melhores, e o pior que Arthur tinha deixado chupões em mim, e um carro não é o melhor lugar pra se arrumar.

Entrei na minha empresa, acompanhada de olhares de muitos funcionários, e também podia sentir as fofocas percorrendo o local. A raiva começou a bater, e nesses últimos anos, não estava muito boa pra lidar com minha raiva.

-Se alguém resolver comentar sobre isso, ou quiser dar suas próprias conclusões ou teorias.-pausei um pouco, e pude sentir cada olhar.-Demitido, qualquer um. QUALQUER PESSOA.-cara, eu amei falar isso.-Fui clara?-escutei um grande sim.

Andei até minha sala, não fui acompanhada de nenhum olhar, e o silêncio reinava.O único barulho que podia escutar, eram de passos, pensei logo em minha secretária.Mas não eram dela, eram dele, Arthur. Me virei pra trás, e ele estava sem camisa. Meu deus, como ele aparece desse jeito? 

-O que você tá fazendo aqui?-gritei, e o escritório inteiro acompanhando.-E desse jeito? 

-Vim te devolver.-balançou a minha calcinha, eu não acredito nisso, que vergonha. E eu ainda estava no salão de entrada.-Você esqueceu no meu carro.-não, ele tinha que completar? Fiquei super vermelha de vergonha.

-Arthur!-o repreendi, e já pude ver ele tentando segurar o riso. Me arrisquei olhar pros lados e meus funcionários também observado tudo, e tentando não rir.-Alguém quer ganhar demissão de presente?-vi todos desviarem o olhar.

-Nossa quem vê pensa que é autoritária assim...-ele ria.-E vocês também são um bando de fracos.-apontou pros trabalhadores.-E a calcinha Letícia? 

-Sai daqui Arthur.

-Toma.-me jogou a peça de roupa. Se virou de costas completamente sem camisa e andou até a porta. Mas parou, e se virou.-Parem, vocês.-olhou pros empregados.-De falar de nós dois.-deu enfâse no "nós".-Pelo menos temos uma vida sexual ativa, e vocês?-foi embora depois disso. E socorro, o que foi isso? 

Corri pra minha sala, super envergonhada, com uma calcinha na mão, Arthur sabe muito bem me provocar. Mas ir até meu escritório só de calças, sem camisa, descalço, descabelado, lindo e gostoso, é demais. Ele atingiu o maior nível de provocação, irritação que poderia chegar, e sei lá, ele se superou dessa vez.

Bem, depois de tudo, eu venci. Descobri o que tem por baixo daquele terno, e da fama de advogado responsável. Isso combina com ele, ternos o deixam mais atraente e convidativo. Mas não dispenso o MEU Arthurzinho, o moleque estiloso que virou gótico...e pensar que esse mesmo moleque que eu conheci com 14 anos ainda me deixava louca. Que mesmo depois de 14 anos eu continuo o amando. Eu engenheira bem conhecida na cidade, ele um advogado, que pelo jeito é bom, 28 anos, tantas coisas nos separando, mas tantas coisas nos unindo...

Mas a pergunta era. Ele sentia o mesmo? Ou ele só queria distrações? Ou, eu o deixei desse jeito? Frio, sem emoções, aproveitador, e outras coisas...eu fiz ele assim? 


***


Passava das 2 da manhã, e eu me remexia na cama, no sofá, nas mesas, no banheiro, em qualquer lugar, e não conseguia dormir. Nada me prendia, não tinha paciência pra nada, nem pra músicas, séries e muito menos filmes. Eu andava pela casa inteira, queria dormir, mas não conseguia, tomei meus remédios, nada. Eu só tinha uma coisa na cabeça, ele, Arthur. Não me deixava dormir, por mais que eu não quisesse pensar nele, ele vinha em minha cabeça. O seu corpo, sua voz, seu cheiro que ainda estava em mim. Tinha tomado dois banhos desde que cheguei em casa, mas ainda continuava com o cheiro, e que cheiro...

Arthur estava me enlouquecendo, me deixou dependente, mas eu não queria mostrar essa dependência, mas...eu não sabia o que fazer.

Decidi ligar pra ele, alguma coisa em minha cabeça dizia isso, ele poderia estar dormindo, mas eu achava que não. Peguei meu celular e disquei o número, que também consegui com as investigações. Já chamava, e havia demora, e se ele tivesse com outra, e se...atenderam. Finalmente atenderam, eu gelei na hora.

-Alô?-uma voz feminina atendeu, e parecia estar ofegante.-Alô-aaa.-aquilo era um gemido?-Quem é Emma?-pude escutar uma segunda voz, e aquele era Arthur, mas Emma? Era isso mesmo?-Quem é, o meu boy perguntou.-boy? Que lixo, só podia vir de Emma mesmo.

-Fala pra ele, que é a pessoa que ele transou hoje.-ela se calou.-Pode repetir? 

-É sério Arthur?-pude escutar ela repetindo o que eu disse, e depois outro gemido, estava quase desligando.-O que foi Letícia? Fala, porque estou com outros esquemas aqui.-aquele era Arthur , e parecia cansado.

-Pensei que Emma tinha te traído. 

-E eu traí ela também. Mais que justo.-pude ouvir mais algumas coisas do outro lado. E também um "eita vocês dois."-Preciso desligar.

-Você tá com outra pessoa além dela? 

-Você não precisa saber.

-Nossa Arthur, você se rebaixou assim? A ponto de dividir cama com outro homem além de você? 

-Isso é bom viu? Por que não tenta? 

-Por que eu te liguei? 

-Letícia, eu não quero ver a minha noiva ser comida por outro homem sem eu no meio. Preciso desligar. 

-Tá. 

-Tchau.-e desligou.


Ai meu deus. Eu não devia ter ligado, por que eu fiz isso? 

Já não sabia o que fazer. Eu deitei em minha cama e comecei a chorar. Chorei demais, talvez fosse isso que iria me fazer dormir, e foi, eu dormi.


←←Arthur→→


Então era isso? Eu estava conseguindo a deixar completamente louca por mim? Ai meu deus do céu. Metade do plano já tinha ido, ela já estava me desejando...já estava louca, e agora só faltava fazer tudo por mim. Depois disso tudo, eu iria fazer o que ela fez comigo, sumir da minha vida, eu iria sumir da dela também, poderia até mudar de cidade, mas não daria esse gosto pra ela. Ela iria ficar como eu, iria sofrer como eu, iria pasaar tudo o que eu passei também...ah se ia!

-Arthur? Não vem.-era Emma, me chamando e me libertando dos meus pensamentos.-Vem também, por favor.-e gemia.-Vem por trás vem.

-Não, agora não. 

-Tudo bem, ela fica só pra mim.-meu sócio, e Emma gostava dele, eu sentia.-Eita amigão, que mulher.-e a fazia se contorcer.

Eu gostava de Emma, mas não tanto pra me casar, eu aceitava essa coisa de sexo a três, porque eu realmente não me importava, vou falar, eu amava,achava bom e tals. Eu não sabia também o porquê de continuar até hoje com aquele relacionamento, Emma me fazia feliz, mas nunca, em quatro anos eu disse que a amava. Eu gostava dela, mas isso não era o suficiente. 

E lá estava eu, vendo a minha mulher, futura esposa, transar com meu sócio, e não se importando, eu até ficava excitado com aquilo. Mas, quando perguntava pra outros amigos meus sobre esse assunto, eles respondiam que jamais fariam isso, só se fosse com outra mulher. Então eu me sentia diferente, e claro que eles também não sabiam que eu praticava isso. A relação de nós três era um segredo.

Agora, quando eu e Emma fazemos isso sozinhos, eu gosto, amo mesmo, mas também não me sinto muito bem, não tão como eu fiquei hoje com Letícia. Ela era diferente, não sentia mais nada por ela, mas ela era diferente de Emma. 

Ou talvez eu sentisse algo por Letícia. Na verdade eu sentia algo sim por ela. Algo que faz eu agir por impulso, e repensar todo o meu plano, jogar tudo por água abaixo. Algo que é maior que todo ódio e raiva que eu tenho por ela. Algo que demorou 14 anos para ser construído. Mas algo que eu não vou aceitar.



Notas Finais


Genten, se vocês querem ver perfeição, é só procurar por Chris Wood, ou Ian Somerhalder no google, isso sim que é homem bonito. Vale lembrar de Tyler Joseph e nosso homão Josh Dun. Comecem a escutar tbem Twenty øne piløts.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...