História Memórias - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~MrsMari

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Debrah, Lynn, Lysandre, Rosalya
Tags Amor, Amor Doce, Castiel, Drama, Espíritos, Lynn
Exibições 16
Palavras 1.460
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bem, primeiramente gostaria de agradecer muito a todos que vem lendo a fic e avisá-los que eu já não faço mais ideia do que escrever, então esse será o último capítulo e talvez tenha epílogo, mas ainda não é certeza, vai que eu tenho alguma ideia brilhante para dar uma esticada, né?


-Para os que estavam acompanhando a minha história de amor: Aconselharam-me a fazer alguma simpatia para atrair o Fulano para mim, mas acho que todos nós sabemos que as chances de dar errado é 99,9%, mesmo que se faça com muita fé, acaba sendo pura sorte se der certo. Não vou negar, eu realmente pensei em fazer algo do tipo, mas vamos combinar que é meio errado, e se for para nós dois ficarmos juntos, para a gente se reencontrar ou para ele gostar de mim, isso tudo tem que vir naturalmente e não porque eu fiz alguma macumba para dar certo. Sugeriram que eu fizesse uma só para ele pensar em mim, aí quem sabe ele não viria me procurar, não é? Mas bom, eu não vou fazer nada disso. Quero que ele pense em mim por si só, e além disso, eu acho que pelo menos dessa vez vou confiar no destino e deixar ser o que for para ser, sem criar tantas expectativas, ilusões e tudo o mais. Agradeço muito pelo apoio que algumas leitoras me deram no capítulo 6 e saibam que eu vou guardar sim a pulseirinha como uma lembrança para caso eu e ele nunca mais nos reencontremos. Entretanto, agora dou essa história toda de amor como acabada.

Boa leitura!

Capítulo 8 - Our Last Day - Final


-Castiel-

    Despertei com a luz do sol entrando por uma fresta na cortina da janela do meu quarto. Olhei ao meu redor procurando Lynn, mas ela não estava lá. Quando me levantei senti Dragon vindo até mim, por um instante pensei que Lynn estivesse com ele, mas não estava.

    -Lynn? - Perguntei indo para a sala e olhando para todos os lados. - Dragon, onde a Lynn está? Lynn?

    Procurei em cada canto da casa algum bilhete, algo que ela pudesse ter deixado como um aviso de ter ido fazer algo e depois voltava, ou se ela estava se escondendo de mim, afinal, a mente dela ainda era a mente de uma criança que só cresceu em tamanho.

    O desespero bateu à porta do meu coração, que palpitava cada vez mais forte e desesperadamente pela Lynn. Será que tudo não se passou de um sonho? Sobre ela estar vivendo comigo, sobre ela ter voltado? Talvez tudo tenha sido uma alucinação, como sempre pensei no começo.

    -Dragon… Eu preciso encontrá-la. Eu sei que ela estava aqui. - Dragon pulava e latia para mim, parecia concordar com a minha decisão de rodar quantos quilômetros fossem precisos para vê-la pelo menos uma última vez.

    Vesti-me rapidamente e enquanto o fazia me lembrei do vestido e dos sapatos que eu havia comprado para Lynn. Mexi em cada espaço do meu quarto, até que encontrei a bela caixa em que se encontravam. “Não tinha sido tudo um sonho”, pensei. Eu também havia comprado uma pelúcia de um gatinho para ela.

    Estávamos andando na rua, até que passamos por uma loja de pelúcias. Lynn pediu para que fôssemos olhar lá dentro e concordei. Logo que entramos vi àquela pelúcia de gato, e Lynn simplesmente a adorou. Não hesitei e comprei a ela. Tudo o que eu pudesse fazer para deixá-la feliz, eu faria.

    Aquela pelúcia ainda estar ali era um bom sinal. De forma alguma eu teria comprado um vestido, sapatos e um brinquedo se eu não tivesse para quem dá-los. Eu sei que tudo foi real. Lynn estava mesmo comigo durante todo esse tempo. Porém, se ela esteve mesmo aqui, para onde ela foi agora? Ah, Lynn… Eu prometo que irei te encontrar. Não posso te perder mais uma vez.

    Saí de casa às pressas e comecei a pensar onde ela poderia ter ido. Decidi ligar primeiro para Lysandre, Rosa e Violette, poderia ser que ela estivesse com um deles, agora que conseguia escrever e se comunicar. Rosalya foi a primeira, assim se não estivesse com ela provavelmente não estaria com Lysandre, já que Rosa praticamente vivia na casa dele por conta de seu namorado, Leigh.

    -Não, Castiel, ela não está aqui conosco. E duvido muito que esteja com a Violette, ela ainda não se acostumou muito com essa ideia de falar com fantasmas. - Rosa disse e em seguida desligou o telefone, me impedindo de dizer qualquer coisa.

    Minha intuição dizia que Lynn não estaria mesmo com a Violette, então decidi continuar procurando por si só. Fui em todos os lugares em que Lynn gostava de ir, fui até em sua casa e não obtive nada que pudesse me levar a ela. E então, me lembrei do campo. “É claro, o campo! Se ela está para ir embora, deveria mesmo ir para o mesmo lugar em que morreu.”, pensei.

    Corri como nunca corri antes para o campo. O sol estava quente e me impedia enxergar direito por causa da grande claridade. Ainda era cedo, o sol estava nascendo e por isso toda aquela luz batia diretamente na altura dos meus olhos. Parecia até um sonho.

    Parei debaixo de uma árvore não somente para descansar, como também para tentar localizá-la. Avistei-a sentada próxima de uma árvore bem perto do local que tirou ela de mim. Eu não queria ir até lá. Eu não queria que tudo se repetisse e que ela fosse embora de uma vez. Já estávamos no inverno, as folhas das árvores já haviam caído praticamente todas e as flores haviam murchado. Era uma cena triste, tê-la que ver partir em um ambiente desse jeito.

    Corri até ela chamando pelo seu nome, até que percebi que ela segurava algo entre suas mãos.

    -Lynn… O que foi? - Perguntei, sentando-me ao seu lado.

    -Já está na hora. - Ela estendeu sua mão para mim e me entregou a bela flor que estava presa entre seus dedos. Ela se levantou e caminhou um pouco para mais longe. - Me desculpe.

    Ela parou extremamente perto de cair novamente ali e abriu seus braços, sentindo o calor do sol que batia em seu rosto e a leve brisa que fazia com que seus cabelos esvoaçassem. Corri até ela e a abracei, fazendo com que andássemos para trás, nos afastando do precipício nos ameaçava.

    -Cassy… Eu estou feliz. Eu me sinto tão viva. - Ela sorriu.

    -Lynn… Eu também estou feliz. Desde que você voltou, fiquei feliz como nunca estive há muito tempo. Eu te amo, Lynn, me desculpe por te deixar cair naquele dia, me desculpe, me desculpe… Eu sinto tanto por isso… Eu poderia ter te salvado, mas não consegui. Eu te amo, Lynn.

    -Castiel… - Ela colocou sua cabeça em meu peito, e lágrimas começaram a sair involuntariamente de meus olhos, caindo em sua cabeça. - Repita isso, por favor.

    -Eu te amo, Lynn. Te amo desde que éramos crianças. Te amarei para sempre. Fique aqui comigo, nós seremos felizes, eu não me importo se você está morta, eu gosto de você assim, seremos eu, você e Dragon, só nós três, para sempre. Não vá embora, Lynn. Eu te amo tanto…

    -Eu também te amo, Castiel. - Ela virou seu rosto para cima e pude ver que ela também chorava.

    -Eu não quero que você vá embora. Fique aqui, por favor. Vamos continuar juntos.

    -Sabe, Cassy, agora eu me lembro. Tudo o que eu sempre quis é que você fosse feliz. E agora, agora você está feliz, e eu sei disso. Você não precisa mais me ajudar. Acho que… Já encontrei a paz, Cassy, graças a você. Não há mais nada a fazer por aqui.

-Lynn, por favor, o que eu farei sem você? Eu não conseguiria suportar te perder mais uma vez.

-Você terá mais lembranças felizes comigo. Você está feliz. E isso é tudo que eu sempre quis.

-Lynn, eu te amo tanto. Não me deixe aqui.

-Eu te amo, Cassy. - Ela olhou para mim e sorriu. Minhas lágrimas continuaram caindo, e então fechei meus olhos.

Sentia seu corpo em meus braços, ela ainda estava ali. Em minha mente, eu pedia a ela para que não fosse embora. Até que seu calor, seu corpo, seus braços, sua cabeça, nada mais estava ali. O abraço em que me envolvia tinha acabado. Ela tinha ido embora. E eu não queria olhar, eu não conseguiria.

-Lynn… - Suspirei, e minhas pernas ficaram trêmulas.

Eu ainda chorava. Meus joelhos logo tocaram a grama gelada por causa do inverno. Observava minhas mãos, como se algo estivesse errado. Ela não estava mais ali. Ela não voltaria dessa vez. Estava tudo acabado.

E como eu poderia ser feliz sem ela ao meu lado?

-Lynn… Não… Por que você fez isso comigo? Não! Não é possível! LYYNNNN! - Agora as lágrimas rolavam ainda mais soltamente, eu não tinha mais medo de que alguém me visse chorando.

Sem ela, nada mais fazia sentido. Tudo o que havia restado dela, além das minhas lembranças, era a fita que ela sempre amarrava em seu pulso. Uma fita azul, fina, com um pingente de “L” pendurado, além do vestido e dos sapatos que eu havia lhe dado e que estavam na minha casa, assim como a única bela flor que ela retirou daquela imensidão de folhas caídas e flores mortas. Ela teria deixado aquilo como uma lembrança? Eu não sabia. Mas eu seria feliz. Se essa era a única coisa que ela queria, eu realizaria isso. Por ela.

E agora, mesmo que nós não saibamos o nome daquela flor, nós sabemos que nós somos como elas, principalmente a Lynn. Flores nascem, crescem, desabrocham lindamente e depois morrem. Lynn morreu antes de desabrochar. Mas dizem que quando reencarnamos pode ser que não necessariamente como humanos novamente, mas como flores, insetos, animais… Quem sabe a Lynn não se tornou uma de suas tão amadas flores?

Rosalya, Lysandre e Violette acreditaram em mim quando já era tarde demais e Lynn já estava prestes a ir embora. O único que aproveitou sua companhia mais uma vez fui eu. E eu lamento muito por isso.

Pode ser que ela esteja, agora, em algum lugar por aí, transformando campos secos, sem vida e sem cor, em campos verdes e floridos, exatamente o que ela fez com a minha vida.

~~~


Notas Finais


Agradeço muito a todos que chegaram até aqui, eu nunca esperei que alguém fosse ler essa fic mas até que teve bastante gente e isso me deixa muitooo feliz ^-^

Espero que tenham gostado e até o epílogo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...