História Merci - Kim Taehyung - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Máfia, Romance
Exibições 92
Palavras 2.985
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 30 - CHAPTER FINAL - The Goodbye


Fanfic / Fanfiction Merci - Kim Taehyung - Capítulo 30 - CHAPTER FINAL - The Goodbye

Peguei em sua mão, que estava estendida em minha frente, logo depois saímos da van, que partiu logo em seguida. 

Antes de entrarmos no lugar, aconteceu um imprevisto, havia centenas de fotógrafos e paparazzis, isso não estava no plano de Namjoon, como não tínhamos volta, e as fotos não cessavam, significava que eles não nos reconheceram, então era só os meninos fingirem ser o Bangtan, o problema éramos nós, as garotas. Ninguém nos conhecia, muito menos tínhamos alguma relação com os membros de verdade, eles nunca tinham aparecido com mulheres em festas ou premiações antes, mas isso não era problema nosso, é problema dos verdadeiros membros do Bangtan, então apenas seguimos nosso caminho até a porta de entrada, onde tinha dois seguranças com pranchetas, as mesmas continham os nomes dos convidados, na hora eu gelei, meu nome não estava na lista, apertei o braço de Taehyung e sussurrei

- Tae

- Oi

- Meu nome não tá na lista, como eu e as meninas vamos entrar? - era perceptível que ele também não esperava por isso, ele chamou Namjoon, que disse pra deixar com ele e Yoongi, que iriam resolver, e depois de falar alguma coisa com os seguranças eles nos liberaram, entramos no lugar oficialmente e não era NADA do que imaginávamos, lá dentro era praticamente uma boate, era escuro, com bar, luzes psicodélicas, DJ, não sei nem porque o traje é de gala, mas resolvemos relevar essa parte e focar nos rostos que estavam lá

- Ok gente, eu sei que vocês adoram uma festa, mas a gente não veio aqui pra curtir, vamos nos separar e achar o Piper, vocês estão com seus celulares aí né? - Namjoon perguntou e todos concordamos - Ok, então vamos cada um pra um lado, e o que ver o Piper avisa pro resto, e pelo amor de Deus, tomem muito cuidado, 90% das pessoas aqui tem chance de estarem armadas, então não chamem muita atenção - ele falou antes de todos nós desaparecermos na multidão, não nos separamos totalmente, eu e Tae ficamos juntos, todos ficaram em duplas (JK - VICKY/ NJ - J/ YG - HS/ JM - RILEY) assim que os outros se afastaram Taehyung se aproximou de mim e disse 

- Ei... Que tal a gente se divertir um pouco hein?? - ele disse me olhando

- Como assim Taehyung? - eu olhei desconfiada, já sabendo do que se tratava aquela conversa

- Ah... vamos beber alguma coisa, só pra dar energia - ele disse direcionando seu olhar para o bar que estava ao nosso lado, mesmo eu querendo muito me divertir um pouco, eu sei que isso não iria acabar bem, então hesitei, mas ele continuou pedindo

- Taehyung você, por acaso, se lembra da última vez que eu bebi em uma festa? Você lembra como acabou né

- Sim, acabou com nós dois no sofá comendo lámen e você falando coisas fofas no meu ouvido, olha Kira, saiba que enquanto eu estiver aqui nada nem ninguém vai machucar você, só confia em mim, ok? - tá depois disso eu não consegui nem argumentar, e como eu também estava doida pra me soltar um pouco, eu aceitei e fomos em direção ao bar, e Tae pediu dois shots de limão pra nós, bebemos tudo em um gole, mesmo o copo sendo um pouco grande. 

Preferimos não ir pra pista de dança pelo simples fato de que dava pra ver todo mundo que estava lá, e não queríamos ser reconhecidos pelo Piper ou ver o mesmo

Ficamos ao lado da pista de dança em um lugar mais escuro por um momento, esquecemos completamente da missão, do Piper e dos perigos que percorriam aquele lugar, apenas dançávamos sem nos preocupar. Até que uma hora a bebida atacou e eu tive que ir ao banheiro (desculpa mas eu ri), porém aquele lugar era imenso, cheio de salas e quartos, naquela altura, o álcool já havia atingido levemente meu cérebro e nem me lembrei do aviso de Namjoon a não confiar em ninguém, avistei um mordomo, ou um garçom não sei bem o que era aquele cara, me aproximei e perguntei: 

- Com licença, onde é o banheiro, por favor?
- Ah sim, é no segundo andar, naquele corredor ali, terceira porta à esquerda - ele disse apontando o braço ao corredor pelo qual eu devia seguir, agradeci e subi a grande escada até o segundo andar 

Lá era bem diferente do hall, quase não haviam pessoas circulando, além disso, o som estava abafado, então era consideravelmente mais silencioso e calmo. Como não tinham muitas pessoas lá em cima e o hall estava igual uma boate, as luzes centrais estavam apagadas, para não atrapalhar a festa lá em baixo, só tinham alguns abajures ligados nas paredes, que iluminavam muito mal o corredor, pelo menos era possível ver o contorno das portas e por qual eu precisava entrar

Caminhei até a terceira porta da esquerda, indicada pelo garçom, e era um quarto muito bonito - por sinal, a decoração, assim como a arquitetura eram baseados nas construções mais antigas, tinham um toque da arquitetura romana e a simetria dos mesmos, tinham vários quadros, e outras peças em mármore, tons claros e a mobília era bem antiga, porem super conservada. No final do quarto havia um enorme banheiro, todo revestido em mármore branco, o espelho ocupava toda a parede de frente para a porta do banheiro, e era possível vê-lo da porta do quarto também, tudo tinha tons de dourado e prata. Depois de usá-lo aproveitei para retocar minha maquiagem e tirei a faca e a arma amarradas em minha perna, que já estavam começando a me machucar, coloquei na bancada ao lado da pia e voltei para o quarto, quando recebi uma mensagem de Taehyung

TaeTae: Kira vc sumiu, pra onde tu foi?? 
Kira: Eu vim no banheiro no segundo andar, mas já to voltando. Algum sinal de Piper? 

Ele não respondeu, mas me ligou logo em seguida

- Kira pelo amor de Deus onde você está? No segundo andar?? - ele disse em um tom desesperado e ofegante, parecia estar correndo (daichi run run run)

- Eu estou aqui num quarto na parte de cima porque Taehyung?

- Qual quarto? Por fav... - ele parou de falar, parece que o celular tinha caído no chão, aí Senhor, o que aconteceu com ele?

Me virei para o banheiro, para pegar a arma que estava na bancada da pia, mas avistei uma figura muito desagradável refletindo atrás de mim no espelho em meio à escuridão, com terno preto, as mãos segurando uma faca e a camisa branca, ambos ensanguentadas, o cabelo grisalho para trás, o olhar que transbordava ódio era direcionado até mim e a única frase dita foi 

- Está com medo, Kira? 

Me virei, para certificar-me que aquilo era real, e não um pesadelo

- Eu não tenho medo de você - eu disse firme, apesar de minhas mãos tremerem e meu suor estar frio, me mantive firme, não vou mentir, estava realmente com muito medo, não pelo fato de que irei morrer em poucos minutos, mas pelo receio do sangue pingando de sua mão ser de quem eu achava ser.

Ele se aproximou de mim e eu não tinha como me defender, estava muito longe do banheiro para pegar a arma, não podia fugir porque ele estava em frente ao caminho da porta, que foi fechada logo depois que entrou 

- Vocês pensaram que iriam me pegar, né? Vocês realmente acharam que eram mais inteligentes que eu? Ah... Kira, vocês não passam de fantoches do meu show. Todo plano que eu fazia vocês caíam iguais patinhos, são tão previsíveis... - à medida que ia dizendo cada palavra, se aproximava mais de mim, em lentos, mas precisos passos, eu não ousei me mexer ou ao menos respondê-lo - vocês pensaram mesmo que eu não queria que soubessem que eu estaria aqui hoje? Hahaha eu queria acabar com vocês em um lugar de luxo, deveriam me agradecer ok? Vocês mereciam ser mortos em um beco qualquer, mas eu sou muito generoso e os darei a honra de serem mortos por mim em um hotel de excelência! Olha que beleza! Eu realmente pensei que seria mais difícil acabar com aquele muleque 

- Que muleque?? Quem você matou?? eu perguntei entre os dentes, meus olhos já estavam marejados de ódio, tristeza e medo, mas não ousei olhar em direção ao rosto daquele cretino

- Agora está com medo? Está com medo de não ter mais aquele inútil te "protegendo"? Está com medo de agora estar sozinha e indefesa? Coitada - ele disse me forçando a sentar em uma poltrona, pegando a faca e passando-a pelo meu pescoço, contando superficialmente minha pele, não tive forças para reagir, meus pensamentos se voltavam para o que Tae havia me prometido "eu vou te proteger", e eu passei tempo demais desacreditando de mim mesma, que eu me esqueci de que também tinha que protegê-lo, não me preocupava mais em viver ou não, uma vez que o motivo da minha persistência estava morto e jogado no chão de um corredor escuro. 

Fechei os olhos e esperei a faca atravesse minha garganta, porém escutei um grito vindo da porta 

- PAI PARA! - a voz feminina que ecoou por isso quarto era familiar, Piper me soltou e retirou a faca de perto do meu pescoço, abri meus olhos devagar e não acreditei no que vi 

- Victoria? - ele disse olhando para a silhueta na porta 

- Não mata ela pai, por favor, me junto a você, eu fico do seu lado, só não machuca a Kira 

- Oh meu Deus, Victoria o que aconteceu com você? Desde quando você protege seus inimigos? 

- Desde quando eles são meus inimigos? 

- O que você quer dizer com isso, filha? Estava tudo no plano, você se juntou a eles, conseguiu o dinheiro, trouxe para mim e fugiu, esse era o plano desde o começo

- Era pai, era. Não sei se você sabe ou conhece uma coisa chamada afeto, mas eu senti isso por eles. Quando você me mandou pra aquela missão horrível de me juntar a eles, eu percebi que eles eram uma família, é mesmo depois de tudo que eu fiz, me trataram da família também, mais que você. Eu voltei, e dessa vez eu vou permanecer do lado deles. 

Apesar de eu estar chocada e um pouco assustada com essa declaração inesperada de Vicky, aproveitei que Piper estava distante e juntei forças inexistentes para me dirigir até o banheiro e pegar minha arma, voltei para a poltrona e escondi a mesma embaixo da minha perna. Logo em seguida, Jungkook apareceu ao lado de Vicky na porta, e minha esperança de que Taehyung ainda estivesse vivo diminuiu. Ele apontou sua arma em direção à Piper, Jungkook se aproximou de Vicky, de modo a protegê-la de Piper. 

- Então é por esse idiota que você diz ter "afeto", Victoria? - Piper disse se aproximando de mim, se afastando de Vicky, consequente de Jungkook, pelo fato do mesmo estar com uma arma apontada para a cara de Piper

- Victoria? Mas como ele sabe seu nome verdadeiro, Vicky? Poucas pessoas sabem - Jeon perguntou e Piper deu uma risada 

- Ele não sabe? Será que ainda irão te aceitar na "família" depois que souberem que você é filha de Piper Shaw? - ele disse olhando diretamente pra Jungkook, que se afastou de Vicky, olhando-a com medo, desapontamento e um pouco de pena. 

- Jungkook, não! Volta aqui pelo amor de Deus! 

- Foi o que eu pensei - ele disse rindo com o canto da boca 

Apesar de eu precisar ajudar, eu não podia falar nada, pois correria o risco do sangramento no meu pescoço voltar, e ser fatal. Eu não podia fazer nada, mas queria muito ajudar Vicky, e eu sei que não é culpa dela ser filha de um monstro, só precisava que Jungkook enxergasse isso também. Vicky deveria ir atrás dele, tinha que explicar tudo, mas ela não quis me abandonar lá, recebi uma mensagem de Riley perguntando aonde eu estava, aproveitei um momento que Piper se distanciou e rapidamente mandei uma mensagem 

Kira: Segundo andar, primeiro corredor, terceira porta à esquerda, vem armada, sem perguntas, muito cuidado. 

Minhas mãos tremiam e a minha respiração oscilava constantemente. Em menos de um minuto Romeu apareceu na porta, era possível sentir o medo em seu olhar, mas ela se manteve firme. 

- Olha se não é aquela medrosinha? Skaroni devia ter te matado quando teve a chance, mas aquele inútil não servia nem pra isso, e não adianta fazer cara de brava pra mim não. Eu sei que você não é capaz nem de matar uma barata - Piper disse e Riley disparou um tiro em direção à um quadro ao lado dele, assustando-o - um tiro num quadro não mostra sua força, garota. 

- Quer pagar pra ver? - ela disse desafiando-o. Ele não falou nada, só aproveitou que estava perto da minha poltrona e passou o braço em volta de meu pescoço, me forçando a levantar, eu peguei minha arma, deixando meu braço abaixado, para que ele não consiga vê-la. 

- E você, quer pagar pra ver Riley? - ele desafiou se referindo ao fato de poder me matar a qualquer momento, logo depois, chegaram Jungkook, Hoseok, Jimin e Namjoon, parece que Jungkook finalmente enxergou o lado bom da Vicky, todos ordenaram que Piper me largasse, o mesmo soltou outra risada sarcástica, forçando mais ainda o braço sobre meu pescoço, Namjoon adentrou o quarto, e Piper disse

- Você garoto... Você de novo, estragando meus planos, entrando no meio do meio caminho 

- Sim, eu vim acabar com essa sua palhaçada, com essa merda de protocolo 

- Ah... Rap Monster, ou melhor, Kim Namjoon, eu terei o maior prazer de te matar igual eu fiz com seus pais, esse protocolo nunca existiu - ele disse e todos nós ficamos chocados 

- Explica isso, pai - Vicky disse 

- Eu criei esse "protocolo" para atrair a atenção da União, para virem atras de mim e eu matar todos eles, um por um, não passa de uma armadilha, e mais uma vez, todos caíram haha 

- Seu canalha! - Nam sacou a arma em direção à Piper que me colocou na frente dele, posicionando a faca novamente em meu pescoço 

- Vai! Atira nela! Quero ver essa vadia morrer há muito tempo! 

- Hoje não coroa! - eu disse batendo com minha arma em seu rosto, Piper me soltou e assim que se afastou disparei três tiros sobre seu peito. Finalmente. Ele estava morto, vinguei a morte de Taehyung e recuperei a liberdade não só dos garotos, mas como a de Riley, Vicky, e a minha. 

Olhei pra Vicky e a mesma estava abraçada com Jungkook, em prantos, estava mal, tirei o que sobrara da família dela, mas logo depois ela veio me abraçar, parecia que ela também não aguentava estar trancada às custas de Shaw, e nesse momento eu desabei também, chorei o que havia quadrado nos minutos de horror que passei naquela poltrona, pela perda do bem mais precioso que eu tinha, os meninos também vieram nos abraçar e nos consolar 

- Kira, vem cá um minuto? - Namjoon me chamou perto da porta, eu já sabia que Nam já tinha visto o corpo de Taehyung e previa que era sobre esse assunto que ele iria conversar comigo 

- Kira, eu quero te mostrar uma coisa - ele disse me virando em direção à porta, de modo a me levar em algum lugar, provavelmente ao corpo de Tae 

- Não Joonie, eu não quero ver ele, eu prefiro ter a lembrança dele feliz do que de uma carcaça ensanguentada no chão 

Eu falei, mas sem dizer nada ele me puxou para o primeiro quarto do corredor, e diferente do que eu pensava, não havia nenhum corpo jogado no chão, eles já devem ter retirado pra ninguém ver, eu tentei resistir à Namjoon, mas, obviamente, ele era muito mais forte que eu. O quarto que ele me levou era igual ao que estávamos, porém mais iluminado, lá estavam Jin e Yoongi, assim que me viram, vieram me abraçar 

- Kira eu sei que você deve tá muito arrasada, nós ouvimos o estrondo e já temos ideia do que acontecei - Yoongi disse - Mas achamos que você precisava ver ele 

- Ele quem? Taehyung só existe em minha memória agora 

Os meninos abriram espaço e foi possível ver a cama, aquilo parecia um sonho, ele estava lá, vivo, dormindo como um anjo. O meu anjo. Meus olhos se encheram de lágrimas e meu coração explodia de alívio de felicidade, me aproximei da cama e ajoelhei ao lado da mesma

- A gente teve que correr em casa, pegar os equipamentos, remédios, voltar e fechar o corte na barriga dele, ele perdeu muito sangue, mas demos uma anestesia então ele vai dormir por um tempinho, ou pelo menos é pra ser assim, não sabemos se o álcool vai interferir no efeito da anestesia, mas de qualquer forma é melhor você ficar aqui com ele enquanto resolvemos a treta do outro quarto (ótimo nome pra fic, patentearei) - Jin falou, eu me dirigi até ele e o abracei novamente, agradecendo por salvarem a vida de Tae, agradeci à Yoongi também, eles retribuíram e foram para o quarto ao lado junto com Namjoon. Me sentei ao lado da cama novamente e olhei para Taehyung, lembrando de todas as manhãs que acordei e fiquei o olhando dormir. Os garotos chamaram a polícia e a ambulância, dissemos tudo o que aconteceu e toda a história de Piper e John, fomos todos para o hospital, e depois de longas horas, Taehyung finalmente acordou, ainda sonolento e com um leve sorriso, disse me olhando docemente 

- Sentiu minha falta, pequena? 


Notas Finais


Se quiserem um capítulo bônus comentem
Se gostaram da história comentem
Comentem
Foi uma honra escrever essa história pra vocês eu sou muito grata por isso

BEIJO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...