História Memories - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jeongguk, Junkook, Sugakook, Sugakookie, Yoongi, Yoonkook
Exibições 47
Palavras 4.937
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me desculpem pela demora, eu fiquei sem internet, ai teve a semana de provas e essas coisa só serviram pra atrasar esse capitulo.
Mas explicando algumas coisas aqui pra que vocês entendam, a cor dos cabelos dos meninos.
Jin: verde escuro, era i need u.
Yoongi: loiro, era dope.
Namjoon: rosa, era run.
Hoseok: preto, era no more dream, ele tinha aquele topete maravilhoso, saudades do topete.
Jimin: laranja, era run.
Taehyung: vermelho, era save me.
Jungkook: castanho, era blood, sweat & tears.
São meus cabelos favoritos de cada dos mvs, bom, era só isso, se mais alguma coisa ficar confusa e só perguntar que eu respondo.

Capítulo 4 - IV. Fantasma.


Quando o homem da recepção desmaiou, o loiro correu até o corpo do moreno pra ajudá-lo, pegou o mesmo no colo, o deitando sobre a mesa e lança um olhar acusador aos outros da sala, tirando mais novo, todos pareciam assustados ao lhe ver ali, o garoto de cabelos laranjas que chorava se agarrou ao mais alto ao seu lado, o loiro observou bem o garoto de feições delicadas, ele estava bem assustado mas mesmo assim, muito bonito, Jungkook se aproxima dos dois, com um sorriso estranho em seus lábios e sussurra algo no ouvido do ruivo chorão, mas o loiro nem se deu ao trabalho de tentar prestar atenção, seu olhar estava no esverdeado.

- Hyung não vai fazer nada? - perguntou ao mais velho, o mesmo pareceu descongelar e o foi até o moreno deitado, todos olhavam o mais velho de um modo estranho enquanto o mesmo verificava o moreno, mas o loiro nem pode perguntar algo já que o garoto que estava servindo de urso de pelúcia pro ruivo lhe dirigiu a palavra.

- É um fantasma, um fantasma de verdade. - diz com a voz grossa meio tremida, a frase irrita tanto o loiro que nem pensa antes de responder.

- Caralho Taehyung, quantas vezes vou ter que dizer que não é porque sou branco que sou um fantasma, mas que porra. - no momento em que a resposta mal educada sai o loiro arregala os olhos assustado e cobre os lábios com os dedos, não entendia o por que ter falado assim com o mais novo, afinal nem o conhecia, os outros cinco pareciam estar mais assustados que antes, estavam até meio pálidos o que estava deixando o loiro muito nervoso. - Eu... me... me desculpe, eu nem te conheço e falei assim contigo... eu... não entendo... - o loiro gaguejou e olhou pro mais novo em um pedido mudo de socorro.

- Suga Hyung. - o castanho o chamou baixinho. - Por que você não me espera lá fora, pode me esperar naquela sala ali. - apontou pra porta a direita, o loiro concordou e rapidamente saiu da sala de vidro indo pra fechada, quando Jungkook viu o loiro fechar a porta do seu escritório, foi até o desmaiado.

- Como ele está Jin Hyung? - perguntou sobre o moreno.

- Esta bem, foi só um queda de pressão, ele já já acorda. - disse com a voz tremida.

- Por que ele te chamou de Hyung? - perguntou sem entender.

- Jungkook... - prendeu a respiração tentando normalizar os batimentos cardíacos e não gaguejar. - Preciso te contar uma coisa...

- O que aconteceu? Eu tive um sonho muito louco que o Yoongi Hyung 'tava vivo e 'tava aqui. - falou Hoseok ao acordar se sentando sobre a mesa, olhou pra todas as pessoas na sala e estranhou o olhar assustado no rosto dos outros e o irritado com um fundo de mágoa no do mais novo. Engoliu em seco antes de abrir novamente a boca. - O que aconteceu?

- Min Yoongi está vivo. - a voz carregada de raiva do mais novo soou pela sala. - Durante três anos eu disse essa frase, e nenhum de vocês acreditaram em mim, vocês me chamaram de louco. JIMIN ENGOLE A PORRA DO CHORO. - com o grito do mais novo o ruivo se encolhe nos braços do Taehyung tentando parar de chorar, todos se assustam com o grito do mais novo, inclusive um certo loiro na sala ao lado, os mais velhos observavam Jungkook com pesar no olhar, sabiam que o castanho estava certo, então resolveram ouvir tudo calados. - Você me fez acreditar que estava louco Jimin, você e Namjoon me internaram naquele hospital psiquiátrico só porque eu tinha certeza que o Yoongi estava vivo. - lágrimas grossas desciam pelo rosto infantil do mais novo e sua voz começava a ficar embargada fazendo todos os cinco acompanhantes começarem a chorar juntos. - Vocês sabiam de tudo, sabiam o quanto eu sou dependente do Yoongi, e ao invés de me apoiarem, vocês me deixaram desacreditado.

- Jungkook... - Seokjin começou mas o mais novo o ignorou voltando ao seu discurso.

- Ele está vivo e está no meu escritório nesse momento, e ele pode não se lembrar da gente, mas eu vou fazer ele se lembrar e eu espero que ele perdoe vocês, pois eu nunca vou perdoar...

- JUNGKOOK. - gritou Namjoon.

- O QUE FOI? - gritou de volta, todos os cinco apontam pro lado de fora, quando olha pra saber o que raios os mais velhos queriam, vê ele lá, parado, lhe olhando assustado, estava apertando sua bolsa nos braços e 'tava com um porta retratos nas mãos, droga, havia se esquecido daquela foto, lágrimas de um choro silencioso desciam pelo seu rosto de porcelana quando, mesmo receoso, ele entra na sala, se dirigindo ao mais novo.

- Quero ir embora. - diz e volta pra sala do mais novo sem ao menos esperar a resposta, o castanho estava pra seguir o mais velho quando o esverdeado segurou seu braço o impedindo de sair.

- O que foi? - perguntou sem ao menos olhar pro mais velho.

- Precisamos conversar.

- Sim, precisamos. - suspirou tentando puxar o braço do aperto, sem êxito. - Você tem muito o que explicar.

- Tenho, você merece explicações, o Yoongi ssi também, mas não sou eu nem você que deve falar com ele. Não agora. - disse fazendo o mais novo olha-lo.

- Quem seria então? - perguntou sarcástico, puxou novamente o braço se soltando com facilidade dessa vez.

- Joongki Ah. - disse o mais velho irritando o castanho.

- Como?

- Só Joongki Ah pode explicar pro Yoongi. - disse e morde o lábio ao ver o loiro entrar novamente na sala de reuniões, o meses mais novo, acenou se despedindo, retribuiu com um sorriso ao ver que mesmo que o loiro tenha ouvido o que o mais novo disse, não estava irritado consigo. - Vou passar na sua casa as 16 tudo bem? - perguntou vendo o castanho acenar uma vez e sair acompanhado do loiro.

 

Estavam a alguns minutos no endereço que o loiro havia passado pro mais novo ir lhe buscar, estava tão distraído durante todo o caminho, que nem notou onde estava, só conseguia pensar sobre o flashback que teve ao ver o porta retrato no escritório do mais novo.

"Estávamos imundos, haviam decidido fazer um bolo de aniversário surpresa pro mais velho, mas nunca teriam imaginado que um simples bolo de chocolate com morango iria acabar em tanto desastre, tinha farinha e ovos em lugares do seu corpo que até deus dúvida, a cozinha que o mais novo tanto gostava de manter limpa, parecia uma zona de guerra, de certo modo era realmente isso, uma arena de guerra de comida, essa começada pelo mais novo, vale ressaltar, em bem no meio de toda a bagunça de ovos, açúcar, farinha, chocolate em pó, calda e pedaços de morango, estava o mesmo esparramado no chão, e eu estou deitado sobre seu peitoral, nossas respirações ofegantes de tanto rir e correr um do outro, estava bem cansando e considerando seriamente em dormir ali, sobre o mais novo naquela lambança mesmo, mas sente o mesmo se mexer, tenta ignorar até ouvir o som característico da câmera do celular, ia brigar com seu atual travesseiro quando a maldita campainha começa a tocar desesperadamente.

- Hyung, a porta. - o mais novo diz me cutucando.

- Então vai atender.

- A casa é sua. - diz rindo.

- A casa é nossa. - corrijo dando enfase na última palavra e me levantando preguiçosamente, essa criança que infelizmente é maior que eu consegue ser mais preguiçoso do que eu quando quer, credo, ao abrir a porta recebo um grito.

- AI MEU DEUS, É UM FANTASMA. - tinha que ser.

- Não sou um fantasma. - respondo rolando os olhos e segurando o sorriso para a ingenuidade do mais novo.

- O que aconteceu aqui hyung? Parece que foi atacado por... sei lá o que. - diz o mais baixo que sai de trás do Tae com uma caixa nos braços.

- Guerra de comida. - digo simplesmente. - O que tem ai Jimin?

- Cupcakes, de morango, o favorito do Jin Hyung. - dou passagem pra eles entrarem, e depois de muita bronca dos convidados e reclamações dos anfitriões, conseguimos limpar a cozinha e (re)fazer o bolo, só faltava eu tomar meu banho pois os dois não haviam deixado eu tomar com o mais novo pois íamos "enrolar" demais. Depois de tudo pronto e arrumado, Hoseok já tinha chegado também e só faltava Namjoon com o aniversariante com a desculpa de noite de cinema, não demorou muito e os dois entraram pela porta da frente sendo recebidos por palmas, confetes e gritaria."

Esse flashback havia o assustado, mais do que os outros, não entendia, se Jungkook e Seokjin Hyung o conheciam, porquê não falaram nada, principalmente o mais velho, sua cabeça doía com todos os acontecimentos do dia, leva os dedos ao cordão, rodando em seus dedos o anel que serve de pingente, estava tão distraído que só foi voltar a si quando a mão grande do mais novo puxa seu rosto em sua direção, as pequenas jabuticabas transmitiam tristeza, saudade e desejo, talvez. O loiro passa a língua sobre os lábios nervoso, de repente sente a boca secar e tenta se afastar pra sair do carro, mas o mais novo não deixa, escorrega os dedos pelos fios loiros do mais velho, agarrando os mesmos e o puxa de encontro a si, selando ambos os lábios, até tentou abrir a boca pra reclamar, porém o mais novo acaba entendendo isso errado e enfia a língua em sua boca, queria se afastar, até mesmo tentou, mas seu corpo não o obedecia, quando o maior rodeou sua cintura fina com o braço livre o puxando pra perto, sentiu-se rendido, o beijo transmitia saudade e familiaridade, era tão bom, tão certo, parecia que estavam a horas se beijando e o mais velho se pegou desejando que nunca acabasse, mas como tudo que é bom dura pouco, o loiro teve que se afastar pela falta de ar recebendo vários selares ao fim do ósculo, o que lhe arranca uma risada baixa, o beijo foi melhor do que se lembrava do seu sonho, se sentia envergonhado, não queria abrir os olhos, não queria mesmo, mas assim o faz quando percebe onde está sentado, foi tão automático, que nem percebeu quando rodeou o pescoço do mais novo com os braços e se sentou no colo dele, muito menos quando tirou o cinto, estranhamente não estava envergonhado pela posição, estar ali estava sendo algo tão natural que a única coisa que fez sobre isso foi se ajeitar no colo do mais novo.

- Por que fez isso? - o loiro perguntou quando o silêncio se fez incômodo.

- Isso o que?

- Me beijou. 

- Porque eu quis. - tentou beijar novamente o mais velho, porém o mesmo se afastou arqueando uma sobrancelha pela audácia da resposta do mais novo. - Está com fome? - perguntou ao ouvir o estomago do loiro dar sinais de vida, o mesmo coloca a mão sobre a barriga fazendo careta enquanto confirma com o cabeça. - Estava pensando em te levar em restaurante, mas pensando bem, o que acha de deixar eu cozinhar pra gente?

- Você sabe cozinhar por acaso? -  perguntou, pois pelo que sabia sobre seu flashback, a guerra começou após o mais alto errar a dosagem de leite do bolo, estragando assim a massa.

- Sei sim. - respondeu rindo. - Eu moro sozinho, tive que aprender a cozinhar pra sobreviver. - as últimas palavras do mais novo carregavam um tipo de sentimento que o mais velho não identificou, mas também não tinha certeza se queria saber o que era, então simplesmente confirmou com a cabeça e voltou pro banco do passageiro recolocando o cinto e vendo o mais novo ligar o carro.

 

- Uau, você mora sozinho aqui? - perguntou o mais velho ao passar pelos portões da moradia do mais novo, estava impressionado, afinal a sua frente esta uma puta mansão. - Quantos metros tem isso aqui?

- 15 mil metros quadrados. - respondeu observando o mais velho, afinal queria saber se iria se lembrar do lugar ou não. - E eu não moro mais nessa casa, moro na casa dos fundos. - falou ao mesmo tempo que para no estacionamento da casa bem menor que a principal.

- Por que raios você tem duas casas num só terreno? - saiu do carro seguindo o mais alto para fora do estacionamento e subindo as escadas pra entrar na casa, estava tão curioso que o mais novo o assemelhava a uma criança, estava parecendo o irmão.

- Eu morava com um pessoa na casa principal... mas ele sofreu um acidente a três anos, e desde então eu moro aqui... é menor e melhor também, já que desde aquele dia não consigo mais entrar na casa. - respondeu meio cabisbaixo, fazendo o loiro se sentir mal.

- Sinto muito. - disse tentando ignorar a curiosidade sobre a pessoa a sua frente.

- Sem problemas. - levou o loiro à cozinha e começa a fazer os pratos simples e rápidos, porém gostosos que aprendeu com o Seokjin Hyung. Ficaram em silêncio no pouco tempo em que demorou pra comida ficar pronta, o castanho arrumou as comidas sobre a mesa e entregou um par de jeotgarak¹ pro mais velho que agradeceu e começaram a comer.

- Você me conhece? - o loiro perguntou após uns minutos depois de terminar de comer quebrando o silêncio, o mais novo que estava na pia lavando as coisas que usaram tensionou no lugar assustado com a pergunta repentina.

- O que quis dizer com isso Hyung? - se apoiou sobre a pia sem ter coragem de olhar pro mais velho.

- Você tem uma foto nossa em que estamos cobertos de farinha entre outras coisas, e eu nem sabia da existência dessa foto, além de que meu cabelo esta laranja na foto, desde que eu me lembro, só tive o cabelo cinza, preto e no dia em que te conheci pintei de loiro. Você age como se fossemos íntimos, mas eu não te conheço pra termos essa intimidade toda... - o mais velho dizia baixo sem tirar os olhos do mais novo. - Além de claro que tem o que você disse pros outros lá naquele escritório, a unica parte que eu ouvi foi o final, você disse: "ele está vivo e no meu escritório, ele pode não se lembrar da gente, mas eu vou fazer ele se lembrar"... você estava falando de mim não estava? - ao perguntar a ultima parte o mais novo se vira olhando pra si, por mais que o mais velho quisesse respostas, os olhos vermelhos do mais novo o fizeram abaixar a guarda um pouco.

- Sim... eu estava. - a voz do mais novo sai tremida o fazendo se arrepender da forma que falou com ele.

- Eu tenho sonhado com você. - diz com calma vendo os olhos bonitinhos se arregalarem e soltarem algumas lágrimas. - Não são exatamente sonhos já que as vezes também acontece enquanto eu estou acordado, tipo hoje no seu escritório, mas é sempre com você, digo, sempre tem você. - diz rapidamente assustado com o choro do mais novo. - Você... você pode me falar quem eu sou?

- Não... Eu não posso... - o loiro abaixa a cabeça com a resposta do mais alto. - Seokjin me proibiu de falar com você sobre isso... ele diz que Joongki que tem que dizer...

- Você conhece o Joongki? - o mais velho pergunta ignorando o desprezo na voz do mais novo quando diz o nome do psicanalista.

- Infelizmente. - Responde com uma careta ao perceber o modo íntimo que o loiro chamou o mais velho. - Vamos, vou te levar pra casa. - diz mudando de assunto.

- Por que estamos no Asan Medical Center²? - perguntou o mais novo um pouco desconfortável ao parar no estacionamento.

- Eu moro aqui. - respondeu tirando o cinto e se virando pra pegar a bolsa no banco de trás.

- Aqui? Desde quando você mora aqui?

- Desde que sofri o acidente, fui trazido pra cá. - disse se encostando ao banco de lado olhando o castanho. - Eu também trabalho aqui como voluntário em troca de poder ficar. - o loiro diz dando de ombros, o mais novo estranhou a história, mas sabia que ele não estava mentindo, estranhou também a conhecidencia e com um suspiro se encostou no volante.

- Em que área você trabalha?

- Eu fico em duas áreas, a pediátrica e a psiquiátrica, eu só fico de olho nos pacientes quando estão todos no jardim, só isso que faço. - o mais novo arregalou os olhos com a fala do mais velho.

- Como eu nunca te vi então? - perguntou baixinho, mas pra si mesmo do que pro mais velho.

- Como assim?

- Ano passado... fiquei nove meses internado nesse hospital... na área psiquiátrica, como eu nunca te vi? - estava confuso, tinha certeza que se o mais velho ficava lá teria notado, não entendia, até que se lembrou que esse é o mesmo hospital no qual Seokjin e Joongki trabalhavam, apostava que tem dedo deles nisso. - Ah não acredito nisso, aqueles dois... - diz jogando a cabeça pra trás com um sorriso sarcástico nos lábios.

- De quem você 'tá falando Jungkook? - se aproximou do mais novo colocando a mão na testa do mais novo conferindo sua temperatura, estava normal então ele não estava delirando, ou talvez sim, ele não acabou de dizer que era paciente... olhou bem o rosto do mais novo, tentando lembrar se já tinha visto ele pelo enorme hospital. - Ei... você disse que estava internado ano passado? - o mais novo virou o olhar pra si, confirmando com a cabeça. - É claro, eu lembro de você, você é o paciente louco que deu um escândalo porque não queria ser atendido pelo Joongki. - diz animado mas logo cobrindo a boca com as mãos ao notar o que diz, isso arranca uma gargalhada gostosa de se ouvir do mais novo.

- Sim, sou eu mesmo. - diz sorrindo com a sinceridade do mais velho, olha o relógio no pulso vendo as horas e suspira. - Hyung, eu tenho que ir, o Jin Hyung disse que ia passar lá em casa daqui a pouco. - ele não queria deixar o mais velho ir, mas sabia que precisava.

- Tudo bem, eu também tenho que falar com o Joongki antes que ele vá embora.- diz sorrindo pro mais novo e se vira pra sair do carro quando e puxado novamente pelo castanho tendo os lábios selados rapidamente, o mais velho morde o inferior e sai do carro correndo pra dentro do hospital envergonhado ao som da risada do mais alto.

 

- Que tal começar a se explicar? - perguntou assim que voltou da cozinha com dois copos de refrigerante entregando um ao mais velho.

- Bom... por onde eu começo? - perguntou a si mesmo pensando. - Bom, a três anos eu estava de plantão lá no hospital, quando recebemos o chamado de que houve um acidente, um incêndio na Agencia Min, tentei te ligar pra avisar mas você não atendia, e então começaram a chegar os pacientes, muitos ainda não davam pra reconhecer ou não haviam sido reconhecidos, estava tudo um verdadeiro caos, tinha tanta gente morta chegando também que eu fiquei com medo do Yoongi estar lá no meio, sei que isso é egoismo, mas era só nele que eu pensava, tinha... Um desconhecido morto em especial, todas as características batiam com a do Yoongi, altura, idade, tipo sanguíneo, cor de pele, cor do cabelo, tudo, tudo mesmo, estavam dizendo que esse homem era o Yoongi, mas como seu rosto estava desfigurado não sabíamos se era ou não, mas ele estava sem o anel no dedo, por isso desconfiei que não era ele, pois mesmo com a briga de vocês sei que ele não tiraria o anel, mas os bombeiros também poderiam ter tirado, eu não sei.

Eu queria conferir se era ele mesmo, pela tatuagem, mas eu fui arrastado pra uma cirurgia de emergência de um outro cara, seu rosto estava todo inchado e escarlate pelo sangue, os braços estavam bem queimados, caso grave, ele estava com uma hemorragia cerebral no lóbulo frontal direito, a parte do cérebro responsável pela memória, tive que abrir pra cuidar da hemorragia, mas sabia que ali, as chances de haver sequelas eram enormes, e elas seriam perda total ou parcial da memória, depois de cuidar do desconhecido fui atras do outro pra descobrir se era ou não o Yoongi, mas não o achei mais. Alguns dias depois o cara da cirurgia acordou, então me chamaram pra fazer exames nele, seu rosto ainda tava inchado mas enquanto eu examinava ele, sendo observado pelo mesmo o tempo todo, notei que na mesinha ao lado do leito estava um anel, o anel dele, eu fazia perguntas pra ele, mas ele só respondia com um manear de cabeça com 'sim' ou 'não', até que eu perguntei sobre o anel, eu achava que ele não ia responder de jeito nenhum dessa vez, já que ele só ficou em silêncio, olhando pro círculo prateado, até que ele abriu a boca e disse um 'eu não sei', e era ele, era a voz dele, mas poderia ser só minha vontade de que fosse ele, então eu pedi pra ele se sentar pra poder auscultar o pulmão dele, ele tinha a tatuagem, e ali eu soube, Min Yoongi estava vivo...

Só que aquele não era Min Yoongi, ele parecia não se importar mais se estava vivo ou não, ele não comia, não falava com ninguém além de mim, e nunca saia do quarto, ele só ficava lá, olhando as paredes, até que Joongki apareceu, ele... Ele ficou mais animado, começou a comer e aceitava passear... Ele parecia ele de novo, de certo modo, não era Min Yoongi ainda, mas estava quase... Tentamos forçar as memórias dele a voltar, mas ele tinha dores de cabeças horríveis, então nós juntamos, Joongki, o neurologista dele e eu, o neurocirurgião, fizemos alguns exames nele e decidimos que era melhor não forçar, pois isso poderia ser uma sequela do acidente ou da cirurgia, ou então, um mecanismo de defesa, como a síndrome pós traumática, então a memória dele poderia voltar. No início, lá pras primeiras semanas, ele chamava você dormindo, mas quando acordava não se lembrava de ter sonhado, o cirurgião plástico que cuidou dos braços dele disse que ele também chamou seu nome durante a cirurgia, ele te chamava, mesmo não se lembrando de nada, ele te chamava.

Eu nunca contei para ninguém quem ele era, só Joongki que sabia por já conhece-lo, mas ele ainda estava como desconhecido, um dia qualquer, uns meses depois de acordar da cirurgia, ele chegou em mim dizendo que teve um sonho, com uma pessoa, mas não conseguia se lembrar do rosto dessa pessoa, mas ele disse que essa pessoa o chamava de Suga, e desde então ele fez todos os chamarem assim, eu sabia que ele estava falando de você, pois foi você que deu esse apelido pra ele, então eu queria te levar lá, fazer ele te ver, conviver com você, pois se ele te chamava, talvez ele se lembrasse de você, pensei que você pudesse ser o gatilho pras memórias dele voltarem, mas você estava tão... tão problemático, você estava morto por dentro e começou ter problemas psicológicos, você começou a vê-lo em todo canto, e eu sabia que você estava delirando, afinal nunca deixamos o Yoongi sair do hospital, tinha quase um ano que ele estava internado quando o conselho do hospital queriam porque queriam que o Yoongi saísse, afinal ele não precisava estar lá, então eu e o Joongki nos juntamos e fizemos uma proposta pro concelho, nós pagaríamos pra ele ficar, em troca eles diziam que tudo que ele tinha que fazer era trabalho voluntário, Yoongi nunca desconfiou de nada, na verdade teve uma época que sim, ele me perguntou quem iria pagar as dívidas médicas dele se ele não sabia quem, eu disse pra não pensar sobre isso pois o dono do lugar que ele sofreu o acidente pagava, e de certo modo é isso mesmo, você sabe que além de você, Namjoon tem acesso a conta bancária dele, eu peguei o cartão do Namjoon sem ele perceber e paguei tudo, mas depois do acordo com o conselho, pagava com meu próprio dinheiro.

Ele estava bem, saudável, e já podia sair, Joongki o incentivou com a fotografia como um modo de terapia e eu via resultados, ele estava cada vez mais parecido o Yoongi que eu conheci, mas só faltava você, teve uma semana em que eu estava decidido a levar você numa quarta-feira pra vê-lo, porém os meninos te internaram, achei que isso seria prejudicial pra você e pra ele, então nos primeiros dois meses da sua internação, fiz de tudo para que vocês não se encontrassem, ai um dia você parecia melhor, estava melhor, e então parei de tentar impedir o encontro de vocês, só fiquei observando vocês de longe, porém vocês passavam direto um pelo outro, como se não se vissem, as vezes até interagiam, por poucos segundos, mas nada aconteceu, vocês não se reconheceram, foi assim por meses, até você receber alta.

Yoongi não era mais meu paciente a muito tempo e mais nada eu poderia fazer, deixei tudo com Joongki, o novo tratamento dele parecia fazer efeito já que as vezes ele me ligava ou vinha atrás de mim perguntando se ele conhecia tal lugar, parece que o Yoongi ia pra lugares que vocês frequentavam juntos e depois ligava pro mais velho pedindo pra ir busca-lo pois não sabia como havia ido parar lá ou como voltar, uns meses depois desse tratamento começar ele teve um sonho, um sonho que pela descrição do Joongki era vocês dois, no Jardim da escola enquanto esperavam Jihoon, eu estava muito animado, e bem feliz, planejava contar pra vocês o mais rápido possível, queria marcar um encontro com todos para contar sobre isso, mas Jimin ssi me mandou uma mensagem dizendo que você havia convocado todos nós para uma reunião no dia seguinte, e eu pensei 'por que não aproveitar e contar?' Mas no dia seguinte, quando deu a hora da reunião, uma surpresa, você entrou na sala com Min Yoongi ao seu lado, e estragou todo meu plano de contar tudo com calma.

Ao fim do relato do esverdeado o mais novo se jogou no colo dele chorando, um choro pesado que não sabia exatamente quando tinha começado, mas sabia que iria demorar a parar, pedia inúmeras desculpas pro mais velho, mesmo sem saber do porquê estar se desculpando, o mais velho nada dizia, decidiu só embalar o castanho em um abraço e afagar suas costas esperando o mais novo se acalmar, o acompanhando com lágrimas silenciosas, o mais novo só se acalmou quando ele pegou no sono em seu colo, sua respiração estava descompassada, o rosto bem vermelho e inchado, evidenciando o choro recente, ajeitou-o em seus braços e com um pouco de dificuldade o levou para o quarto, o deitou sobre a cama e deu um breve selar em sua testa.

- Espero, realmente, que sua promessa de hoje não tenha sido em vão pequeno Jungkook. - sussurrou pro adormecido. - Yoongi precisa de você, sempre precisou, só não sabe ainda, cuide bem do meu Yoongi ssi e o ajude a recuperar as lembranças da gente. - sorriu com um suspiro do mais novo e um balbuciar que muito se assemelhava ao nome do loiro e da as costas decido a ir pra casa se arrumar, afinal, hoje pegava o turno da noite já que passou o dia na rua.

 

Assim que entrou no hospital o loiro se virou vendo o carro do mais novo sumir numa esquina, levou uma mão aos lábios e outra ao anel, estava ciente do sorrisinho bobo que adornava os lábios, mas decidirá não se importar, após checar com uma enfermeira se o mais velho ainda estava em seu escritório se dirigiu ao mesmo e esperou ser chamado, o moreno tinha muito o que explicar pra si.

- Hey, duas vezes num dia só. Ficou com saudades? - perguntou brincando e com um sorriso grande nos lábios, mas não foi retribuído pelo loiro, tinha assuntos sérios a tratarem.

- Quem sou eu? - perguntou sério, o que faz o mais velho desmanchar o sorriso. - Quem é Jungkook? De onde ele me conhece? E o mais importante, por que ele disse que não poderia responder essas perguntas? Só você? - perguntou tudo de uma vez com medo de ser interrompido, o moreno só engole em seco e inclina um pouco a cadeira pra trás.

- Qual é o meu nome? - o mais velho diz baixo enquanto olhava pro teto. - Meu nome completo.

- O que isso tem hav?... - tentou perguntar mas foi interrompido.

- Qual é o meu nome? - perguntou novamente, dessa vez olhando pro loiro.

- Joongki. Jeon Joongki. O que isso tem ha... - se interrompe ao perceber.

- Isso mesmo, meu nome é Jeon Joongki, e eu sou irmão do Jungkook.


Notas Finais


1: os famosos 'pauzinhos', pode ser de madeira ou de aço. Na coreia eles chamam assim, no japão chamam de hashi, na china de kuàizi e por ai vai.
2: é um hospital-escola enorme de seoul, lindo, um sonho para qualquer pessoa que vá cursar medicina, está entre os 10 melhores hospitais de seoul, em sexta colocação se não me engano, porém eu escolhi esse pois tem um lago ao lado, se vocês colocarem o nome no google imagens ou o endereço no maps vocês verão que sonho. o endereço é '1:88 Olympic-ro 43-gil, Songpa-gu, Seoul 138-736, Korea, South.'

Já sabem, qualquer errinho por menor que seja, me avisem pra poder arrumar na hora.
Bom... Comentem muito, se gostou, se odiou, se ta um bosta, se ta bom, só comentem, isso me deixa muito feliz, muito mesmo.
Queria agradecer aos 33 favoritos, isso me deixou muito contente.

De uma pessoa completamente apaixonada por yoonkook, para outras.

xoxo Ren.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...