História Memories And Letters - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Kookv, Taekook, Vkook
Exibições 34
Palavras 1.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Slash
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Toska


Fanfic / Fanfiction Memories And Letters - Capítulo 11 - Toska

Mais um dia surgiu e eu estava mais feliz que o normal: o motivo nós dois já sabemos. O despertador do celular estava tocando, então levantei-me para desativar e, quando percebo, havia uma notificação. 

"Tae lhe enviou uma imagem há alguns minutos"

Quando abri o Kakao Talk, vi que era uma selca sua com a legenda "Bom dia, Kookie". Aigo! O dia mal começara e eu já estava sentindo que ia ser ótimo. Salvei, então, sua foto e respondi sua mensagem.

"Bom dia, Tae. Dormiu bem?"

Fui, então, me banhar e, ao sair do banheiro, ouço o som da notificação do Kakao Talk.

[mensagens on]

Taehyung: Na verdade, tô indo dormir agora ㅋㅋㅋㅋㅋ

Jungkook: Ué, você tem insônia?

Taehyung: Na verdade, ontem uns amigos me chamaram pra sair e eu não pude recusar.

Nesse momento, lembrei-me, então, do que o Sr. Song falava sobre seu filho, ou seja, de você, Taehyung. Era essa, então, uma parte do lado oculto que você tanto queria esconder de mim? Eu sentia que precisava tomar conhecimento sobre isso, não só pelo fato de querer te conhecer mais, mas também pelo fato de querer te ajudar com toda essa situação.

Eu não podia afirmar com total certeza que todas as pessoas mais bagunceiras têm problemas pessoais, mas eu pude supor isso no seu caso, levando em conta o que seu pai falava sobre você. Quis, então, tentar, de alguma maneira, te ajudar com esse assunto a qualquer custo. Queria mostrar que eu poderia ser aquele amigo pra toda hora, aquele amigo conselheiro, aquele amigo que nunca iria te abandonar quando você mais precisasse.

Jungkook: Hoje você tá ocupado?

Taehyung: Não, minhas segundas são sempre vagas. Por que?

Jungkook: Ah, então, como minha folga semanal é na segunda, queria saber se você queria sair comigo.

Taehyung: Tipo um encontro? ʕ•ᴥ•ʔ

Jungkook: Isso é o que você está dizendo, né? ㅋㅋㅋㅋ

Taehyung: Tudo bem então, passo na sua casa às 18h, ok?

Jungkook: Estarei esperando.

[mensagens off]

Pra ser sincero, eu não o convidei pra sair no sentido de encontro, até porque eu nunca tive um encontro em toda a minha vida. Eu só queria conversar mais com você, independentemente de onde estivéssemos. Depois de ter acertado tudo, arrumei minha mochila, com todas as papeladas necessárias e fui à universidade.

Eu estava ansioso. A universidade sempre fora um monstro de 7 cabeças pra mim, porque, para alguém que é tímido e trancado, fazer amizades novas em um lugar com pessoas estranhas é extremamente difícil. Eu não sabia como reagiriam ao saber que eu não sou mesmo coreano, pois existia uma parcela coreana que não aceitavam estrangeiros na Coréia do Sul.

Como eu tinha chegado 1h antes, procurei a sala da coordenação (a qual estava muito bem escondida) pois era lá onde estavam panfletados o número das salas por semestre. Geralmente, as aulas são sempre em salas diferentes, mas os alunos do primeiro semestre teriam todas as aulas em uma única sala. Ainda bem, era uma preocupação a menos.

Quando procurei minha sala, haviam algumas pessoas, todas elas caladas no seu próprio mundo. Alguns estavam jogando no celular, outros lendo livros, e eu sentei-me no fundo, próximo da porta, não querendo chamar atenção de ninguém. Com o passar do tempo, outros alunos começaram a entrar e tomar lugares, também silenciosos e tímidos. Concluí, então, que cada um daquela sala estava desesperado por alguma amizade, pois ninguém gostaria de ficar sozinho por um semestre inteiro. Entre todos os alunos que haviam entrado, havia um garoto de cabelos castanhos e ombros largos que sentara bem ao meu lado. Era essa a minha chance.

- Oi, meu nome é Jeon Jungkook – falei, estendendo minha mão à fim de apertar a mão do garoto.

- Eai – disse-me o garoto apenas olhando-me, pois estava ocupado tirando seu caderno da mochila – Sou o Kim Seokjin – continuou enquanto apertava minha mão, depois de ter desocupado suas mãos.

Antes que pudéssemos desenvolver uma conversa, o professor entra, a fim de começar a aula. A primeira aula passou rápido, creio que pelo motivo de eu ter gostado muito da matéria. O sinal bateu para a hora do lanche, então eu e Seokjin fomos até o refeitório e, depois de pegar nosso lanche, nos sentamos e continuamos a conversar.

- Você não é daqui, né? – questionou Seokjin, dando uma mordida no seu hambúrguer logo em seguida.

- Não, como você sabe? – surpreso por ele ter percebido isso tão rápido.

- Seu sotaque.. Você é de onde, então? Estados Unidos? – perguntou curioso.

- Sou do Brasil, você conhece? – falei torcendo para que ele não me rejeitasse por ser brasileiro, já que os únicos estrangeiros que os coreanos mais aceitam são os americanos.

- Woo – exclamou surpreso – Conheço sim, mas não sei bem onde fica – disse rindo, mostrando-se péssimo em geografia. Depois disso, ele questionou-me sobre a cultura brasileira e coisas afim, mostrando-se muito interessado pelo país do carnaval. Quando a hora da próxima aula estava chegando, decidimos voltar até a sala. Quando chegamos e nos sentamos, ele se pronunciou:

- Não dá pra entender o porquê de você ter saído de um país tão rico em cultura como o Brasil.

 Eu apenas respondi com uma risada. Eu adoro o Brasil e tudo o que nesse país existe, mas eu nunca me arrependi de ter me mudado para a Coréia do sul, até porque eu não teria te conhecido se não fosse por isso. Mais uma aula havia começado e a mesma também foi rápida. De início, já havia tomado gosto pelo curso, me sentindo bem comigo mesmo por não ter errado nessa decisão importante da minha vida.

Quando a aula acabou, eu e Seokjin nos dirigimos até a saída, sendo esmagados pelo enorme número de alunos saindo ao mesmo tempo. Quando, finalmente saímos, me despedi dele e segui rumo até a minha casa. Enquanto caminhava, estava pensando sobre o tal encontro que iria acontecer naquele mesmo dia. “Será que eu devo tentar alguma coisa? Ou devo espero mais um pouco, pra não transparecer desesperado?”, pensei comigo mesmo. Ao invés de procurar responder tais indagações, tudo havia se apagado dos meus pensamentos. Eu só conseguia lembrar do que havia acontecido no dia anterior: o sorvete, a chuva, o sussurro.

Quando me aproximo da minha casa, vejo que alguém está sentado na escadaria. Minha miopia não me permitia ver quem era, então andei um pouco mais apressadamente até conseguir ver que era você, Taehyung. Você estava cabisbaixo. Quando me aproximo, chamo-lhe pelo seu nome e, ao me ouvir, você olha para mim com os olhos roxos e com traços de machucado por todo seu rosto. Você, então, começou a chorar, conseguindo apenas falar uma palavra.

- Kookie..  – disseste, levando suas mãos machucadas à face. O que acontecera? Eu nada questionei, só coloquei-me sentado ao teu lado e te abracei, sentindo sua dor e sua aflição.


Notas Finais


1-Toska (nome do capítulo) é um estado de grande angústia ou tristeza além dos limites suportáveis.
2- ㅋ é uma consoante em hangul que é equivalente ao K. ㅋㅋㅋㅋ é uma risada muito comum na Coréia do Sul, pois substitui o nosso "KKKKK".


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...