História Memórias de um Anjo Imperfeito (Hiatus) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Anjos Caídos, Demonios, Religiosidade, Shounen Ai, Yaoi
Exibições 29
Palavras 1.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi, gente! Espero que vocês gostem deste capítulo! Não sei se ficou como eu queria, mas... Resolvi posta-lo, o próximo só sairá quando o próximo do próximo estiver concluído, pois o capítulo dois já está finalizado.

Espero que vocês gostem!
Comentem o que acharam!
Desculpe-me qualquer erro ortográfico!
Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo 1: Demônio em pele de anjo


Fanfic / Fanfiction Memórias de um Anjo Imperfeito (Hiatus) - Capítulo 2 - Capítulo 1: Demônio em pele de anjo

Capítulo 1: Demônio em pele de anjo


Memórias de um Anjo Imperfeito:


~ Gabi Ramos ~


***


Chovia e trovões rasgavam os céus. A casa fazia barulhos e estalos, o que te davam arrepios.


Não gostava nem um pouco daquela enorme mansão, você estava jogado no sofá, sozinho.


Porque ele ainda não tinha chegado?


A porta se abre abruptamente e Paelen entra na casa, estava acompanhado de um anjo?

O que um anjo fazia neste inferno?

Porque ele tinha trazido mais uma de suas proxitutas?

Você continuava deitado no sofá, você pensava que hoje ele iria o querer.

Mas, estava enganado.

— Estou indo para o quarto, não me atrapalhe! - Ele falou se aproximando de você junto com a anjo.

Você deita de barriga para baixo e empina sua bunda, o seduzindo.

— Posso chamar alguma pessoa para passar à noite comigo? - Você sorri maliciosamente.

E ele o olha irritado.

— Não se atreva! - Ele pega no seu pulso te lavantando, com tudo, do sofá.

E logo depois o joga em direção à parede, batendo você com tudo, você geme de dor.

Ele pega no seu pulso fortemente e te leva até seu quarto, você olha para trás e a proxituta estava sorrindo, se divertindo!?

Ele tranca vocês dois no seu quarto.

Ele te prensa na parede.

— Não me seduza. - Ele te morde no pescoço, prensando os dentes de ponta na sua pele.

— Vá ficar com à sua proxituta! - Você tenta o afasta-lo.

— Me lembrei agora, que você ainda não pagou pela sua proteção. - Ele sorri.

- Você trouxe sua proxituta, não precisa de mim. - Você coloca as mãos nos ombros dele.

Estava amando aquele momento, se sentia atraído

Estava morrendo de tesão e parecia que ele também estava.

O que era ótimo, para você!

Alguém bate na porta, com toda à certeza era à anjo proxituta.

Ele lhe solta e abre à porta brutalmente.

— O que você quer?! - Ele grita.

— Vai demorar muito? Estou ficando entediada sem nada para fazer. - Ela sorria maliciosamente, como aquele sorriso te irritava, você tinha vontade de estrangula-la, e tortura-la, até aquele sorriso sair de seus lábios.

Ele sai do quarto e tranca à porta do seu quarto.

Você estava deitado, ouvia os gemidos daqui. A cama deles fazia barulhos de estocadas, nada gentis. Não que ele fosse gentil com você também, ele não era gentil com ninguém que levava para à cama.

Você estava entediado, estimulava seu membro para tentar, trazer, algum prazer.

Coisa que era difícil, já que o único que conseguia fazer você gemer ou até ter espasmos, era ele, Paelen.

E ele estava se divertindo com outra pessoa.

Você sabia que se o atrapalhasse, correria sérios perigos.

O seu quarto estava escuro, as cortinas voavam, e a janela aberta entrava alguns pingos de água, e o quarto ficava claro quando algum raio rasgava o céu.

E você conseguia enxergar um pouco o seu corpo quando um relâmpago aparecia.

Você estava sem à blusa e soava, soava muito, queria sentir ele dentro de você, queria senti-lo, mas ele parecia que estava de divertindo mais com ela, do que com você.

E você sentia uma amargura por dentro.

Tocava a mordida em ele  havia feito em sua pele, sangue seco ainda estava por lá.

Aquela mordida, talvez significasse muito para você. Significasse que ele sentia, um pouco, de ciúmes por você, um ciúmes possessivo.

Se deita na cama, trovões faziam um imenso barulho, que te faziam se encolher, porque ele não estava com você? Porque ele não tinha escolhido você?

Isso te deixava decepcionado, mesmo que não demonstra-se, mesmo que você não quisesse ele fazia algo em você.

Mesmo, que você negasse, todo santo dia que estava apaixonado e que estava começando  algo profundo no seu peito.

Mesmo que seu coração se aprofundasse em mágoas, como ele sempre fazia, quando Paelen não o escolhia, quando Paelen o ignorava.

Seu coração se despedaçava,cada parti, cada pedacinho, caindo. Você ainda ignorava aquele sentimento.

Seu coração estava profundamente triste, igual você. Que se encolhia na cama, tentava ignorar os gemidos dela.

Só se escutava gemidos dela e nunca dele.

Ele era sempre assim, muito orgulhoso para mostrar estar sentindo algo.

A proxituta quase gritava com a força das estocadas, você ouvia à cama deles rangendo.

Seu coração se isolava, e você se encolhia, na grande cama de casal, lágrimas? Sim, lágrimas, lágrimas sempre caiam quando ele te trocava.

Rios de lágrimas caiam, mesmo que você se negasse a falar que o motivo era ele.

Só ele poderia parar aquelas lágrimas.

Você sempre o perdoava quando ele te tocava, você sempre sofria com isso.

Porque ele não te dava atenção?!

Os gemidos e estocadas haviam parado e suas lágrimas também, sabia que se continuasse a chorar ele saberia.

Ele sabia sempre quando você chorava, parecia que ele tinha um instituto.

Batidas na sua porta, você já havia lavado o rosto e não estava mais com os olhos inchados e vermelhos.

Você atende. Era ele Paelen, a menina anjo estava ao seu lado.

Ela tinha uma carranca no rosto.

Você percebe que ele só estava com um lençol na cintura cobrindo suas partes íntimas, ela não, ela estava completamente nua.

O que querem? - Você fala quase fechando a porta.

Estava chorando? - Ele pergunta, aproximando a mão do seu rosto, você recua.

Não... - Você fala com à voz trêmula, seus olhos já se enchendo de lágrimas, você virá o rosto tentando disfarçar à cara de choro.

Não minta para mim! - Ele quase grita.

Vão ficar com essas paixonites? Não vai acabar o que começou?! - A proxituta grita com Paelen.

Você é só uma puta minha, não tem direito de falar nada. - Ele fala. A menina anjo se irrita.

Eu não tenho direito de falar nada!? Você não tem o direito de continuar vivo! - Ela grita com uma voz demoníaca, nessa hora suas assas de "anjo" te cobrem, seu consciente já sabia o que estava por vir.

Suas assas negras batem para trás, te puxando para dentro do quarto.

Paelen já estava pronto para o ataque, ele já deveria saber o que ela era.

Você estava surpreso, nunca viu um demônio em pele de anjo antes, já viu ao contrário.
Mas... Nunca tinha visto um igual à esse.

A porta do quarto bate, te trancando ali dentro.

Paelen o havia trancado, afim de te proteger?


Notas Finais


Comentem o que acharam, fariam essa "autora" feliz ^^
Não tenho nada para falar, obrigado por ter lido!
Desculpe se achou qualquer erro ortográfico, ou o modo das falas.
Obrigado! Comentem algo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...