História Mesmo Dando Tudo Errado - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho, Tao
Tags Baekyeol, Chanbaek, Chanhun, Kaisoo, Sekai, Shotacon, Taohun
Exibições 305
Palavras 1.589
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ufa! Consegui postar um novo cap. E sim, eu ainda estou de castigo. Eu espero que gostem desse, não é o melhor que eu escrevi até agora, mas está razoável. É simples, mas importante e um tanto esperado
Queria avisar que se tiver muitos erros, que me desculpem. Nessa minha situação fica difícil de digitar, revisar, corrigir e etc. Eu estou postando pelo note do meu namorado que é um cu e piora tudo. e..e
Pessoal, queria pedir se por acaso se esquecerem o porque a fic é 18+, que deem uma olhada novamente nos Avisos antes de procurarem um novo cap. Para que não se sintam chocados ou afetados de forma ruim por algo abordado na história. Caso se sintam incomodados por algo mais, venham falar comigo sobre
Obrigada por tudo e boa leitura!

Capítulo 17 - Momento de Paz


Era pouco depois de 13h quando eu cheguei em casa. Finalmente saí e resolvi fazer alguma coisa. Infelizmente não foi nada promissor. Fui demitido e resolvi trancar a faculdade. Agora eu tinha que me dedicar a conseguir um novo emprego e a cuidar de SeHun.

Fui negligente e deixei tudo nas mãos dele durante uma semana, realmente fiquei surpreso por ele não ter explodido o apartamento. Ao contrário dos meus panos de prato, encontrei cinco deles no lixo, queimados.

Olhei para tudo dentro de casa pensando no que começar a limpar, arrumar, fazer. Respirei fundo e comecei tirando o pó dos moveis, depois varrendo e trocando os forros das almofadas. Já fazia uma diferença. No final do dia já tinha arrumado toda a casa, nada de limpeza pesada, mas o necessário. Eu pensei em buscar SeHun na escola, mas me sentia sem forças. Resolvi ficar, fazer o jantar e esperá-lo.

Quando acabei me sentei no sofá, liguei a televisão tentando ficar entretido com algo, mas acabei me distraindo com meus próprios dedos, que aliás são bem feios. SeHun chegou antes das 20h, como um bom menino tirou os sapatos e sua mochila e os deixou do lado de uma poltrona.

-Boa noite. - Ele ficou surpreso ao me ver na sala.

-Boa noite. O que está fazendo?

-Estava esperando você. - Ele pareceu desconfiado. - Fiz o jantar.

-Ah, que bom. Eu vou tomar um banho agora, pode colocar a comida pra mim?

-Claro. - Ele foi para o banheiro e eu para a cozinha.

Eu me sentia como um marido que fez uma merda muito grande e que devia reconquistar a confiança da esposa, o que não passava tão longe da verdade. Deixei a mesa arrumada e SeHun voltou já vestido com seu pijama.

Nos sentamos e comemos, em silêncio. O meu prato era menos do que o dele, o que há duas semanas atrás seria o contrário. Era algo incomodo.

-Hyung, está tudo bem? - Ele me trouxe para fora dos meus pensamentos. Era estranho ouvi-lo me chamar de hyung, mas foi uma exigência minha, não foi?

-Não tudo. As coisas vão começar a ficar mais difíceis por aqui.

-Mais?

-SeHun, Hunnie. Eu perdi meu emprego.

-E agora, Chanyeol?

-Eu irei procurar outro. Também tranquei a faculdade. -Ele parecia não saber o que dizer e ficou olhando para o prato. - E os seus remédios?

-Estou tomando nas horas certas, mas já estão acabando.

-Ainda tem para quantos dias?

-Acho que cinco.

-Tentarei arranjar mais até lá.

-Como?

-Não sei, talvez eu peça dinheiro... - É, eu me esqueci que estava brigado com D.O. Nossa situação vai continuar assim por um bom tempo. Eu não pedirei desculpas, não agora e nem KyungSoo, que era duro como uma pedra.

-Chanyeol.

-O que foi?

-Você tem certeza de que não ia se jogar da janela ontem? - Ah, era isso.

 

29 horas antes.

Me apoiei na parede e passei uma perna para fora e depois a outra, me sentei no parapeito. Respirei fundo e balancei minhas pernas. Não parecia tão alto, olhando assim. Francamente, esperava mais altura do sétimo andar. Se eu caísse... Não faria um estrago tão grande, ou faria?

-Chanyeol! - Fui puxado para dentro do quarto por SeHun e acabei batendo a cabeça em uma das ombreiras da janela.

-Ai!

-Por favor, Chanyeol! Não faça isso! O que te deu? - Ele estava chorando e segurava minha blusa com força. - Não se mate. - Ele me abraçou e continuou chorando.

 Com os dedos trêmulos, passei a mão nos seus cabelos.

-Eu não ia me jogar, estava apenas pegando um ar.

-Ninguém pega um ar assim, Chanyeol! Na verdade, esse costuma ser o último ar que elas pegam na vida, porque depois elas morrem!

-SeHun, está tudo bem.

-Não está tudo bem, você ia se jogar.

-Eu não ia me jogar, já disse.

Momento atual.

 

-Sim, SeHun. Eu tenho certeza, não iria me jogar,

-Tudo bem. - Ele pareceu mais aliviado.
 

Na verdade, sim, eu pensei em me jogar, em me deixar cair. Eu me livraria dos problemas, das dúvidas, dos meus desejos impuros. Tudo. Inclusive SeHun. Mas eu não podia fazer isso com ele. Não podia fazer isso com a gente.

Deixei SeHun lavando a louça e fui tomar um banho. Quando terminei, me vesti e me deitei na cama com medo de não ter força para me levantar no dia seguinte. Mas SeHun se deitou do meu lado. Ficamos no encarando sem saber o que fazer, até que eu o beijei. Segurei seu rosto e comecei a fazer um carinho na sua bochecha. Ele suspirou baixo.

-Senti saudades do seu toque, Channie. - O beijei novamente e o abracei. Fomos nos entregando mais ao beijo e ele se deitou em cima de mim.

-Você quer fazer hoje, pequeno?

-Por favor, Channie. Por favor. - Pediu me dando vários beijos no rosto e mordi seu queixo.
 Retiramos nossas roupas sem pressa. Era lindo ver como SeHun reagia a cada toque meu. Soltava suspiros e gemidos antes mesmo de tocá-lo de forma mais íntima. Invertemos as posições e eu fiquei por cima, no meio das suas pernas. O beijei calmamente enquanto apertava seus mamilos já com os bicos durinhos. Desci meus lábios para suas bochechas, seu pescoço, sua clavícula até chegar ao seu peito. Distribuí beijos e depois envolver um mamilo com a língua fazendo ele suspirar. Chupei bem devagar e dei algumas mordidas mais fortes enquanto brincava com o outro com meus dedos.

SeHun era todo rosinha, o que era mais adorável e excitante. Tirei a boca do seu peito e passei os dedos por cima, SeHun estava corado. Ele levou uma das mãos para dentro da minha box me masturbando e com a outra me puxou pelo pescoço para beijá-lo mais. Retirei sua cueca e também passei a masturbá-lo. A mão que estava no meu pescoço desceu para as minhas costas. Parei o beijo e levei a boca até sua orelha, dando mordidas.

-Posso te foder agora, SeHunnie? - Ele assentiu de olhos fechados.

Tirei minha box e me estique para pegar o lubrificante no criado mudo. Abri mais suas pernas, envolvi meu pênis com lubrificante e levei a sua entrada.

-Com calma, Chan. Por favor. - Fui penetrando lentamente. - Calma!

-Estou indo com calma, amor. Você tem que relaxar. - Ele respirou fundo.

Fazia um bom tempo desde que nós não transávamos. Passamos tanto tempo brigando e magoando um ao outro que nos faltava momentos para nos amar.

Comecei a estocar e ele colocou os braços no meu pescoço. SeHun estava corado, com os olhos fechados e com os lábios entre abertos. Era a face da perfeição! Comecei a beijá-lo e a estocar com mais força. Ele afastou nossas bocas para poder gemer mais alto.

-Oppa, mais forte. - Era tão bom ouvir ele me chamando de Oppa, tão bom ouvi-lo pedindo por mais. Não tinha como negar isso a ele. Segurei sua cintura com força e comecei a foder com mais brutalidade.

Puxei seu cabelo e passei a chupar seu pescoço. Ele abraçou minhas costas e seus gemidos já tinham se tornado gritos. Soltei a sua cintura e voltei a masturbar seu membro lentamente. A glande do meu pequeno estava inchada, era ótimo brincar com ela deixando SeHun sem ar. Não demorou e ele gozou na minha mão. Sua voz falhou no meio do gemido e ele ficou mole nos meus braços. Beijei seus lábios.

-Quer que eu goze na sua boca? - Ele assentiu e eu saí de dentro dele. Me sentei na cama e ele se agachou para me chupar. Envolveu meu pênis com a boca e começou com movimentos de vai e vem, tirou ele da boca e passou a língua só na glande. Segurei seu cabelo e bati com meu membro no seu rosto. Ele tentou me abocanhar novamente, mas o puxei pelo cabelo.

-Só a glande, minha putinha. - Ele me obedeceu. Depois foi descendo os lábios bem devagar. Encostei a cabeça na parede e comecei a ditar os movimentos SeHun se engasgou mas continuou a chupar maravilhosamente. Quando voltei a olhar para baixo ele estava com os olhinhos cheios de lágrimas e as bochechas mais vermelhas. Isso foi o que finalmente me fez gozar. Ele engoliu, se sentou no meu colo e me deu um beijo satisfeito enquanto me abraçava.

-Eu te amo tanto, SeHun. Me desculpe por tudo. - Ele me deu outro beijinho.

-Eu também te amo, Chan. Te amo muitão. - Eu sorri e o abracei.

-Você está crescendo, Hunnie.

-Você também está.

Nos deitamos e começamos a conversar baixinho, um no ouvido do outro. Depois nos beijamos mais um pouco e só paramos porque adormecemos ainda abraçados. Foi um jeito maravilhoso de aproveitar e terminar um dos poucos momentos de paz que temos entre nós.

 

A semana passou e não brigamos uma só vez. Mas também não consegui nada novo, nem dinheiro para os seus remédios e continuava sem falar com D.O. Não tinha jeito, só tenho mais duas pessoas para recorrer e tinha vergonha de correr atrás delas, apesar de ser necessário. O problema era que não tinha como levar SeHun comigo ou deixá-lo sozinho.

Mas na sexta-feira a noite o meu pequeno chegou com a solução em forma de pedido.

-Junmyeon me chamou para passa o final de semana na casa dele. Eu posso ir?

No dia seguinte, antes das sete horas eu estava indo para Busan, para a casa da minha mãe enquanto SeHun ainda babava no travesseiro.
 


Notas Finais


Gente, eu queria avisar que irei corrigir os capítulos inicias da fic. Postei um jornal explicando melhor isso e também sobre o final dessa história e o de MBIaV. Seria bom se vocês parassem para ler:
https://spiritfanfics.com/perfil/candyzah/jornal/corecao-terminos-e-repost-6728017

E um lembrete: Como sempre- eu não tenho uma ideia de quando irei postar um novo cap Eu tento postar um a cada uma semana, no máximo em quatorze dias. Mas como sabemos né, nem sempre eu consigo, mas me esforço, juro.
Fiquem com Deus, meus amadinhos *3* Espero muitos comentários U_U
(no último cap só recebi dois comentários, fiquei até assustada. Desagradei vocês?)
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...