História Melhores amigos - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Karin, Kiba Inuzuka, Neji Hyuuga, Orochimaru, Personagens Originais, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Amizade, Amor Platonico, Comedia, Drama, Friend Ou No Friend, Friendzone, Haruno, Naruto, Relações, Sakura, Sasuke, Sasusaku, Uchiha
Visualizações 610
Palavras 6.374
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, então é a parte da fanfic que eu não gosto tanto assim o famoso "adeus"
Melhores amigos desde o inicio era um projeto pequeno, mostrando que mesmo amando o melhor amigo nem Sakura e nem Sasuke deixariam de ser amigos

Motivo por querer fazer isso?Bem, eu já vi varias pessoas deixarem de falar com alguém mais intimo por esse motivo EU inclusive já passei por isso e acabou em merda

Enfim, obrigada para quem leu,favoritou a fanfic, colocou na biblioteca e acompanhou no anonimato e até mesmo na lista de leitura.

Capítulo 12 - Você demorou, desculpe


Fanfic / Fanfiction Melhores amigos - Capítulo 12 - Você demorou, desculpe

O resto do caminho até a escola foi algo silencioso claro que antes de chegar ao destino Ino Yamanaka teve que fazer duas paradas, a primeira na casa de Sakura onde a loira enrolou o pai da rosada dizendo que a filha estava dormindo em sua casa no dia anterior e a outra parada e última era a casa de Sasuke, onde ela não precisou descer para enrolar ninguém já que o Uchiha saiu do carro para buscar suas coisas deixando ambas sozinhas. 

— Como foi? — perguntou a loira batucando os dedos sobre o volante. 

Sakura não respondeu, por mais que tivesse ouvido a pergunta. Ela tinha cruzado os braços abaixo dos seios olhando de maneira fixa para os próprios pés. 

— Sakura — chamou pela amiga, desviando um pouco seus olhos da linha reta que observava. 

— Foi bom — falou a rosada que agora não mantinha aquele ar marrento, deixava que um sorrisinho surgisse sobre os lábios algo sutil expondo que era bom lembrar se do que tinha acontecido 


— Foi algo doce.

— Doce? — questionou a loira, deixando que sua curiosidade fosse tão clara como água. 

— Sim — disse ela de maneira monossilábica não entrando muito em detalhes. Pressionou um pouco os lábios um no outro, a fim de esfrega los. 

— Então — disse pausadamente e calma não podia irrita lá ou nunca iria saber o que de fato estava acontecendo — Você estava fugindo dele por? 

Sakura rolou os olhos, despejando o corpo sobre o banco do carro de uma forma relaxada. 

— Eu não sei o que falaria depois que aquilo aconteceu. 

Ino ouviu com atenção e negou com a cabeça rapidamente.

— Essa não foi a melhor opção, você sabe não sabe? — retrucou a loira.

Sakura abriu a boca para falar algo e fechou no mesmo minuto que via Sasuke Uchiha voltar para perto do carro e agora com sua mochila nas costas. A Haruno abriu a mão e fixou os olhos sobre a loira por alguns minutos dizendo silenciosamente que falaria disso depois se virou até alcançar a maçaneta e retirar o cinto do corpo para que pudesse sair do veículo. 

— Olá jovem senhor — disse com sarcasmo. 

Sasuke franziu o rosto, trincando os dentes com aquela pequena provocação. 

— Tsk — murmurou o moreno que nessa altura colocava uma das mãos sobre a cintura feminina a fim de afastar o corpo para que então pudesse empurrar o banco. 

— Ogro — comentou a rosada em voz alta. 

— Irritante — disse o Uchiha assim que terminava de fazer o que queria. Em seu rosto, um ar de deboche dançava contentemente por cada espaço até mesmo no pequeno sorriso no canto dos lábios. 

Antes que Sakura pudesse falar alguma coisa ou responder aquela provocação de Sasuke, Ino Yamanaka fez o grande favor de se intrometer. 

— Se vocês bem se lembram, ainda temos aula para ir e estamos mais do que atrasados já que as duas lindezas não são nem um pouco responsáveis. 

Sasuke olhou por mais alguns segundos os olhos verdes de Sakura e esses apenas desviaram o olhar quando sua portadora não aguentou mais sustentar. 

O Uchiha entrou, se acomodando no banco de trás do carro quando acabou de se ajeitar ele fez o mesmo com o banco que tinha empurrado para frente. 

— Madame — falou em voz alta, para que mesmo com a distância Sakura pudesse ouvi lo. 

— Muito engraçado — disse a rosada ao mesmo tempo em que se sentava, fechando a porta e colocando o cinto. 

— Vocês dois — disse a loira, apontando tanto para Sakura e Sasuke antes de começar a dirigir — ou vocês se resolvem de uma vez ou tranco os dois em um lugar sujo. 

Sakura apenas encarou Ino em silêncio e Sasuke murmurou um palavrão. 

— Achei que tínhamos aula — falou o Uchiha. 

Ino estava odiando e amando tudo aquilo, mais odiando do que amando já que a loira xingava mentalmente ambos. Ela ignorou o comentário maldoso dele tratando logo de começar a dirigir, pois querendo ou não ainda tinham aula para assistir. 

Por sorte o colégio não ficava muito longe de onde Sasuke morava e por isso mesmo que estivessem bem atrasados conseguiram chegar antes que o último aluno passasse pelas portas do colégio. 

Com passos rápidos, o trio moveu de até alcançar a sala de aula. Ino Yamanaka foi a primeira a entrar, exibindo seus dentes em um sorriso aberto e contente como se quisesse realmente estar ali. 

Sasuke andava um pouco mais atrás já Sakura tratava de ficar longe. 

— O quê você está fazendo? — perguntou o Uchiha, não se importando se alguém iria ouvir ou não. 

Ela virou um pouco os olhos, observando o pelo canto dos olhos.

— Não estou fazendo nada — disse a rosada colocando os dedos da mão esquerda sobre a maçaneta fria, ela já estava pronta para abrir e entrar na aula com uma desculpa claramente esfarrapada.

— Então você não está me ignorando depois do que aconteceu e eu estou fingido não estar com raiva disso — falou o rapaz que agora se encontrava ao lado da moça. 

Sakura abaixou a cabeça, fechando seus olhos no processo em um suspiro fundo contou até dez tentando manter sua paciência. 

Voltou à cabeça ao ponto de origem de maneira lenta, virou um pouco o rosto até encarar o rosto dele. 

— Podemos resolver isso depois? — indagava. 

Sasuke bufou mesmo a contragosto acabou concordando com aquilo silenciosamente.

Sakura sorriu brevemente ao ver a reação dele, sem mais demoras a Haruno abriu a porta da sala de aula pedindo licença ao professor de geografia assim como Sasuke fez minutos depois de sua chegada.

Dizer que prestava atenção nas coisas que o professor dizia como escrevia no quadro negro atrás de si, seria puramente uma mentira. Sakura estava viajando em cada pensamento novo que surgia dentro si, por mais que anotasse as coisas que eram faladas a Haruno tinha sua atenção voltada para a conversa que teria com Sasuke. 

Sim ela fugiu disso, sim ela tentou evitar isso e não adiantou em nada fazer tal coisa. 

Mordiscou os lábios um pouco virando o rosto até o lugar em que Sasuke estava sentado, ele por outro lado parecia totalmente concentrado no assunto. 

Sakura virou os olhos para frente e depois para o caderno, coisa que arrancava um pedaço pequeno da folha tentando ao máximo não fazer barulho e nela escrevia o seguinte. 

"Oi, podemos conversar?" 

Depois de escrever a rosada dobrou cuidadosamente a folha, cutucando Hinata Hyuuga com a ponta do lápis. Hinata não precisou de palavras pronunciadas em voz alta para entender visto que a rosada exibia o papel entre os dedos. 

Discretamente a morena agarrou a folha no instante em que seu tutor se virava completando o quadro negro com palavras. 

Por instante a Hyuuga pensou que aquilo era destinado a ela. Porém, a dona dos cabelos rosados apontava constantemente para o Uchiha. A morena assentiu confirmando que passaria para o rapaz. 

Ela esperou um pouco, já que o professor parecia estar inquieto virando para frente falando algo sobre climas em diferentes lugares, o homem demonstrava animação nas falas coisa que seus alunos não faziam o mesmo quando ele finalmente se virou Hinata esticou um dos braços deixando o papel sobre a mesa de Sasuke. 

O moreno levantou uma das sobrancelhas ao ter aquele pedaço de folha sobre sua mesa. Neji que estava com o corpo virado de lado, também fez o mesmo olhar confuso que o amigo. 

— O quê é isso? — perguntou o moreno baixo para que ninguém pudesse se intrometer naquela conversa. 

Hinata não disse nada com palavras e sim com ações, virando seu rosto de forma desastrosa para a rosada ao seu lado. 

— Você não vai abrir? — perguntou o Hyuuga.

Sasuke suspirou fundo com a pergunta, ajeitou se na cadeira agarrando aquele pedaço de papel e trazendo o para perto do corpo não demorando a abrir. 

O lápis no meio dos dedos tocava a mesa constantemente com sua ponta pensando nas coisas que poderia escrever ao mesmo tempo em que seus olhos liam as palavras bem escritas na letra redondinha de Sakura. Sasuke pulou uma linha antes de começar a escrever alguma coisa, não queria ser rude, mas ao mesmo tempo não poderia negar a pouca raiva que rondava em si.

 “Achei que quisesse deixar isso para depois. Mas podemos conversar, então vai me dizer o motivo de sair correndo?"

Assim que terminou de escrever Sasuke dobrou de um jeito relaxado o papel colocando o quase que no mesmo segundo sobre a mesa de Hinata. A Hyuuga demorou um pouco para começar a trabalhar em seu novo cargo, não por causa do professor e sim pela maneira que o Uchiha devolveu o papel ela claramente não sabia o que se passava entre a amiga e Sasuke sua feição de confusão exibia isso tão claro como água, a castanha virou por alguns segundos seus olhos para o primo e ele limitou se a dar de ombros, Neji entendia tanto como Hinata, ou seja, nada. 

Deixou que um suspiro fugisse dos lábios, para que o corpo ficasse arrumado na carteira fingia prestar atenção na aula mesmo que as palavras do professor fossem nítidas elas entravam por um ouvido e saiam pelo outro mesmo que o assunto fosse levemente interessante para Hinata. Quando o tutor virou se de costas a Hyuuga esticou o braço esquerdo levando entre os dedos o papel. 

Sakura às vezes jogava os olhos um pouco para o lado, vendo Sasuke com a cabeça afundada entre os braços. Assim que o papel voltou, ela curiosa não demorou mais nenhum instante para abri ló. Lendo aquelas palavras a Haruno sabia que o Uchiha estava com raiva e também tinha motivos. Não escreveu nada de volta, amassou o papel e enfiou entre os lápis e caneta dentro do estojo acabou imitando o ato do rapaz fechando seu caderno logo em seguida deixando os braços cruzados e a cabeça abaixada, passando a admirar a janela até acabar dormindo naquele processo.

A menina só chegou a acordar quando o sinal tocou, alto e barulhento anunciando que parte das aulas do dia tinham terminado ainda sim a rosada persistiu em ficar com a cabeça abaixada, resmungando em voz baixa que não queria levantar. 

Sasuke e Ino viam aquela cena um pouco distante do lugar em que Sakura estava sentada, para ser mais clara ambos estavam próximos da porta da sala pensando se sairiam ou não sairiam para irem até o intervalo.

— Você não vai acorda lá?  — perguntou Sasuke sem ao menos desviar seus olhos da figura adormecida da rosada. 

Ino demorou a responder, não por não querer falar nada ainda sim a loira enrolou um pouco mais para elaborar algo. 

— Faça você  — disse a Yamanaka. 

Sasuke desviou um pouco seus olhos até pousarem em Ino, essa por sinal estava entrentida demais no celular para se quer dar atenção ao fato, não que ele realmente se importasse com isso ainda sim foi algo que fez o moreno xingar em voz baixa, com passos lentos o Uchiha se aproximou da carteira colocando uma das mãos sobre os braços magricelas de Sakura sacudindo a para os lados. 

— Acorda — disse o Uchiha. 

Sakura por outro lado não respondeu aquilo como ele desejava, ela afundou ainda mais a cabeça entre os braços resmungando. 

— Sakura — chamou pela rosada, sacudindo a mais uma vez. Todavia, vendo que aquilo não funcionava o Uchiha abaixou o rosto até ficar de joelhos começando a futucar com o dedo o pequeno espaço visível do rosto da jovem. 

— Sakura — chamou mais uma vez por ela, alto o bastante para que pudesse ouvir. 

Desta vez os olhos da rosada se abriram de maneira preguiçosa. Piscou algumas vezes a fim de se acostumar com a claridão do ambiente e tão lentamente como abriu os olhos a garota levantava a cabeça olhando para todos os lados, de princípio não reconheceu o lugar que fez seus olhos ficarem arregalados isso até ver onde seu corpo estava e o motivo que seu corpo reclamava um pouco de dor. 

— Sasuke? — pronunciava a moça virando seu rosto até o rapaz.

Ele riu baixo com a cena que via, aproximou os dedos com cuidado do rosto dela a fim de tirar um pouco dos fios de cabelo. 

— Bom dia ou quase isso — falou o Uchiha tentando conter o riso pela cara amassada da garota.

— Quanto tempo eu dormi? — perguntou ela notando que a sala agora estava vazia. 

Sasuke estralou a língua no céu da boca. Suspirou fundo e sorriu de canto ao mesmo tempo em que seu corpo saia daquela posição passando a ficar de pé. Ele demorou um pouco de tempo para responder, pensando se falava a verdade ou aproveitava o momento para uma pequena vingança. 

— Uns três anos — disse com calma.

Sakura digeriu aquelas palavras de maneira lenta, seus olhos arregalaram se e a boca abriu repetidas vezes tentando formular alguma fala. 

— COMO ASSIM? — berrou ela, constrangida pelo o que tinha feito acabou abaixando a voz assim que falou mais alguma coisa — Como assim três anos? 

Sasuke não conteve nem um pouco sua risada, ela veio alta e bem escandalosa assim como o exagero da parte de Sakura. Logo o Uchiha movia seus dedos até os fios rosados, bagunçando os. 

— Vamos pro intervalo logo — falou o moreno que não esperava nem um tipo de resposta da parte dela, ele simplesmente se virava e começava a andar em direção a porta. 

Sakura balançou a cabeça em negativa, levantou o corpo as pressas querendo acompanhar o Uchiha, quando conseguiu ela virou um pouco o rosto e disse, — Isso foi cruel.

Sasuke parou de andar no instante em que chegaram no corredor da escola, virando um pouco seu rosto para ter ao menos uma conversa decente com ela. 

— Não doeu tanto assim — comentava o Uchiha. 

Sakura encheu as bochechas de ar formando um biquinho nos lábios no processo, uniu os dedos em punhos até estarem perto do corpo quando finalmente soltou o ar ela passou a admirar os sapatos por alguns segundos. 

— Não doeu — falou a dona dos cabelos rosados — Só foi cruel.

Sasuke negou aquilo com a cabeça, voltando a andar em direção ao refeitório.

— Eu estou com fome, vem logo Haruno — pronunciava em voz alta o bastante para que ela pudesse ouvir apesar da curta distância em que ambos se encontravam. 

Com aquilo dito, Sakura não viu necessidade de falar mais nada moveu se com rapidez para que pudesse andar ao lado do moreno e quando conseguiu aquilo ele ousou um pouco em agarrar os dedos da moça para que ambos pudessem andar de mãos dadas. 

— O quê está fazendo? — perguntou um pouco surpresa pelo ato, não que não estivesse gostando daquilo ainda sim era estranho. 

— O quê?Não gostou? — rebateu ele com o cenho levemente franzido.

— Gostei — falou olhando para os dedos finos e calejados misturando se aos dele — Só é estranho.

Sasuke riu baixo e descolou os dedos dos dela voltando para perto do próprio corpo ou pelo menos tentou já que a rosada avançava aquela mesma mão para puxar a dele para perto novamente.

— Não disse para largar — falou ela.

Sasuke balançou a cabeça para os lados e rindo de maneira rouca enquanto caminhava ao lado de Sakura até uma mesa afastada, pelo menos as coisas estavam se resolvendo e isso era algo ótimo. Como dizem, o tempo cura tudo. 

****

Sakura mordia com vontade o sanduíche que Sasuke tinha comprado na lanchonete, já ele por outro lado se limitava a uma água. 

— Você vai acabar comendo seus dedos — disse ele que de vez em quando desviava seus olhos para a rosada que comia com uma velocidade impressionante. 

Sakura o ignorou, o sanduíche era algo simples o clássico presunto e queijo com tomate e pouca maiose. Engoliu mais um pouco do lanche até virar seu corpo de lado e encarar o moreno. 

— Então? — indagava a Haruno. 

— Então o quê? — rebateu o rapaz, permanecendo com seu corpo do mesmo jeito com uma das mãos sobre a garrafa molhando às vezes os lábios secos.

— Você ainda namora? — questionou, ela poderia deixar muito bem aquela questão de lado, porém algo dentro de si dizia que era melhor colocar tudo as claras do que esconder alguma coisa do outro.

Sasuke enrolou a responder, mais por pura vontade do que outra coisa o moreno abriu novamente a garrafa de água e levou até a boca para que pudesse molhar os lábios, virou o rosto assim como deixava o rosto virado para a moça. 

 — Não  — disse o moreno relutando entre contar a verdade ou mentir, se contasse a verdade à rosada ficaria com raiva e se mentisse também teria o mesmo destino. Ele por alguns segundos desviou os olhos para a mesa a sua frente, vendo que Ino e Neji observavam ambos o mote o suspirou fundo  — Isso nunca existiu Sakura. 

A Haruno franziu o cenho ao ouvir o que saia dos lábios do rapaz estranhando cada fala pela ordem que vinham. 

 — Como assim?  — indagava a garota confusa  — Mas você, eu vi você no shopping com ela Sasuke. 

 Ele batucou os dedos na mesa achando uma péssima idéia contar aquilo para ela, contudo a merda já estava feita. 

 — Emy me ajudou a fazer você confessar que gostava de mim Sakura  — falou de maneira lenta para que não causasse ainda mais alarde. 

Sakura não agiu bem como ele pensava. Voltou o corpo para frente e agarrou o resto do sanduíche mordiscando o de maneira lenta até que ele acabasse e quando acabou a rosada saiu do banco em que estava levando consigo a água que o moreno bebia. 

 — Você fez isso?Foi tudo uma ideia sua?Então você me manipulou? — questionou tentando não levantar sua voz coisa que era bastante difícil.

Sasuke mais do que depressa se levantou, tomando a garrafa dos dedos femininos deixando à bem longe do alcance dela. 

 — Sim foi tudo ideia minha Sakura  — disse o moreno que levou as mãos até os ombros da menor apertando os.

 — Eu preciso pensar  — falou a Haruno deixando os dedos sobre o abdômen a ponto de afastar o corpo de Sasuke dando um espaço para que ela conseguisse passar. 

O Uchiha viu o corpo pequeno se afastar até ficar fora do seu campo de visão. Ele olhou os pés cobertos pelo tênis e depois os dedos da mão. 

 — Porra Sakura  — resmungou baixo começando a andar na mesma direção. Ambos tinham dado um passo enorme, saído da estaca zero não seria agora que voltariam para lá. 
 

O sinal tocou, anunciando que o tempo livre longe da sala de aula tinha terminado e com aquele aviso sem a necessidade palavras os alunos voltaram para as salas tão lentamente que uma tartaruga venceria facilmente se isso fosse uma corrida. Sakura tinha ficado escondida no banheiro feminino até o tempo restante do intervalo acabar, ela simplesmente queria ficar quieta com o que passava em sua mente, queria aquele momento para pensar e não cometer alguma merda que fosse se arrepender depois, como, por exemplo, sua pequena fuga pela manhã se é que aquilo pode realmente ser chamado de fuga.

Sentada no chão do box a Haruno tinha suas pernas coladas ao corpo ocupando o lugar de um travesseiro. Mentalmente, se lembrava de cada coisa que viveu nos últimos dias e como sempre se resumiam em duas palavras: confusão e loucuras. O quanto daquilo foi mentira?O quê foi realmente real?As palavras ditas, os gestos trocados significaram a mesma coisa para ele?Estava uma completa confusão mentalmente, maldita seja a adolescência e seus hormônios. 

Sakura ouviu o sinal ecoar por seus ouvidos, passando a se levantar do chão mesmo que a contragosto ela fez. Seus dedos caminharam até o rosto a fim de limpar o pouco das lagrimas que saia, nem se quer tinha percebido quando começou a chorar só sabia que fez. Empurrou a porta do banheiro no instante em que se aproximou desta, passando a caminhar em direção a sala de aula. Pelo menos só falta mais três para que pudesse enfim ir embora.

— Sakura? — chamou Ino tocando gentilmente um dos ombros da amiga. 

A rosada virou seu rosto apenas um pouco para observar a amiga, olhando a de cima para baixo vendo que a mania de chegar atrasada nas aulas não abandonou a Yamanaka um pouco mais atrás percebeu também Tenten e Hinata, ambas observavam tudo preocupadas. 

— Tudo bem? — perguntou a Yamanaka.

Felizmente a Haruno não teve chances de retrucar aquilo, pois passou a prestar atenção na figura afobada de Karin. 

— Claro que ela não está bem — intrometeu se a ruiva tomando os intervalos entre um fala e outra para respirar e quando conseguiu virou seu rosto até os olhos verdes da rosada.

— Você não chorou muito não é? — perguntou ela que ousava em por alguns dedos sobre o rosto da amiga a fim de secar o pouco resquício de lagrimas que ali morava — Se chorar muito vai acabar desidratada e feia, não é isso que você quer não é?

Sakura acabou rindo baixo com as palavras que eram lançadas até si. Certamente nunca largaria seus amigos, por mais loucos que fossem. 

— Não tanto — comentou a Haruno que agora passava os dedos pelas mãos de Karin querendo tirar ambas de lá — Então vamos? — indagava Sakura virando sua cabeça algumas vezes para a porta ao seu lado.

Ela não precisou falar mais nada e também do tempo que tinham perdido com aquela pequena conversa não demoraria nada para o inspetor chegar e dar advertência para todos ali presente. Mais do que depressa, cada uma se dirigiu ate a sala de aula, entrando uma atrás da outra com passos largos e bem rápidos até os lugares afinal o professor já estava em sala de aula, contudo ainda não tinha começado a passar nada e por isso não ouviram nenhuma espécie de bronca. 

 Sakura olhava todo o tempo para os dedos da mão enquanto caminhava, queria evitar qualquer olhar e principalmente de Sasuke, assim que chegou perto da carteira ela não demorou a se sentar acomodando se na cadeira deixando o corpo reto pelo menos tentaria prestar atenção nas aulas restantes. 

Sasuke observou a Haruno entrar e até a caminhada lenta que a garota fazia para se sentar. Bufou irritado consigo mesmo as coisas se ajeitaram rápido e na mesma rapidez elas desandaram, o Uchiha virou o rosto para frente lendo o que o professor escrevia no quadro negro, ou melhor, dizendo fingindo que prestava atenção em alguma coisa quando sua mente estava viajando em diversos assuntos. 

Sem pensar muito o Uchiha abriu seu caderno e andou com os dedos até as últimas folhas rasgando uma parte desta, começando a escrever algo simples.

 “Podemos conversar?" 

Dobrou cuidadosamente o papel até ele sumir entre seus dedos, esticou um pouco o braço para futucar Hinata mostrando o papel entre seus dedos. A Hyuuga não precisou de palavras pronunciadas para entender, já que ela tinha servido de pompo correio uma vez agora não seria exatamente diferente, avançou os dedos até os dele tirando o papel de seu esconderijo. 

Hinata dividia seu olhar entre o professor e Sakura, a garota por sinal escrevia de forma constante no papel pelo menos alguém estava prestando atenção pensou a morena jogando o papel sobre a carteira da rosada. 

Ao colocar os olhos nele, Sakura franziu o cenho e Hinata apenas apontou o lápis para o Uchiha mostrando de onde ele veio. Agarrou o papel e leu no mesmo minuto que abriu, suspirou de maneira pesada. No fundo ela sabia o que se tratava. 

Sakura pulou uma linha começando a escrever, algo que saiu um pouco ácido, mas fazer o que se sentia raiva. 

 “O quê quer conversar? Quando você me manipulou ou quando você mentiu?"

Dobrou novamente o papel colocando o sobre a mesa de Hinata essa por sinal não demorou a passar para o destinatário.

Sasuke demorou alguns minutos para olhar a resposta não por querer e sim por ter ouvido uma frase muito ameaçadora saindo da boca do professor, "vai cair na prova" e por isso o Uchiha não demorou nada em anotar o que estava no quadro negro em seu caderno em uma letra que ele provavelmente precisaria de um tradutor para entender, bufou quando terminou logo agarrando o papel e vendo a fúria da rosada naquelas palavras. 

"Eu não manipulei você Sakura. Naquele dia eu te forcei a dizer que me ama? Eu tinha uma arma apontada para sua cabeça dizendo para falar? Que eu me lembre não. Eu não menti, eu NUNCA menti para você agora me diz vai querer continuar neste campo minado ou deixar isso para lá?"

Sabia que estava sendo dito ao escrever aquelas coisas, entretanto não mentia naquilo mesmo podendo mentir quando ela o confrontou sobre o namoro ele não fez. Sasuke fechou os olhos, contando até dez para manter a calma ou tentar. 

No espaço livre da folha o moreno escrevia atrás uma frase singela. 

"Me encontre no jardim da escola caso você mudar de ideia e abandonar a sua raiva".

Assim que terminava de escrever tudo o que queria o rapaz dobrou de qualquer jeito o papel colocando o sobre o campo de visão de Hinata Hyuuga. 

A morena achava tudo aquilo estranho, não concordava em ficar passando recado de um para o outro e isso levou até o pensamento que no dia seguinte ela mudaria de lugar. Agarrou o papel sem quaisquer cerimônias ou conviventes colocando o sobre as coisas de Sakura rapidamente. 

A Haruno não fez como a primeira vez, abriu o papel com fome querendo saciar sua curiosidade engoliu as palavras dele uma a uma pensando no que faria. Ela não escreveu uma resposta guardou o papel no estojo voltando a prestar atenção nos últimos minutos daquela aula. O tempo parecia não passar, cada vez que a caneta encostava para escrever alguma coisa parecia uma eternidade por alguns segundos Sakura virava sua cabeça e observava o Uchiha distraído escrevendo ou conversando com o colega da frente isso até ele retribuir o mesmo olhar e a rosada desviar rapidamente os olhos para frente fingindo que estava realmente fazendo algo de útil. 

Quando o sinal tocou os alunos não se acataram em levantar as mãos para cima e um barulho longo de gritos comemorando o fim de mais um dia de aula. 

O professor via aquilo com o cenho franzido, negando aquele comportamento tanto mentalmente como não. — Não se esqueçam de estudar, as provas vão começar e não vai ser trabalho nenhum que vai salvar a bunda de vocês. 

Em questão de alguns segundos a comemoração passou a ser muxoxo de reclamações constantes o tutor riu alto com aquilo enquanto segurava a porta para que os alunos pudessem então ir para casa. 

— Isso vai ser um saco — falou Shikamaru ao mesmo tempo em que jogava sua mochila. Temari que estava ao lado do moreno riu com a fala já imaginando que ele nem estudaria para os testes. A loira colocou as mãos sobre os ombros do rapaz deixando sua cabeça um pouco alojada na curvatura do pescoço e orelha — Você nem vai estudar — disse ela pausadamente para mordiscar de leve a orelha do Nara que apenas se afastou com o gesto.  

— Você ficou doida por acaso? — questionou ele com uma das mãos sobre as orelhas.

Temari via tudo aquilo e ria baixo das caras e bocas dele, ajeitou a mochila sobre as costas e se aproximou dele roubando um selinho rápido e indo com a mesma rapidez para porta — Não — retrucou ela que neste instante virava seu rosto o bastante para ver a cara de Shikamaru — Talvez um pouco. 

— Complicada — resmungou o Nara enfiando suas mãos sobre os bolsos da calça começando a caminhar ate a saída da porta.


Tenten por outro lado, socava suas coisas com fúria dentro da mochila. Com toda certeza iria se dar mal naqueles testes do tanto que vem estudado e como suas notas estavam já conseguia calcular facilmente seu destino, repetir de ano. 

— Desse jeito os cadernos vão rasgar — comentou Neji que por segurança própria estava centímetros de distancia da castanha, afinal não queria ter o mesmo destino daqueles objetos. 

A garota virou um pouco seu rosto para cima, o bastante para olhar o Hyuga com fúria. Não, ela não tinha se esquecido daquele episódio da festa nem como o expulsou do quarto aquilo por alguns segundos a fez rir. — Isso não é dá sua conta — falou a jovem que quando terminava de colocar tudo dentro da bolsa a jogou sobre os ombros dando passos até a saída ou pelo menos era esse o objetivo já que o braço acabou sendo preso por uma das mãos de Neji.

Ele nunca entenderia garotas mesmo que vivendo com suas primas ele jamais conseguiria entender o comportamento do sexo oposto. Suspirou fundo algumas vezes enquanto colocava um pouco de força nos dedos visto que Tenten não parava nem um segundo de se mexer. Aos poucos o Hyuga virou o corpo e com ele fez com que ela também se virasse.

— Você está certa não é dá minha conta como você trata seus livros, muito menos o que passava por essa cabeça que tem. 

A fala dele acabou provocando um sorriso de vitoria no rosto da garota, largo mostrando todos os dentes. Porém notou que ele ainda tinha as mãos sobre si, e o corpo colado para que ela não fugisse mesmo tendo uma linda escapatória para isso. Encheu as bochechas de ar e soltou, — E o quê você quer me prendendo? — perguntou.

Neji riu baixo com a pergunta causando um pouco de confusão no rosto feminino.

— Qual é graça idiota? — questionou Tenten mostrando que sua raiva tinha voltado — Eu posso muito bem chutar você nos países baixos, você sabe disso não é?

O Hyuga contou mentalmente ate dez, querendo ou não Tenten Mitsashi ainda era uma garota por mais bruta que fosse. Ele ousou em aproximar um pouco seu rosto do dela, fazendo com que os olhos escuros da morena estivessem vidrados sobre si. 

— O quê você está fazendo idiota? — indagou tentando ao maximo não gaguejar pelo ato repentino.  

Ele sorriu, um sorriso pequeno no canto da boca dizendo sem a necessidade de palavras pronunciadas que tinha conseguido uma vitoria fazer com que Tenten ficasse quieta ou pelo menos constrangida. 

— Olhando uma garota bonita que é muito orgulhosa para pedir uma ajuda. 

Sentia a respiração oscilando e com isso o peito subia e descia os batimentos cárdicos palpitando de forma descompassada para ela Neji não passava de um completo idiota, tendo este pensamento em mente a castanha deixou que uma das pernas fosse para longe do corpo, pairando por alguns segundos no ar até voltar com força atingindo Neji no ponto onde mais dói. Mesmo que ela tivesse dito que se não a largasse atingiria sua região sensível, o moreno não acreditou nas palavras assim que viu o leve corar brotar nas bochechas da garota, contudo sua dedução estava completamente errada assim que sentia o golpe vir.  Imediatamente o Hyuga largava dos braços finos da Mitsashi para proteger ou pelo menos tentar aliviar a dor que sentia. 

— Você é doida — falou alto em bom som, controlando a voz para que não acabasse berrando coisa que era bastante difícil já que ele queria fazer aquilo mais do que outra coisa. 

Tenten sorriu com o que tinha feito, arrumou a roupa virando o rosto como o corpo para frente começando a andar para a saída da sala. 

— Eu já nasci assim — berrou ela, alto para que ele pudesse ouvir sua resposta sobre aquilo.

Sakura encarava os próprios dedos, caminhando de um lado pro outro tentando pensar no que faria a respeito daquele bilhete. Por um lado ela odiaria o fato de perder a amizade de Sasuke e por outro sabia que as coisas ficariam estranhas entre eles se caso permanecesse com aquela raiva. 

— Você quer parar de andar assim? — disse Ino, sentada em um dos bancos na frente da escola com a cabeça apoiada no alto graças às mãos — Tá me deixando tonta Sakura.

— Pra quê todo esse drama? — pronunciava Karin, apoiada sobre um dos ombros de Suigetsu — Você ama ele e ele te ama se você não for lá existe dezenas de garotas que vão Sakura. 

— O quê que tá acontecendo? — perguntou o albino, distanciando seus olhos do celular por alguns segundos a fim de prestar um pouco de atenção no que acontecia a sua volta.

Karin bufou, não por estar irritada com o namorado ou sua lerdice e sim por estar chateada com toda aquela situação. 

— É melhor você nem entender — comentou a ruiva que viu de soslaio o rapaz dar de ombros. 

Por mais que ouvisse as palavras ditas por todos ali, elas entravam por um ouvido e saiam pelo outro a rosada resmungava por não conseguir pensar em nada já que sua mente estava tão confusa como um lixão ou quando seu quarto fica depois de um mês sem faxina. Parou os passos ficando agora de frente para o pequeno grupo de pessoas sentadas no banco que se resumiam em: Ino, Sai, Gaara, Karine e Suigetsu. 

— Eu devo ir? — perguntou mordiscando um pouco dos lábios. 

Os meninos não davam atenção ao assunto, para eles aquilo era apenas uma banalidade qualquer agora as garotas resmungaram puxando um pouco dos fios de cabelo.

— Tu vai, nem que eu te chute até lá você vai Sakura — disseram tanto Karin como Ino.

 Diferente da ruiva a loira descolava um pouco seu corpo do banco, dando passos até a amiga onde a agarrava pelo ombros e começava a puxar Sakura para a direção do jardim.

— Você não vai mesmo me chutar não é? — perguntou Sakura com leve receio de que aquilo realmente fosse acontecer. Sua resposta não veio exatamente com palavras já que Ino acabou liberando um riso longo dos lábios fazendo com que o rosto assustado apenas se preocupasse ainda mais. A loira virou o corpo da amiga, deixando que esse ficasse frente a frente com o seu — Vontade não me falta — comentou Ino que não demorou a ouvir um grito baixo saindo dos lábios da Haruno.  — Sakura me escute — falou com calma deixando os olhos azuis fixos sobre os verdes dela — Se você ficar nessa confusão a vida toda a felicidade nunca vai bater na sua porta e por sinal não quero ouvir seus choros na madrugada se lamentando por não fazer, ou você vai lá e tenha uma conversa com ele e se resolve de uma vez ou outra garota vai no seu lugar uma hora ou outra. 

As palavras eram duas a Haruno sabia disso, foi como tomar um belo de um tapa na cara aquela situação. Constrangida à rosada virou os olhos para o chão observando os pés inquietos se mexendo para cima e para baixo depois virou o rosto para frente vendo a entrada do jardim da escola e por fim pousava o olhar novamente sobre a loira a sua frente. 

— Você tem razão — comentou em voz alta fazendo um sorriso luminoso surgir sobre os lábios da Yamanaka. 

— Quando eu não tenho razão? — retrucou à loira, desgrudando as mãos da outra — Agora, acho que você tem uma coisa para fazer não é mesmo? 

— Sim — falou Sakura de maneira monossilábica, para aquele momento não precisava de detalhes ou algo mais formal, o que ela ia fazer estava tão claro como água. 

Os passos eram rápidos, ela tinha pressa em encontrar o Uchiha naquele inicio de tarde. No instante em que seus pés se misturaram na grava mais do que depressa a Haruno moveu a cabeça para todos os lados possíveis procurando por Sasuke ou qualquer resquício que ele realmente estivesse ali e por sorte ainda estava em tempo de encontra ló - avistou o corpo dele repousado sobre uma das arvores e ironicamente a mesma arvore que tinham tido aquela conversa há alguns dias. Agora sem tanta euforia a rosada moveu se com passos lentos para baixo da arvore até ajoelhar seu corpo perto dele, Sasuke estava com os olhos fechados repousando o corpo em uma pequena soneca ou pelo menos parecia estar. 

— Você demorou — disse ele sem ao menos se mover apenas dando um pouco de espaço para que ela pudesse se sentar ao seu lado. 

Sakura resmungou um palavrão em voz baixa arrancando um riso rouco de Sasuke. 

— Desculpe — falou à rosada que nesta altura deixava parte do corpo deitada sobre o colo dele. Como resposta a isto o moreno retirou as mãos do esconderijo deixando que seus dedos partissem para os fios rosa em uma viagem longa. 

— Tudo bem — retrucou Sasuke que apenas ouviu um gemido baixo sair dos lábios femininos. 

Eles não viam, claro que pela distancia em que estavam não iriam mesmo ver as três cabeças observando os próximo daquele lugar.

— Eu sou um gênio — comentou Ino animada por suas palavras terem dado certo. 

— Eu ainda chutaria ela — falou Karin que não escondia nem um pouco o sorriso no rosto, feliz pela amiga ter finalmente parado de ser tão teimosa. 

— O quê afinal de contas tá acontecendo? — questionou Suigetsu com o ar confuso morando tanto em seus dedos que se moviam para os lados e o rosto mergulhado em confusão.

Tanto Ino como Karin moveram a cabeça para os lados, fazendo uma negativa lenta. 

— É melhor você nem entender — disse a ruiva entre um riso e outro.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...