História Melhores dias - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Labirinto, Mistério, Morte, Originais, Sangue, Violencia
Exibições 8
Palavras 658
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


  Bem, sei que faz um longo tempo que não posto um capítulo novo, mas está difícil. Estou sem motivação para escrever esta história, pois sempre parece que ninguém lê. Mas saiba que o tempo não foi perdido, venho planejando uma outra história...

Capítulo 26 - O lado de fora


Fanfic / Fanfiction Melhores dias - Capítulo 26 - O lado de fora

  " Meu nome é Dawn, e tento me recompor, pois a vida ainda continua! "

  Após ouvir aquele grito ensurdecedor, Jason e eu fomos andando até a porta que nos daria liberdade enfim, mas no caminho achamos a sala de observação. Entramos nela só por curiosidade, porém nos espantamos com sua falta de espaço.

  Thomas aparentava ser um homem com muito dinheiro, pois tinha aquele terno e inclusive seu jeito de falar o tornava tal. Só que aquela sala parecia ser feita para nos observar e somente isso. Não é a primeira vez que me espanto com coisas relacionadas à ele, quando nos vimos pela primeira vez foi bem entranho, em pensar que o maníaco que fez tudo isso conosco era albino! Não sei por que ainda penso nessas besteiras.

  - É melhor deixarmos tudo como está para a polícia poder examinar! - orienta Jason. - Eu não quero estar aqui quando eles chegarem, então vamos.

  Então ele sai da sala e continua a andar pelos longos corredores, me carregando já que estou impossibilitada de andar ( isso me faz lembrar de tudo que houve novamente), mas Jason me faz esquecer isso rápido.

  -  Há um ano, estava correndo desesperado... - relembra ele. - Por mais que me faltasse fôlego, eu seguia em frente com esperança.

  Percebendo sua tristeza ao lembrar de sua mulher, tento melhorar a situação:
  - Fica tranquilo, tudo de mal já passou...

  Porém, é em vão, não por ele, mas por mim. " Tudo de mal já passou ", não importa o que faça, tudo me faz lembrar o que aconteceu. A bala, aquela única bala...

  Minha vida volta ao status de acabada. Parece que não importa o que eu faça, nada vai tirar o fato de eu ter feito aquilo. Acho que nunca irei conseguir dizer isso. E minha família, o que vai ser agora?

  Quando chegamos em frente à porta fechada, Jason me olha fixamente, mas desvio o olhar ainda na dúvida do que irá acontecer e também desmoronada.

  - Agora começamos uma vida nova! - incentiva Jason.

  - O que eu faço? Como vou encarar minha mãe e meu pai? - pergunto eu extremamente desorientada e preocupada.

  - Seus pais? Você não pode vê-los agora, fique comigo, depois que você se estabilizar e tiver coragem, volte para casa. Está bem? - propõe Jason.

  Eu aceito, pois ainda confio nele. Acho que um tempo para me recompor será ótimo, ainda mais depois do que houve. Ele então abre a porta, um clarão surge sobre nossos rostos e iluminando o caminho escuro por onde tínhamos passado.

  Estamos em um lugar que não conheço, parecia um lugar pobre, então olhei para trás. O labirinto se escondia no subterrâneo, a única coisa que aparece é um simples armazém que se mistura com o resto da paisagem. Tudo estava camuflado!

  Mesmo com pouca gente na rua, Jason me tirou de seus braços e passou a me ajudar a andar. Eu usava ele como apoio. Minha perna ainda doía quando tocava no chão, então não ousava fazer força nela.

  - Espera aí! - chama a atenção Jason. - Como vamos cuidar dessa sua perna?

  - Não se preocupe...

  - Vamos chegar logo em casa, lá eu vou poder te ajudar melhor! - ele parecia outra pessoa fora do labirinto, uma pessoa mais simpática.

  Enquanto ele se preocupa comigo, eu me preocupo com alguém querer saber o que houve com nós dois. Eu não iria dizer que um maníaco sádico nos aprisionou em um labirinto, nos obrigando a matar um ao outro.

  Agora entendo tudo que Jason quer: fugir da polícia, pois mesmo sendo vítima de Thomas, matou muita gente; ele sempre foi meio solitário, então não se preocupava mais com o labirinto. E o fato de ter matado Thomas o ajuda a pensar assim.

 


Notas Finais


Nunca pensei em fazer isso, mas peço para você, que acompanha minha história, poder comentar nos novos capítulos, pois um dos únicos motivos de eu continuar a escrever essa história é você caro leitor, saber que alguém ainda a lê.
Agradeço por ter lido.
E no próximo capítulo: a chegada em casa!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...