História Mercy - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Ely_Dallas

Postado
Categorias Magcon
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack and Jack, Jacob Whitesides, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Personagens Originais, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Dove Cameron, Hayes Grier, Romance, Tragedia
Exibições 133
Palavras 1.315
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Aaaaaah!! Voltamos! Capítulo do Hayes já está postado e agora é a minha vez!! (No caso, da Luany ushaushau)
Bom, não acho que tenhamos algum recado para dar, então vamos logo para o capítulo. Boa leitura!
Ah! Gente, obrigada pelo carinho com os comentários e favoritos! Vocês são demais!! ♥♥

Capítulo 4 - Kiss (Luany)


Fanfic / Fanfiction Mercy - Capítulo 4 - Kiss (Luany)

Califórnia - 28/05/2020

Estava sentada no sofá, comendo um brigadeiro de panela que tinha feito com minha mãe e assistindo filme.

-Vou tomar um banho, filha. Eu já volto. -Minha mãe falou.

-Tudo bem. -A respondi.

Ela se levantou do sofá e foi tomar seu glorioso banho. Enquanto eu, continuei ali, assistindo filme e me deliciando com o doce em minhas mãos.

Minutos depois, escutei batidas na porta e minha mãe gritou um "Ai meu Deus!". Ri com aquilo.

-Eu atendo! -Gritei para minha mãe, pra ver se ela se acalmava.

Andei até a porta e a abri. Vi uma pessoa que não esperava ver nunca mais.

Hayes...

-Benjamin?! -Gaguejei. Droga, Luany! Péssima hora para gaguejar.

Eu não acreditava que ele estava ali. Depois de quatro malditos anos, ele estava de volta. Agora já não era mais um garoto de apenas dezesseis anos. Ele era um homem, que continuava lindo aos meus olhos e nos olhos de qualquer pessoa. Um homem de vinte anos agora.

E eu também estava uma mulher. Meus cabelos loiros chegavam a minha bunda, meus olhos verdes estavam mais chamativos e brilhantes, minha pele continuava meio branquinha e meu corpo, bem escultural e cheios de curvas maravilhosas.

Eu estava com raiva de Hayes por ter mentido para mim falando que voltaria depois dos onze meses. Por ter feito uma promessa e não ter cumprido. E uma coisa que eu odiava era promessa que não era cumprida.

-Luany... -ele sorriu para mim.

-Quem é filha? -Ouvi minha mãe falar atrás de mim.

Eu não respondi, estava impossibilitada de responder.

Nessa hora, a raiva tomou conta de meu corpo e acabei acertando um tapa estalado no rosto de Hayes, o fazendo virar o rosto pelo impacto.

-Luany Coraline Medeiros Sanchez! Isso é modos?! -Minha mãe me repreendeu.

Não respondi novamente. Apenas me virei rapidamente e saí correndo para meu quarto. Abri a porta e a fechei com tudo, encostando minhas costas nela e descendo até o chão devagar. Senti as lágrimas voltando e lembrei do jeito em que voltei a ser quando tinha apenas dezesseis anos e Hayes disse que partiria.

Levei minha mão até a testa e puxei meus cabelos levemente, chorando e soluçando.

Eu não conseguia pensar. Era muita coisa para minha cabeça.

Ouvi batidas na porta e ouvi a voz dele. A voz que tanto amava ouvir e que me causava arrepios.

-Luany... abra a porta, por favor. Vamos conversar. -Ouvi sua voz abafada por causa da porta.

-Vai embora, Benjamin! Eu não quero falar com você. -Respondi, limpando minhas lágrimas.

-Eu não vou sair daqui até a gente conversar, Luany. Por favor, abra essa porta. -Falou. -Está bem. Não quer abrir, daqui eu não saio, daqui ninguém me tira.

Eu sabia o que ele tinha feito. Ele tinha acabado de se sentar com as costas encostada na parede.

-Se lembra de quando estávamos no parque, tínhamos apenas oito anos de idade e eu estava te ensinando a andar de bicicleta?

Lógico que eu lembrava desse dia. Eu tinha caído por pelo menos umas sete vezes e ralado boa parte da minhas pernas.

-Se lembra quando eu disse que estaria com você a qualquer momento desse mundo? Falei que te protegeria, estaria e faria você sorrir custe o que custasse?

Eu lembrava. Impossível não lembrar das suas palavras carinhosas e lindas que ele me disse naquele dia. Depois do que ele falou, finalmente tinha conseguido aprender a andar de bicicleta. Foi uma vitória para mim.

-Luany, isso não mudou e nunca vai mudar. Eu sempre vou estar com você, sempre vou te fazer sorrir, sempre vou te proteger. -Ele ficou quieto por alguns segundos. -Eu ainda te amo. Sinto sua falta. Mesmo que não pareça, já que acabei perdendo contato com você e bem, saíram fotos também minha com a Anne.

Ele continuava me amando? Era isso mesmo que eu estava ouvindo? Eu já não chorava mais, eu estava atenta a cada palavra dita por Hayes.

-Eu não amava a Anne. Ela fazia parte apenas de uma merda de contrato. Ela nunca foi e nunca será a menina que eu amei ou amo. A menina que eu amo tem nome e sobrenome. Mas ela no momento está me ignorando, se fazendo de difícil, mesmo eu sabendo que ela parou de chorar e está escutando atentamente tudo o que estou falando e sorrindo feito uma boba.

E realmente, eu estava sorrindo feito uma boba. Hayes ainda me amava, eu não tinha mais dúvidas. E eu o amava também.

Me levantei e limpei minhas lágrimas, respirando fundo logo em seguida.
Abri a porta e Hayes já se encontrava de pé e seus olhos se encontraram com os meus. O puxei para perto e o abracei. O abraço foi retribuído com o maior gosto.

O abraço que eu tanto sentia falta. Seu cheiro viciante entrando pelas minhas narinas.

Hayes se afastou um pouco e me encarou por breves segundos. No outro, nossos lábios já estavam colados e nossas línguas travando uma gostosa batalha em um beijo cheio de amor e saudade. Ah, como eu sentia falta desse beijo de tirar o fôlego.

Suas mãos percorriam livremente da minha bunda para cima, dando um apertão por onde passava.

O ar se fez necessário e nos separamos, sem deixar de dar uns selinhos demorados.

-Por favor, não fique mais longe de mim. Só que desta vez, me prometa que vai cumprir e vai ficar comigo. -Implorei, sentindo algumas lágrimas voltarem e molharem bem pouco minha face.

Hayes sorriu e limpou minhas lágrimas, selando nossos lábios novamente em seguida.

-Agora eu prometo que vou ficar com você. Não importa o que aconteça.

Eu me senti bem com aquelas palavras. Deitamos na cama e ficamos conversando sobre várias coisas aleatórias, como se tivéssemos voltado aos dezesseis anos.

-Hayes... preciso te confessar que durante esses quatro anos, não consegui me relacionar com ninguém.

-Por quê?

Nos encaramos e ele passou de leve sua mão em meu rosto.

-Eu sempre te amei. Nunca iria conseguir me entregar por completo. -Falei e encarei aquele mar azul que ele chamava de olhos.

-Sempre foi minha. -Nos beijamos e logo nos separamos. -E eu sempre vou ser seu, minha princesa.

-Sempre sua.

-Sempre seu. -Sorrimos e voltamos a nos beijar.

Mas tivemos que parar, pois a porta se abriu, revelando minha mãe e Sky. Arregalei os olhos e me sentei.

-Sky!! Como você está grande, menina! -Ela correu para meus braços e a abracei forte.

-Senti sua falta, Lua! -Ela me encarou. -Fiquei até feliz que meu irmão acabou com aquela vagabunda que ele chamava de "namorada".

Arregalei os olhos e Hayes deu um leve tapa em sua própria testa. Depois dei uma gargalhada e abracei a Sky.

-Desde quando você virou essa menina rebelde? -Perguntei, encarando ela.

-Desde quando meu querido irmão -lançou um olhar para Hayes e depois voltou para mim -começou a namorar a babaca da Anne.

-Pelo visto, ela odiava a Anne, né? -Me virei para Hayes e rimos.

-Skylynn a odiava. Já aprontou várias pegadinhas para cima dela. -Sky e Hayes riram. -Uma delas foi a pasta de dente. Eu amei aquela.

-O que você aprontou, Sky? -Perguntei, curiosa.

-Eu coloquei tinta na pasta dela.

-E como ela era modelo, isso meio que fodeu com  a carreira dela. Porém, ela foi no dentista e clareou novamente os dentes.

-Falando nela, o que você fez? -Perguntei, me aproximando de Hayes e me encostando em seu peito.

-Eu terminei. Além de estar de saco cheio dela, eu te amava. E eu iria te beijar, abraçar, você querendo ou não.
-Eu sempre vou querer. -Sorrimos e selamos nossos lábios.

-Eu ainda estou aqui. -Minha mãe falou e nos separamod rapidamente. Tinha até me esquecido dela.

-Desculpe, mãe.

-Pelo visto, já ficaram de bem. Fico feliz por vocês! -Minha mãe sorriu e saiu do quarto, ficando apenas eu, Hayes e Sky.


Notas Finais


E então? O que acharam??? Espero que tenham gostado do beijooo deles!! Estou muito animada, minha festa de 15 é amanhã! Enfim!! Beijos doces e até a próxima amores!! ♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...