História Memories - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Exo
Exibições 80
Palavras 2.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Então pessoas, esse capítulo ficou bem maior do que era pra ficar porque hoje é aniversário do Chanyeol e eu quis fazer um pequeno especial. Não era nem pra ter lemon nesse capítulo mas não resisti ao Baek dando um presentinho por ser aniversário do Chan. Minha ideia não é ter lemon toda hora, mas calhou de ter nesse também :v

É isso, espero que gostem.

Capítulo 5 - Consequences


Fanfic / Fanfiction Memories - Capítulo 5 - Consequences

Consequences - Baekhyun version

 

Chanyeol tinha acabado de se colocar sobre meu corpo, eu senti um pequeno arrepio de pensar no que faríamos a seguir, reação natural que este homem causa em mim e então...

- Baek, voltei mais cedo para... – Chan saiu de cima de mim – Puta merda Baekhyun, não acredito nisso – Minhyuk saiu do quarto, eu deixei em Chanyeol um beijo, esperando que ele entendesse que era mais importante, e fui atrás do meu atual namorado.

- Minhyuk...

- Você não vai tentar se defender né? – Ele andava de um lado pro outro, vermelho de tanta raiva.

- Não vou me defender.

- A quanto tempo isso acontece em? Quem é aquele cara?

- Chanyeol veio me encontrar hoje.

- Ótimo, é o famoso Chanyeol, amor da sua vida. O que você estava pensando Baekhyun? Eu faço de tudo por você, pra ter seu amor e este cara aparece depois de anos que te abandonou e tudo se torna descartável? – Ele começou a chorar e meu coração doía por fazer isso, Minhyuk sempre cuidou de mim.

- Desculpa Min, eu não sei o que dizer. Eu e ele conversamos e aconteceu.

- Você me promete que não vai acontecer de novo? – Ele pegou nas minhas mãos e me olhava com tanta esperança – Me fala Baek, se você prometer eu te perdoo, juro, não guardo mágoa, mas me promete. Vou fingir que nada aconteceu.

Eu estava entre ser justo ou ser mentiroso. Mal conseguia olhar ele nos olhos. Não podia prometer isso, agora que encontrei Chanyeol e depois de todas as coisas que ele falou eu realmente espero que aconteça muito mais entre nós, então deixei o silêncio responder por mim e fitei o chão.

- Sinto muito Min...

- Espero que ele te faça feliz como eu tentei. Desculpa não conseguir fazer você esquecê-lo. Pra falar a verdade, eu esperava por isso, pensei que era só coisa da minha cabeça e que ele não voltaria, mas não se pode ter tudo né?

Sinceramente eu estava esperando receber uns bons socos na cara, uma gritaria digna de chamar os policiais ou até uma leve agressão no Chanyeol, mas Min apenas virou as costas, pegou as malas que tinha deixado na sala e foi embora.

Eu chorei mas não de tristeza dele ir, e sim porque me senti tão mal de fazer alguém perder tempo comigo e ainda se desculpar. Sentei no chão e deixei as lágrimas virem, em meio ao barulho do meu choro senti fortes braços me pegando no colo e voltando comigo pra cama.

- Desculpa fazer com que seu namorado fosse embora – Chanyeol disse – Não chora, eu posso ir conversar com ele se quiser.

- Eu não o amo Chan, é só que ele sempre tentou me agradar e fazer de tudo pra eu te esquecer. Ele me ajudava quando eu tinha algumas recaídas e ficava dias seguidos chorando por ti. Por causa dele eu estou muito melhor hoje, e como eu retribuo? O traindo com o homem que ele sempre tentou superar. Min fazia de tudo pra ser melhor que você.

Chanyeol apenas me abraçou e eu fui me acalmando aos poucos, a culpa estava lá e não deixava de me assombrar. Tenho certeza que se fará presente por muito tempo, mas foi o que eu escolhi.

- Chan, não entenda isso da forma errada, mas você não tem que ir pra casa? - Perguntei assim que o choro tinha cessado.

- Hoje estava combinado que eu fosse pra Busan e ficasse por lá uns dois dias. Posso passar a noite aqui?

- Claro!

Eu realmente fiquei animado, além de tê-lo de volta ele passaria a noite, e isso significava muito pra mim.

- Baek, eu te amo mas – Ele fez uma pausa que fez meu coração acelerar, pensei em mil e uma coisas ruins – Estou morrendo de fome, tem como pedir uma pizza?

- Nossa que susto Chanyeol – Empurrei ele com força e ele deu risada porque como ele era bem mais forte que eu, não aconteceu nada.

Fomos pedir a pizza, fui arrumando a mesa com ajuda dele. Era ridículo o quão incrédulo eu ainda estava com toda essa situação.

Park Chanyeol está na minha casa.

O amor da minha vida está perambulando por aí de cueca.

Chanyeol é extremamente lindo.

E por fim, estávamos indo jantar juntos pela primeira vez em muitos anos.

Eu tentava assimilar todas essas informações e muitas mais, mas parecia demais pra mim. Era simplesmente tudo o que eu sempre quis.

- Baek, vai abrir a porta pro cara da pizza ou vai ficar me olhando? – Ele perguntou me estendendo a mão com dinheiro pra pagar o motoboy.

- E-Eu vou pagar, não precisa do dinheiro – Peguei minha carteira e abri a porta mas assim que eu fui dar o dinheiro Chanyeol apareceu atrás de mim e pagou ele mesmo – Chan, eu disse que pagaria.

- Vai discutir comigo porque eu paguei a pizza?

- Vou – Eu falei de braços cruzados.

- Você fica tão lindo bravo, às vezes eu faço de propósito só pra ver essa sua carinha – Ele me deu um beijo no rosto e foi sentar na mesa. Definitivamente não tinha como ficar bravo com ele.

 

 

Acordei no dia seguinte me sentindo tão leve. O calor daquele dia já ensolarado entrava pelas janelas que estavam parcialmente abertas, o ventilador ligado nos refrescava enquanto estávamos cobertos por um lençol bem fino.

Além de tudo isso eu tinha ele ao meu lado.

Meu “ele” sempre se refere a Park Chanyeol. Peguei no celular e vi que era dia 27 de novembro, mal tinha reparado que já estávamos no final do ano, e além disso era aniversário do meu amor.

Passei a mão de leve sobre seu rosto e a repousei ali enquanto o acariciava com meu polegar. Chanyeol foi despertando e virou o rosto para dar um beijo na minha mão.

- Feliz aniversário Channie – Dei um beijo na ponta de seu nariz.

- Não sabia se ia lembrar.

- Nunca esqueço.

Fui beijá-lo mas seu telefone tocou e ele colocou no viva-voz.

 

- Papai! Feliz aniversário – Ouvi uma vozinha tão fofa que identifiquei como a de Hyuk.

- Obrigado filho! Estou com tanta saudade, cadê o Jae?

- Tá aqui papai, espera aí – Chanyeol sorria ao olhar pro telefone.

- Papai feliz anivessalo – Segurei minha risada, Jae era tão fofo e eu lembrei que era o mais novo.

- Obrigado neném! Que saudade da voz de vocês meus pequenos. Cadê a mamãe?

- Roubamos o telefone dela pai – Hyuk disse – Acho que ela tá dormindo. Quando você volta? Queremos brincar com você.

- Papai tinha umas coisas pra resolver, mas volto o mais cedo que eu puder ok? Cuida do Jae enquanto sua mãe estiver dormindo.

- Ok pai, volta logo.

 

- Seus filhos são as coisas mais lindas desse mundo – Eu disse ao lembrar de alguns episódios do Chan brincando com eles.

- Gostaria de conhecer eles?

- Muito! Sou completamente apaixonado deles, o Jae parece ser a coisinha mais carente de todas – Chanyeol sorriu – E o Hyuk parece tão esperto.

- Acho que alguém assiste meu programa na tv.

- Eu tentei não assistir, juro, mas é irresistível ver você com seus filhos, dá uma vontade louca de participar da brincadeira de vocês.

Chan me abraçou e me deu um beijo no rosto.

- Estou tão feliz que você quer conhece-los! Desde que eles nasceram eu fico me perguntando como seria se você os conhecesse.

Dei risada porque eu sempre sonhei com isso, e imaginar que estamos conectados a tal ponto de pensar a mesma coisa me deixa feliz. Essa felicidade toda contagiou Chanyeol de tal forma que puxou meu corpo pra cima do dele e começou a me beijar.

- Chan, vou tomar um banho, depois a gente faz isso.

- Ah Baek, toma depois.

- Realmente preciso do banho.

Sai correndo da cama porque tinha certeza que ele me convenceria do contrário. Escovei os dentes e entrei no chuveiro. Fechei os olhos e me enfiei debaixo da água, deixando ela levar todos meus medos e incertezas para eu poder aproveitar aquele dia sossegado. Estava tão concentrado nos meus pensamentos que só fui me tocar da presença de Chanyeol quando ele me abraçou por trás.

- Que susto Chan!

- Você é muito assustado – Ele começou a beijar meu pescoço e seu sentia seu corpo forte e molhado grudado no meu.

- Channie... Era melhor não...

- Deixa esse ser meu presente de aniversário Baek? Por favor?

Nem eu sabia porque estava tentando evitar, mas o pedido dele me fez dizer que sim. Como sempre, qualquer coisa que ele pedisse com a boca rente ao meu ouvido eu diria mil vezes que sim.

Chanyeol me virou de frente pra ele e sua boca provou da minha, algumas vezes com calma, outras com pressa. A água morna passava por nossos corpos e sentir o membro dele junto do meu me deixava arrepiado.

Como o presente era pra ser dele, o empurrei sem muita força, ele encostou no box e eu fui beijando seu corpo inteiro sem pressa, até me ajoelhar e pegar em seu membro. Coloquei na boca e comecei a fazer do jeito que ele gostava, seus gemidos sempre me faziam perder a linha e enquanto eu o chupava, comecei a me tocar, então gemia com o membro dele na minha boca.

- Baekkie, hmm eu vou...

- Ainda não – Interrompi o que fazia, ele me pegou no colo e minhas pernas estavam em volta da sua cintura.

Voltei a beijar seu pescoço, quis muito dar um chupão mas em breve ele voltaria pra casa. Chanyeol inseriu um dedo em mim e eu pedi exatamente o que ele gostaria que eu pedisse.

- Chan, pode ir.

- Mas Baek-

- Eu sei que você quer, pode ir – Eu o interrompi, desde sempre Chanyeol gostava de me penetrar sem eu estar propriamente preparado, porque ele dizia que ficava mais apertado e era mais gostoso, mas normalmente doía demais, principalmente porque o instrumento dele de pequeno não tem nada – É seu aniversário Chan, pode fazer o que quiser, mas só hoje tá?

Ele sorriu, eu o abracei e senti seu membro já posicionado na minha entrada. Chanyeol tentou ser delicado mas mesmo assim doía, ele foi se colocando sem pressa e gemia ao sentir meu interior o sufocando.

- Pode ir Chan – Eu disse pra ele não esperar, porque sabia que seria melhor pra ele.

Meu moreno agarrou na minha bunda com as duas mãos e eu subia e descia no meu membro, assim era mais difícil de ajudar porque corria o risco iminente dos dois escorregarem e caírem no chão. E isso é bem a nossa cara.

Chanyeol se retirou de mim e me virou de costas. Eu me abaixei e tentei me segurar na parede como podia então ele conseguia me penetrar com mais força ao segurar no meu quadril.

Se dois homens realmente fossem pro inferno por se amar nós dois estávamos ferrados, o som do seu corpo investindo contra o meu era bem alto e se misturava com o som de prazer que saia de nossas bocas, provavelmente o capeta estava conseguindo ouvir lá de onde ele fica.

De qualquer forma isso não nos impedia de nada. Se é o preço que temos que pagar, pagaríamos sem nos arrepender

Eu senti Chanyeol me preenchendo com seu prazer - que assim que o moreno se retirou - escorria pelo meu corpo. Em seguida Chan me encostou na parede e me chupou até que eu me desfizesse na sua boca.

Depois dos dois terem sentido a satisfação que é quando estamos juntos dessa forma, apenas nos abraçamos e deixamos a água percorrer nossos corpos enquanto recuperávamos o folego.

- Melhor... Aniversário... Da minha vida – Chanyeol disse.

- Ok agora vamos tomar banho mesmo né?

 

 

Passamos um dia tão gostoso, depois da pequena aventura do banheiro aquietamos a bunda e eu fiz o meu melhor pra dar um almoço perfeito pra ele.

Chanyeol nunca foi o tipo de homem que gostava de presentes caros e restaurantes chiques. Tudo que eu fazia, pequeno gestos, significavam muito mais.

Passar esse tempinho com ele foi tão perfeito, pelo menos até a esposa dele ligar. Eu tentei não ouvir a conversa mas infelizmente ela fala alto.

 

- Channie, vem pra casa, é seu aniversário e eu tenho um presente pra você – Ela era tão manhosa que dava vontade de vomitar desse aegyo exagerado.

- Volto mais tarde, agora estou ocupado.

- Channie, acho bom você não estar me traindo em. Arranco seus filhos de você em trinta segundos.

- Vai ficar me ameaçando mesmo? Desde quando faz isso? Você parece estar bêbada.

- Estou.

- E quem está cuidando dos meninos?

- Eu.

- Ou seja, ninguém. E você ainda se considera uma boa mãe? Devia estar cuidando das crianças e não enchendo a cara!

 

Chanyeol estava ficando vermelho de tanta raiva, desligou o telefone na cara dela e respirou fundo.

- Baek...

- Tudo bem, pode ir, eu entendo.

- Quando os meninos ficam sozinhos quase destroem a casa e ela não deve estar nem aí.

- Não tem problema Channie...

Como estávamos sentados no sofá ele apenas me puxou pro colo dele e me deu um longo abraço. Chan se levantou pra se vestir e eu fiquei esperando perto da porta.

- Vamos nos ver de novo e em breve, vamos dar um jeito ok? – Eu assenti com a cabeça e ele me deu um beijo rápido – Não fique triste, eu prometo que vamos dar nosso jeito.

- Tudo bem Chan.

Ele pegou as chaves do carro e sua carteira e saiu. Mais uma vez eu estava vendo ele partir sem fazer nada. Apenas fechei a porta e deixasse que todos os medos que eu tinha silenciado voltassem a me atacar.

Afinal ele tem a família dele, os filhos e eu era o que? Apenas seu amante.

 

 

Poucos dias se passaram e cada um deles Chanyeol me mandava mensagens. Sempre ele que iniciava o contato e eu apenas alimentava o assunto.

Quando deu uma semana de todas as mensagens e ligações na calada da noite meu celular começou a vibrar e eu o atendi.

 

- Oi Chan.

- Baek, ela descobriu.

 

Continua...


Notas Finais


Musiquinha de suspense~

Ok, todo mundo tava esperando o tal do Minhyuk destruir a casa, mas será que ele apenas saiu porque tem um plano ou porque realmente gosta do Baek? E o que diabos a doida da esposa do Chan vai fazer agora?

Como vocês puderam ver os capítulos tem o mesmo título e a estória vai seguindo com o ponto de vista de cada um, se nesse vocês viram a reação do Minhyuk, no próximo terá a da esposa do Chan e por aí vamos.

Enfim, vou fazer uma propagandinha, tenho uma chanbaek oneshot postada e aqui está o link https://spiritfanfics.com/historia/a-guerra-7072428 além dessa tenho várias outras fics ♡♡

Quem quiser falar comigo é @pcyjdae no twitter e quem puder deixa um comentário ou um fave ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...