História Memories of a Past - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Sabine Cheng, Tom Dupain
Tags Drama, Suspense
Visualizações 32
Palavras 1.441
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura! 📖🌌

Capítulo 5 - Capitulo V


Marinette On

Depois que gravei o número de Nino no meu celular, fui tomar um banho, estou exausta. Depois do banho vestir um short jeans e uma blusa sem mangas preta. E fui vê oque tinha pra comer. Vir que era peixe, odeio peixe. Sinto uma presença atrás de mim e viro-me e vejo meu pai

- O almoço já ta pronto - ele diz o óbvio

- Percebi - aceno com a cabeça e tampo a panela

- Não vai comer?

- Não, obrigada. - vou em direção ao corredor indo pra sala

- Vai ficar sem comer!? - ele grita e eu já me irrito

- Vou comer na minha Tia! - digo saindo de casa

Chego na casa da minha Tia, e meu tio estava sentado no sofá assistindo jornal. Fui até ele e beijei em sua testa

- Oi Tio! Qual o almoço? - pergunto ainda em pé, no seu lado

- Vá lá pergunta a sua tia! - ele fala e eu sorrir e fui a cozinha

Minha Tia ainda estava preparando o almoço, me aproximo dela

- Oi Tia. - digo manhosa - Qual o almoço?

- Carne cozida. - ela fala e meus olhos brilham

- Já ta pronto?

- Quase

- Falta muito?

- Não, só deixar a carne cozinhar mais um pouquinho

- Ah. Vai demorar muito? To com fome!

- Eu já disse! - ela rir de minha pressa pra comer

- Tá! Tá! - vou pra sala onde meu tio tá e sento ao seu lado

- Oque é o almoço? - ele pergunta sem tirar os olhos da TV

- Carne cozinda.

- Ah

- Tô morrendo de fome! - falo fazendo drama ele me olha e se levanta e vai pra cozinha o sigo

- Angélis essa comida não vai ficar pronta hoje não? A menina ta pra morrer aqui!

- Tá quase! - ela fala e ele vai até a panela

- Tá quase pronto Marinette! - ele diz e eu me aproximo

- Eu sei disso.

Demorou quase 5 minutos e o almoço já estava pronto. Arrumei a mesa e depois nos servimos

Nino On

Depois de minha briga com Alya. Eu tinha pegado minha moto e fui em direção a casa de nossos pais. Precisava falar com ela, Alya tinha uns problemas sentimeais​, e ela muda de humor rápido demais, e muitas vezes tem muitas crises.

Chegando lá nem precisei tocar a campainha. Já fui entrando. Vejo ninguém na sala então fui a cozinha, onde minha mãe estava cozinhando

- Olá Mãe! - digo indo em sua direção ela se vira para mim com um sorriso

- Filho! Que saudades! - ela me abraça, sinto falta de minha mãe também - Você está magro! Nino oque está fazendo com você mesmo!?

- Nada mãe, é impressão sua! - digo e faço carinho em seu rosto - Onde está Alya?

- Ela está no quarto. Aconteceu algo? Ela chegou aqui chorando e nem quis falar oque aconteceu!- fala com sua voz preocupada eu suspiro

- Onde ela está?

- No quarto! - assinto e beijo sua testa - Não se preocupe ok? Eu cuido disso!

Vou em direção ao segundo andar, onde era os quartos e logo paro em frente a uma porta cor lilás, onde era o quarto de Alya. Bato na porta esperando uma resposta

- Quem é? - uma voz surgiu do outro lado a voz estava chorona

- Sou eu, Nino. - eu falo e logo um silêncio se instala no local

- Vai embora!

- Não vou embora até você me ouvir! - outra vez um silêncio se instalou e a porta se abriu. Alya estava com os olhos vermelhos

- Fala! - ela se escora na porta e eu suspiro

- Por quê está chorando?

- Sério isso? - ela me olha incrédula e logo entra no quarto e eu a sigo e fecho a porta

- Alya.. - digo e me sento ao seu lado da cama

- Estou chorando por que eu quero! Estou cansada disso Nino. Eu esperava que você confiasse mais em mim. Fiquei chateada.. e também só queria desabafar.. - ela fala brincando com os dedos

- Me desculpe pelos meus atos Alya não queria machucar você. Eu só sinto muito ciúmes de você, sabe disso né? Não iria deixar um alguém qualquer penetrar você! - ela olha pra mim e começa a rir

- Só você mesmo Nino! Mais não sei pra quer esse ciúmes todo não somos nada! - ela diz e olha pra baixo

- Como assim não somos nada!?

 - Você sabe oque eu quis dizer - sim, eu sabia perfeitamente oque ela quis dizer, mais achava isso uma besteira

- Não diga tolices Alya!

- Nino eu só digo a verdade! Eu sou adotada, eu não sei quem são meus pais, e nem sei quem é minha família! E eu me sinto estranha aqui! Por que você a acha que eu viajei no Natal!? Eu não me sinto parte dessa família Nino, me sinto estranha perto de vocês! Como se vocês não quisessem que eu fique por perto! Como se eu fosse uma inútil, que voc só sentem pena de mim! - lágrimas já estavam nos olhos dela

- Pensei que você já tivesse superado isso. - enxugo suas lágrimas - Não tem o por que se sentir assim Alya! Você tem uma família, que te ama e que te apoia, você pode não ser do mesmo sangue que nós, mais mesmo assim nos te amamos do jeitinho que você é! Não precisa se sentir estranha perto de nós e nem se sentir como se nós não quiséssemos você por perto! Sabe.. no Natal, todos aqui ficavam perguntando onde você estava, e o por quê você não está aqui. - ela estava com um olhar surpreso e tinha parado de chorar - Eles se importamos com você, eles amam você! Eu amo você!

- E-Eu t-também amo você Nino! - ela me abraça um abraço quentinho e cheio de carinho, quando nos separamos eu a fito

- Não chora mais ok? Você fica mais bonita sorrindo! - ela rir baixo e depois me encara

- Não posso prometer isso, mais vou tentar! - ela diz e se deita de um lado da cama e eu me deito do seu outro lado - Fica aqui comigo hoje Nino. - ela fazia carinho nos meus cabelos e eu só a olhava

- Tudo bem.. Eu fico. - apesar de querer ir muito pro cinema com a Mari, queria passar um tempo com Alya. Por isso concordei.

Ela para com o carinho no meu cabelo e depois nos ficamos nos olhando, então ela fecha os olhos e suspira. Ela é tão linda.. se não fosse minha irmã.. Que diabos estou pensando!? Foco Nino, foco

Confesso que sentir uma leve atração por Marinette, e ainda estou sentindo. Meus sentimentos estão muito confusos, pois eu também sinto uma atração muito forte pela minha irmã, nunca sentir algo assim na vida mais que no caso seria impossível, por ela ser minha irmã! Suspiro, e pego meu celular que estava no bolso da calça, Alya só encarava tudo. Salvei o número da Mari, e mandei uma mensagem dizendo que não ia da para eu ir. Alya viu a mensagem e logo quando eu acabei coloquei o celular no seu criado-mudo e a olhei

- Não precisa ficar comigo se não quiser. Vai se divertir com seus amigos Nino. - ela falou com a voz triste e com um olhar querendo que eu não fosse

- Já disse.. vou ficar! - digo já decidido de minha decisão, ela só assentiu e se aninhou em meu peito meus olhos começaram a pesar e já me encontrava dormindo com Alya em meu peito

Marinette On

Depois que terminei de almoça, ajudei minha Tia com a louça e fui para casa. Chegando lá não vir meu pai, então levantei a impotese de ele ter saido para um bar.

Então fui para meu quarto e peguei meu celular, e abrir e vir uma mensagem de Nino. Sorrir, esperando ser coisa boa. Começei a lê

Mensagem On

Nino- Oi Mari, aqui é o Nino. Olha me desculpa, mais não vai da mais certo eu ir pro cinema com vc e os caras, vou ficar um tempo com Alya. Espero que me entenda e não fique chateada! 

Quando terminei de ler, mandei um "ok" e me joguei na cama, tudo nessa minha merda de vida da errado! Cacete! Eu só queria ser feliz uma vez na vida! Parece que esse mundo não é ao meu favor! Claro não culpo Alya ou Nino por isso. Entendo que eles são irmãos e precisam um do outro. Mais mancho! Eu ainda continuo irritada, e vai ser difícil de tirar essa raiva de mim, então decido ir dormir antes que faça algo que me arrependa!


Notas Finais


Também tenho essas crises. Alya no caso chorou por tudo que está sentindo no momento, que era raiva, tristeza e possível rejeição por parte da família, ai com essa pilha de sentimentos que ela tava sentindo e segurando não aguentou e desabou.. não foi só pelo oque Nino disse!
E sim queridos leitores, Alya é adotada.. haha. Agora o bagulho vai ficar mais interessante né non!?
Até a próxima! 🐼🐼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...