História Memórias Perdidas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Armin Arlert, Eren Jaeger, Hange Zoë, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman
Tags Attack On Titan, Eren, Ereri, Lemon, Levi, Riren, Romance, Shingeki No Kyojin, Yaoi
Exibições 209
Palavras 5.061
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente!
Venho aqui com minha primeira fanfic, que obviamente tinha que ser do meu OTP #01
Amo demais esse shipp e eu precisava escrever algo com eles.
Espero que gostem, fiz com bastante carinho <3
Eu resolvi dividir a fic em dois capítulos pois estava ficando grande para um capítulo só. Ela já está toda digitada e só falta a segunda parte passar por mais uma revisão mais detalhada, então até o dia 26/11 ela será postada.
Boa leitura queridos e nós vemos nas notas finais :3

Capítulo 1 - Salto no tempo?


Você já se sentiu tão feliz, mas tão feliz que achava que nada poderia mudar isso? Que qualquer coisa que acontecesse não poderia superar a felicidade de ter a pessoa que você ama ao seu lado? Pois bem, era isso que Eren pensava até o momento que ele sentiu seu mundo desabar, tudo aconteceu tão rápido que ele não teve nem tempo de assimilar, sua mente ficou em branco por um momento. Ele não podia acreditar, bom ele não queria acreditar no que acabará de ocorrer, em um momento ele estava conversando com Levi e em outro encontrava seu amor no chão totalmente inconsciente, depois de um carro atropelá-lo quando Levi salvou-o de ser atropelado pois atravessou a rua sem prestar atenção no sinal aberto já que estava discutindo com o pai no telefone.

Eren não sabia o que fazer, ele sabia que deveria urgentemente ligar para a emergência, mas ele não conseguia, seu corpo não o obedecia, não queria soltar Levi de suas mãos, apenas chorava descontroladamente e pedia a Deus que ele não morresse. Para sua sorte as pessoas que passavam pela rua ligaram para emergência e logo uma ambulância estava ali para socorrê-lo. Realizaram os primeiros socorros e logo o levaram para o Hospital junto de Eren que aos prantos afirmava que não o largaria por nada.  O moreno de olhos verdes nunca tinha se sentido tão perdido, desesperado e culpado como se sentia naquele momento, a cada segundo dentro daquela ambulância o fazia pensar nas piores hipóteses e ao mesmo tempo ele se recriminava por isso, ele sabia que não deveria pensar nisso, que Levi era forte e que logo ele acordaria xingando Deus e o mundo e brigando com o moreno pela sua falta de atenção ao redor e o chamando de imã para o perigo, como Levi sempre o chamava.

Logo que chegaram ao Hospital, mandaram o moreno preencher a ficha do paciente, Eren tremia e tentava com todas as forças se manter forte naquele momento. Quando o médico voltou informando que precisariam realizar uma cirurgia, o pouco de força que ele tinha se acabou naquele momento,  imediatamente pegou o telefone e com certa dificuldade procurou o contato de Mikasa, sua irmã mas nova, ele precisava de alguém ao seu lado pois ele sabia que não conseguiria suportar aquilo sozinho. Deu poucas explicações no telefone, mas o suficiente para fazer Mikasa voar para o hospital, afinal ela não poderia deixar seu irmão querido quando mais ele precisava.

— Eren — Disse Mikasa ao avistar o mesmo sentado.

Eren não disse nada apenas a abraçou e chorou nos braços da sua irmã, naquele momento Mikasa não perguntou nada, apenas retribuiu o abraço e acariciou os cabelos do moreno, quando enfim pareceu que ele se acalmou um pouco, ela o questionou sobre o ocorrido. 

— Como isso aconteceu? — questionava sua irmã.

— Minha culpa, tudo isso é minha culpa — Falava o moreno enquanto baixava a cabeça e colocava suas mãos nela e sentia novamente aquela maldita vontade de chorar.

— Como assim sua culpa? Eren, por favor se acalme e me explique direito as coisas. — Suplicava a irmã, pois a mesma não aguentava ver seu irmão sofrendo.

— Estávamos voltando do mercado e o pai ligou e acabamos discutindo por algo sem importância no momento, e por um momento de raiva eu acelerei meus passos e atravessei a rua sem olhar para o sinal, só consegui perceber um carro vindo na minha direção, fechei os olhos esperando o pior, no entanto eu apenas me senti sendo puxado e quando finalmente abri os olhos encontrei Levi inconsciente no chão. Mikasa se alguma coisa acontecer com ele, eu juro que nunca vou me perdoar. — dizia enquanto colocava suas mãos no rosto tentando esconder novamente as lagrimas que insistiam em cair.

— Ei Eren — Falou enquanto tirava as mãos do rosto do moreno. — Tudo vai ficar bem, você sabe que o Levi é forte e logo vai se recuperar, por favor não se culpe por isso, foi apenas um acidente, você não podia fazer nada para impedir isso.

— EU PODIA SIM — gritou o moreno por um momento, mas logo lembrou do ambiente que estava e abaixou o tom de voz. — Se eu fosse menos desatento como sempre o Levi fala e menos birrento tudo isso tinha sido evitado, pare de sempre querer me proteger — falou frisando essa palavra. —  e apenas jogue na minha cara que tudo isso é minha culpa.

— Eu não poderia fazer isso, pois não é sua culpa e você sabe bem que o Levi nunca o culparia por isso, então apenas pare de pensar assim e se concentre em torcer pela melhora dele. Antes de mais nada você já avisou os pais dele e a Hanji?

— Não.... não tive coragem de ligar para eles sem ter nenhuma noticia.

— Tudo bem, vou ligar para eles e pedi para o Armin vim também, tente se acalmar um pouco.

— Sim, não precisa se preocupar, apenas ligue para eles por favor.

Enquanto sua irmã ligava para comunicar o ocorrido, Eren novamente foi até a recepção em buscar de mais alguma novidade e outra vez pediram para o mesmo aguardar que quando o médico terminasse a cirurgia iria conversar com os familiares. Eren xingava mentalmente a enfermeira pelas faltas de informações, e se perguntava que tipo de hospital era aquele que não tinha informação sobre o seus pacientes.

Em menos de uma hora que Mikasa tinha ligado, os pais do Levi, Hanji e Armin já se encontravam no hospital. Quando a mãe de Levi encontrou Eren, antes que qualquer coisa apenas o abraçou e choraram juntos, enquanto baixinho Eren pedia desculpas pelo que aconteceu com  Levi.

Mon cher não tem nada que você precise se desculpar, apenas me diga, está tudo bem com você? Você se machucou em algum lugar? — falou a mulher mais velha enquanto acariciava os cabelos do moreno.

— Não.... — respondeu baixinho, enquanto baixava a cabeça.

Antes que a mãe do Levi pudesse falar mais alguma coisa, escutaram a porta da sala de cirurgia ser aberta e sair o médico de lá.

— Quem é o familiar do paciente? — perguntou o médico.

— Nós somos os pais dele, como está meu Levi? — pronunciou a mãe.

— Felizmente tudo ocorreu bem na cirurgia, logo vocês poderão o visitar no quarto. Teremos que apenas esperar ele acordar para ver como o mesmo vai reagir.

— Então doutor, o Levi está fora do perigo? — Dessa vez quem falou foi o moreno que escutava tudo atentamente, enquanto respirava em alivio.

— Sim, no momento ele se encontra totalmente estável, qualquer coisa que precisar só informar as enfermeiras que elas iram me chamar. — Disse o médico, logo indo embora dali.

Logo todos suspiravam de alivio e Hanji finalmente abraçou o moreno o pegando de surpresa por um momento, mas logo retribuiu aquele carinho. Não demorou muito uma enfermeira avisou que já tinham levado Levi para o quarto e que podíamos visitar ele, apenas avisou para não entrar todo mundo de uma vez,  pois o mesmo precisa de repouso absoluto.

— Vocês deveriam ir para casa descansar um pouco. — Pronunciou Armin olhando para os pais do Levi.

— Concordo com o Armin — disse Hanji. — Já estamos esperando o Levi acordar há 6 horas, quando ele despertar ligamos avisando. — Percebendo que Louise iria rebater, a mesma já foi dizendo. — Aproveitem e na volta passem na casa do Levi para trazer algumas roupas para ele.

— Vamos querida, você precisa descansar um pouco. — disse Augusto, pai de Levi, enquanto apoiava suas mãos no ombro de sua esposa.

— Tudo bem, mas por favor nós avise assim que meu Levi acordar.

Armin e Mikasa resolveram ir para casa também, permanecendo apenas Hanji e Eren no quarto do menor. Os dois conversavam sobre o andamento do 1º ano de Eren no curso de medicina. Quando o moreno percebeu que Levi estava finalmente acordando correu na direção do mesmo.

— Onde eu est...... — Antes mesmo do menor terminar a frase, o moreno segurou no rosto dele e o beijou delicadamente, que o mesmo quando assimilou o ocorrido rapidamente empurrou o mais novo. — Mas o que você pensa que está fazendo pirralho? — disse Levi encarando o moreno confuso e ao mesmo tempo irritado.

Eren ficou por um momento chocado por essa rejeição e começou pensar que o outro estaria culpando ele pelo ocorrido, antes mesmo de proferir qualquer palavra Hanji se pronunciou.

— Levi você se lembra o que aconteceu? — disse a mulher de óculos observando minuciosamente cada ação do menor.

— Não, mas é obvio que sofri um acidente, mas falamos disso depois, primeiro quem é esse pirralho abusado do seu lado? — apontou Levi na direção de Eren. Os dois o encararam com um ar de surpresa e Hanji já desconfiada do que estava acontecendo o questionou.

— Levi em que ano estamos?

— Mas que pergunta mais aleatória seria essa? Realmente nunca vou conseguir entender como funciona sua mente, se bem que nem quero.  Mas conhecendo você, você nunca me deixa em paz quando não te respondo, estamos em 2012.

Hanji e Eren se encararam como um misto sentimento de confusão e olharam novamente para o mais velho que estava ficando irritado com aquele silêncio e olhares para si e antes do mesmo falar mais alguma coisa, a mulher se pronunciou mais uma vez.

— Levi querido, você não se lembra do Eren? — disse a mesma apontando para o garoto de olhos verdes.

— Mas que porra Hanji, eu acabei de te perguntar isso, mas vocês só ficam com essas caras de idiotas e não me explicam a situação, começando com o fato desse pirralho ter me beijado e eu estar no momento em um hospital.

— Levi para de brincadeira, eu sei que você pode está bravo comigo, mas você poderia por gentileza não agir assim, apenas grite, brigue, me bata, me mande embora, mas não faça de conta que você não me conhece,  por favor, não faz isso comigo. — dessa vez, foi a vez do moreno se pronunciar com lagrimas nos olhos.

— Hanji, antes que a pouca paciência que eu estou tendo se acabe e daqui eu pare  direto na delegacia por assassinato, pode começar a me explicar as coisas?

— Bom primeiro esse garotinho aqui ao me lado é seu namorado, segundo hoje estamos em 2016 e terceiro o mais óbvio, você sofreu um acidente de carro é por isso está no hospital agora. — respondeu Hanji com aquele sorriso que as vezes só de olhar o Levi sentia suas veias saltarem de raiva da sua testa.

— Então... você está me dizendo que eu aparentemente esqueci de basicamente quatro anos da minha vida e além disso estou tendo um relacionamento com o pirralho ao seu lado? — repetiu as palavras da amiga, pois o mesmo não acreditava nos absurdos que ouvia, ou sua amiga tinha ficado louca de vez (se isso fosse mais possível ainda) ou ela tinha ficado louca de vez, só existia unicamente essas duas possibilidades.

Levi observava Hanji procurar por algo no quarto enquanto isso aproveitou e olhou para o moreno que apenas parecia mais perdido que ele nos acontecimentos, quando o mesmo iria chamar pelo moreno, Hanji entregou um jornal para ele.

— O que eu vou fazer com um jornal nesse momen..... — o menor parou de falar assim que o mesmo olhou para a data impressa no jornal. — Tudo bem, já entendi que parece que estou tendo alguns problemas com a minha memória.

Levi sempre foi muito racional, então rapidamente aceitava o que era mais do que óbvio, e estava na cara que o acidente tinha afetado a sua memória, no entanto o mesmo ainda não aceitava um dos fatos expostos pela amiga, achando que era mais uma das brincadeiras sem noção dela.

— Bom, que eu nunca tive restrições sobre o sexo em um relacionamento eu sempre soube, mas que eu andava pegando pirralhos por aí, isso sim é novidade, ainda mais o fato de eu está em um relacionamento sério, você mais do que ninguém sabe o quanto eu tenho aversão a esse tipo de coisa. Então,  não tente se aproveitar da situação para realizar esses seus fetiches totalmente estranhos comigo.

— Obrigado pelos seus elogios querido Levi, mas.....

— Não Hanji — respondeu interrompendo-a. — não participarei de um ménage com você e esse pirralho, então desista.

— Oh querido, sei que não, por mais que eu adoraria isso, sei bem como você pode ser extremamente possessivo e ciumento com seu querido Eren. — disse Hanji frisando a palavra querido para o mais velho.

Levi se sentia muito confuso no momento, tentava absorver todas as informações que pareciam absurdas. O mesmo tentou se sentar, porem não teve forçar o suficiente para isso, percebendo que estava mais machucado do que pensou. Nesse momento Levi o observou e percebeu que estava com a uma parte da perna enfaixada e vários curativos pelo seu corpo, quando o mesmo voltou prestar atenção a sua volta, percebeu Eren tentando o ajudar a se sentar e no reflexo o mesmo o empurrou.

— Eu...vou...ligar para os pais do Levi avisando que ele acordou. — pronunciou o moreno com uma voz chorosa saindo da sala antes de alguém pronunciar qualquer coisa.

— Pobre Eren. — falou Hanji olhando diretamente para Levi com um rosto acusatório.

— O que foi? — disse Levi dando os ombros.

— Isso é lá jeito de você tratar seu namorado? O Eren está arrasado com tudo isso que aconteceu.

— É eu lá tenho culpa de alguma coisa? Primeiro eu acordo em um hospital totalmente quebrado e do nada um moleque que não deve nem ter saído das fraldas ainda me beija e você acha que é normal? Que tal começar a me explicar o que está acontecendo? Ou talvez quem sabe, se não passou pela sua cabeça, chamar o médico para verificamos minha situação?

Resumidamente Hanji explicou sobre como aconteceu o acidente e quanto tempo Levi se encontrava dormindo, antes de Hanji começar a contar sobre o namorado do mesmo, a porta do quarto se abriu.

— Meu filho — disse a senhora o abraçando com todo cuidado. — Que susto que você me deu filho, seu pai e eu estávamos muito preocupados.

— Eu estou bem mãe, não se preocupe tanto. — Enquanto o mesmo conversava com seus pais, ele percebia um pirralho na porta que não sabia se entrava ou não. Levi agora que o observava com mais atenção percebia que o mesmo era muito bonito, meio alto para seu gosto, mas mesmo assim bonito, o que o chocou foi o tempo que ele perdeu observando aquelas lindas íris verde do moreno, ele saiu do transe quando percebeu que sua mãe o chamava.

— Levi, está tudo bem?

— Sim mãe. — disse voltando sua atenção para a mulher em sua frente.

— Percebo que encarar o seu namorado pode ser mais agradável que sua mãe. — disse sua mãe, fazendo quase todas na sala sorrirem. — Mas Mon cher — direcionou seu olhar para o moreno que estava na porta. — O que você faz ai plantado na porta? Venha para mais perto.

Mon cher? — pronunciou Levi, já que o mesmo sabia que a mãe chamava assim apenas pessoas muito próximas.

— Sim querido, porque o estranhamento? Você já está mais do que acostumado que eu chame nosso Eren assim. — comentou sua mãe, estranhando a atitude do filho.

— Nosso Eren? — disso Levi,  alternando os olhares entre sua mãe e Eren.

— Louise,  parece que devido ao acidente o Levi se esqueceu de quem eu sou. — pronunciou Eren desanimado.

Foi um choque para os pais do Levi essa noticia, pois para eles aparentemente o filho deles estava dentro do possível sem sequelas graves do acidente, olhar a cara de perdido do seu filho e a de tristeza do seu genro, deixava os dois profundamente chateados, pois entendiam o quanto o moreno amava seu filho e podia imaginar o que ele estava sentindo com toda essa situação. O moreno era uma ótima pessoa, que gostava de ajudar a todos e devido a isso muitas vezes acaba por negligenciar a si próprio e seus sentimentos. Por mais que ninguém culpava o mesmo por nada que aconteceu, eles sabiam que o moreno estaria se culpando por tudo isso. Louise resolveu então  chamar o doutor, porém antes mesmo dela sair da sala, a porta é aberta dando entrada para o médico que realizou a cirurgia de Levi.

— Vejo que o paciente acordou. - pronunciou o médico. — Como você se sente... — o médico parou de falar para observar o prontuário. — Levi?

— Um pouco dolorido doutor e com dificuldades para se mover, e aparentemente estou sofrendo de amnésia

— O quanto você se lembra? Reconhece seus pais e amigos? — questionou o médico enquanto fazia pequenos exames em Levi.

— Sim, aparentemente eu esqueci os últimos quatro anos da minha vida.

— Doutor tem algo de grave com meu filho? — disse Louise preocupada.

— Não ouve nenhum dano cerebral em seu filho, que apesar da batida, os exames não apresentaram nenhuma anormalidade. Devido ao tipo de acidente, você teve muita sorte rapaz, pois tirando a hemorragia interna que você teve e já foi totalmente resolvida com a cirurgia e alguns hematomas devido ao acidente que podem causar um pouco de desconforto, você não corre risco nenhum, teoricamente está tudo bem com você, não fazendo esforço físico por um tempo e se mantendo em repouso, logo logo você estará novinho em folha.

— Mas e a falta de memória dele doutor? — dessa vez, foi a vez do Eren se pronunciar.

— Então, apesar de tudo o Levi bateu a cabeça no acidente, e devido a tudo ter acontecido muito rápido, pode ter deixado o psicológico dele abalado, causando essa amnésia. — disse o médico enquanto preenchia novas informações no prontuário do paciente.

— Quanto tempo para meu filho recuperar as memórias, doutor?

— Então, não temos prazo para isso, ele pode se recuperar a qualquer momento, isso varia muito de paciente para paciente. Pois no caso do Levi, ele não tem nenhum problema fisicamente, ele inconscientemente prendeu essas memórias então agora só vai depender dele. Mas tarde vai vim uma psicóloga para conversar com ele e analisar a situação, é o melhor que podemos fazer neste momento.

— Doutor quanto tempo eu vou precisar ainda ficar no hospital? Tudo que eu não preciso agora é estar em um ambiente cheio de germes hospitalares. — pronunciou Levi com cara de desgosto.

— Essas suas manias de limpeza nunca mudam mesmo, você podia ter trancado na mente isso e quem sabe agora iria parecer um pouco como gente normal. — murmurou Hanji, fazendo o seu passatempo favorito: provocar seu melhor amigo.

— Você acha mesmo que tem a mínima moral de falar sobre ser normal? Outra nunca soube que ser higiênico agora fosse um problema, pelo contrario, seria a solução se mais pessoas fossem no mínimo mais limpas. — disse Levi, revirando os olhos.

— Então Levi — o médico resolveu interromper — , você ficará pelo menos uma semana no hospital ainda, apesar de está tudo bem agora com você, ainda sim foi realizado uma cirurgia, então precisamos acompanhar você pelos próximos dias.  — esclareceu o médico. — Bom, eu vou indo,  tenho outros pacientes ainda para verificar, qualquer emergência é só apertar o botão ao lado da sua cama Levi. Vocês precisam decidir quem vai ficar com o paciente, pois já está tarde e o horário de visita já acabou faz tempo, temos muitas pessoas no quarto e ele precisa ficar em repouso absoluto por hoje. Amanhã vocês podem voltar a visitá-lo no horário de visita. — Finalizou o médico indo embora.

 — Não acredito que terei que ficar mais tempo nesse hospital. — pronunciou Levi emburrado.

— Mon cher, você poderia ficar com o Levi? Amanhã eu tenho uma audiência cedo e tenho que me encontrar com a minha cliente antes. Sei que com você ele estará em boas mãos. — disse a mãe de Levi dando uma piscada discreta para o moreno.

— Mãe eu posso muito bem ficar sozinho, além de que, por mais que vocês digam que ele é o meu namorado, no momento ele não passa de um completo estranho. — proferiu Levi encarando o moreno e percebendo o quanto essas palavras aparentava ter o machucado e apesar de não entender, a sensação de magoar o moreno não o deixava confortável.

— Querido eu não poderia deixar você sozinho aqui, então se você realmente não se sente confortável eu posso ligar e desmarcar com a minha cliente.

Louise sabia o quanto o filho tinha um forte senso de responsabilidade, então tinha certeza que o mesmo não iria gostar de atrapalhar os compromissos da sua mãe e de seu pai que era juiz.

— Na verdade não me importo, só não consigo ver a necessidade de alguém ficar aqui comigo, sendo que estou bem, mas como sei que a senhora não vai ficar em paz, então o pirralho pode ficar se quiser. — disse Levi dando o ombro.

— Então você ficaria com meu Levi, querido? — falou sua mãe encarando o Eren com um olhar de cúmplice.

— Sem sombra de duvida, ficaria mesmo que a senhora não me pedisse. — respondeu o moreno tentando demonstrar um sorriso.

— Então já vamos filho, se cuida meu amor. — disse Louise dando um beijo na testa do filho, seguido por seu marido, que fez o mesmo.

— Se cuida baixinho! — pronunciou Hanji, bagunçando o cabelo do mesmo.

— Baixinho é meu .... — Levi automaticamente se repreendeu ao lembrar que seus pais ainda se encontravam no quarto, apesar de ser um boca suja em determinados momentos, na frente dos seus pais Levi não gostava de usar dessas palavras. — Simplesmente vá embora Hanji. — finalizou Levi encarando a mesma com o olhar das trevas, como tivesse dizendo que isso não ficaria assim. Hanji simplesmente sorriu e puxou os pais do Levi para irem embora com ela.

Quando todos foram embora, deixando apenas Levi e Eren sozinhos, se instalou um silencio no ar onde o moreno ficou sem saber o que fazer, não sabia se tentava puxar conversa ou ficava em silêncio, por um tempo ele ficou mexendo em suas mãos enquanto encarava o chão.

— Pretende ficar quanto tempo em pé moleque? — disse Levi quebrando o silencio.

— Ah...sim...verdade. — respondeu Eren se sentando na poltrona ao lado de Levi.

— Então, você não acha que tem algumas coisas para me contar? Vamos começar com quantos anos você tem? Preciso saber se ando a cometer crimes nesses anos que eu esqueci. — disse Levi encarando o moreno dos pés a cabeça, apesar de não se lembrar do moreno, era incrivelmente agradável olhá-lo.

Eren soltou uma risada diante do comentário do namorado, apesar de ele não lembrar, a personalidade do Levi não tinha mudado em nada, o que no fundo deixava o moreno menos culpado.

— Pode não aparentar, mais eu tenho 19 anos Levi. — respondeu Eren encarando o olhar de incrédulo do namorado. 

— Puta que pariu, e quanto tempo temos isso entre a gente? Me diga que faz apenas um ano. — disse Levi enquanto passava a mão pelo cabelo, esperando ansiosamente a resposta do moreno.

— Bom....depende do que você está querendo disser com isso. — questionou-se enquanto parecia refletir sobre o que falava.

— Isso que todo mundo diz que temos! Como e quanto tempo começamos... você sabe namorar. — finalizou Levi meio com desgosto o que fez com que Eren desse um sorriso de lado, pois entendia o quanto a palavra namoro antes deles se relacionarem era como um tabu para o mais velho.

— Bom, a gente se conheceu quando eu tinha 16 anos e estava no segundo ano do colegial, eu sempre fui apaixonado pelos seus livros e obviamente sempre quis te conhecer, mas você nunca tinha feito uma tarde de autógrafos, no entanto no dia que eu fiz exatamente 16 anos foi o dia que você resolveu fazer uma sessão em uma livraria da cidade. Quando eu te encontrei lá contei o quanto te admirava e que estava recebendo o maior presente de aniversario que eu poderia receber que era te conhecer e tinha deixado uma mensagem no livro de que queria a chance de poder conversar com você, discretamente quando você me devolveu o livro autografado você colocou uma mensagem dizendo para te aguardar no lado sul da livraria para conversamos, fiquei aguardando lá até você terminar e ir ao meu encontro.  Você me pagou um café como presente de aniversario e depois de conversar um pouco comigo você foi embora. Uns dias depois eu te encontrei em uma cafeteria e comecei a frequentar ela também e sempre acabava por sentar na mesma mesa que você, conversa vai, conversa vem e acabamos juntos. — disse Eren sorrindo se lembrando de vários momentos entre eles.

— Não acredito que eu realmente peguei um menor de idade, o que eu tinha na cabeça?  — Bom o que eu tinha eu imagino, afinal ele sem duvida é muito bonito, mas ainda não acredito que continuei com isso até agora.

— Digamos que eu fui bem persuasivo com você. Sei que isso vai soar clichê mas eu realmente me apaixonei a primeira vista, eu já o admirava bastante apenas pelos livros, porém assim que eu bati os olhos em você, eu sabia que daquele momento em diante eu não desistiria de você. — sorriu o moreno continuando. — E realmente não foi tão fácil assim, já que você não era muito receptivo a relacionamentos, ainda mais com pessoas "que mal saíram da fralda". Mas com todo meu charme eu fui abrindo aos poucos seu coração...

— Pelo jeito é convencido o pirralho ainda. — disse Levi interrompendo o mais novo.

Não que ele não tenha razão de ser convencido, mas ele não precisa saber disso. — pensava Levi.

— Tenho meus motivos, no entanto não foi tão simples assim. Depois que nós beijamos você se recusou a colocar as mãos em mim por um bom tempo, sempre que estávamos perto de avançar para o próximo passo, você me deixava a ver navios, mas quando eu completei 17 anos você finalmente foi para cama comigo. — finalizou Eren, sentindo seu rosto queimar de vergonha, o que fez com que Levi sorrisse achando fofo essa atitude do mais novo. 

Eu disse a palavra fofo? Eu realmente não estou bem da cabeça. — pensou Levi.

— Devo dizer que daí em diante não paramos mais não é? — perguntou Levi encarando o moreno que acabou por desviar o olhar envergonhado.

— Levi... bem... sim. — acabou por assumir o mais novo. — Você sempre teve uma grande estamina...— O moreno parou de falar assim que percebeu que Levi não parecia bem. O mais velho começou a ter algumas visões em sua mente não muito claras, mas conseguia ver aparentemente o moreno em uma cena parecida com a que eles estavam tendo, no entanto logo ele sentiu fortes pontadas na cabeça e por pouco não desmaio, porém tudo ficou branco em sua mente por alguns segundos.

— ..vi....Levi, por favor me resposta Levi... — quando o mais novo se preparava para sair e chamar o medico, ele sentiu uma mão segurando seu braço.

— Está...tudo bem Eren, foi apenas uma tontura, se acalme. — disse abrindo os olhos para encarar o rosto do outro assustado.

— Não acha melhor chamar o medico? Você ficou pálido por alguns instantes. Tem certeza que está tudo bem Levi? — disse Eren enquanto segurava uma das mãos do mais velho e com a outra tocava delicadamente na testa do mesmo.

— Sim Eren, eu estou bem. Eu tive apenas alguma visão, que acredito ser partes da minha memória e acabei ficando um pouco desnorteado com isso.  — falou enquanto afastava a mão de Eren da sua testa.

— Acho que foi muita informação para você de uma só vez, melhor você dormir para descansar um pouco, afinal aconteceu muita coisa em um só dia. — disse Eren pegando o lençol que estava na ponta da cama do outro e o cobrindo.

— Sim, melhor eu descansar por hoje. — Levi resolveu concordar, realmente se sentia cansada e pensava que uma boa noite de sono traria a clareza que ele queria.

— Boa noite Levi. — disse Eren se inclinando para dar um beijo na testa do outro pegando-o de surpresa, porém o mesmo não o afastou.

— Boa noite Eren. — finalizou Levi virando de costas para o moreno.

No dia seguinte o Medico junto com a psicóloga explicou que realmente essas dores que Levi sentiu foi devido as informações que ele recebeu e que ele deveria ir com calma e não tentar se forçar a lembrar, o que realmente irritou Levi, pois ele sempre odiou não ter o controle da situação, então acabava que ele vivia tentando questionar Eren, Hanji, e todos que o visitavam sobre o que aconteceu nos anos que ele não se lembrava. Todos os dias sua mãe e seu pai o visitavam no hospital e revezavam entre eles para dormir com o Levi. A cada dia que passava Levi não aguentava mais ter que ficar naquele hospital, tendo sessões com a psicóloga da qual ele achava perca de tempo já que o mesmo não apresentava nenhuma melhora, apenas em algumas situações com Eren que o mesmo tinha lapsos de memória, mas muito rápidos.

— Levi... — disse Eren enquanto abria a porta do quarto, como não teve resposta imaginou que o outro estivesse dormindo, entrou sem fazer muito barulho. O encarou por alguns instantes e delicadamente tocou em seu rosto fazendo alguns carinhos que logo passaram para caricias em seu cabelo, no entanto o que Eren não sabia era que assim que ele entrou no quarto o Levi acordou, porém quando o mesmo iria se pronunciar sentiu o moreno o tocando. Levi estranhava o quanto o toque dele era tão familiar,  pois por mais que se esforçasse não conseguia lembrar de nada, o que o deixava bastante frustrado, pois para ele era como se tivesse perdido uma parte muito importante de si mesmo, se sentia com um vazio imenso no peito que não sabia como completá-lo.

Por um momento Levi recordou de um livro que tinha lido há um tempo e tinha achado estupidamente romântico aquilo, mas que nesse momento parecia fazer todo o sentido. O livro falava que existiam dois tipos de memória, a do próprio corpo e a da mente. Caso a da mente viesse a falhar, por meio de gestos, toques e etc...o corpo se lembraria. De repente Eren parou seu carinho pelo cabelo do mais novo e ficou o observando, em especifico sua boca da qual ele sentia grandes saudades, como o mesmo pensava que o outro estivesse dormindo, achou que não faria mal ele dar um beijo nele. Então Eren se inclinou delicadamente evitando fazer movimentos bruscos para não o acordar.  Levi sentia o hálito do Eren próximo ao seu, é por mais que ele quisesse negar, ele sabia que também no fundo estava querendo que o moreno continuasse o que estava fazendo.


Notas Finais


Eai? O que será que aconteceu? Será que Eren vai continuar o beijo?
Não me batam não parei em uma parte tão maldosa assim! *tentando me convencer disso*
O que acharam? Gostaram?
Vou adorar saber o que vocês estão achando <3
Dicas, sugestões e criticas construtivas sempre são bem vindas!
Na parte final vai rolar o lemon, não se preocupem :v
Por isso eu deixei para postar depois, para dá mais uma revisada marota nela.
Espero que tenham gostado até aqui e nós vemos no próximo e ultimo capítulo.
Beijos a todos e até <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...