História Memories of a Love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bts, Jung Hoseok, Jungkook, Você
Visualizações 12
Palavras 1.929
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá Coelinhas ( o )

Eu estou animada para postar aqui, não será com frequência. Mas ainda sim irei postando aos poucos.
Esse Cap ficou um pouco longo. Perdoem-me pelos meus erros de ortografia.
E se a Fic estiver ficando sem graça, aceito opiniões >.<

Bora pro Cap :3

*Musica do Cap - Stay, BlackPink

Capítulo 2 - Palavras Afiadas


Fanfic / Fanfiction Memories of a Love - Capítulo 2 - Palavras Afiadas


Era mais um dia, onde se encontrava escuro e frio, minhas mãos tremiam e meu queixo batia em sincronia, estava perdida, como um bebê recém nascido, mas por quê estava aqui? Talvez seja uma pergunta difícil, porque ainda continuava sem respostas. Meus olhos ardiam e minha cabeça poderia explodir a qualquer momento, eu estava horrível, já não me reconhecia, e novamente eu me perguntei por quê eu estava ali.
 Me levanto do chão e caminho em direção ao meu namorado --- ou melhor, meu ex-namorado ---, que agora olhava-me com desgosto com sua nova garota ao seu lado, a cada passo que eu dava, o menino queria que eu morresse ou estivesse bem longe dali naquele momento --- mas por quê? --- perguntei quando aproximei-me da sua silhueta, meu coração apertou no peito e minha garganta secou, minhas mãos tremiam quando senti meu corpo ser jogado de volta para trás com todas as forças, cai como um pano velho no chão, bati minha cabeça e logo coloquei minha mão na mesma, tudo ao meu redor estava girando, parecia que eu iria desmaiar á qualquer momento, mas eu ainda lutava para superar toda aquela dor e humilhação que vinha da pessoa que eu mais amava --- que agora estava sendo  a dor da mesma  ---.

Levantei-me com dificuldade, e então olhei para seu rosto, o mesmo estava com um sorriso cínico em seus lábios, enquanto sua nova garota estava com um semblante de tédio. Minha visão ficou turva, minhas pernas cambalearam para trás, e meu corpo pesou, me sentia fraca e com dor, pus a mão na cabeça pela última vez, e logo minha visão ficou escura, e um silencio tomou conta de mim.


Au... _ Foi a primeira coisa que falei assim que acordei, eu já não sabia onde estava, como estava e quantos dias eu estava onde estava, meus olhos reclamaram por conta da claridade que estava no local, choraminguei e coloquei a mão no rosto, mas logo uma dor formou-se em minha cabeça, me sentei na cama e encarei o lugar, que por mim já era conhecido --- mas por quê eu estava ali? ---, era um quarto branco, as paredes eram totalmente lisas, tinha um pequena janela mais ao lado da cama em que estava, meus braços estavam conectados há vários aparelhos de medir pulsação e batimentos cardíacos --- mas por quê eu estava ali? --- era à única frase que rondava em minha mente.


Por quê eu estou aqui... _Sussurrei depois de olhar toda a extensão do quarto, a porta é aberta, e uma mulher com os cabelos longos e pretos, e uma pele pálida entra no cômodo, seu semblante era sério, e suas orbes escuras, olhou-me e suspirou pesado.


Senhorita s/n... Como se sente? _ Seu semblante muda para um tedioso, a mulher à minha frente não se importava nem um pouco em como eu estava, era apenas seu trabalho perguntar aos seus pacientes como se sentiam, e depois informar para o médico, já que a mesma parecia apenas ser uma enfermeira novata.


Eu estou com dor... Em minha cabeça. _ Coloquei a mão na mesma, e fiz uma cara de dor, gemi baixinho quando a mesma retirou minha mão e apertou fraco minha cabeça, logo se afasta e bufa.


Chamarei o Doutor para cuidar de você, vadia. _Ela sussurra a ultima parte, fazendo-me ficar sem entender, logo assenti e deitei-me na cama à espera do Doutor. Fechei meus olhos e tentei dormir, mas não conseguia --- o que aconteceu para mim estar aqui agora? Onde eu morava? --- era as perguntas que pesavam em minha mente vazia, fazendo-me suspirar cansada e me sentar novamente.


S/n... Como está? _Uma voz rouca invade meus tímpanos fazendo-me arrepiar, olhei para o lado e vi um homem com um jaleco branco, e com os cabelos loiros, suas orbes eram castanhas e continham um pequeno brilho no lugar, o mesmo era alto e pálido, pisquei várias vezes, tendo a impressão de que estava vendo um Deus Grego em minha frente --- o que era de fato ---.


E-eu estou com dor.  _Minhas bochechas arderam, coloquei a mão no rosto e desviei o olhar do Doutor, o mesmo riu com minha ação, e então se aproximou, senti meus batimentos acelerarem, fazendo-os aparelhos apitarem freneticamente.


Se acalme senhorita, ou vai se machucar com isso em seus braços.  _Sua voz era calma, e sua pele macia, assim que tocou-me em meu braço, senti meus pelos se eriçarem e minha pele queimar com seu toque.


De-desculpa. _Gaguejei, e voltei a encara-lo, seu rosto tinha um sorriso fraco, fazendo-me ter uma visão dos céus, suspirei sôfrega e abaixei a cabeça olhando para minhas pernas cobertas pelo lençol branco.


Sua cabeça dói, hm? _Acariciou minha cabeça com delicadeza, seu toque era bom, o que fez-me fechar os olhos e aproveitar seu carinho, mesmo sendo uma situação desagradável, já que eu estava com dor.


Dói demais...  _Respondi fraca, o homem se afastou e eu levantei meu rosto para olha-lo, sua feição era de preocupado e pensativo, deixando-o cada vez mais lindo.


Sabe por quê está aqui, senhorita? _Perguntou simplista, olhando diretamente para mim, que agora estava pensativa e frustrada.


É o que eu queria saber também, Doutor.  _Retribui o olhar e sorri fraco, mas logo abaixei a cabeça e apertei minhas pernas com força, eu estava cansada de ficar naquele lugar, eu não sabia quem eu era, não me lembrava de nada, e nem do por quê eu estava em um hospital toda machucada, minha cabeça latejava de dor, e meus olhos começavam a arder, eu queria chorar por não saber de absolutamente nada.


Entendo.  _Foi a última palavra em que ele ditou antes de levantar-se e caminhar até mim, meu coração acelerou de novo quando vi o mais velho sentar-se na cama ao meu lado e me envolver em seus braços quentes, era estranho mas ao mesmo tempo eu me sentia segura com seus toques --- por quê tão protetor? ---. Me afastei dos seus braços e olhei-o fundo em seus olhos, pude notar que ele estava triste e nervoso --- estranho ---, dei um beijo em sua bochecha e logo me deitei na cama, o homem olhava-me preocupado enquanto apertava suas mãos umas nas outras.


Está tudo bem, Doutor? _Perguntei segurando suas mãos, o mesmo apenas assentiu e abaixou sua cabeça, apertei mais suas duas mãos contra as minhas --- minha vez de te proteger, Doutor --- pensei, e logo abracei-o de lado, seu rosto se ergueu e encarou-me, logo retribuindo o carinho.


Você já pode ir embora, senhorita.  _Se afastou abrupto, fazendo-me se assustar, e encará-lo magoada.


Mas eu não sei aonde eu moro... _Pronunciei cabisbaixa.


Você não se lembra de nada? _Dita rápido. - Quer dizer... Não lembra-se da sua família? _Corrige sua frase, deixando-me confusa.


Não... _Pressionei meus lábios. - Quanto tempo eu estou aqui? _Levantei meu olhar para o Doutor à minha frente.


O mesmo apenas negou com a cabeça e foi em direção a porta, girou a maçaneta e logo saiu da sala, me deixando com uma cara de tacho.

Bufei e me joguei na cama, gemi de dor quando senti minha cabeça e meus braços doerem, tirei-me aqueles aparelhos incômodos de meus braços e pus a mão na cabeça, logo fazendo pressão na mesma para a dor passar --- Eu preciso sair daqui, e me lembrar de tudo, talvez o Doutor possa me ajudar --- foi o que pensei antes de me levantar com dificuldades da cama e ir em direção a janela, minha pernas estavam bambas e meu corpo fraco, apoiei-me na parede e caminhei devagar pelo quarto, cheguei na janela e abri a mesma, senti uma brisa gelada em meu rosto, fazendo-me arrepiar dos pés a cabeça. Tinha um parque logo ao lado do hospital, eu tinha uma ótima visão das crianças brincando no mesmo --- Tão fofas ---, dei um pequeno sorriso e logo voltei minha visão para dentro do quarto quando escutei a porta sendo trancada atrás de mim.


Por quê saiu dos aparelhos, senhorita? _Pergunta-me receoso olhando para meus braços que agora estavam marcados --- estranho ---, ele segurava alguns papéis em suas mãos grandes --- talvez seja minha alta ---  esses papéis poderiam ajudar-me a lembrar de algumas coisas.


O Doutor disse que eu já poderia ir embora.  _Choraminguei. - Então eu retirei esses aparelhos que estavam me incomodando, e agora eu quero ir embora!


Você não pode ir embora, senhorita. _Coçou a nuca e caminhou em minha direção. - Você nem se quer lembra aonde mora, pequena.


Então me ajuda, hm? _Fiz bico, fazendo-o rir da minha expressão. - Você é o único que pode me ajudar agora.


Em um ato rápido, peguei os papéis que estavam em suas mãos e comecei a ler algumas coisas, mas uma em especial chamou-me a atenção.
                                             Ficha dos pacientes.
Nome: S/n/c        Idade: 20 anos      Nascimento: 04.09.1997
Namorado: Jung Hoseok, 21 anos
País: Brasil      Mora atualmente: Seoul, Coréia do Sul                            Profissão: Enfermeira
Estado em que se encontra: Perda de memória     

Tempo de Recuperação: Indeterminado
Doutor: Sr. Jun...


Antes que eu pudesse ler o nome do Doutor que agora cuidava de mim, a ficha foi retirada as pressas da minha mão, me deixando raivosa com seu ato, olhei-o por um momento e o mesmo estava com os olhos arregalados e soando frio, suspirou pesado e logo afastou-se de mim, me deixando para trás de novo enquanto ia em direção a porta para retirar-se , fui mais rápida e segurei-o em seu braço, o Doutor virou-se para mim e olhou-me surpreso, soltei meu aperto de seu braço e voltei a minha postura.


Ele veio me ver durante esse tempo? _Perguntei receosa e triste, abaixei minha cabeça e comecei a apertar minhas mãos umas nas outras, mordia meu lábio de frustração esperando uma resposta.


Ele quem, senhorita? _Diz calmo, seu timbre estava um pouco falho, o que fez-me parar de apertar as mãos e olha-lo nos olhos, os mesmo já não continham aquele pequeno brilho de mais cedo, agora eram escuros, sombrios e sem vida, seu semblante era indiferente, e seu lábio tinha um sorriso cínico, deixando-me assustada.


M-meu namorado _Ditei nervosa. - Jung Hoseok, certo?


Ele nunca veio lhe ver, senhorita. _Dita grosso. - Agora se me der licença...


Vejo-o sair da sala com seus papéis, meus olhos ardiam, em pensar que meu namorado nunca foi visitar-me --- mesmo eu não lembrando de como ele era, um dor ainda tornava-se presente em meu peito ---, me pus à chorar ali mesmo, eu soluçava várias vezes tentando recuperar-me o folego por conta do choro, minha cabeça parecia que iria explodir a qualquer momento, meu rosto estava queimando e meu corpo fraco, cai-me no chão e me encolhi, eu gritava, gritava como uma criança perdida à espera de sua mãe, fazendo algumas enfermeiras entrarem no quarto, retiram-me do chão e me colocam deitada na cama, eu gritava novamente, mas dessa vez de dor. Algum liquido é injetado em minhas veias fazendo-me ficar sonolenta, mas antes que eu apagasse, vejo o Doutor ao lado de uma garota, a mesma ria da cena, já o mesmo, olhava-me preocupado. E mais alguns segundos, minha visão tornou-se escura.

             Com palavras duras


                      Facilmente você deixou uma cicatriz em meu coração


                          Sem pedir desculpas de novo


                               Eu estou me confortando


                                   Sempre nervosa


                               Será que você vai me deixar


                                    Eu só quero que você fique


                   Seu rosto inexpressivo, ficando mais e mais entediante


                    Eu sussurro no espelho, vamos devagar, deixe passar.

                                    - Você me despreza


                                          Mas é você


                                 Mas ainda, fique, fique, fique comigo. -
 


Notas Finais


Espero que tenham gostado :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...