História Melody in their Lines - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Exo, Sebaek, Sehun
Exibições 70
Palavras 4.042
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!
Primeiro: OBRIGADO PELO 31 FAVORITOS, BEIJO NOS CORAÇÕES DE VOCÊS! *3*
Segundo: Desculpem por semana passada não ter capitulo, mas deu tudo errado naquela semana. Eu fiz uma vacina na segunda, e na segunda e terça meu braço estava doendo. Quarta eu passei mal, quinta eu tive que fazer um trabalho e sexta eu tive que correr atrás da matéria da escola, e para não postar nada eu postei uma one shot (Link nas notas finais). Então me desculpem!

Boa leitura!

Capítulo 6 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction Melody in their Lines - Capítulo 6 - Capítulo 6

° Baekhyun POV °

 

- Queria falar comigo Baek hyung?

 

- Ah-ah sim! Eu queria... Eu acho. - Disse passando a mão pelo meu braço rindo de nervoso mesmo.

- Então... Pode ser agora?

- Pra falar a verdade... Não porque eu estou atrasado, mas se quiser nós podemos... - Fui interrompido com Sehun me empurrando para dentro da faculdade.

- Se está atrasado é melhor irmos para a sala, e eu sei que não pode faltar na aula de novo. - Dei um pequeno sorriso com a pequena mas significativa preocupação do maior. - E também tenho algumas perguntas para fazer, o que pode levar tempo.

Engoli em seco quando o mesmo falou isso, o acompanhei até a sala em silêncio entrando na mesma com o professor começando a típica chamada dele, respondi o mesmo e me sentei no mesmo lugar de sempre. Peguei tudo o que precisa para a aula e coloquei em cima da minha mesa. Sehun sentou do meu lado fazendo o mesmo que eu. Assim que eu havia organizado tudo o professor começou a sua tediosa aula.

Eu só conseguia me concentrar no Sehun, eu acho que esse homem me jogou uma maldição, tudo o que eu penso me leva a lembrar dele. A voz irritante daquele professor falando cada vez mais ecoando em meus ouvidos, pequenos raios de sol que batiam em mim que vinham da janela e aquele clima que estava frio e tedioso só me davam mais motivos para dormir apoiado em meus braços sobre a mesa.

Meus olhos queriam adormecer pela pouca iluminação da sala, e aos poucos os mesmos iam conseguindo o que queriam. A cada piscada minha visão ia ficando cada vez mais escura, até que nem mesmo perceber já estava dormindo. Enquanto sonhava com as coisas mais sem noção e inúteis consegui sentir uma coisa macia afagando meus cabelos, brincava enrolando os mesmos e fazia cafuné.

Acabei por acordar e como estava tão bom apenas abri um pouco do olho para ver quem era que estava fazendo isso, alguns feixes de luz incomodavam um pouco na hora de distinguir quem era, mesmo já tento a leve impressão de quem era. Assim que abri totalmente os olhos tive minha pergunta respondida, Sehun sorria enquanto me olhava acordar e parecia que a aula já havia acabado por não poder mais ouvir a voz daquele homem chato.

- Finalmente acordou! - O maior disse retirando a mão da minha cabeça colocando em cima da mesa. - Você dormiu até ás três da tarde, desculpe por ter estar fazendo aquilo, era a única coisa que eu poderia fazer para te acordar calmamente. - O mesmo disse com um sorriso nervoso.

- Tudo bem, estava até que bom, mas por que ficou me esperando?

- Eu fiquei esperando você acordar já que nós tínhamos que conversar lembra? As perguntas sabe.

- Ah sim, me desculpe. - Espreguicei-me bocejando e piscando os olhos, virei a cadeira para o lado ficando de frente para o Sehun. - Pode começar o interrogatório. Parei, pode fazer as perguntas.

- O-ok, eu fiz algum mal para você naquela noite, a noite da festa?

- Não! De jeito nenhum, é que...Como eu posso de explicar? Aquela situação me lembrou de coisas que não gosto de lembrar, e sempre que me recordo eu choro já que não é algo nada bom. Eu só não conseguia continuar aquilo. Sinto muito se te preocupei, achei que nem iria mais falar comigo depois daquilo.

- De jeito nenhum, não ia ser por aquilo que não falaria mais com você. Só fiquei meio triste por achar que você chorou por minha causa, você poderia ter falado o que te incomodava, não precisa fugir. - Sehun pegou na minha mão apertando, de serio e sem sentimentos Sehun só tinha a feição, pois por dentro era doce e fofo.

- Desculpe-me novamente, prometo não fazer isso de novo. - Assim que notei o que havia falado fiquei meio vermelho e o maior soltou uma risada. - Quer dizer, se vier acontecer... Novamente.

- Você é tão fofo, quer tomar um sorvete ou ir a algum lugar comigo, tipo agora?

- Sem mais perguntas?

- Era só essa mesmo, não sei o porquê falei “perguntas”. Mas então, vamos?

- Pode ser! Só espera eu ligar para o Jongdae para dizer que vou sair, senão ele me mata. - Disse suspirando enquanto pegava o celular.

- Tudo bem, eu te espero lá fora. - O mesmo se levantou e saiu da sala.

Disquei o número do meu amigo e logo fui atendido pelo mesmo com sua voz de preguiça já que ele provavelmente já havia voltado do trabalho e estava deitado na cama.

 

Ligação:

- Alô?

- Oi, Jongdae?

- Sim, fala Baek?

- Eu vou sair com um amigo, vou voltar para casa meio tarde.

- Tudo bem, fala pro Sehun cuidar bem de você.

- Como... Esquece. Tchau Chen.

- Tchau.

 

Desliguei a ligação guardando o celular no bolso, peguei as minhas coisas e sai da sala em busca do Sehun. Assim que sai do prédio da faculdade notei que estava meio escuro para as três da tarde, olhei para cima e vi que havia nuvens escuras no céu, e junto barulhos de trovões. Avistei Sehun sentando em um banco e fui até ele.

- Parece que vai chover. - Disse apontado para as nuvens e suspirando. - Quer sair mesmo assim?

- Claro, uma chuvinha não vai me fazer desistir disso Baek. - O maior sorriu e se levantou.

- Que tal então tomarmos um sorvete? Conheço um lugar perto daqui.

- Como? Você não mora tipo no outro lado da cidade?

- No dia que eu fui à sua casa eu meio que me perdi e fiquei dando voltas no bairro, dai encontrei uma sorveteria numa rua perto daqui. - Disse ele começando a caminhar.

- Hum. - Ri por ele ter se perdido no meu bairro que é muito pequeno, assim que parei de rir feito bobo comecei a caminhar ao lado dele.

Enquanto íamos até o lugar que Sehun iria me levar notei que o clima estava bastante bipolar, uma hora tinha um sol forte, outra hora parecia que já era de noite.

Sehun parecia nem ligar pois deveria estar pensando em algo sério para estar tão quieto e nem prestar atenção por onde caminhava, o mesmo estava indo em direção a uma árvore e iria bater de frente se eu não o puxasse para o meu lado, paramos e ele me olhou.

- Sehun que tal você voltar para a Terra? - Perguntei estalando os dedos em frente ao seu rosto.

- Hum? - O maior me olhou confuso e o mesmo parecia um pouco para baixo.

- Você está bem? Quase bateu numa árvore, tem algo te incomodando né?

- Não, nada, só estava distraído. - Ele voltou a caminhar em direção a sorveteria que não estava muito longe de onde estávamos, sendo que era possível vê-la. - Vamos continuar...

- Ei, eu posso te conhecer a pouco tempo, mas eu sei que você não está bem. Pode ir falando. - O interrompi puxando a manga do casaco que ele usava.

- É sério Baekhyun, não tenho nada, não se preocupe. - Sehun colocou a mão sobe o meu ombro dando um breve sorriso.

- Ok, desta vez eu acreditarei em você, mas caso seja algo sério e eu descubra, você vai se ver comigo. - Cruzei os braços o olhando serio, o mesmo se manifestou rindo e apertando meu ombro.

- Tudo bem, Senhor Você Vai Se Ver Comigo. - O maior voltou a caminhar e eu um pouco incrédulo por ele ter me zoado mesmo que isso fosse serio acabei por ficar parado em meio a calçada.

- Ei! Qual a graça? Posso ser pequeno, mas sou forte, okay? Derrubo você com um soco vareta! - Disse ficando ao seu lado e o empurrando de leve.

- Vai nessa, posso ser uma vareta, mas sou bem mais forte que você, se cuida viu? - O mesmo riu me empurrando sem nenhuma delicadeza me fazendo ter que me apoiar num poste para não cair.

- É assim? - Cheguei ao mesmo para lhe empurrar de volta, já ele se virou para mim de braços cruzados me encarando com um sorriso pequeno e sem mostrar os dentes. - Já entendi! Tudo bem eu parei.

- Bom menino, assim que eu gosto. - O olhei revoltado, o mesmo sorriu e passou seu braço pelo meu corpo me puxando para seu lado colocando o mesmo apoiado em meu ombro.

- E essa intimidade aí?

- Ah me desculpe, estou acostumado com Jongin.

- Tudo bem, mas então... Quem é Jongin? - Falei o olhando e logo após desviando o olhar para a minha frente vendo que estávamos perto do nosso destino.

- É um amigo.

- Hum, você nunca falou dos seus amigos e nem me apresentou eles.

- Bom Jongin é meu amigo desde o colegial, assim como Minseok ou Xiumin. - O mesmo suspirou pesado colocando as mãos nos bolsos. - Nossa amizade cresceu muito desde uns tempos para cá. Um pouco depois de eu ter terminado o colegial, eles foram a minha salvação, eu não estaria aqui sem eles. - O mesmo fitou o chão fechando os olhos, imagino que seria para conter o choro talvez? - Jongin é um cara legal, muito insistente,  mas é bem divertido, ele sempre me ajudou e me ajuda mesmo eu não querendo. Já com Minseok, ele trabalha bastante, então quase não nos vemos ou nos falamos, mas o sentimento não muda, sempre fomos e sempre seremos bons amigos. Eu e eles fazemos muitas coisas juntas, as vezes íamos as festas, passávamos tardes na casa de um de nos. E inclusive nós temos uma b...

- CHEGAMOS! - Gritei do nada empolgado assim que percebi que havíamos chegado à sorveteria. - Desculpa. - Disse rindo e tampando a boca. - Me empolguei. Pode continuar.

- Tudo bem, outra hora eu te conto, agora vamos comer que eu estou com vontade de comer.

Assenti a fala de Sehun e nós dois adentramos no estabelecimento logo colocando nossos pertences num banco de uma mesa para que ninguém a pegasse. Fomos para o bife de sorvetes, peguei uma casquinha em formato de pote e rapidamente comecei a me servir dos mais variados tipos de sorvetes, de chocolates a frutas e até de sabores que nem sabia do que eram feitos ou que gostos teriam. Assim que havia enchido a casquinha fui direto para a parte dos confeitos, coloquei tudo o que tinha ouvindo a risada histérica de Sehun que estava atrás de mim.

Botei o botinho/casquinha na balança, a moça que estava cuidando da mesma me olhou sorrindo assim que viu a quantidade do que eu havia pegado, apenas sorri sem jeito e esperei Sehun. O maior fez o mesmo que eu, mas com uma quantidade menor de sorvete.

- Você tem aparência e algumas atitudes de criança quando envolve sorvete, tem certeza que tem vinte e quatro anos? - O mesmo comentou me fazendo rir. - Continue assim, gosto de pessoas assim, que não ligam para o que as pessoas vão pensar de si. -

O olhei confuso pelo o que ele havia falado, o acompanhei até a mesa cantarolando algumas músicas de época de criança. Agora eu percebo o porquê de ele dizer aquilo. Sentei-me no banco da mesa que havíamos "reservado" assim como Sehun, quando ia comer o sorvete fiz o movimento de pegar a colher e retirar um pouco de sorvete para comer, o grande problema é que eu não tinha nenhuma colher na minha mão, tentei disfarçar fingindo que estava coçando a cabeça.

- Não adianta disfarçar que eu vi isso. - O maior comentou sorrindo, apenas fitei o sorvete meio vermelho. - Tem colher aqui. - Sehun apontou para um suporte que estava cheio de pequenas colheres de plástico.

- Obrigado. - Disse rindo baixinho e assim realmente comendo o sorvete.

Enquanto degustava dos diversos sorvetes que havia pego fiquei observando pela janela grande do estabelecimento o céu, o mesmo estava totalmente aberto e não havia um sinal de chuva, dava para notar uma leve brisa pela copas das árvores estarem se movimentando, algumas das folhas caiam formando montes de folhas nas calçadas onde crianças brincavam de se jogar nos mesmos. Virei o rosto para Sehun que também observava sorrindo, não pude deixar de sorrir com a visão dele, esse homem é perfeito, não o conheço muito, mas posso sentir isso.

- Está ficando tarde, Chen não vai ficar preocupado? - O mesmo falou chamando a minha atenção.

- Verdade, meu deus. Ele odeia que eu chegue tarde sozinho, eu vou indo então. - Me levantei pegando as minhas coisas.

- Eu vou com você. - O maior também pegou suas coisas e me acompanhou para fora da sorveteria.

O tempo estava começando a piorar novamente, o céu estava cinza escuro pelas várias nuvens carregadas, não parecia ser um temporal, já que não se ouvia som de trovões.

- Espero que consigamos chegar antes que comece a chover, não quero ficar ensopado. - Ao mesmo tempo em que eu disse isso, a chuva começou, ou seja, é melhor eu ficar quieto nessas situações.

- Acho melhor corremos. - Sehun disse colocando seu outro casaco que usava por baixo do outro casaco sobre a minha cabeça.

Logo começamos correr para um local seguro, a chuva não parava de jeito nenhum e já estávamos na metade do caminho, eu não havia me molhado muito já Sehun. Paramos num ponto de ônibus para poder descansar um pouco. Sentamos um pouco nos bancos, tirei um casaco que tinha guardado na mochila e coloquei na cabeça de Sehun, o mesmo me olhou surpreso e eu sorri para o mesmo.

- Pelo jeito essa chuva não vai parar. - Disse balançando as pernas de um lado para o outro.

- Pois é, acho melhor irmos antes que ela piore.

Nós dois nos levantámos e começamos a correr novamente saindo do pequeno telhadinho do ponto do ônibus. Enquanto corríamos nos olhávamos e riamos da nossa situação, algumas vezes eu pulava em algumas poças de água ou batia em galhos das árvores para molhar o maior que tentava me pegar. Estávamos na chuva, mas quem se importa? Estávamos nos divertindo.

Quando estávamos na minha rua, o mesmo conseguiu me alcançar, mas ele passou direto indo até a árvore que tinha na frente da minha casa, parei de correr e comecei a caminhar rapidamente. Assim que cheguei onde o mesmo estava, ele deu um passo para trás ficando na chuva novamente, o olhei confuso por não entender o porquê daquilo. Sehun deu um sorriso travesso e rapidamente chacoalhou os galhos da árvore com força, fazendo várias gotas de água cair em mim junto de pequenas frutinhas, sendo que a árvore estava carregada. O mesmo me olhou rindo da sujeira que eu estava.

- Você não fez isso. - Me olhei de cima a baixo retirando algumas frutinhas da minha roupa.

Assim que tirei tudo comecei a correr até o mesmo, já ele pulou o portão da minha casa fugindo. Pulei também e o segui até a varanda da minha casa que tinha um telhado para nos proteger da chuva, cheguei ao mesmo dando vários socos no maior.

- Ei, ei, tá bom me desculpe. - Sehun disse rindo segurando meus braços e me puxando para perto dele.

Ri da minha situação e o encarei. Caiam gotas do cabelo do mesmo que estava totalmente molhado e que grudava em sua testa. O mesmo deu um breve sorriso e começou a se aproximar de mim, já eu não fiz nada apenas fiquei onde estava.

Com nossos rostos colados de forma que conseguíamos sentir nossas respirações pesadas e ofegantes, Sehun selou nossos lábios em um beijo calmo, o mesmo me segurava envolvendo minha cintura com os seus braços e eu fazia o mesmo.

Enquanto estavam com nossas bocas juntas sentia como só existia eu e ele ali, sua boca era perfeita e seu beijo então era melhor ainda (principalmente quando você não está bêbado e não sabe o que está acontecendo). Se aquilo era coisa do destino, pela primeira vez ele fez a coisa certa. Estava tão bom sentir ele colado em mim, queria que isso nunca acabasse, mas infelizmente existe uma pessoa chamada Jongdae que acabou com o momento.

- É hora de chegar em casa Senhor Baekh... - Na mesma hora eu e Sehun nos separamos sem jeito e eu me virei pra Jongdae, já o maior estava vermelho.

- Desculpa, já estou entrando. Só um minutinho.

- Tudo bem. - O mesmo riu sem jeito e entrou em casa.

Virei-me para o maior rindo e indo está o mesmo que ainda estava meio vermelho.

- Foi mal, achei que ele não viria aqui fora.

- Não foi nada, ahn... Eu já vou indo então.

- Ah okay, boa noite.

- Boa noite hyung. - O mesmo se curvou e se virou para ir embora já que a chuva já havia acabado. - Ah... Sobre aquilo de eu estar meio distraído.

- Hum. - Cruzei os braços esperando o maior falar, já que era meio óbvio que ele não estava muito bem.

- Bem... Eu tenho depressão desde que eu sai das casas dos meus pais, eu nunca fiz o tratamento que o médico disse porque eu sou teimoso e não ligo muito, e com o medo que eu tive de ter feito algo de errado com você, eu piorei, me desculpa por não ter contado antes. - Ele terminou de falar ofegante já que ele falou muito rápido, tanto que eu entendi quase nada.

Eu suspirei e revirei os olhos, eu sabia que tinha algo de errado, só não achava que fosse tão ruim assim. Será que ele não sabe que isso é grave? Pelo visto não.

- Espera um minuto, e trata de ficar ai paradinho. - O ordenei fazendo o mesmo sentar no chão seco. Entrei em casa e fui direto para o armário que eu e Jongdae guardávamos os remédios.

 

° Sehun POV °

 

Esperei Baekhyun sentando no chão da varanda da casa dele enquanto ele foi fazer algo em casa. Enquanto esperava fiquei olhando o local em minha volta, as plantas, o céu, as pessoas e carros que passavam e a chuva que havia recomeçado.

Gotas e mais gotas caiam.

O beijo que havia dado no Baek ainda não havia saído dos meus pensamentos, os seus lábios molhados nos meus foi uma sensação única que pude aproveitar, desta vez lúcido obviamente. O menor saiu de casa indo diretamente a mim, me levantei assim que o menor chegou à minha frente ainda ensopado pela chuva.

- Você deveria ter se secado, vai pegar um resfriado assim, eu posso esperar mais um pouco. - Disse esfregando os cabelos do menor retirando o excesso de água que pingava em sua roupa.

- Quem tem que estar preocupado é eu. Sehun, o que você estava pensando quando resolveu não fazer o tratamento. Seus amigos não sabem disso? - O menor perguntou quase que gritando.

- Não, só você sabe, eu não queria preocupar ninguém. - Fitei o chão com as mãos no bolso meio envergonhado.

- E se você precisasse de ajuda de alguns dos seus amigos, mas não quer preocupá-los, você ficaria sozinho? Isso só pioraria as coisas, e caso acontecesse algo com você? Como acha que eles se sentiriam? Ainda mais sendo o melhor amigo deles? - Baekhyun disse com os olhos marejados e segurando meus braços.

- Mas...

- Olha aqui, eu já tive depressão, sei como se sente, mas por favor não se prive da ajuda dos seus amigos, eles te ajudam porque te amam, para eles você nunca será um incomodo. - O mesmo disse suspirando e limpando uma lágrima que caia do seu rosto. - Então faça o tratamento, por favor, por mim e seus amigos. Eu tenho alguns remédios que eu tomava para isso e tem um para gripe também já que todo molhado assim é capaz de pegar uma.

- Tudo bem, obrigado.

- Não precisa agradecer. - Ele deu um breve sorriso e largou meus braços se acalmando um pouco.

- Então eu já vou indo, boa noite. - Me aproximei do menor e dei um leve beijo na sua bochecha, o abracei e me dirigi para o pequeno portão de madeira.

Enquanto saia da casa dele, Baekhyun falou boa noite e acenou para mim. Acenei de volta e comecei a andar até o ponto de ônibus mais próximo.

 

~~~

 

Havia pegado um ônibus e estava entrando em casa, a roupa do meu corpo já estava seca e o meu cabelo estava quase. Deixei os remédios que Baekhyun havia me dado em cima da minha mesa de madeira.

Subi para o meu quarto e me despi ficando só de roupa íntima colocando as roupas que haviam ficado molhadas numa cesta para depois colocar para lavar.

Segui até o banheiro lentamente, cheguei ao mesmo retirando a última peça de roupa que permanecia em meu corpo, entrei para debaixo do chuveiro ligando o mesmo na água quente para esquentar meu corpo que estava gelado pelo vento que eu havia pegado voltando para casa. Fiquei alguns minutos só sentindo a água bater em meu corpo enquanto pensava.

- Achei que isso nunca aconteceria... - Toquei de leves meus lábios relembrando o doce e perfeito beijo com o menor. - Mas parece que eu estou gostando dele. - Fechei a mão e bati na parede suspirando.

Desliguei o chuveiro e me sequei rapidamente com a toalha e secador. Sai do banheiro indo para o quarto e colocando um pijama de pintinhos amarelos que Minseok havia me dado no natal, era uma brincadeira, mas eu gostei que uso até hoje, me aquece então está valendo.

Enquanto descia as escadas para ir até a cozinha espirrei e me arrepie por inteiro, lembrei que Baekhyun havia me dado um comprimido para resfriado. Fui até a mesa que havia deixado e peguei o tal do remédio encarando o da depressão, o deixei de lado e peguei um copo de água bebendo o mesmo após colocar o comprimido na boca.

Como estava ainda com um pouco de frio já que o outono e inverno eram frios e a chuva e o vento não melhoravam a situação, resolvi então fazer um café. Fui para a cozinha esquentar a água, a deixei ali e preparei uma xícara com café e açúcar. Assim que a água esquentou coloquei no café sentindo o cheiro bom subindo com o vapor.

Peguei a xícara e me dirigi para a sala, enquanto assoprava a bebida para esfriá-la já que estava muito quente ouvi meu celular vibrar, peguei o mesmo com cuidado para não derramar o líquido quente da xícara em mim, desbloqueei o mesmo e abri a notificação.

 

Mensagem do Jongin:

Jongin: Eu inscrevi nossa banda naquele programa, se puder venha amanhã aqui para ensaiarmos e conversámos sobre o assunto.

Sehun: Okay :)

 

Fiquei bastante animado com Jongin ter nos inscrito no programa, adorava a ideia de aparecer na televisão e ainda mais de me apresentar com meus amigos. Enquanto fechava a conversa com o maior, meu telefone começou a tocar.

 

Ligação:

- Ahn... Oi Sehun.

- Ah, oi Baekhyun, tudo bem?

- Eu acho que sim, mas queria saber de você, está bem? Resfriado? Dor de cabeça?

- Estou bem, relaxa.

- Que bom... Tomou os remédios?

- Ahn... Cl-Claro que sim.

- Que bom, fico feliz por ter me escutado.

- Mais alguma coisa?

- Não não, então... Tchau!

- Tchau Baekkie, boa noite e durma bem hyung! - Depois que disse isso consegui ouvir a risada do menor.

- Boa noite Hunnie!

 

"Hunnie"? Ele me chamou de Hunnie? Okay, eu definitivamente não posso com ele, parece mesmo que vou acabar gostando dele. Dei um sorriso bobo e me sentei na minha poltrona ligando a televisão e pegando meu café.

- Hunnie? Gostei Baekkie. -Levantei-me do móvel pegando o remédio da depressão e tomando de uma vez, dei mais um sorriso bobo pensado no menor.

 

Continua...


Notas Finais


Obrigado por lerem até aqui. Desculpem qualquer e esperam que tenham gostado! Até a próxima!

Link da one shot (Kaisoo +18):
https://spiritfanfics.com/historia/love-in-the-dark-7062787


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...