História Melhores amigos deveriam se apaixonar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Hunhan, Menção Chanbaek, Menção Kaisoo, Parabéns Pra Baby Katy, Parabéns Pra Best Linda
Exibições 101
Palavras 2.466
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTEEEEEE, PELO AMOR DE DEUS ME DESCULPEM PELA DEMORA E POR NÃO TER CUMPRIDO O PRAZO PROMETIDO - eu preciso parar de prometer as coisas, de verdade...
Eu vou poupar explicações e desculpas pela minha demora, não quero atrasar mais ainda a leitura de vocês.
Quero dizer que foi muito bom escrever essa trilogia meio esquisita, onde cada um dos personagens tem um pouquinho do que eu sou, e dizer que eu amo muito muito muito vocês e dar, mais uma vez, parabéns à Katy e a Leticia.
Fiquem atentos que eu sempre apareço com algum projeto novo viu? - Vou logo adiantar que o próximo, muito provavelmente, vai sério bônus que todo mundo pediu/ta pedindo em Chanyeol, eu quero ter filhotinhos porque ela vai alcançar 600 favoritos (É PORRAAAAA), então, fiquem atentos u.u
E é só isso mesmo, espero que vocês gostem amorzinhos ♥

Capítulo 1 - Capítulo Único - Feliz e Ponto.


Eu sei que pareço ser frio, metido e petulante, mas eu só quero uma história de amor bonitinha. Eu sou o Grande Filósofo, sei tudo sobre amor e paixão, inclusive sei identificar quando as pessoas estão apaixonadas por alguém. Jongin olha para Kyungsoo de um jeito diferente já há algum tempo, e ultimamente o menor tem correspondido esse olhar. Chanyeol e Baekhyun sempre se olharam assim, mas nunca admitiram.

Não conto as vezes em que Baekhyun ficou com alguma garota atrás da escola e depois Chanyeol vinha atrás de mim, pedindo pra eu reservar meu sábado pra comer brigadeiro e conversar besteira - acreditem, chocolate conserta qualquer coração partido.

Todos os meus amigos tem melhores amigos, e são apaixonados por eles. Eu também tenho um melhor amigo, mas não sei se gosto dele, e mesmo se gostasse, será que Luhan me corresponderia? Eu creio que sim, mas e se a resposta for negativa?

Eu preciso descobrir isso, porque talvez isso me ajude a descobrir também quais são os meus sentimentos em relação à ele. - pra quem ainda não percebeu, gostar de alguém e ter uma história de amor felizinha é algo importante para mim.

- Mãe, vou na casa do Lu. - Falei e nem esperei sua resposta, peguei a carteira - só serve pra guardar documento, dinheiro que é bom nada - e saí de casa, com as mãos nos bolsos.

A noite estava meio fria, mas a lua estava bonita. Grande e brilhante. A lua sempre me lembrou Luhan, tão linda. Eu sempre pensei que fosse assexuado, nunca nem senti atração por alguma mulher ou até mesmo um homem, até conhecer o Lu.

Ele se parece muito com uma mulher, e as vezes ele até usa roupas femininas - só o nosso grupinho sabe disso, mas apenas eu e Baekhyun já vimos - e eu não vejo problema nenhum nisso, na verdade eu acho que é o que me faz ficar ainda mais encantado por ele. Luhan é homem, ele sabe, aceita e até gosta disso, mas mesmo assim fica imensamente lindo em roupas femininas, e eu não vejo problemas porque, além disso, são apenas roupas. Não é como se ele estivesse matando alguém, não é?

Cheguei em frente a sua casa e peguei uma pedrinha do chão, jogando em sua janela. Já era relativamente tarde, seus pais dormiam cedo e eu não queria incomodar ninguém. Ele apareceu na janela e pude perceber os olhinhos meio baixos e o biquinho natural dos seus lábios estava lá também. Tão fofo.

Apontei para a porta, pedindo para Luhan descer e abri-la, e, quando ele o fez, pude vê-lo melhor. Usava pantufas de coelhinho brancas, um short de algodão curto que deixava suas belas coxas à mostra e um blusão rosa bebê três vezes maior que ele. Os cabelos estavam bagunçados e, naquele momento, eu jurei nunca ter visto ser mais belo que aquele.

Puxei rapidamente o celular do bolso e, antes que ele pudesse reagir, tirei uma foto.

- Sehun! Apaga isso! - Ele tentou puxar o celular da minha mão mas eu desviei e o puxei para perto de mim, envolvendo os braços ao redor de sua cintura, abraçando-lhe. - Por que você ta me abraçando? Cê ta bem? - Separei o abraço e olhei em seus olhos, que brilhavam mais que o normal.

Será um bom sinal?

- Eu posso entrar? Aqui ta frio, eu não quero que você fique doente . - Ele deu um mínimo sorriso e me puxou com a mão para dentro da casa, fechando a porta e colocando o indicador na frente dos lábios, pedindo silêncio.

Tirei os sapatos e fiquei só de meia, para evitar qualquer barulho. Subimos as escadas e entramos em seu quarto, a porta sendo trancada logo em seguida. Dei um sorriso malicioso, eu não perderia a oportunidade de zoar com isso.

- Por que você trancou a porta em boneca? Quer brincar? - Luhan me deu um tapa no braço e eu não consegui evitar a risada.

- Seu idiota. - Ele fechou a cortina e o quarto que antes era iluminado pela lua agora era iluminado apenas pelo pequeno abajur da  mesinha de estudo.

Sentei na cama e bati ao meu lado, pedindo para que sentasse. Eu preciso descobrir o que é isso, se é mesmo paixão ou não.

- Lu, eu quero tentar uma coisa. - Peguei em sua mão e me surpreendi ao sentir que estava muito suada. Ele estava nervoso?

- O-o que? 

- Promete que não vai gritar, correr, e, principalmente, que não vai me bater? - Ele ficou parado por alguns segundos, mas acabou concordando.

Minha mão livre subiu até seu rosto, acariciando sua bochecha lisinha e vendo seu peito subir e descer com mais frequência. Era óbvio que ele já sabia o que eu estava prestes a fazer, e estava nervoso por isso. Me aproximei mais, nossos narizes se encostando de leve e fazendo cócegas na pontinha. Ele abriu um sorriso bonito, e eu soube que aquela era a sua permissão para beija-lo.

Encostei meus lábios aos seus, em um singelo selar. Com um simples selinho, Luhan conseguiu despertar em mim coisas que nunca havia sentido em meus longos 16 anos de vida. Meu coração jorrava confetes coloridos - bem gay, mas é verdade - e explodia em ansiedade, tudo isso com apenas um selar.

- O que é isso que você ta me fazendo sentir, Luhan? O que você fez comigo? - Separei minimamente nossas bocas, mas permaneci de olhos fechados. 

Luhan não me respondeu com palavras, porém me beijou novamente, mais urgente, mais quente. Ele me empurrou para trás e subiu em cima de mim, colocando sua língua sobre a minha. Tinha um gosto normal que bocas deveriam ter, mas era tão bom que foi impossível evitar um suspiro. Minhas mãos apertaram forte sua cintura, e ouvir seu pequeno gemido deleitoso foi o suficiente para perceber que estávamos indo longe demais.

- Lu... - Quebrei o beijo em um estalo, e ele me olhou incerto.

- Você não quer? - Ele forçou sua pélvis contra a minha, causando uma fricção muito gostosa.

- Quero, e como quero. Tipo, quero de verdade mesmo, você não sabe o quanto eu quero. - Ele riu e me deu um tapa no ombro - Mas nós não devemos. - Falei baixinho e passei o polegar em seu rosto, fazendo-o fechar os olhos e tentar controlar a respiração. Luhan saiu de cima de mim, caindo ao meu lado e suspirando alto. - Pelo visto não sou eu o safado aqui... - Falei tentando amenizar a tensão que pairava no ar, e ele bateu em meu braço mais uma vez.

- Dorme aqui - Sua voz era baixa, como em um sussurro.

- Ok. - Respondi no mesmo tom de voz, vendo-o levantar o tronco para pagar a luz do abajur.

- Não vai avisar a sua mãe?

- Eu disse à ela que viria para cá, ela não vai ligar se eu não aparecer em casa. 

Retirei as meias e sentei na cama para tirar o blusão grosso que vestia. O quarto estava em uma boa temperatura, e eu não gosto de dormir de blusa.

Deitei ao lado de Luhan e abracei sua cintura, sentindo sua respiração pesar cada vez mais aos poucos.

- Eu estou me apaixonando por você... - Um sorriso involuntário nasceu em meu rosto, fechei os olhos e imaginei como seria o meu relacionamento com Luhan daqui pra frente.

[...]

No dia seguinte, acordamos ao som de Love Is a Losing Game da Amy Winehouse - Luhan tem uma queda horrível por coisas tristes, mas as músicas dela são realmente boas - e esse foi nosso assunto no caminho pra escola.

- Você não concorda com a música? - Ele me perguntou.

- Bem, na verdade não. Dependendo do caso, como no meu por exemplo, o amor é um jogo de sorte, porque eu sei que sou correspondido.- Luhan me olhou e sorriu envergonhado, as bochechas ganhando uma cor rubra.

Ele sabia que eu me referia à ele.

Quando chegamos na escola, ainda era cedo e poucas pessoas haveriam chegado, como de costume. Sentamos a beira do riacho e começamos a conversar sobre coisas aleatórias.

- Eu acho que minha mãe gosta de você. - O horizonte era bonito, o sol acabara de levantar e não estava muito quente, o começo do outono é uma das coisas mais lindas que existem em minha opinião.

- Você acha? Depois dela ter dito que suspeitava que nós dois tivéssemos algo no café da manhã hoje, eu não duvido de mais nada. - Eu e Luhan começamos a rir de toda a sinceridade e espontaneidade de sua mãe.

- Ela gostou de te ver lá. Ela gosta de você. Eu gosto de você.

- Lu a gente precisa...

- O Chanyeol e o Baekhyun acabaram de chegar, depois a gente conversa.

[...]

A semana passou correndo, em minha opinião, e eu pensei batente sobre a vida nesses dias. Muitas coisas andaram acontecendo, e eu já criei minhas teorias sobre tudo.

O casal ChanBaek - nome lindo esse que eu inventei - continuam do mesmo jeito, mas agora é possível ver a paixão transbordando dos olhos de Chanyeol, de um jeito que só era possível ver em Baek antes. Eu fico feliz, o Furby sempre foi mais próximo de mim e eu sei que agora ele deve estar pensando sobre todas as vezes que eu lhe disse que ele e Baekhyun eram apaixonados.

KaiSoo estava estranho, e meu palpite era que Kyungsoo havia se declarado para Jongin e o moreno, dando uma de macho alfa, não aceitou, mas na verdade ele também é caidinho pelo pinguim. Depois eles voltaram ao normal, então ou o Kyungsoo aceitou que não era correspondido e eles continuaram sendo apenas amigos, como aparenta ser - mas mesmo assim eu acho pouco provável - ou então Jongin pediu desculpas, o menor aceitou e eles continuam como amigos, porém por pouco tempo. O moreno gosta do pinguinzinho, e isso é óbvio.

Mas Sehun, como você sabe isso tudo? Você é vidente?

Não não queridinha, eu tenho o Lu Fofoqueira Han, que me conta todos os babados dos migos.

E eu e Luhan? Bem, nós não ficamos mais. Eu não ia mais à sua casa, e nossa comunicação tinha diminuído consideravelmente. Mesmo querendo estar perto dele, eu não tinha coragem de me aproximar - descobri que fico tímido quando gosto de alguém - e, pensando em toda a saudade que sentia, falei com Baekhyun e combinamos de dar um jeito de jogar verdade ou desafio e ele iria desafiar eu e o Lu a nos beijarmos. É ótimo armar os esquemas com os amigos, façam isso, ok?

O dia do aniversario de Chanyeol foi legal, mesmo que eu tenha passado boa parte dele apenas admirando a beleza de Luhan. Quando anoiteceu, Baek propôs o jogo e logo todos acataram a ideia - pela graça divina.

Depois de algumas rodadas, a garrafa parou em mim. Baek iria me perguntar.

- Verdade ou desafio?

- Desafio. 

- Eu te desafio a beijar o Luhan. - Diferente do que eu pensava, ao invés de ouvir os "uuhh"s e "hmmm"s, apenas o silêncio pôde ser ouvido.

Virei para Luhan e, como de costume, as bochechas estavam adoravelmente coradas e a cabeça abaixada, mas o sorrisinho tímido não saía do rosto. Toquei seu queixo e meus dedos formigaram, na ansiedade de tocá-lo ainda mais. Mesmo que nós só tenhamos ficado uma vez, eu sentia imensa falta dos seus toques surpreendentemente atirados.

Me aproximei de seu rosto e beijei seus cálidos lábios, aproveitando a boa sensação. Assim como da outra vez, meu coração parecia que ia explodir em tanta...  paixão?

O beijo era calmo, nossas línguas eram tímidas se comparado a última vez que nós ficamos. Senti sua mão tocar minha cintura calmamente, então pus a minha própria mão sobre a sua e apertei seus dedos, sentindo a pele da minha cintura arder.

Seus toques eram como fogo, e todas as vezes que Luhan me tocava eu entrava em combustão.

Mas o que caralhos ta acontecendo comigo?

Quando decidimos encerrar o beijo, eu pude sentir meus lábios inchados por conta das suas sucções e seus lábios se encontravam vermelhos pelas minhas mordidas. Eu disse que o beijo era romântico, mas nunca disse que não tinha sido quente - acreditem, é possível algo ser romântico e quente ao mesmo tempo.

Todos nos olhavam de um jeito meio desconfiado, mas apenas deram continuidade ao jogo. 

Quando KaiSoo se assumiu, eu fingi surpresa. Eu já sabia que haviam grandes chances daquilo ser verdade, mas não quis desapontar eles comentando que estava óbvio o relacionamento dos dois. Chanyeol era o único que não tinha notado, um tonto mesmo.

Resolvemos acabar o jogo quando percebemos que já estava tarde, nos despedimos e eu e Luhan seguimos nosso caminho. Fomos calados, pensando na vida - eu, no caso, pensava na semelhança entre Luhan e a Lua, toda a sua Beleza estonteante e a sua fragilidade tão admirável. Ambos são perfeitos, mas apenas um eu posso ter o prazer de chamaram de "meu".

- Lu... - Chamei por seu nome quando chegamos em frente a sua casa, na hora de nos despedirmos.

- Sim? - Olhei em seus olhos e peguei suas mãos, levantando na altura de seu peito, ele sorriu pequeno.

Ele já sabe o que eu vou dizer.

- Você sabe que eu acho você muito parecido com a Lua, ne? - Ele concordou com a cabeça, ainda sorrindo. - Deixa eu ser seu Sol...

- Você ta me pedindo em namoro?- Ele perguntou baixinho, o sorriso ficando ainda maior e mais bobo.

- Eu to pedindo pra ser o que você quiser que eu seja, pela eternidade.

- É claro que eu aceito, Hunnie... - Eu lhe sorri e encostei meus lábios aos seus. Por um momento, pensei que estávamos naquelas cenas de filme onde a princesinha levanta a perna e aparece um grande "Felizes Para Sempre" e o filme acaba, mas na verdade ele interrompeu o beijo. - Mas você vai ter que falar com meu pai primeiro!

Ele riu da minha expressão incrédula, ele sabe que eu morro de medo daquele homem.

- Ah não Lu, qual é! Eu tenho medo dele! - Ele riu e me puxou pra dentro da casa, repetindo várias vezes que só namoraríamos se eu pedisse sua mão.

E é isso. Eu não sou o cara mais corajoso do mundo, mas sou o suficiente pra admitir que sou completamente apaixonado pelo homem que parece uma mulher. Vocês, que passam por isso, deveriam fazer a mesma coisa, pois vocês não sabem o quão bom é estar apaixonado pelo seu melhor amigo.


Notas Finais


CHEGAMOS AO FIM DESSA TRILOGIA AEEEEEH
Espero, de coração mesmo, que vocês tenham gostado e se divertido com essa(s) fic(s) e, caso queiram ler mais é só ir no meu perfil que tem algumas coisas lá ta.
Podem chamar na MP se quiserem ou na DM do Twitter, ou então mandar um oi por mention mesmo, eu não mordo não ta u.u (Meu Twitter é [email protected] Filhotinho)
Comentem o que acharam amorzinhos, até a próxima ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...