História Memories of a Love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bts, Jung Hoseok, Jungkook, Você
Visualizações 13
Palavras 2.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Eu não tenho muito coisa para falar

Então só fiquem com o Cap mesmo.

Amo vocês

Capítulo 4 - Um novo amigo


Fanfic / Fanfiction Memories of a Love - Capítulo 4 - Um novo amigo

POV S/n
Acordei com uma terrível dor de cabeça, rolei minhas orbes pelo quarto e notei que não estava no hospital. Me sentei na cama e cocei os olhos. Suspirei cansada assim que me apoiei na cabeceira da cama. Minha cabeça já não me incomodava mais, era apenas uma simples dor de cabeça de quem acabou dormindo demais. Olhei para meus braços e estes estavam com curativos, logo abaixei a cabeça quando lembrei-me do que aquele ser ignorante fez comigo. Mas eu não estava triste, e sim decepcionada. Me enganei por pensar que ele nunca me machucaria de tal forma, como me machucou. E agora, onde estou? Em uma cama como sempre estou. Droga!

- Senhorita. _ sigo a voz que me chama e encontro o mesmo que havia me humilhado, olhando-me. - Está tudo bem?

Sempre a mesma pergunta... _ pensei.

Como ele podia ser tão estupido? Me humilhar em publico e depois fingir que nada aconteceu. Como se eu fosse algum brinquedo, para brincar e depois me jogar de lado. Mas por quê eu ainda me sinto atraída por ele. Ele é tão seguro consigo mesmo, que isso me trás uma paz inexplicável quando estou perto do mesmo, e isso é estranho. Mas não vou deixar-me levar pela ilusão, ele não é um bom homem assim como penso. Isso pode ser apenas carência da minha parte, ou uma confusão dentro de mim. Ou talvez seja paixão.

- Eu estou melhor. _ digo indiferente. - Onde estou dessa vez?

Vamos doutor, me ajude pelo menos desta vez. _ Choraminguei mentalmente.
 
- Na minha casa. _ respondeu calmamente. - Está na minha casa, senhorita.

- Que? _ arregalei os olhos desacreditada. - Como assim na sua casa? E por quê estou aqui?

Agora eu estou na sua casa. Ótimo s/n. Tinha que ser tão fraca assim? Agora você está na casa do homem em que você mais deseja e sente raiva. E o pior de tudo isso, é que ele namora com uma enfermeira. A novata.



- Devia me agradecer por isso. _ cruzou os braços em cima do peito. - Te tirei daquele inferno, assim como você queria.



Vai sonhando, doutor. _ ri em deboche, deixando-lhe confuso.



- Por quê está sorrindo dessa maneira, senhorita? _ Se aproxima da cama. - Não gostou de vir para cá?



- Pra ser humilhada por sua namorada? Nem um pouco. _ Cruzo os braços, rindo em deboche novamente. - Ou até mesmo por você, de novo.



Vejo-o se afastando da cama enquanto sua expressão era séria, sussurrou um criança antes de sair pela porta e me deixar sozinha. Bufo e tento me levantar, minhas pernas ainda estavam fracas, mas agora já conseguia me apoiar nas mesmas. Caminhei para dentro do banheiro que tinha no quarto. Olhei-me no espelho e me espantei --- até que não estou tão mal assim --- lavei o rosto e prendi o cabelo em um coque. Olhei para meu corpo e vi que estava vestida com uma roupa masculina, abri um sorriso involuntário e sai do banheiro. Escutei vozes vindo do lado de fora do quarto, então me aproximei da porta para escutar melhor. Era uma voz feminina, que logo reconheci --- a novata --- sussurrei para mim mesma. Abri um pouco a porta e olhei para o grande corredor. O doutor estava de costas para mim, enquanto sua namorada estava de frente para o mesmo. Era por minha causa aquela discussão?



Por quê ela tem que morar com nós? Eu não gosto daquela garota! _  grita a mulher.



É, acho que é por minha causa mesmo. _ Abaixei a cabeça.



Agora é oficial, eu não tenho ninguém que goste de mim. Mas eu apenas queria entender por quê sou tão odiada pelas pessoas. Estas me faz pensar que eu fui um monstro no passado, mas eu não consigo me lembrar de nada. Sou humilhada por meu médico, agora a sua namorada me odeia também. Acho melhor eu sair daqui, não quero arrumar problemas para eles. Mesmo não gostando daquela novata.



- Gritar comigo não vai mudar minha decisão, Seulgi. _ Arregalo os olhos, ele está mesmo fazendo isso por mim? - Ela precisa de ajuda, e eu a ajudarei.



Tá, talvez eu não seja tão odiada assim... Mas por quê ele quer me ajudar depois de tanta humilhação? Eu ainda não posso aceitar que ele está tentando ser uma boa pessoa para mim. Não vou me deixar ser enganada por você doutor.



- Vai ajuda-la depois de tudo isso? _ a garota ri em deboche. - Você é tão desprezível, amor.



- Tanto faz. _ o doutor vira-se para a porta em que eu estava. Engulo seco e fecha a porta o mais rápido possível. - Conversamos depois.



Merda! Será que ele me viu? Saio correndo para a cama, e me jogo em baixo das cobertas. Cubro minha cabeça e torço para que ele não entrasse no quarto. Respiro pesado assim que escuto a porta sendo aberta e um suspiro baixo sair da boca do doutor. Fecho os olhos e finjo que estou dormindo. Minha barriga gela quando o homem puxa o edredom para cima, revelando-me.



- É feio escutar a conversa dos outros, senhorita. _ sua voz saiu calma. - Mas agora você precisa sair dessa cama.



- Eu não tenho culpa se vocês falam alto demais. _ bufei. - Eu não quero sair daqui.



- Tem certeza? _ questionou-me, suas orbes olhavam-me fundo. - Eu poderia te levar pra sair, e depois para jantar.



- Você namora doutor, que coisa feia pedir isso agora. _ dei um pequeno sorriso enquanto encarava-o do mesmo jeito. - Mas eu aceito. Realmente preciso sair um pouco.



Sento-me na cama e desvio meu olhar. Minhas bochechas queimavam só de pensar em passar um dia com ele. Este sorria abertamente para mim, e finalmente jogou o edredom por cima do meu corpo novamente.


- Sairemos daqui meia hora, s/n. Se arrume. _ suas bochechas estavam em um tom rosado, o deixando fofo. Saiu pela porta sumindo de minhas visões.



Quando o mais velho sai pela porta, foi quase impossível não sorrir. Ele estava me chamando para sair, e como será que sua namorada estaria agora? Em saber que eu iria sai com seu homem. Talvez eu não devesse fazer isso, mas eu queria tanto quanto ele. Seria incrível conhecer um pouco da cidade ao seu lado. Que mal tem nisso? Mesmo o desejando. Eu não quero destruir sua relação com aquela novata. Com a sua Seulgi.


                                                              (...)


Eu já estava pronta, sai do quarto e andei pelo extenso corredor até chegar na sala. Olho ao redor e vejo a tal Seulgi sentada no sofá assistindo um filme qualquer. O doutor estava parado na cozinha enquanto arrumava sua roupa. Ele estava lindo, vestia um terno azul marinho, e sapatos sociais. Seus cabelos estavam um pouco bagunçados, mas isso o deixou ainda mais lindo. Suspirei fraco e pisei na sala, assim que fiz o ato, chamei a atenção da garota. Que encarou-me com desdém, desviei meu olhar e olhei para baixo. Por quê estou sendo tão submissa as suas provocações? Talvez seja medo, medo de que ela faça algo para mim. Já não basta perder a memoria, não quero sofrer nenhum tipo de dano físico. Não mais.



- S/n, vamos? _  a voz do doutor fez-me sorrir ainda de cabeça baixa. - Você está linda.



E novamente minhas bochechas queimavam. Levantei meu olhar e ele estava em minha frente, sorrindo como nunca. Seu sorriso era a coisa mais linda que eu poderia ver naquele momento, era algo inexplicável. Era como se aquecesse meu coração destruído, era tudo tão bom. Assenti com a cabeça e o mais velho me puxou para fora da casa, sem ao menos despedir-se da sua namorada. Me senti um pouco culpada, mas logo afastei esses pensamentos quando o mesmo entrelaçou nossos dedos --- por quê está fazendo isso comigo, doutor? --- sorri tímida e afastei nossas mãos, arrancando um riso baixo do garoto. Vejo-o abrindo a porta do carro, fazendo sinal para mim entrar, caminhei lentamente para o carro, sorri e sentei no banco do passageiro, o mesmo deu a volta e sentou no banco do motorista. Olhou para mim e sorriu, logo dando partida no carro. Fiquei encarando o vidro ao meu lado, enquanto ria como uma boba.



- Vejo que já está melhor. _  encarou-me, seus olhos brilhavam. - Fico feliz por isso.



- Obrigada. _ sussurrei. - Obrigada por me chamar para sair.



- Não há de que, pequena. _ acariciou minha mão. - Podemos fazer isso mais vezes, se você quiser.



- Eu adoraria. _ encarei nossas mãos. - Mas aonde vamos agora?



- Levarei você para conhecer meus amigos. _ diz animado. - Espero que goste deles.



- Claro. _ afastei nossas mãos, soltando um risinho baixo logo em seguida.
 
                                                               ...

Chegamos em uma casa linda, esta era enorme e branca, seu jardim era grande e todo verde, mais ao lado tinha uma piscina. Caminhei ao lado do doutor, que estava com um enorme sorriso em seu rosto, como se fosse me apresentar como sua nova namorada para as pessoas. O que seria bem difícil, pois sou apenas sua paciente. Logo um garoto com os cabelos escuros para em nossa frente, cumprimenta-nos.  Ele era lindo.

- Que bom que veio, Jun...

- Hope! _ o garoto ao meu lado o interrompe, deixando-me confusa. - Me chame de Hope.



- Seja bem vindo, Hope! _ dá um enorme sorriso, e que sorriso. - E a senhorita é?



- S-s/n. _ respondo-o nervosa. - Me chamo s/n. Prazer!



- O prazer é meu, senhorita. _ deu uma piscadela. Que abusado. - Eu me chamo Jungkook!



Sorrio tímida e sinto o doutor bufando, ele parecia irritado. Mas por que estaria assim? Encaro-o por um momento e o mesmo revira os olhos. Volto minha atenção para o garoto mais novo em minha frente, este olhava sorridente. Vejo-o doutor se afastar, e então Jungkook para ao meu lado, seu perfume invade minhas narinas, fazendo-me ficar embriagada pelo seu doce perfume. Encaro a minha frente e vejo o meu medico entrando na casa, suspiro cansada e abaixo a cabeça, sinto uma mão em meu rosto, virando-me para o lado.


- Você está bem? _ encosta nossas testas. - Você parece triste.


Prendo todo o ar, quando sua mão para em minha cintura, apertando-a levemente. Afasto-me abrupta, fazendo-o dar um sorriso divertido. Arrumo meu cabelo e começo a caminhar em passos largos, mas logo Jungkook se aproxima de mim e fica ao meu lado novamente. Chego na frente da porta da casa, mas quando iria adentrar a residência, o garoto puxa-me para trás, fazendo-me bater minhas costas em seu peito. Viro-me e o encaro. Seu rosto estava tão próximo ao meu, que meu corpo começou a agir estranho, eu estava sentindo. Prazer.



- Não quer conhecer a casa antes de entrarmos ali? _ diz contra meus lábios. - Prometo que será divertido. _  encara meus lábios.



Aceitar ou não aceitar? Meu Deus garoto, você é um pecado. Mas então eu serei uma pecadora, você mexe comigo de um jeito. Só de pensar no que poderá acontecer com nós dois, eu já me odeio profundamente, não quero te desejar. Mas também não quero deixar uma chance como essa escapar. Ou será que quero?



- Acho melhor eu ir me apresentar. _ afastei-me do seu corpo. - Depois conhecemos a casa, juntos.



Como você é ingênua s/n. Olha o homem que você está dispensando, ele é o sonho de qualquer uma. _ Xinguei-me mentalmente.



- Te esperarei, s/n. _ deu um sorriso e caminhou para dentro da casa.


Balancei minha cabeça e passei a mão por meu rosto. Arrumei meus cabelos e entrei na casa, assustei-me com o tanto de convidados que tinham ali. Olhei ao centro da sala e lá estava o doutor, dançando com uma mulher linda. Era a garota mais bonita que eu já tinha vista em minha vida. Dei um pequeno sorriso e caminhei em sua direção. Cheguei na sua frente e o puxei pelo terno. Separando-o da mulher, que agora olhava-me furiosa. Guiei-o para o andar de cima, e parei no corredor. Eu estava nervosa. Mas por quê? Encarei-o e o mesmo estava com os olhos arregalados. Suspirei pesado e ditei.

- Jungkook quer conhecer a casa comigo, oppa.



 


Notas Finais


Espero que tenham gostado :3

E desculpa pela demora para liberar o capitulo

Jungkook safajin >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...