História MESMA LUA - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Henrique & Juliano
Personagens Henrique, Juliano, Personagens Originais
Tags Edson, Emil, Flaney, Henrique, Henriqueejuliano, Juliano, Maria, Mohana, Pedro, Thiago
Visualizações 137
Palavras 1.172
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


BOA LEITURA MINHAAAAAS LINDAS!

Capítulo 10 - O que aconteceu entre a gente?


A festa de Marília estava incrível, ela estava deslumbrante. Feliz. Ela merecia. O salão estava cheio. Músicos, cantores, família e amigos em comum.

Depois de dançar muito me sentei em uma mesa e tirei meus saltos um pouco. Olhei em volta do salão vi meus amigos, que quando vieram falar comigo sempre me perguntavam a mesma coisa: “ Você está bem?” “Fiquei sabendo o que aconteceu.” “Desculpe não ter te ligado.” E eu simplesmente sorria fraco, mas por dentro eu gritava. Sempre estive no mesmo lugar, não troquei de número. Permaneci ali. Não me procuraram porque não quiseram. Mas eu só sorri e assenti.

Fiquei ali sentada com uma taça de vinho. Até que ouvi a voz de Maiara. Respirei aliviada. Mas quando virei o rosto ele estava ali, ficamos ali nos olhando, só então ouvi alguém me chamar, era Leo, que puxou Henrique e o Juliano e começaram a vir em minha direção. Juliano me olhou confuso como se me pedisse uma explicação. Henrique já estava com aquela expressão séria me olhando, olhando através  da minha alma. 

- Bia, tudo bem? – eu estava branca e assustada e apenas assenti, meus olhos estavam em Henrique. – Bom meninos, essa é a moça que eu falei. – Henrique me olhou confuso.

- A gente já se conhece. – Juliano falou me abraçando e Henrique me olhou saiu dali.

- Henrique, espera. – quando fui sair de perto de Juliano ele me segurou.

- Bia, deixa ele. – Juliano disse segurando minha mão meus olhos já estavam cheios de lágrimas – Depois vocês conversam.

- O que está acontecendo? – Léo questionou.

- Que droga! – falei chorando.

- Eles namoraram. – Juliano explicou.

- Cara, se eu soubesse, eu...

- Você não tem culpa, Leo.

- Eu vou falar com ele. – me levantei e Leo colocou a mão em meu ombro.

- Não, eu falo. – ele foi saindo na minha frente.

 

HENRIQUE POV

Não acredito que a moça que ele falava era a Bia. Quando ele me chamou dizendo que queria me mostrar alguém e a chamou meu mundo parou, Juliano me encarou tentando entender, tão confuso quanto eu. Quando chegamos perto dela comecei a desconfiar que a moça era ela.

- Henrique. – ouvi Leo me chamar e quando vi ele estava ao meu lado. – Cara, eu não fazia ideia de quem era ela.

- Ela é minha... – falei e me corrigi. – Era minha mulher. 

- Henrique, cara, se eu soubesse...

- Você dormiu com ela? – perguntei receoso. – Só me responde isso.

- Não. Só beijei. – ele disse sincero – Cara, eu não fazia idéia que era ela.

 

BEATRIZ POV 

- Droga, Juliano – falei claramente nervosa – Por que eu beijei esse cara? – Juliano abriu a boca pra tentar falar mas eu interrompi – E outra por que eu to assim? – tentou de novo – Não tenho mais nada com o Henrique. – ele ficou quieto me olhando – Você não vai falar nada, Juliano?

- Se você deixasse eu falar, eu falaria.

- Quer saber, eu não to nem ai! – meu ex cunhado ficou me olhando com a sobrancelha arqueada – O que? Eu não me importo! – nesse momento Henrique passa por nossa mesa e segue para uma área aberta e eu o segui com os olhos.

- Não se importa mesmo? – ele estava com um sorriso de lado.

- É, eu vou tomar um ar. – me levantei e ele riu.

- Vai lá,  tomar seu ar. – me deu um beijo no rosto e eu segui para fora.

Quando cheguei la fora, ele estava encostado em uma parede com um cigarro nos dedos. Fiquei ali parada olhando pra ele. Pensei mil vezes em sair dali, pegar minhas coisas e me mandar pra fora do país. Então me virei decidida a ir embora. Só que eu travei, precisava falar com ele, fiquei ali parada ali, por um tempo.

Eu vou falar com ele! Não tenho nada a perder, aliás eu já perdi. Me virei e para minha surpresa ele estava bem atrás de mim. Me olhando sério.

- Henrique, a gente pode conversar? – Minhas pernas pareciam dois gravetos prestes a quebrar.

- Estou ocupado agora. – ele falou com o olhar mais a frente 

- Por favor. 

- A última vez que você queria conversar comigo foi pra terminar, lembra? – ele diz irônico – Agora vai ser pra dizer que ficou com o um amigo meu? 

- Eu não fiquei com ele. – ele riu – Ele me beijou, foi só isso. – ele me puxa pra um canto me fazendo tropeçar em meus saltos. – Espera, Henrique. – eu fiquei encostada na parede e ele de frente pra mim.

- Você fala assim nessa tranquilidade? – ele diz nervoso

- Você sabia que eu estava o encorajando a investir na moça? – ele respira fundo tentando manter o resto de calma que sobrava – A ficar com a minha mulher?

- Eu não tenho culpa. – meus olhos estavam vermelhos

- Gente. – ouvimos uma voz e vimos Thiago – Tá tudo belezinha aqui?

- Dá o fora, Thiago. – Henrique disse olhando pra mim.

- Mas tá tudo bem?

- Vaza, Thiago! – falamos juntos.

- Ok. To saindo. – ele resmungou – Casal terrorista. – e entrou e fez um sinal pra mim de que estaria por perto.

Henrique ficou ali parado, sério. Fiquei ali olhando pra ele e me lembro de quão rápido foi o nosso namoro. Na segunda semana ele já tinha me ganhado, uma ida ao bar e vários flertes, um beijo, em menos de um mês ele me chamou pra viajar com ele.

Em suas folgas ele ficava em casa ou me carregava pra dele, um dia ele chegou em casa correndo, me assustando e me pegou no colo e levou pra casa dele, me fazendo gritar durando o curto caminho.

Tivemos um término, estávamos tão bem até que boatos surgiram, apenas boatos e pessoas, querendo que nos distanciássemos. Mas fomos bem mais fortes que isso. Porém dessa vez, fomos nós, nós não aguentamos. Acabou. E até agora não consigo entender direito o que aconteceu, nos separamos e das duas vezes que nos vimos acabamos gritando um com o outro.

- Henrique. – ele não me olhou peguei em seu rosto e fiz ele me olhar nos olhos – O que aconteceu entre a gente? Nós não éramos assim.

- Nós pedimos por isso.

- Eu não pedi pra sofrer. – ele colou a testa na minha.

- Eu te ligava só pra te ouvir falar. – eu o olhei surpresa – Mas eu desligava, não aguentava. Pensei mil vezes em pegar o Nim e ir pro Rio te botar dentro daquele aviãozinho e voltar pra casa.

- Porque não foi? – perguntei chorando – Você não sabe quantas vezes eu esperei pra ir embora com você.

- Orgulho, Beatriz. – saiu de perto de mim e ficou de costas – Eu sou um filho da puta de um orgulhoso. Nós somos orgulhosos.

- Então, agora, eu estou engolindo o meu orgulho. – falei andando em sua direção e o abraçando por trás – Me leva pra casa! – ele se soltou de mim e se virou pra mim – Eu não aguento mais, ficar longe de você. Vamos começar tudo de novo?


Notas Finais


Gostaram do cap de hoje?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...