História Secretos of a Mermaid Life - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Austrália, Canção, Magia, Poderes, Romance, Sereia
Exibições 12
Palavras 3.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Ficção Científica, Hentai, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olaaaa, espero que você leitora ou você leitor goste e me desculpe por eu não ter postado ontem, mas alguém falou que tinha uma lição de Geo e eu acabei parando para copiar os texos, mas amo vcs e fiz este capitulo com carinho bjs.

Capítulo 3 - Two New Members


Fanfic / Fanfiction Secretos of a Mermaid Life - Capítulo 3 - Two New Members

Depois de Noah sair, fiquei pelo menos uma hora me revirando na cama e remoendo os pedaços escuros do meu sonho, só consegui voltar a dormir quando o Sol nascia, o que significa mais meia hora de sono e uma Cath raivosa porque estava atrasada para o dia da eleição de representante de turma, o antigo infringiu algumas regras, o que deixou a diretora um tanto quanto brava.

 

Seis Meses Depois...

 

Já faziam seis meses que eu tinha chegado à Austrália, ainda não havia arrumado um lugar para ficar então Lolla continuava a ser muito gentil em me receber em sua casa, não que eu pretendesse sair de lá muito cedo, até porque ainda era menor segundo as leis da Austrália, então não poderia simplesmente me mudar sem ter um responsável legal para me emancipar.

 

Hoje era aniversário de Noah e Cath, estava voltado do shopping com os presentes quando lembrei do colar que havia feito no meu primeiro mês aqui, sorri comigo mesma, o colar seria o complemento perfeito para o presente da minha melhor amiga.

 

Cheguei em casa (N/a: olha só, Alicia chamando a casa deles de casa como se morasse com eles há anos) e corri para o meu quarto para pegar o colar e embrulhar o presente, quando estava na sala, Cath até me perguntou o porquê da pressa, mas eu não respondi.

 

Faltava apenas meia hora para a festa deles começar, seria uma festa na piscina, então coloquei um biquíni, mesmo sabendo que não iria entrar na água ou chegar perto dela, só para me colocar no clima de festa. Desci para ajudar nos preparativos finais e algumas coisas referentes as comidas da festa que Dona Lolla cozinhava, que se posso dizer eram maravilhosas.

 

Além do aniversário dos gêmeos era época do natal, faltavam apenas dez dias para o natal, o que significava uma decoração deslumbrante espalhada por todos os cantos daquela cidade, o shopping virou um aglomerado de pessoas desesperadas por presentes e decoração de última hora para enfeitar a casa ou pais desesperados para levar seus filhos para conhecer o Papai Noel, por isso arranjar presentes foi difícil, por mais que o lugar estivesse lotado de coisas, enfrentar as filas foi definitivamente mais difícil do que qualquer prova que eu possa fazer na vida.

 

Terminamos de arrumar tudo por volta das quatro e meia o que nos deixava com mais meia hora para fazer algo de nossa escolha, mas combinamos que só iríamos entrar na piscina quando a festa realmente começasse.

 

A campainha soou anunciando a chegada do primeiro convidado da festa, eu fui atender a porta, mas só porque os donos da festa estavam muito ocupados brigando por desenhos em copos e esse tipo de coisa sem muita importância no momento, eles tinham deixado claro que iriam atender a porta para os convidados deles. Na porta encontrei Maya, Todd e Bruno.

 

— Oi! — disse já abraçando os meninos e dando um beijinho em cada bochecha de Maya. — Desculpe estar atendendo a porta, mas Noah e Cath resolveram brigar por cores de copos ou algo assim e não ouviram a campainha, mas entrem, vocês tiveram a honra de serem os primeiros convidados a chegar.

 

— Aqueles dois... de toda maneira vamos lá, Cath ouvirá poucas e boas de mim por ter me deixado falando sozinha ontem — Maya disse já entrando e indo em direção ao jardim pronta para brigar com nossa amiga. — Catherina! Que história é essa de me deixar falando sozinha ontem? Fique sabendo que estou muito brava com você e que terei minha vingança! Deixando isso de lado, FELIZ ANIVERSÁRIO GÊMEOS! Adoro vocês, temos que tirar uma foto para eu poder postar no Insta com textão.

 

Ri baixinho enquanto Cath gargalhava já fazendo pose para a foto e logo Dona Lolla veio tirar a foto de nós todos, isso me incluía. Depois destes seis meses acabei me tornando muito amiga deles e aprendi muito sobre esse mundo do qual não era parte e todas as redes sociais e tudo mais, adquiri um computador, um telefone e consegui me tornar minimamente famosa no Instagram, estava feliz com minha vida atual e sem me separar da vida antiga, estava tudo dando certo, além do que os pesadelos pararam depois daquela noite em que Noah foi ao meu quarto.

 

Sobre minha relação com Noah, nos últimos meses ele tinha me apresentado vários pontos turísticos da cidade, inclusive disse que no meu aniversário, sete de março, me levaria em um lugar muito legal, que tinha uma das melhores vistas de Byron Bay, não pude deixar de sorrir abertamente ao pensar nessas palavras, então as meninas começaram a criar mil teorias.

 

— Está sorrindo assim boba por que, hein dona Alicia? — Cath chegou perguntado, não quero nem imaginar o que se passa na sua cabeça. Infelizmente eu sou péssima em esconder o que penso dela e virei por breves dois segundos meus olhos em direção a Noah que sorria abertamente conversando com Todd e Bruno e Maya percebeu. — Já descobri, não precisa nem falar, está apaixonada pelo meu irmão, eu sei que ele é um encanto, mas nunca se esqueça que você também tem amigas, entendeu.

 

Ri com a teoria dela, não estava apaixonada, só curiosa sobre onde ele iria me levar.

 

— Quem está apaixonada, Catherina? Me conta que agora eu quero saber — Maya chegou já arrumando confusão. Para minha sorte quando Cath ia começar a explicar a campainha tocou e umas dez pessoas entraram entregando presentes para os gêmeos, que recebiam com um sorriso.

 

Bati com a mão na testa, não tinha entregado meu presente ainda. Subi correndo as escadas e aproveitei para trocar meu vestido por um shortinho curto e um cropped meio transparente. Peguei os presentes e corri para entrega-los.

 

— Cath, Noah, me desculpem, mas eu me esqueci completamente de entregar seus presentes antes, mas está aqui — entreguei o presente e Cath disse que não precisava, ela viu o Biquíni que eu havia comprado para ela junto com o shortinho e correu para se trocar.

 

O biquíni dela era roxo escuro com rosa e azul todo cheio de arcos dessas cores, a cara dela, mas o oposto do meu, que era cheio de desenhos de folhas rosa com azul clarinho, laranja e verde. Maya veio conversar comigo já de biquíni, que era branco com algumas flores rosas delicadas. A maioria das pessoas já estava lá, a música alta e animada contagiava a todos que dançavam alegremente.

 

— Ei, gente, vamos fazer uma brincadeira? — Cath chegou interrompendo a dança e abaixando a música.

 

— Que tal o jogo da garrafa? — um garoto que eu não sabia quem era sugeriu, gerando gritos de aprovação de algumas pessoas e reclamações de outros, como eu, que não queriam jogar.

 

— Podemos fazer verdade ou desafio, que tal? — outro menino que eu não conhecia falou alto para que todos pudessem ouvir, dessa vez gerando aprovação de todos.

 

— Pode ser, só não vale obrigar a entrar na piscina. — Agradeci mentalmente a menina que pediu isso.

 

Sentamos em roda e começamos o jogo.

 

 

(...)

 

Eram onze e vinte da noite, algumas pessoas já tinham ido embora, algumas estavam só dançando e outras só na piscina mesmo, o jogo já tinha acabado, não aconteceu nada demais no jogo, as pessoas até que pegaram leve e ninguém empurrou ninguém na piscina. Mesmo com tudo isso, a festa foi bem animada e divertida, mas infelizmente não durou muito mais do que até uma da manhã, mesmo que no dia seguinte fosse aula e estivéssemos de férias as mães de algumas pessoas queriam que voltassem mais cedo.

 

Depois que a festa acabou, Cath foi comigo abrir os presentes que tinha ganhado. Maya, Todd e Bruno ficaram para dormir e fazermos um minifesta do pijama.

 

 — Aly, por que você não foi na piscina? — Maya me perguntou enquanto abria o embrulho do colar que eu dei a Cath. — E meu Deus, que colar lindo! Quero um para mim.

 

 

— Verdade! Eu tenho um para você também, não sai daí — disse correndo em direção as escadas e subindo até meu quarto correndo, não sei porque eu disse aquilo, quer dizer, aonde ela iria? Enfim, um pouco antes da festa eu achei uma pérola igual enquanto mergulhava e usei as conchinhas que sobraram para fazer um colar para Maya também. — Voltei! Aqui, é para você.

 

Entreguei o colar a ela, que correu e pulou no meu pescoço em forma de agradecimento e logo colocou o colar.

 

— Ainda não respondeu minha pergunta, por que você não entrou na água? — Maya replicou enquanto fechava o colar sorrindo de um jeito bobo, não sabia o que responder.

 

— Só não gosto de ficar mostrando para os outros o que não tem que ver, me sinto muito exposta — disse olhando para baixo com um sorriso fraco, não era completamente mentira, só não era completamente verdade.

 

— Aly, vamos combinar que essa blusinha e esse shortinho curtos do jeito que são não escondem muita coisa, além do mais, olha para você. O seu corpo é perfeito, mas tudo bem, se não quis entrar não precisa. — Cath apareceu se intrometendo já com o colar no pescoço e uma caixa na mão. — É o último, da Julia, então vamos dormir e amanhã iremos a praia.

 

Assentimos, pelas nossas caras, estávamos todos com sono, então aceitamos sem discutir, mas normalmente ficaríamos acordados até não conseguirmos mais abrir os olhos. As pequenas festinhas do pijama viraram hábito.

 

Subi para meu quarto e fiz minha higiene noturna, coloquei uma camisola BabyDoll e desci me juntando ao resto dos meus amigos, demos boa noite e fomos dormir.

 

Fui a primeira a acordar de manhã, esquecemos a janela aberta e o sol incomodava meus olhos, fui me acostumando aos poucos e quando finalmente consegui abri-los por completo me levantei e fui até a cozinha preparar o café da manhã. Fiz ovos mexidos com leite e uma salada de frutas, ainda prefiro salada de flores, mas frutas também são boas e são mais fáceis de encontrar.

 

 

Eles demoraram bastante para acordar, então tomamos café meio tarde e acabamos nos atrasando para a praia, por isso em vez de irmos para tomar sol e ficar no mar, fomos tomar banho (um de cada vez, claro). Estava acabando de me vestir quando escutei um grito vindo do quarto de Cath.

 

— Cath, está tudo bem? — gritei, ela não escutou então corri até o quarto dela e abri lentamente a porta do banheiro. Me deparei com uma cena que nunca pensei que veria, Cath estava no chão e uma linda cauda verde se estendia no chão do banheiro. — Adorei a fantasia, mas por que gritou?

 

— Aly, não é uma fantasia, o que eu faço? — Continuei encarando o que via, realmente não era uma fantasia. A questão era, como? — Me ajuda, eu estou desesperada.

 

O desespero da garota era visível, mas tenho certeza de que o meu era ainda mais evidente. Nos meses que se passaram eu aprendi a controlar meus poderes, que realmente esqueci de usar na hora, então só disse a ela que tudo iria ficar bem e corri para pegar uma toalha.

 

 Depois de seca suas pernas estavam de volta e ela me encarava com uma cara estranha e desconfiada.

 

— Como sabia o que fazer? — ouvir foi muito difícil já que ela disse quase em um sussurro.

 

— Acho que já posso te contar, quer dizer... — dei um longo suspiro e tomei coragem para olhar em seus olhos. — Você tem que prometer que não vai contar a ninguém.

 

— Prometo... — disse suspirando, sei que não era fácil de esconder as coisas de Maya e seu irmão, ou até mesmo Todd, que depois de tantos meses estavam finalmente juntos. Mas se minhas suspeitas estiverem certas, ela não precisará esconder de Maya muito mais tempo.

 

— Eu também sou uma sereia — falar aquelas palavras foi relaxante, ela era definitivamente uma sereia agora, então não precisava me preocupar com o fato de virar espuma ou de ser banida, revelar nosso segredo para um humano era punível com morte.

 

— Não pode ser...

 

— Mas é, e não há nada que possamos fazer por agora, mas você precisará de um destes — disse me referindo ao anel, ele servia para controlar as transformações em lua cheia e controle sobre o corpo durante certos períodos onde ficamos mais... sensíveis e acabar não falando mais do que o necessário.

 

— Mas onde eu consigo um? Com a rainha das sereias? — na brincadeira, Cath acertou.

 

— Sei que foi ironia, mas sim. E é para lá que nós vamos amanhã.

 

Levantei do chão do banheiro, onde estava até agora e fui testar minha teoria.

 

— Maya, já pode ir tomar banho — gritei na porta do quarto de hóspedes ao lado do meu, esperando Maya pechar a porta para ir ouvir os barulhos.

 

Minutos depois um grito baixo veio do banheiro, entrei e abri um sorriso. Vi exatamente a mesma cena de minutos atrás, que há pouco tempo era inimaginável, mas que agora era minha salvação.

 

— Bem-vinda ao time, Maya — olhei nos olhos assustados e expliquei tudo o que havia explicado para Cath um pouco antes.

 

Mesmo com tudo o que aconteceu e o choque inicial das duas acabamos indo à praia e não entrando no mar, ninguém entrou porque já eram cinco da tarde, mais ou menos, e no dia seguinte teria aula.

 

Ficamos passeando pela orla do mar, tomando cuidado para não se molhar e jogando conversa fora, rimos muito e acho que depois de tudo o que aconteceu, se distrair um pouco foi melhor mesmo.

 

— Nós adoraríamos ficar, mas...

 

— Nós sabemos, está tarde. Não se preocupe amigo, também temos que ir, se não Maya terá um ataque pela manhã dizendo que não teve horas de sono suficientes para sua beleza se rejuvenescer — Todd respondeu o amigo com uma brincadeira.

 

— Mas não estou mentindo quando digo isso, estou? — Maya replicou o irmão decidida, mas decidi falar a verdade e ver sua cara surpresa.

 

— Depois do que aconteceu hoje, não acho que olheiras serão um problema... — ri da cara que ela fez quando mencionei o ocorrido no banheiro.

 

— Então esse é seu segredo.... Acho que tem suas vantagens — disse mais para si mesma do que para nós. — Nos vemos na escola.

 

— Tchau — dissemos em coro e fomos cada um para um lado, depois pensei no sentimento que tive quando estive pela primeira vez na praia de BB, a direção em que andávamos era contrária a que me atraia e não pude deixar de pensar se outras sereias se sentiam atraídas por aquela direção como eu.

 

Chegamos em casa algum tempo depois e corri para o quarto para pegar o Laptop, tinha muitas perguntas a serem respondidas...

 

Entrei no Google e fiz uma pesquisa sobre as pérolas presentes nos colares, mas não encontrei muito sobre elas, ainda eram meu principal palpite, porém com essa pesquisa falha tive que pensar em outras possibilidades.

 

Não desci para jantar, acabei ficando o tempo todo deitada remoendo os fatos de hoje: minhas duas melhores amigas viraram sereias, uma delas não pode contar para o namorado o que é, o Noah está estranho, o Bruno me ignora e o Todd continua igual, pensei que as duas estavam levemente felizes com o ocorrido e que não paravam de sorrir uma para a outra, pensando bem, nem Lolla questionou quando eu não desci para jantar, algo está acontecendo e eu não estou sabendo?

 

Dormi ainda pensando nisso e acordei muito angustiada bem cedo, eram muitas coisas na minha cabeça, precisava de um tempo para relaxar. O bom é que hoje eu e as meninas íamos nadar para falar com a Rainha Giulia.

 

Desci as escadas e tomei um café da manhã equilibrado, um copo de água antes da refeição, leite e uma fruta. Subi e me troquei, pus uma blusa bem larguinha da Converse com um short jeans lavado azul e um All-Star de cano alto preto, fui ao banheiro e fiz minhas higienes matinais e passei um delineado fino e um gloss, isso tudo só para ir na praia passear, mas levando em conta meu estado por causa da noite mal dormida, qualquer coisa que melhorasse o mínimo que fosse o estado de uma pessoa era mais do que necessário.

 

Desci novamente e fiquei na beira da piscina, minha vontade de mergulhar era imensa, já fazia um mês inteiro que não nadava e aquilo estava me matando, ia tocar na água quando alguém me interrompeu.

 

 

— É tão cedo e já vai nadar? Você realmente gosta de água. — Noah apareceu me dando um susto, se ele tivesse chegado um minuto mais tarde eu estaria realmente encrencada.

 

— Não, foi só impulso, faz realmente muito tempo que não nado.

 

— Hum... — ele respondeu assentido, o coitado estava com cara de sono e só de calça, o que me fez olhar instintivamente para seu corpo, e tenho que dizer, MEU DEUS DO MAR! Ele era simplesmente o sinônimo de perfeição. — Gosta do que vê? — eu continuava encarando até ver a estupidez que havia feito.  Eu não era a única envergonhada, ele também parecia um pimentão.

 

— Me desculpe mesmo, não era minha intenção olhar, f-foi você que apareceu... desse jeito — olha eu não estou reclamando, foi uma visão dos deuses.        

 

— De qualquer maneira eu já vou subir...

 

— O-okay — respondi ainda um pouco envergonhada

 

Voltei para dentro da grande casa moderna e me joguei no sofá, ainda eram sete horas da manhã, eu sabia que Cath não acordaria tão cedo.

 

Poucos instantes depois Noah desceu novamente, desta vez vestido, lamentei, tinha sido uma ÓTIMA visão. Dei um sorriso fraco de bom dia e vi Dona Lolla descer de roupão.

 

— Aly, querida, você está bem? Não comeu nada ontem no jantar e pouco no almoço, estou preocupada.

 

— Não é nada Dona Lolla, foi só um mal-estar, mas já passou — respondi sorrindo, Dona Lolla era uma pessoa muito boa, mas não podia saber de tudo. — Alguém sabe quando Cath irá descer? Nós havíamos combinado de fazer algo bem cedo com Maya mas ela ainda não desceu...

 

— Me esperando? — olhei para a escada de onde descia Cath já arrumada. — Vou comer algo bem rápido e já vamos, pode ser?

 

Saímos em direção à casa da Maya, Todd e Bruno. Cath usava uma regata florida com um short jeans branco um Vans azul escuro que combinava com a cor de seu cabelo e o penteado.

 

Chegamos lá a Maya já estava pronta, usava um cropped branco com listras azuis e um short jeans escuro, nos pés um tênis de esportes roxo e algumas pulseiras para completar. Olhei para elas e me perguntei se elas sabiam que na água tudo muda... eu iria voltar rápido, porque embora já tivesse passado um tempo desde o confronto eu ainda era a única sobrevivente conhecida de nosso cardume.

 

— Sabem que na água isso muda certo? Vocês ficam e eu saio, vai ser assim, volto para busca-las, tudo bem? — elas assentiram e mergulhamos, de repente eu era uma sereia de novo e a água me acalmava de um jeito que nada mais fazia.

 

Suspirei profundamente e nadei na direção do fundo. O mar ficava cada vez mais escuro, mal se via os lados, muito menos o que estava abaixo, mas aquela era a direção, para baixo até encontrar a luz que brilha tão forte que poderia cegar.

 

Apontei um pontinho brilhoso mais à frente indicando que deviam ir para lá, pouco tempo depois elas voltam, na mão direita um anel. Abriram um sorriso e nadamos para cima.


Notas Finais


Olá de novo, foi isso, se você gostou comenta que me anima muitoooooo e BB é Byron Bay.

Biquínis:

Biquíni Maya: https://br.pinterest.com/pin/729653577097796558/

Biquíni Cath: http://pin.it/aXwcVV8

Biquíni Aly: http://pin.it/RZJA9F5


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...