História Memories (Version Justin Bieber) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Visualizações 33
Palavras 2.621
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Obrigada a quem favorito, me desculpem os erros e espero que gostem

Capítulo 7 - The goodbye


Com dificuldade por está muito machucada me arrasto pelo chão do quartinho, entretanto ele se aproxima de mim e puxa meu cabelo com força fazendo-me olhar para sua face.

— Com medo? — ele pergunta.

— De um lixo como você? Nunca. — respondo.

— Está muito enganada se acha que seus amigos iram a encontrar aqui.

— Eu não tenho medo de você — cuspo em sua face e logo sinto um tapa em minha bochecha esquerda.

— Escute aqui sua vadia, você só irá embora depois que eu me divertir com você. — diz ele sorrindo sombriamente.

Com nojo tento me soltar de suas mãos porém ele é mais forte do que eu e assim me joga no chão com força fazendo eu bater minha cabeça.

— Vamos lá não seja assim, vadias como você já deveriam está acostumadas. — fala ele me puxando e beijando meu pescoço causando-me repulsa.

Tento de todo modo me soltar de suas mãos mas ele é mais forte e me bate puxando meu corpo contra o seu. Logo ele me joga no colchão velho que a no quartinho e rasga o que restará de minha roupa.

— Eu sei que você quer isso tanto quanto eu. — diz ele e eu apenas fico em silencio já estando acostumada com aquilo.

E mais uma vez naquela semana ele entra em mim e eu não consigo mais reagir. Apenas deixo as lágrimas caírem por minha face machucada.

Two months later

— Ei Holly vamos sair hoje? — pergunta Phoebe.

— Pode ser, aonde?

— Não sei, vamos viajar. — sugere Dani.

— Vamos para Austrália, temos alguns negócios lá que eu preciso ver como anda as coisas. — eu digo, todas concordam.

— Ultimamente você só pensa em trabalho. — diz Avalon entrando no escritório.

— Eu sei mas... Eu realmente não consigo pensar em outra coisa além do trabalho e da morte dos meus pais. — digo colocando os relatórios em cima da mesa.

— Por isso você precisa relaxar, ou melhor todas precisamos relaxar. — Dani diz.

— Uhum. — murmuro me perdendo em meus pensamentos e me lembrando da conversa que tive alguns meses atrás com Justin.

          Flashback On

— Holly você não deveria ter feito isso, você não sabe do que eles são capaz.

— Escuta Bieber eu não vim te pedir permissão de nada até porque eu sou maior de idade e sei muito bem o que eu faço. Eles mataram os nossos pais e o mais justo é que nós matemos eles.

— Vingança não é forma certa Holly.

— Sabe qual é o seu problema Justin. — me levantei do sofá já irritada. — O seu problema é que você é um fraco e não tem coragem de matar esse é o seu problema. Eles mataram os nossos pais e você vem dizer que vingança não é certo, o que vai ser certo para você então? Vai ser certo quando eles vierem terminar o serviço de quartoze, quinze anos atrás e nos matar?

— Holly...

— Quer saber eu não preciso de você mesmo, eu estava muito melhor antes de você entrar na minha vida. — disse já não me importando se eu o ferira ou não depois peguei minha jaqueta de cima do sofá.

— Holly por favor eu só... — ele se aproximou e tentou me tocar porém me esquivei de seu toque.

— Vai a merda, e faz o seguinte favor não vem atrás de mim se for para atrapalhar os meus planos, caso isso aconteça Justin, acredite eu não vou pensar duas vezes em fazer o mesmo que fiz com Carson só que dessa vez com você.

          Flashback Off

— O que você acha? — Dani pergunta tirando-me de meus devaneios.

— Desculpe? Sobre?

— Sobre abrirmos uma boate. O que acha? — dessa vez Avalon pergunta.

— Uma ótima ideia, vamos ganhar mais dinheiro e quem sabe até competir com a boate do Chaz. — digo rindo e olho para Dani a fazendo corar.

— Falando em Chaz — começou Phoebe que estava sentada a minha frente e se virou para Dani na cadeira a qual estava sentada. — Como anda vocês dois? Já faz quase dois meses que vocês saem.

— Prefiro não falar da minha vida pessoal — disse ela e ficamos confusa com sua atitude. Porém antes que pudéssemos falar algo Daniela diz — Mentira! Ele me pediu em namoro eu aceitei e agora eu não to sabendo lidar socorro. — falara ela rapidamente nos fazendo rir de sua euforia.

— Que fofos. — Avalon falara apertando as bochechas de Dani.

— Que shipper mais fofo. — diz Phoebe.

— Gente vocês vão matar ela assim. — digo gargalhando vendo as bochechas de Daniela ficarem vermelhas.

meu telefone toca e eu prontamente o atendo

          ~Phone On~

— Grey.

— Holly, sou eu Justin.

— O que quer? — pergunto rude.

— V-você precisa vim até a minha casa, à algo que você precisa ver. — diz ele, gaguejando.

— Fala logo de uma vez o que você quer Justin. — digo já sem paciência.

— S-só p-por favor Holly, venha até m-minha casa.

— Tá tá se for para você parar de me encher o saco eu vou, chego aí em vinte minutos.

         ~Phone Off~

Finalizo a ligação, jogo o celular na mesa.

— O que houve? — pergunta-me Phoebe.

— Justin tá com putaria. — digo revirando os olhos. — Vou até á casa dele. — me levanto da cadeira pego o celular que joguei em minha mesa e minha arma que estava dentro da gaveta e coloco ambos em minha cintura.

— Quer que vamos com você? — pergunta Avalon á mim.

— Não precisa eu vou e volto rápido.

— Vou com você. — diz Dani. — Chaz está lá e quero vê-lo.

concordo e ambas saímos do escritório e seguimos até meu carro.

— O que Alex quer? — questiona ela curiosa.

— Não sei, provavelmente quer me fazer perder tempo. — eu digo enquanto conduzo o carro em direção á casa de Justin.

Quando chegamos Dani rapidamente sai do carro e corre em direção á Chaz que saia da casa de Justin e a abraça.
Saio de meu carro sem a mínima vontade de falar com Justin e dou um pequeno sorriso para Chaz que ainda abraçava Dani enquanto sigo para dentro da mansão.

Ao entrar dou de cara com Justin e vejo em seus olhos resquícios de lágrimas? E isso me faz gargalhar internamente, um cavalo desse tamanho chorando é realmente engraçado.

— O que quer Justin? É bom você ter um ótimo motivo para me tirar da minha casa á essa hora. — digo caminhando até a sala.

— Holly. — ele caminha até mim pega em meu pulso e me leva até a sala onde encontramos um homem muito machucado sentado no sofá.

— Diz logo o que você quer, ao contrário de você eu tenho coisas importantes para fazer. — falei puxando meu pulso de sua mão.

— Sente-se Holly, o que eu tenho para lhe contar é de extrema importância. — diz Justin, e eu me sento ao lado do senhor no sofá. — Lembra-se que quando éramos crianças eu peguei você e á entreguei  para Diana lhe proteger? — ele perguntara e eu apenas concordara assentindo. — Eu fiz porque bom... Eu achei que nossos pais estivessem mortos.

— Espera o que você está querendo dizer com isso? Está querendo dizer que nossos pais estão vivos? Você mesmo disse que os viu mortos.

— Holly me deixe explicar... — o interrompo.

— Não! Isso quer dizer o que? Que você mentiu? — me levanto do sofá já pronta para ir embora de sua casa.

— Ele não mentiu para você. — diz o homem que estava sentado no sofá. — Alex não mentiu para você.

— Que provas o senhor tem de que ele não mentiu? — digo cruzando meu braços embaixo de meus seios e arquiando minha sobrancelha esquerda.

— Olhe bem para mim Holly, você não me reconhece? — o homem perguntara se aproximando de mim e eu recuei dois passos para trás. Logo flashes de lembranças invadiram minha mente.

        Flashback On

— Richard eu fiquei com tanto medo. — Disse Tereza ao homem que ainda nos abraçava.

— Eu sinto muito querida, me perdoe eu não deveria ter deixado vocês sozinhas. — Saímos de seu abraço e ele me pegou no colo.

— Papa medo. — eu digo percebendo as lágrimas que desciam por face e depois abraço ele.

— Eu sei pequena me perdoe, papai promete nunca mais deixar vocês sozinhas.

       Flashback Off

— Sou eu Holly, Richard seu pai.

Eu não digo nada, enquanto tento recolher meus pensamentos dispersos. Então cautelosamente ele se aproxima de mim e me abraça, entretanto eu não consigo ter nenhuma reação.

Ao sair de seu abraço, o qual eu não retribui voltei a me sentar no sofá junto de Richard e Justin.

— Há quartoze anos Hayden, Colton e Carson contrataram alguns homens para nos matar. — ele começou a falar e eu sorri ao me lembrar do que fiz com Carson a dois meses atrás.

— Não se preocupe com Carson ele não pode fazer mais nada inclusive respirar. — dito isso Richard me olhava espantado.

— O que está querendo dizer com isso Holly? O que você fez? — ele perguntara ainda espantado.

— Para conseguir algumas informações sobre a "morte" de vocês, o torturei e bom eu não preciso dizer o resto.

— Você é apenas uma criança Holly.

— Se eu fosse uma criança, eu não saberia administrar tão bem os meus negócios.

— O que ela está querendo dizer Justin? Como deixou que isso acontecesse? Eu pedi para você a proteger e não a colocar no mundo do crime. — Richard gritara revoltado se aproximando de Justin

— A culpa não é dele se eu me tornei uma das maiores traficantes do Brasil, ele me salvou e me entregou a Diana que me protegeu todos esses anos antes de morrer. Quando ele me encontrou novamente eu já estava nesse ramo, graças ao tráfico eu consegui todo o dinheiro que tenho hoje.

— Esse não era o futuro que eu e sua mãe planejavamos para você Holly.

— Pode até ser pai mais esse foi o futuro que eu escolhi para mim. — e ali eu reparara que pela primeira vez o chamei de pai, olhe pelo lado bom você vai ter alguém para assumir os negócios quando se aposentar.

— Já está pensando na minha aposentadoria? — ele pergunta pela primeira vez rindo e eu vejo Juatin nos deixar sozinhos.

— Desculpe se eu não o abracei, eu soube a pouco tempo quem eu sou de verdade.

— Como entrou no tráfico?

— Começamos com a venda de cocaína no colégio.

— Começamos?

— Sim, eu e minhas amigas começamos com a venda de cocaína no nosso antigo colégio e bom cá estamos nós hoje.

— Sua mãe irá ficar triste.

— Sou maior de idade, não vai ser vocês que farão eu mudar de ideia. Agora mais do que nunca precisamos ter um plano para acabar com com Colton e Hayden e tira minha mãe e os pais de Justin de lá. — me levanto do sofá e deixo meu pai na sala e sigo até o escritório onde encontro Justin com uma foto na mão chorando.

— Posso falar com você? — pergunto e ele rapidamente seca as lágrimas e coloca a foto em cima da mesa.

— Claro sente-se.

— Cuide do meu pai por enquanto, vou organizar tudo para podermos tirar a minha mãe e os seus pais de lá.

— Está bem.

— Ótimo, eu vou indo, por enquanto vamos nos falando por celular. — pego em sua mão e o faço levantar da cadeira que estava sentado. — Vou tirar seus pais de lá confie em mim.

— Isso é perigoso Holly e eu não quero que se machuque.

— Não vou, eu prometo. — acaricio sua face e depois dou um beijo em sua bochecha esquerda. Depois saio de seu escritório me despeço de meu pai e entro em meu carro e o conduzo em direção a minha casa.

Ao chegar á mansão vou direto para o escritório onde encontro Phoebe e Avalon.

— Chame Daniela preciso que todas estejamos reunidas. — digo isso e mando emails para os meus homens de confiança que não tardam em me responder.

Quando Daniela chega ela está acompanhada de Chaz.

— O que houve? — questiona ela preocupada.

— Chamei nossos homens de confiança e amanhã eles vêem para a Califórnia, arrumem dois apartamentos para eles por favor Phoebe. — eu falo, ela concordara. — Avalon preciso que arrume armas.

— Okay deixa comigo. — ela diz já saindo escritório discando o número de um dos seus vários amigos.

— Dani preciso que faça reconhecimento de campo e um mapa para invadirmos o local.

— Que operação é essa? — verbaliza Phoebe.

— Preciso salvar minha mãe e os pais de Justin. — eu digo fazendo Phoebe perder toda a cor em seu rosto.

— Como assim?

— Meus pais estão vivos Phoebe, assim como os pais de Justin. Ambos estão vivos.

— Como? — curiosa Dani pergunta á mim.

— Eu não sei, só sei que ambos estão vivos. E eu preciso tirar minha mãe e os pais de Justin das mãos do Colton e do Hayden antes que eles o matem.

— Consegui as armas. — Ava diz ao voltar para o escritório.

— Obrigada. — agradeço.

— E Holly tem uma garota na sala querendo falar com você.

— Quem?

— Uma tal de Ailee.

Levanto de minha cadeira e vou para a sala onde encontro uma garota ruiva de costas para mim.

— Sobre o que quer falar comigo? — verbalizo para a garota que se vira para mim.

— Holly. — ela sorri. — Podemos conversar?

— Sobre?

— Justin Bieber — me sento no sofá.

— Então o que quer falar sobre Justin? — pergunto cruzando minhas pernas.

— Justin a procurou por quartoze anos, só eu sei o quanto ele sofreu se culpando por ter deixado você sumir.

— Diga algo que me surpreenda. — disse bocejando.

— Ele ama você Holly.

Ok ela conseguiu me surpreender

— O que?

— Vou repetir, ele ama você Holly, em todos esses anos e de todas as garotas que eu já vi ele ficar afim, eu nunca vi o Justin assim como ele fica por você.

— Assim como?

— Um bobão apaixonado. Ele ama você Holly e não admite isso.

— Por que está aqui me dizendo isso?

— Sou a melhor amiga de Justin desde os 12 anos de idade e bom se depender dele ele nunca iria te falar isso.

— Ainda não consigo entender o porque de você está me falando tudo isso.

— Quero que Justin seja feliz e sei que ele só vai conseguir isso com você Holly, é por isso que estou aqui. — via no canto de seus olhos resquícios de lágrimas.

— Não sei o que te dizer Ailee.

— Apenas prometa fazer ele feliz é só isso que lhe peço.

— Eu prometo. — concordei prometendo a ela e assim ambas nos levantamos do sofá e eu a acompanhei até a porta.

— Queria ter mais tempo para sermos amigas. — dissera ela me deixando confusa.

— O que quer dizer com isso?

— Nada. — ela me abraçou e eu retribui. — Cuidem-se e principalmente sejam felizes.

E assim Ailee deixara a minha casa.

Notas Finais


Obrigada ka silva que está senpre comentando nos capítulos.

Qualquer pergunta sobre a fic meu twitter é @KookYifan


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...