História Memórias - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Aquarius, Cana Alberona, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Ichiya Vandalay Kotobuki, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Meredy, Natsu Dragneel, Pantherlily, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Virgo, Yukino Aguria
Tags Fairy Tail, Gray Fullbuster, Gruvia, Juvia Lockser, Novela, Romance, Shortfic
Exibições 25
Palavras 4.544
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi pessoas...
Venho trazer a vocês minha primeira fic...
É a primeira vez que tento por uma ideia no papel.
Sempre crio situações e casos na minha cabecinha, mas nunca tive coragem de passar isso para alguém.
Pois bem, estou aqui e espero não decepcionar...
Fairy Tail não me pertente e muito menos os personagens, são todos do Hiro.
Ah... Não será uma fic longa, ok?
Agora ao capitulo...

Capítulo 1 - Lembranças


Na frente da universidade sentadas em baixo de uma árvore, duas moças conversavam enquanto observavam um grupo de rapazes ali perto. A azulada observa em específico um moreno de cabelos curtos e porte atlético, que na verdade nem parecia interessado no assunto. E a ruiva ao olhar para a azulada percebeu o quanto esta estava angustiada e inquieta. Então começou a falar e tentar convencer amiga

     - Juvia você tem que contar pra ele... Os dois tinham bebido, não sabiam exatamente o que estavam fazendo. Ele está procurando por voc... – Antes mesmo de terminar é interrompida por Juvia que ergueu a mão em sinal de que ela parasse de falar.

     - Não Erza, não venha dizer que ele está procurando por mim, porque é mentira, ele está procurando pela pessoa que deu prazer à ele aquela noite. – Juvia estava levemente ruborizada. – Ele não está procurando por mim, não está procurando por Juvia Lockser. É melhor assim e esquecermos este assunto.

     - Sabe que ele vai descobrir cedo ou tarde, acho que não fomos os únicos que os viram, Juvia. É melhor você contar, porque ele vai pensar que queria faze-lo de palhaço, por estar assistindo ele indo atrás sem dizer nada.

     - E se eu contar a reação também não vai ser muito boa Erza. Eu até imagino o que ele vai dizer. – Juvia o olhou novamente e deu um longo suspiro. – Tenho certeza que ninguém além de vocês nos viram. Se não ele já saberia... – E nesse exato momento Gray olhou na direção das duas, Juvia logo tratou de disfarçar mas não adiantou muito, pois o moreno ergueu umas das sobrancelhas com a atitude da azulada, Erza acenou levemente para ele e o mesmo respondeu com um aceno de cabeça.

- Já vou indo, prometi ao Gajeel ajudar à procurar um apartamento, ele disse que é impossível viver no mesmo dormitório que o Natsu e os outros. – Juvia olhou mais uma vez na direção dos garotos e viu que Gray estava vindo na direção delas. Olhou para a ruiva ao seu lado se levantando e se despedindo rapidamente. – Até depois Erza.

     - Diga ao Gajeel que faremos uma festa de inauguração. – Erza gritou para a azulada que já se afastava. Que somente acenou com as mãos sem olhar pra trás.

     - Duvido muito que ele queira. – O moreno falou parando perto dela.

     - E ele lá tem que querer? Vai ter e pronto, Juvia certeza fará algum doce, e vai ser bolo de morango. – Gray olhou para ela e esta estava com um sorriso de orelha a orelha.

     - Ela está mais esquisita ultimamente. Sempre que chego perto Juvia sai correndo. – Olhou na direção que Juvia saiu. – Vim pra cá só pra ter certeza. O que houve? – Olhou para a ruiva, que simplesmente deu de ombros e disse.

     - Não é problema meu, vocês que se resolvam.

     - Mas não tem nada pra resolver. – Gray parou de falar por um tempo. – Erza? - A chamou.

     - Sim?

     - Sabe com quem eu dormi aquela noite não sabe? – Erza o encarou por um tempo ainda sem dizer nada, então ele continuou. – Ela, a Juvia... – Nesse momento a ruiva arregalou um pouco os olhos. – A Juvia também sabe não é? – Soltou um suspiro baixo, mas não ia ser tão ruim ele saber logo, pelo menos aquele problema todo ia estar resolvido. - Não entendo o porquê de não quererem me falar. Já desisti de saber quem é. Eu devo ter feito alguma coisa que ela não gostou. Ah... já não aguento mais isso. – O celular do moreno vibrou avisando que tinha uma nova mensagem do Natsu, pedindo para encontrar com ele, pois tinha um assunto importante. – Eu já vou indo, parece que aquele idiota não tem nada pra fazer, te vejo depois.

      Erza se despediu dele, e ficou observando o moreno se afastar, quem não o conhecesse pensaria que ele realmente não sente nada pela a azulada, que a pouco a fazia companhia. Ela sabia muito bem o que Gray sentia, bastava ele mesmo se entender, ou alguém fazer isso. Na verdade ele não queria aceitar, achava que tudo se repetiria. Tinha que deixar de viver no passado, deixar de ter medo de se machucar, tinha que começar a viver realmente, porque o amor não é tão complicado se é reciproco, se a pessoa te faz bem. Sorriu com o pensamento.

     A ruiva se levantou de onde estava, também tinha seus problemas a resolver e um certo azulado para encontrar, e com esse pensamento saiu caminhando até seu dormitório com um singelo sorriso no rosto.

    

     Já estava terminando de se arrumar, quando um vulto rosa passou por si indo direto para o guarda roupas, era sua amiga e colega de quarto Meredy, procurando desesperadamente por uma roupa. Juvia achou graça da amiga, a um tempo soube pela a amiga que tinha começado a sair com Lyon, ficou feliz pelos dois, formam um casal engraçado, dois malucos.

     - Gosto do vermelho. – Juvia disse a ela que segurava dois vestidos nas mãos, um vermelho e um amarelo. – Aposto que Lyon vai gostar também. – Meredy ficou um pouco corada pelo comentário mas logo rebateu.

     - E quem disse que vou encontrar com ele? – Encarou a azulada que tinha as sobrancelhas arqueadas. – Ultear está vindo me ver.

     - Então o Lyon não vem? – Meredy respondeu que um sim baixinho, a azulada prosseguiu. – Acho que vou ter que conversar com Ultear, porque você não ficava tão eufórica assim quando ela vinha sozinha. – Juvia segurou o riso com a cara da rosada, que arregalou os olhos e balançava a cabeça negativamente várias vezes.

     - Tá maluca? Do jeito que aquela ali é ciumenta, mata nós duas.

     - Nós duas? Por que nós duas? Eu não fiz nada. – Juvia se defendeu.

   - Justamente, conte logo tudo para aquele tapado que a melhor noite de sexo da vida dele foi com você. – Viu a azulada ficar corada, negar com a cabeça e mandar ela falar baixo, continuou. – Claro que foi isso, ele está te procurando até agora. – Meredy falou alto demais a última frase.

     - Tá maluca? Quer que todo o dormitório saiba? Já tem gente suficiente sabendo disso.

     - Pra você ver o quanto ele é inútil. Eu não entendo como ele ainda não sabe. – Olhou para a azulada que suspirou. - Não é justo você sofrer assim, você é incrível demais pra sofrer por ele. Aquele idiota não merece iss... – Meredy se interrompeu, vendo que a amiga pegara sua bolsa e já ia em direção a porta.

     - Parece que todos resolveram virar conselheiros hoje. – Juvia a encarou. – Sei que vocês estão preocupados, e querem que eu fique bem, acredite eu vou ficar, e eu tenho outros problemas pra resolver e ocupar minha cabeça. E eu agradeço a atenção de vocês, obrigado. – Já estava indo embora mas parou ao ouvir a amiga falar novamente.

     - Realmente... – Meredy queria que a azulada ficasse bem, por isso seria uma boa amiga e iria tentar entender seu lado, então resolveu fazer o que fazia de melhor, deixar a amiga sem jeito. – Mas que deve ter sido uma boa foda, isso foi, se não aquele idiota não estaria atrás de você até agora. – Segurou a risada pela cara que Juvia fez. – Juvia Lockser deve ser outra pessoa entre quatro paredes. – Essa parte ela praticamente gritou.

     Juvia que estava sem reação e mais vermelha que o cabelo de Erza, quando ouviu a uma frase quase desmaia de vergonha, não sabia se ficava e matava aquela coisa rosa que rolava na cama de tanto rir de si, ou se ia embora e passava pelas pessoas que estavam no corredor e que provavelmente ouviram sua amiga maluca.

     Soltou um gritinho de raiva depois de jogar um travesseiro no ser rosa que se recuperava em cima da cama, saiu a passos duros e resmungando alguma coisa sobre falar com Lyon, bateu a porta com certa brutalidade e ignorou os sorrisinhos nos rostos das pessoas que estavam por perto e saiu o mais rápido dali. Era melhor se apressar, Gajeel já deveria estar esperando por ela.

 

     Gray estava na cantina da universidade conversando com Natsu, que falava alguma coisa de Lucy, que agora era namorada dele, e sua amiga, Juvia morria de ciúmes da loira até saber que a mesma era apaixonada pelo amigo rosado, Natsu sabia que o moreno não estava realmente prestando atenção que ele dizia, mas sabia que estava o ouvindo. Já o moreno nem ouvir ouvia mais depois que uma pessoa atravessava aquela cantina, ela vestia um vestido jeans azul bem escuro que contratava com a pele alva, nos pés uma sapatinha preta e estava com bolsa marrom não muito grande, o cabelo preso em um coque frouxo, parecia com pressa e com um pouco de mau humor.

     Natsu ao perceber que Gray nem mesmo o escutava o olhou, e viu que ele encarava algo, na verdade alguém, já que viu Juvia passar, a mesma olhou na direção em que eles estavam, corou e desviou o olhar rapidamente. O rosado olhou para o amigo que ainda encarava a azulada, mas agora com um sorrisinho sacana quase escondido no canto da boca.

     - Sinceramente eu não te entendo. – Falou finalmente chamando a atenção do amigo. – Por acaso você é masoquista? Quem te conhece sabe que você gosta dela, e mais complicado ainda, ela também gosta de você, na verdade nem é complicado vocês que se complicam. Não, você que complica. – Natsu franziu o cenho pelo que acabara de dizer. – Entendeu?

     - Não tem nada de complicado Natsu, são vocês que não entendem que eu não a vejo de outra forma se não como amiga. – Olhou para o rosado que somente revirou os olhos. – E eu já vou indo, tenho prova essa semana, vou estudar e se eu fosse você faria o mesmo, tô sabendo que tuas notas não estão muito boas.

     Natsu fez uma careta ao escutar o que o moreno disse, realmente suas notas tinham que melhorar, mas estava tendo uma ajuda da namorada, mas tinha outro problema. Não conseguia se controlar e muito menos se concentrar com a loira por perto. Acabava que eles quase não estudavam.

     - Mas duvido muito que vocês realmente estudem. – Falou após ver que a feição do rosto do amigo que mudou de frustrado para malicioso. – Até porque nem adiantaria muito não é mesmo? – Completou por fim vendo o rosado agora com uma expressão nada amigável.

     - Exatamente, realmente acabamos que não estudamos. Mas não sou eu que fico horas no banheiro lembrando de uma noite de sábado com uma certa mulher que sequer lembra do seu rosto, e ainda por cima fica de pau duro só com uma simples lembrança. E eu... – deu uma pequena pausa. – Realmente vivo isso e me lembro de cada detalhe. – Neste ponto Gray já estava se segurando para não voar em cima do rosado com boca grande. Quando finalmente ia soltar um cascudo naquela cabeleira rosa, sente que alguém lhe deu um soco no braço.

     - Por que essa cara? Isso tudo é falta de sexo? – Uma morena o questionou um tanto debochada.

     - E ai Ultear, beleza? – Natsu gritou para a morena que estava acompanhada de Lyon e Meredy. Cumprimentou os outros dois que se juntaram a mesa obrigando Gray sentar-se novamente.

     - Onde está a Juvia, Meredy? Quero falar com ela. – Meredy já sabia o que a morena queria.

     - Na verdade nem sei pra onde ela foi. Encontramo-nos no quarto agora a pouco, mas ela saiu tão rápido que eu não perguntei. – Falou sorrindo, lembrando da conversa de a pouco com a azulada.

     - Juvia apareceu por aqui, acho que ela estava procurando alguém. – Natsu avisou e Lyon ficou de pé para ter uma visão melhor do local, e avistou Juvia conversando com Gajeel.

     - Ela está com Gajeel, mas parece que já estão de saída. – Disse ao ver os dois se levantarem e caminhar em direção a saída do local. – Foi quando Gray se lembrou de mais cedo.

     - Parece que eles vão procurar um apartamento ou algo assim, ouvi ela dizer a Erza, parece que ele não aguenta mais ficar perto desse cabeça de fosforo ai. – Meneou com a cabeça na direção do rosado. E a partir disso gerou uma série de ofensas das partes dos dois.

 

     Já tinha se recuperado sobre o que Meredy acabara de falar, mas quando tinha avistado Gajeel a esperando em uma mesa da cantina, olhou para o lado e viu Gray e Natsu em uma das mesas, e foi inevitável não lembrar sobre o que a rosada falara, no mesmo instante sentiu suas bochechas ficarem quentes e desviou olhar na mesma hora. Chegou na mesa em que Gajeel estava, quando ele a olhou com as sobrancelhas arqueadas, entendeu que ele a estava questionado de o porquê estar assim. Lhe respondeu que não era nada demais, e o esperou terminar de comer um sanduiche que estava em suas mãos.

 

     - E aí, o que achou? Acho que vou ficar com esse. – Gajeel perguntou a Juvia que estava parada no meio da sala. Estavam no terceiro andar do prédio.

     - Acho que se for realmente só pra você está ótimo. É bem pequeno, mas chega a ser aconchegante. – A azulada falava do apartamento em que estavam, era realmente pequeno, logo quando entrava se encontrava a sala que media mais ou menos 6m de largura e 4m de comprimento, em seguida a cozinha de uns 3m e só o que a separava da sala era o balcão, e passando direto pela lateral da cozinha um corredor, que na direita tinha uma porta que pertencia ao quarto, já no final do corredor era o banheiro.

     - O valor do aluguel também está bem acessível, e não fica muito longe da faculdade. Vou falar com o dono, me mudarei ainda essa semana. – Falou olhando ao redor. - Finalmente vou ficar longe daqueles idiotas. – Gajeel falava isso com um sorriso no rosto.

     - Tá, vamos logo já está tarde e preciso revisar umas coisas para amanhã. – Juvia saiu puxando o moreno até a porta para fechar negócio com o dono.

     A azulada entendia o amigo, não era que Gajeel quisesse se livrar dos amigos, mas era realmente impossível dormir ou até mesmo estudar com eles por perto. Gajeel e Juvia são bolsistas, por isso precisam manter as notas. Desceram e depois de resolver tudo, pararam em uma lanchonete no caminho.

     - Você e a Levy, andam bem próximos ultimamente, tá rolando alguma coisa que eu não sei? – Juvia perguntou com um sorrisinho sapeca brincando no lábios.

     - Não. – Gajeel responde simplesmente. -  É só divertido ver as reações dela.

    - Sei... Vocês estão saindo não é? Tá na cara, ela não consegue disfarçar, fica toda corada quando falam de você, não sabe como agir ao seu lado. E sorri que nem uma boba quando te vê passar. E você. – Apontou pra ele. – Está diferente também, por que não assumem logo? – Olhou nos olhos dele. - E tire esse sorriso idiota do rosto.

     O moreno tinha um sorriso de canto ao ouvir como a pequena azulada reagia com alguma ciosa relacionada a ele.

     - É mais divertido assim. – Confessou. – Como eu disse antes, é divertido ver as reações dela.

     - Você não tem jeito Gajeel, pare de torturar a Levy. – Gajeel riu.

    - Gehe. Deixe que da baixinha cuido eu. – Gajeel a encarou. - E você, por que não resolve logo o problema com o cueca de gelo? – Juvia o olhou com os olhos semicerrados. – Ok. – Levantou a mão em sinal de rendição. – Faça como quiser.

 

     Quando chegou no seu quarto já passava das sete, passou a tarde toda com Gajeel a procura de apartamentos, e agradeceu por estar sozinha agora, estava precisando disso, a azulada se jogou na cama pensando em tudo o que estava acontecendo com ela, lembrou de seus amigos que insistiam em que ela deveria contar tudo o que aconteceu na noite de sábado para Gray, mas não conseguiria, não depois do fora que ele lhe deu a uma semana atrás.

     Juvia começou a lembrar daquela noite, ela podia estar bêbada mas lembrava de tudo, lembrava do toque dele, dos beijos, da sensação de calor do corpo dele próximo ao seu, nesse momento começou a sentir seu corpo quente, percebendo isso resolveu que a melhor coisa a se fazer agora era tomar um banho, descansou um pouco antes de estudar para a prova do dia seguinte, havia começado a temporada de prova.

 

     Já havia se passado duas semanas que a azulada não dormia o suficiente, não comia adequadamente e muito menos socializava, a única pessoa que mantinha uma simples conversa era com Meredy sua colega de quarto, na verdade era coisas como, ‘’ Já comeu’’, ‘’ Durma um pouco’’, ‘’ Faça uma pausa’’ e ‘’ Vamos dar uma volta, você precisa respirar’’.

     Meredy não queria importunar a amiga, e muito menos desconcentra-la, mas Juvia enfiou a cara nos livros e parece que esqueceu de viver, tinha medo da amiga passar mal, por isso sempre deixava um lanche para a azulada.

     Juvia é bolsista por conta disso se esforçava ao máximo para manter suas notas as melhores possíveis, mas gradecia aos céus pelo dia seguinte ser o último dia daquela maratona de provas. Já era por volta das 21:00 horas quando resolveu comer o que Meredy tinha lhe deixado sorriu ao ver seu lanche ao lado da cama, tinha amigos que valem ouro, não podia reclamar disso.

     A azulada depois de comer pensando na amiga e no que ela sempre lhe falava resolveu fazer uma pausa, pegou sua toalha e suas roupas para ir ao banheiro tomar um banho. Enquanto a água escorria sobre si ela sente os músculos do corpo relaxarem.

     - Acho que não há nada melhor que isso. – Sussurra para si mesma.

     Depois de um bom banho, deu um tempo para descansar e logo depois voltar novamente para os seus livros, mas acaba adormecendo sobre eles.

 

     O moreno estava conversando com o time hóquei quando viu um vulto azul passar muito rápido por eles, já estava perto das escadas quando percebeu ser Juvia, ela parecia desesperada e pelo o estado da garota com certeza estava atrasada ele riu, cabelos arrepiados, roupas amassadas e com uma cara nada boa, parecia que ia levar tudo o que estava pela frente, e foi praticamente isso que aconteceu, em um piscar de olhos a azulada estava no chão e com o material que segurava espalhados em torno de si, rapidamente um rapaz loiro resolveu ajuda-la e pelo o que parecia ele era a causa do tombo.

     Recolheram o material o mais rápido possível e se levantaram, ele se desculpando e ela dizendo que estava tudo bem, mas quando seus olhos se encontraram ficaram se encarando por uns segundos, ela ficou vermelha e saiu o mais rápido que pôde, dizendo que tinha que ir.

     Gray franziu o cenho demostrando que aquilo o incomodou, viu Juvia se afastar e o rapaz olhar em sua direção, foi quando o reconheceu, era Sting, neste momento o moreno travou o maxilar ao lembrar da noite de três semanas atrás.

    O loiro caminhou em sua direção, e vendo isso se despediu de seus amigos e se moveu na direção do estacionamento, não queria confusão, não na frente da faculdade. Ouviu passos mais rápidos e próximo de si.

     - Ei. – Sting o chamou. – Ainda está com raiva? – Gray continuou a andar. – Pensei que depois do soco e dormir com ela havia passado. – O moreno no mesmo momento travou. – Qual é Gray? Pensei que não queria nada com ela. – Gray o olhou. – Somos amigos, nos conhecemos desde que entramos aqui.

     - Como é? – Gray estava perdido. – Do que você está falando? – O loiro arqueou as sobrancelhas.

     - Ah qual é Gray vai se fazer de desentendido?

     - Se esta falando da festa da Cana, não me lembro de praticamente nada daquela noite. – O humor do moreno não estava muito bom.

     - Não se lembra? – Gray não estava com uma cara muito boa. – Não lembra nem do soco que me deu? – Viu o moreno negar e arquear a sobrancelha, Sting pareceu surpreso, mas logo em seguida riu. – Fala sério você com ciúmes e bêbado é a pior pessoa do mundo.

     - Espera... – Gray ainda estava tentando assimilar o que estava ouvindo. – Dormir com ela? – Repetiu o que o loiro falou mais cedo. – Como assim ‘’ Dormir com ela?”

     - Você realmente não lembra. – Sting olhou na direção dos portões da universidade. – Ela saiu antes de você acordar? – Olhou novamente para Gray.

     Gray já estava sem paciência com essa conversa, chegou mais perto de Sting que estava com uma cara de incredulidade.

     - Quem é essa garota Sting? – Viu o loiro respirar fundo. – Vamos fale logo.

     Gray já estava com o coração a mil, já havia passado três semanas depois daquela noite e ainda não sabia quem era a tal garota, e que o deixou sem sono várias noites seguidas. Realmente ele não lembrava de muita coisa, mas sempre vinham flashes na sua cabeça que deixavam seu corpo quente.

     Sting sabia o que Juvia sentia por Gray, na verdade todos sabiam, por isso estava em dúvida quanto a contar ou não, mas o moreno parecia desesperado para saber quem era a tal garota, então para ele não foi uma simples noite.

     - Pelo visto ela não quer que saiba. – Gray suspirou, já ia questiona-lo, mas o loiro interrompeu. – Mas acho que você saber é melhor. – Deu uma pequena pausa e prosseguiu. – Juvia.

     - Juvia? – O moreno o olhou ainda não entendendo, ou não querendo acreditar. – Como assim Juvia? ... Está me dizendo que eu dormi com a Juvia?

     Gray tinha uma feição séria e ao mesmo tempo desacreditada. Pois as mãos nos cabelos negros. Olhou para Sting e perguntou irritado.

     - Não foi você que passou a noite com ela? – Sting já sem paciência para explicar as coisas a ele, bufou. – Eu vi vocês se agarrado naquela maldita festa, lembro que vocês subiram pra um daqueles quartos. – Gray apertava os punhos e se mostrava mais irritado a medida que ia lembrando do casal, que nem percebeu que já chamava atenção de quem estava por perto.

     - Como você mesmo disse. – Sting já se virava para ir embora. – Você não se lembra de muita coisa da noite da festa. – Já estava de costas para o moreno. – Como ninguém lhe contou nada... Pergunte a ela. – Virou seu rosto na direção dele. – Mas pense antes, ela deve ser a que mais sofre... Você sabe dos sentimentos dela por você. – O loiro foi embora deixando Gray surpreso, incrédulo e irritado para trás.

     O moreno não esperava por essa, jamais Juvia passou por sua cabeça, na verdade lembrava da azulada na festa sim, mas preferia ter esquecido essa parte também, ela estava com Sting, dançando, sorrindo e quando mesmos esperou, beijando. Isso lhe irritava só de lembrar.

     O que ele lembra mesmo daquela festa, foi de ter chegado e se juntado a um grupo de colegas de sala, não tinha bebido muito, nem estava com vontade, viu ela chegar, estava de vestido rosa, cabelos soltos, um sapato baixo, não estava extravagante, estava simples porém bonita, muito bonita.

     Lembra também que tudo desandou depois de ver Sting perto dela oferecendo bebida, ela aceitando e o beijo, ele não esquecia aquele beijo. Daí pra frente ele aceitou tudo o que estavam lhe oferecendo, assistia os dois se divertindo e bebeu, bebeu tudo até não lembrar de mais nada.

     - Droga.

 

     Passou a manhã toda com isso na cabeça, sabendo que a mulher que o deixou sem dormir nesses últimos dias foi Juvia, nas curtas lembranças da noite que teve entre quatro paredes sabendo que foi com ela.

     Mas estranhamente se sentiu aliviado ao saber que Juvia não tinha dormido com Sting. Gray sabia que a azulada tinha dormido com alguém, pois seus amigos não deixavam barato, Meredy dizia que sua amiga chegou no quarto só pela manhã, enquanto Cana falava que podia ouvir do bar o quanto Juvia estava excitada, entre outros comentários que deixavam a azulada mais vermelha que nem um pimentão e Gray desconfortável, e pensando bem, nesses momentos ela não o olhava e evitou estar por perto quando chegava.

     Mas ainda estava irritado, pois todos os seus amigos sabiam, por que não falaram de uma vez? Por que ela quis esconder? Procurou saber quem era a garota da noite por umas duas semanas, e ela sabia disso. O fizeram de palhaço, ela o fez de palhaço.

     Iria falar com a azulada na primeira oportunidade que tivesse. Queria esclarecer aquilo, e esperava uma boa desculpa.

     Já estava perto de seu carro, só tinha ido a faculdade para deixar um trabalho com um colega, parou perto dele, resolveu espera a azulada sair, iria resolver tudo ainda hoje.

     - Esperando alguém? – Ouviu falarem atrás de si. – Não disse que não tinha aula hoje? – Era Erza e estava acompanhada de Jellal.

     Parou na frente dele, o moreno estava com uma carranca na cara. A ruiva ergueu uma das sobrancelhas, era normal ver Gray sério ou com mal humor, mas hoje estava diferente.

     - O que foi, já começaram a lançar as notas pra estar com essa cara? – Zombou do amigo, mas sabendo que não era isso que o perturbava.

     - Estou esperando a Juvia? – A ruiva fez uma cara que já dizia que tinha entendido tudo.

     - Converse com ela Gray, não chegue acusando sem antes ouvir o que ela tem a dizer. – Gray não a olhou.

     - Ela deveria ter me contado... – Deu uma pequena pausa. – Na verdade vocês deveriam ter feito isso.

     - Não. – Uma voz calma ressoou era Jellal desta vez. – Isso foi uma coisa que aconteceu entre vocês... – Gray o encarou. – E diferente de você, é mais doloroso pra ela... Pois ela lembra de tudo.

     - Jellal está certo Gray, vá com calma, converse de cabeça fria, ela teve suas razões, mas também tem sua parcela de culpa. Então escute o que ela tem a dizer.

     Gray suspirou profundamente, passou as mãos no rosto e entre os cabelos e por fim bufou.

     - Estamos indo, ainda tenho uma prova hoje. – Erza se pronunciou. – Ainda vai esperar por ela?

     - Ficarei aqui. – Se escorou no carro. – Só saio daqui quando ela falar comigo. – Erza suspirou e respondeu um “Tudo bem’’ enquanto se afastava com Jellal.

     Gray era cabeça dura e sem paciência, só o que restava era torcer pra eles se acertarem e resolverem tudo.

 

    Havia se passado metade da manhã, O moreno não esperava mais no carro e sim debaixo de uma arvore, que ficava de frente para a faculdade, enquanto esperava, alguns estudantes o cumprimentavam, e já estava sem paciência pela demora da garota. Até que viu uma cabeleira azul, agora amarrado em um rabo de cavalo, estava de calça e moletom com uma cara nada boa, parecia cansada.

     Mesmo assim, de hoje não passava, esperou um pouco ela se aproximar mais e caminhou na sua direção, a mesma nem percebeu tal aproximação. Tanto que levou um susto ao ouvir a voz grave e rouca de Gray.

     - Precisamos conversar.

     Ela o encarou espantada e até mesmo receosa, ele olhava em seus olhos e estava sério, muito sério, engoliu em seco.


Notas Finais


Bom...
Foi isso...
Prometo tentar melhorar a cada novo capitulo...
Críticas são muito bem vindas...
Não tenho data certa para postar, mas me esforçarei para ser o mais breve possível...
Até mais...
...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...