História Memories After Life - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Kris Wu, Suho, Xiumin
Tags Cbx, Chenbaekxi, Chenkai, Kaichen, Krisyeol, Suyeol
Visualizações 36
Palavras 2.626
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Prazer, eu sou Gle, um rapaz ~sim, homem~ de 18 anos, não é minha primeira fanfic e não será a última.

Eu tive essa idéia baseadas numas músicas de um calor canadense, Shawn Mendes, e quis escrever essas idéias. Espero que gostem assim como gosto.

Recomendo que leiam esse capítulo ouvindo Rose, desse mesmo cantor.

Capítulo 1 - Number One: Carnation


Fanfic / Fanfiction Memories After Life - Capítulo 1 - Number One: Carnation

Três amigos no chão, deitados no chão, fazendo poses para o celular erguido no ar com a câmera frontal ligada. Sorriam, depois faziam caretas, faziam bicos, mais caretas, a última foto seria tirada e se abraçaram e cada um da ponta selou seus lábios na bochecha do amigo ao meio enquanto o mesmo sorria.

Um ama o outro mais do que ama a si mesmo e isso era admirado por muitos, invejados por alguns e odiado por adolescentes de mente fechada e por adultos que viam eles por aberrações.

Aberrações por: Baekhyun ser um homem transexual; Minseok ser lésbica e Jongdae ser panssexual. Completamente assumidos para quem quiser saber.

Desde que se entende por gente, Baekhyun, nunca se vira como a menina que biologicamente era. Odiava seu nome feminino que era BaekHee, sempre preferiu ser chamado por Baek, até que aderiu ao Baekhyun. Se sentia melhor em roupas masculinas do que em femininas, sentia repúdio dos vestidos e roupas femininas que ganhavam e só as usavam quando tinha que ir para rua ou sair para algum lugar, a mando de seus país.

Aos oito anos, seus pais o levaram para um psicólogo, não achavam normal. Se preocupavam com o filho e viram várias entrevistas e artigos sobre crianças trans. Apoiariam Baek em tudo, tudo que ele queria, quer ou pretende querer e fazer, passariam por cima de qualquer que os julgasse por isso, mas não iriam abandonar seu filho por causa de pessoas insignificantes. Fariam tudo no tempo, lugar e jeito certo para a felicidade de seu filho.

Várias conversas com o psicólogo, várias com o seu filho sobre a mudança de vida, naquele momento, Baekhyun soube que nunca mais séria BaekHee. Ele e seu pais começaram pela mudança de dentro de casa, arrumando o quarto deixando masculino e mudando o guarda-roupa. Doando as roupas femininas e comprando masculinas. Aos dez anos, Baek iniciou o tratamento hormonal, não iria fazer nenhuma cirurgia até que seu corpo estivesse totalmente transformado.

Minseok nunca foi uma garota de se esconder, segundo ela mesma, sua vida é um livro aberto. Uma garota de atitude que enfrenta qualquer um que dê palpite em sua vida. Sempre soube sua sexualidade, desde de criança e sempre dizia para seus pais que gostava de garota.

De início, seus pais ficavam preocupados com as conversas sobre sexualidade, aliás, quando começou a falar sobre isso, tinha apenas seis anos. Ao passar do tempo, foram aceitando a filha, seu jeito de ser, seu gosto de roupa voltado ao masculino e sua sexualidade também. Tudo.

Sempre tinha aqueles que iriam criticar, sempre tem, e ela não seria uma exceção. Só que Minseok nunca foi de ligar para críticas, nunca ligou nem ligaria, a aceitação de seus pais era o que mais importavam e ela tem isso, então pra que ter a aceitação do restante do mundo?

Uma pessoa completamente diferente de si, é seu melhor amigo, Jongdae, um garoto tímido a primeira vista ou quando não há intimidade, que procura saber tudo que falam sobre si, logo, se arrependendo ao saber que sempre é pra falar mal dele e de seus três pai.

Jongdae, apesar de amar seus pais, os culpam por ser motivo de piada na vizinha e escola por ter três pais. Odiava pensar sobre todo esse conflito, assim como odiava ligar para o que ouvia e lia nas redes sociais, mas não podia, não conseguia deixar de ligar.

Dos três, Jongdae é o mais "frágil", mas tem atitude quando quer ou para defender seus amigos e pessoas importantes. Considera panssexual, mas tendo uma leve preferência em homens. Para ele, o importante é ter amor.

— Não gostei dessa foto. — Disse o inseguro Jongdae sobre uma foto do qual todos faziam caretas.

Estava de noite, apesar do tempo frio, o céu estava limpo, mostrando as estrelas brilhantes e a lua cheia. Um jardim grande de grama verde com algumas flores em volta.

— Não tem que gostar ou não e, sim, achar ela engraçada. — Disse Minseok se sentando e pegando o caneca de chocolate quente – que já está morno – que um dos pais de Jongdae havia feito.

Kim Junmyeon, Park Chanyeol e Wu Yifan, são os nomes dos três pais de Jongdae. Dois coreano e um chinês. Se conheceram numa festa no ensino médio, no tempo, Yifan namorava com Chanyeol desde muito antes do ensino médio, mas com a aparição de Junmyeon, acabaram ambos gostando do rapaz o que acabou botando o relacionamento deles em jogo.

Jongdae veio de uma barriga de aluguel, uma prima de Chanyeol, que super apóia esse relacionamento a três, quis dar esse presente para os três. Como ela é prima do Chanyeol, Yifan ser estéril, o esperma foi do Junmyeon. A mulher, ficou por ser madrinha de Jongdae e sempre que pode, vai o ver ou manda algum presente. Jongdae tem uma ótima relação com ela, mas não o considera como mãe e sim como uma madrinha, realmente.

— Mas se ele não gostou, logo, não será engraçada. — Respondeu Baekhyun também ficado sentado e abraçou Jongdae por trás já que o mesmo também tinha se sentado.

— Lá vem o namoradinho defender seu amor. — Falou Minseok revirando os olhos e focando uma voz fina. Para provocar Minseok, os dois rapazes dão um selinho demorado com direito a um estalo ao cessar, fazendo Minseok terminar seu chocolate. — Será que Jun-hyung ainda está aí para nós trazer mais chocolate? — Falou querendo disfarçar seu ciúmes.

— Já te disse que toda vez que fica com ciúmes, seu rosto fica vermelho? — Falou Jongdae com um sorriso sacana no rosto.

— Oh, unnie… — Provocou Baek, se levantando e andando até a garota que estava olhando para dentro de casa. — Tem beijo pra você também!

— Sai, hetero! — Disse Minseok batendo na mão do rapaz que segurava seu rosto para beijar também. — E é hyung!

— Olha, aqui! — Respondeu o mais novo bravo batendo o pé no chão. — Xinga, mas não ofende!

Jongdae, que apenas olhava para os dois que sempre brigavam por coisa fútil, se levantou ao ver que o sol já estava raiando. Pegou seu celular e caminhou para dentro de casa, mas logo parando ao ser questionado para onde iria, por Minseok.

— O sol já está nascendo e logo será hora de ir pra escola, então vou tomar banho, né?! — Virou para os dois para responder. Estava encostado no batente da porta e nem se deu conta do que disse, só percebeu quando as duas pessoas deram um sorriso largo. Não demorou míseros segundos para que começasse a correr casa a dentro. — O chuveiro é só meu! Eu vou tomar banho sozinho! — Berrou enquanto corria pelos cômodos da casa.

O barulho que faziam ao correr acordava até os vizinhos da frente, então, dentro daquela casa grande, o som se alastrará num eco potente. Na corrida, Baekhyun acabou caindo da escada, nos primeiros degraus, puxando o pé de Jongdae que estava pertos, fazendo-o cair junto. Minseok que apenas andavam, passou a frente tranquilamente.

Ao ver a mais velha já no topo da escada, Jongdae se levantou rápido, voltando a correr e ultrapassando Minseok com um empurro. Baekhyun veio logo atrás, também empurrando Minseok, que por sua vez, não fez nada apenas observou Jongdae entrar no seu quarto e trancar a porta com Baekhyun do lado de fora enquanto bate forte na porta.

"Um… dois… três…!" Mentalizou Minseok antes de ouvir o esperado berro.

— Jongdae!!! — Berrou bem alto o pai chinês do rapaz, fazendo até Minseok, que já esperava por isso, se assustar.

O garoto de quinze anos, destrancou a porta rapidamente e puxou os dois amigos para dentro.

— Foi mal, Appa-Wu! — Gritou o garoto antes de fechar a porta. Olhou para as duas pessoas na cama rindo. — Eu odeio vocês. — Colocou seu celular pra carregar e foi até o guarda-roupa, pegando algumas toalhas e uma muda de roupa, começando a se despir ali mesmo, não tinha vergonha e já estava acostumado com isso. – Vocês moram bem do lado, porque não vão tomar banho na casa de vocês?

— Por que tomar banho com vocês é mais legal. — Respondeu Baekhyun, já despido, pegando a toalha que lhe foi oferecido.

— Já devia está acostumado, Dae. — Disse Minseok indo até os dois garotos, também nua, pegou a toalha e foi logo para o banheiro.

— Acostumado já estou, só queria ir sozinho hoje... — Respondeu com um bico triste.

— Então vai para o outro banheiro. — Minseok retrucou.

— Boa idéia! Tchau! — Andou rápido até a porta, mas fora puxado por Baekhyun.

— Vamos tomar banho junto, o mundo agradece. — Arrastou Jongdae para o banheiro e empurrando Minseok que estava encostada no batente da porta, logo fechando a porta.

Quase sempre tomavam banho juntos, sem nenhuma malícia ou toque, não há disso com eles. A amizade deles não passa de beijos e selares.

 

[…]

 

Já estavam a caminho da escola, o dia estava mais claro, com um clima agradável. Haviam passado numa cafeteria e comprado um cappuccino para cada. Como Junmyeon já havia ido trabalhar mais cedo, tiveram que comprar pois os outros pais do Jongdae estavam dormindo. Yifan trabalha pela tarde, Chanyeol não trabalha, cuida de casa pois é muito preguiçoso.

A conversa fluía muito bem, até chegar perto da escola e perceber certa movimentação, fazendo-os estranharem e pensar que algo grave tivesse acontecido.

— Se fosse algum acidente, teria ambulância ou polícias por aqui a frente. — Falou Baekhyun após Minseok questionar se algum acidente tivesse acontecido.

— Vai ver, não é nada de mais. — Disse Jongdae, dando de ombro, mas logo sentindo uns cutuques na região da cintura, fazendo-o se virar para ver quem era. Um rapaz moreno, usando óculos e de aparelho. — Jongin! — Sorriu passando a mão no cabelo.

— Queria conversar contigo. — Sorriu tímido para o mais velho, mostrando um pouco do aparelho de borrachas azuis. Olhou para as outras duas pessoas e vendo que não sairiam, voltou a olhar Jongdae. — A sós.

Jongdae direcionou seu olhar para as duas velas e gesticulou um "sai" com a mão, mas continuaram ali. Cruzou os braços, ficando sério e falou um "saiam" firme e grosso, assim fizeram como mandado, mas pisando fundo, aprendeu isso com Yifan. Olhou para Jongin que estava com um olhar meio encantado.

— Você fica tão fofo querendo mostrar braveza. — Disse meio nervoso com a cabeça baixa escondendo-se seu rosto corado.

— O que você queria me dizer? — Perguntou Jongdae, sorrindo envergonhado.

É notável que ambos são apaixonados um pelo outro, qualquer um notaria.

— Hã… — Havia brevemente esquecido o motivo de esta ali, que era evitar do Jongdae chegar na escola, logo voltou a ficar tenso. — Que tal nos matar aula para ficarmos juntos? — Falou aleatoriamente, tentando bolar qualquer coisa para tirá-lo dali, mal sabia o que tinha falado. Fizera um curso de teatro para acabar com a timidez, mas desistiu quando teve que fazer uma apresentação de fim do ano, fazendo um pouco menos de um ano de curso, mas ainda tinha alguns aprendizados.

— Isso foi um pedido de namoro? — Falou Jongdae meio confuso. Apesar de sua cara de espanto, estava esperançoso pelo um "sim" do mais novo. A diferença de idade é de apenas dois meses.

—Ah! Não! — Disse ao lembrar do que havia dito, respondendo rapidamente. — Não agora. — Olhou para o chão para evitar de se bater ali mesmo.

— Então... — Mordeu o lábio inferior, meio triste pelo não. — Teremos aula agora, período de prova, sabe? Não dará para matar aula, mas aceito tomar sorvete no final do período.

— Provas não é problema, eu conversei com os professores ontem e eles confirmaram que não terá prova. — Mentiu com sorrindo fechado.

— Não sei… Você nunca matou aula, porque está querendo agora? — Cruzou os braços deixando a cabeça pro lado. Não queria ir para escola mesmo e teria aceito de primeira e sem questionamento se não fosse Jongin dizendo aquilo. 

— Porque... — Pensou em algumas coisa, mas nada veio além da verdade. — Porque estou apaixonado por você e queria aproveitar esse momento para lhe pedir em namoro. — Antes que o outro falasse algo, atacou os lábios do mesmo num beijo desengonçado.

Jongdae não sabia muito bem o que fazer, estava sem reação, a pessoa do qual é apaixonado há tanto tempo estava lhe beijando. Fechou os olhos e segurou o rosto do rapaz de seu tamanho, deixando que ele comanda-se a velocidade, deixando-o mais calmo e aproveitando melhor o beijo.

O moreno, foi tentar morder o lábio do outro, mas acabou se atrapalhando e o machucou por causa do aparelho.

— Esta tudo bem, não machucou muito. — Respondeu Jongdae quando questionado, estava com a costa da mão na boca.

— Que lindo, será que estamos atrapalhando o casalzinho aí? — Falou Minseok com o rosto vermelho e um sorriso forçado no rosto. Baekhyun estava ao seu lado de cabeça baixo tentando dificilmente segurar o choro.

Jongdae se virou num pulo, iria perguntar desde quando estavam ali, mas desistiu ao ver a situação dos dois. — Aconteceu alguma coisa? — Perguntou preocupado. Foi até Baek, levantando seu rosto vendo as lágrimas escorrendo e seus olhos vermelhos. — Porque está chorando? — Olhou para Minseok, que reprimiu os lábios, direcionou seu olhar para Jongin, que por sua vez, olhou para o chão. — Licença. — Afastou os dois amigos, passou no meio entre os dois.

— Dae… deixa pra lá… — Falou Baekhyun pegando no pulso de Jongdae, mas foi ignorado e o mais novo se soltou caminhando a passos pesado até a escola.

Estava a poucos minutos da escola, dava pra ver muito bem toda a movimentação e que alguns alunos riam alto olhando a direção do rapaz. Respirou fundo e continuou, com a cabeça erguida.

Ignorou os olhares e entrou na escola vendo alguns alunos e professores recolhendo algumas fotografias do chão. Pegou uma foto que estava pisando e viu a imagem. Uma foto de todos os três tomando banho juntos.

Olhou para as pessoas que estavam recolhendo as fotos e todos com um olhar de pena, os que não ajudavam, estavam debochando e rindo. Pegou algumas fotos das mãos dos que recolhiam vendo que eram diferentes uma das outras.

Sentiu uma mão segurar seu antebraço e se virou puxando seu braço com valentia. Era Jongin, com um semblante triste.

— Você já sabia disso? — Perguntou Jongdae deixando as lágrimas caírem, vendo que o amado assentia. — Então tudo que me disse foi um mentira para eu não vir ver essa merda toda?

— Sim e não… — Falou jogando seu material, que estava abraçado, no chão, colocando sua mãos à frente do corpo. — Eu queria evitar de você ver isso sim, mas eu não mentir sobre esta apaixonado por você.

— Ih, Jongin também é viado? — Zombou um chinês que via tudo aquilo com desgosto.

— E qual o problema? — Retrucou o moreno, olhando para o chinês, mas logo voltando a olhar para o coreano a sua frente, que se ajoelhou no chão e começou a chorar de tristeza, desgosto e raiva. — Eu te amo, Jongdae. — Falou se ajoelhando e ficando a sua altura, levantou o rosto do rapaz e selou seus lábios no dele. — Agora vamos sair daqui. — Assim que disse tais palavras, viu Baek e Minseok se juntando a ele.

Ergueu Jongdae, deixando-o com seus amigos que se abraçaram e caminharam para fora dali, Jongin foi na frente dos três, com a cabeça erguida.


Notas Finais


Desculpa se há algum erro de escrita.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...