História Mente Criminosa - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Mistério, Suspense, Terror
Exibições 5
Palavras 1.167
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem!E desculpe os erros ortográficos...

Vocês gostaram da nova capa??Eu que fiz!fiquei tão feliz😂😂💙

Capítulo 8 - Talvez eu tenha demônios, mas com certeza ele era meu Anjo


" A Savannah era a menina mais doce que eu conhecia, a mais extrovertida e a melhor filha do mundo. Eu me pegava pensando no que eu fiz pra merecer uma filha como ela, porque eu nunca fui a melhor mãe do mundo, mas a Savannah sim,era melhor filha que eu poderia ter. Ela era...Ela era e sempre será minha garotinha. E eu queria que ela estivesse aqui para poder dizer a ela so uma última vez que eu a amo" As palavras da mãe da Savannah me deixam em pedaços, ja fazia quatro horas que eu tinha voltado do velório e ainda estava ali deitada na cama olhando pro teto enquanto o silêncio, a tristeza e o medo me rodeavam. Eu revivia aquela cena mil vezes em minha cabeça, eu não conseguia dormir mais, toda vez que fechava os olhos eu ouvia o seus gritos implorando por Socorro, lembrava de suas palavras e aquela cena dela sangrando me atormentava. Já tinham dois dias que ela tinha morrido e nesses dias eu não tinha dormindo nem um pouco, fui ao banheiro e fiquei ali parada em frente ao espelho olhando meu reflexo, o reflexo que evitei durante dias. Pequei o demaquilante e comecei a retirar o corretivo revelando as enormes olheiras e enquanto minhas lágrimas caíam comecei a retirar a base revelando meu rosto inchado e avermelhado e por ultimo encarei aquele reflexo que eu nem reconhecia mais, e então naquele momento eu percebi foi ruim perder a Savannah, mas foi pior perder a mim mesma.

Sai do banheiro e fui até a sala, e minha mãe estava la junto com o Dylan, sim o Dylan estava la.

-Oi-ele diz suavemente.

-Vou deixar vocês sozinhos-Minha mãe diz indo para seu quarto.

-O que você está fazendo aqui?-Pergunto confusa.

-Eu estou aqui pra ver se você está bem..-Ele diz com o olhar abaixado.

-Eu estou..Eu estou-Antes que eu pudesse falar desabei em seus braços.

Ele me envolveu em seus braços enormes enquanto passava delicadamente sua mão no meu cabelo, eu não entendia o porque eu fiz isso. Eu não suportava chorar na frente de ninguém e eu estava ali soluçando na frente de um garoto marrento que eu nem conheço.

-Eu vou ficar bem-Falei me afastando de seus braços musculosos.

-Não, você não precisa fingir que está bem!-Ele diz me olhando de um jeito diferente.

-Eu queria..Eu queria ter salvo ela!se eu tivesse corrido mais rápido talvez ela ainda estivesse aqui.-Digo sentindo meu rosto ficar quente e os olhos encherem de lágrimas.

-Ele teria matado ela na sua frente e talvez depois ainda quissese matar você-ele diz colocando uma mecha rebelde de cabelo atrás da minha orelha.

Não falo nada so o encaro um pouco e depois eu o abraço novamente e digo:

-Você pode ficar aqui por quanto tempo?-Pergunto devagar para não deixar as lágrimas caírem

-Se quiser eu posso ficar, mas eu também posso ir se preferir-ele diz olhando pra porta

-Fica-digo pegando em sua mão involuntariamente.

-Okay-ele diz enquanto olha para nossas mãos.

Eu o guio até o sofá e ele se senta, ligo a tv e coloco na série Supernatural que ele também gosta, a cada palavra que os personagens pronunciavam me lembrava a Savannah, ela adora o Sam, dissia que era fofo e ao mesmo tempo Durão assim como seu namorado James. Ao lembrar daquilo minhas lágrimas voltaram a descer e Dylan colocou seu braço em volta de mim fazendo com que eu me aconchegasse em seu peito, se eu tivesse em meu estado emocional normal teria o dado um chega pra la ou um fora, mas eu estava agradecida por esse gesto.

Ficamos ali por horas até que ele se levantou e disse que teria que ir trabalhar então eu me levantei também me despedi e ele se foi, me deixando ali sozinha com aquele monte de dúvidas que antes eu não tinha. Por que ele foi até a Minha casa?, será que ele realmente se importa ou ele so ficou com pena de mim? Isso estava começando  me atormentar até que eu decidi que talvez o melhor que eu podia fazer era trabalhar e esquecer disso tudo. Fui até o quarto peguei o meu casaco de hogwarts, coloquei uma calça Jeans bem escura e por último coloquei meu vans preto, sai andando e assim que cheguei no café Sr.August arregalou os olhos e levou um susto ao me ver.Fui direto ao balcão onde uma loira estava dando em cima do Dylan, pego a bandeija e caderninho e começo a atender as pessoas, ele fica boquiaberto ao me ver o que parecer deixar a loirinha irritada( talvez eu tenha gostado desde fato ou talvez não) Assim que volto ao balcão com os pedidos ele diz:

-Você está fazendo o que aqui?.

- Eu não quero ficar em casa! Eu preciso me distrair.-Falo o entregando os pedidos para serem feitos.

-Tudo bem!mas eu acho que tem outro motivo pra você ter vindo aqui!-Ele diz arquiando a sobrancelha.

-Qual?-Pergunto confusa.

-Não conseguiu ficar longe de mim!-Ele diz me encarando.

-Hahahaha!até parece!eu to te luto, não insana.-Falo me afastando o deixando ali com a boca cheia de palavras não ditas.

As horas passaram rápido e eu tinha me distraído um pouco, não do jeito que eu esperava, mas era melhor do que nada. Eu fiz o que Savannah teria feito, ela enfrentaria esse mostro e o derrotaria, eu não ia deixar a morte da Savannah ser por nada. Eu acharia o seu assasino poderia demorar o tempo que fosse.

O café fechou e eu ja estava saindo quando senti ar quente na minha nuca o que me fez arrepiar.

-Você não vai sozinha-Dylan diz agora do meu lado.

-Porque está fazendo isso?-Pergunto andando- se está com pena de mim por favor,pare!porque eu não quero sua pena.

-Pena?eu não tenho pena de você!Eu so acho que é mancada eu saber o que está acontecendo e deixar você lidar com seus demônios sozinha.-Ele diz me olhando

-Eu não tenho demônios!-Falo mentindo.

-Todos nós temos nossos demônios!e eu sei que o seu diz que você não foi o que é Savannah precisava e ele diz também que você poderia ser melhor se estivesse morta no lugar dela.Você não veio aqui para se distrair!Você veio aqui pra se despedir.-Ele diz sabendo o que eu ia fazer.-Você ia se suicidar!mas eu não vou deixar isso acontecer.

-Eu ia mesmo!o que te importa?você nem me suportava-Digo sentido as lágrimas em meus olhos.

-está certa eu não te suportava!achava que você era mais uma superficial, boba e nojenta de cidade pequena que tem sonhos tolos e espera que a vida seja um mar de rosas,mas você é diferente Hayle!Você é bem mais que isso-Ele diz em um tom meio baixo.

Me jogo em seus braços e ele me aconchega ali de uma forma sutil e doce, eu não sabia como ele conseguia me entender mais do que eu mesma!Talvez eu realmente tenha meus demônios, mas eu sei que meu anjo é Dylan Turner.Ele me levou ate em casa e nós despedimos, e pela primeira vez gostei . Me questionei sobre o que eu realmente sentia.


Notas Finais


Oiiiii meus brigadeirinhos!!Estão gostando????comentem aii se estão ou não!!o capítulo ta meio bosta,mas é aquele ditado né:Vamos fazer o que?....


Um beijão e até o próximo capitulo💕💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...