História Metafísica - Capítulo 33


Escrita por: ~

Exibições 152
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Planos.


 - Ele acordou- uma voz desesperada falava por perto mas eu não conseguia reconhecer quem era, sentia que minha cabeça estava apoiada em um travesseiro mas meus olhos não estavam abrindo assim tão facilmente.

- Justin, fala comigo- agora eu podia reconhecer, era Nolan.

- Onde estou?- falei com os olhos ainda semicerrados.

- Na mansão- agora podia ver Nolan nitidamente.

- Cadê os outros?- perguntei me levantando mas Nolan me segurou.

- Estão no hospital com Butler- Nolan disse.

- Com Butler?- perguntei.

- Você e ele foram praticamente os últimos a sair do galpão, caíram bem feio na verdade, Butler teve uns cortes profundos, caiu em cima de alguns cacos de vidro mas acho que está tudo bem.- Nolan agora me ajudou levantar- Você está bem?

- Sim, eu só desmaiei- dei de ombros ainda tonto.- Tem algum analgésico nessa casa?

- Deve ter na cozinha- Nolan disse e eu fui em direção a cozinha e lá estava Emily comendo um pedaço de bolo de chocolate.

- Você que fez isso?- apontei pro bolo e ela apenas assentiu sem olhar para minha cara.

Ignorei o fato de sua cara feia e peguei um pedaço. Emily respirou fundo deixando uma lágrima escorrer, ela estava claramente triste e irritada.

- Para de agir como se tudo estivesse normal, Justin- seu tom de voz era furioso.

- A situação pra mim é normal- apenas disse engolindo um seco, claro que aquela era a pior situação que havia me acontecido, por que querendo ou não estava envolvendo sentimento e era tarde de mais para ter descoberto isso.

- Normal?- ela levantou alterada vinda em minha direção- Minha amiga está morta e está tudo normal para você Bieber?

Senti os tapas de Emily contra mim, ela estava forte devido aos treinamentos mas nada que eu não pudesse segurar.

- Escuta, vadia- segurei seus pulsos mais ela ainda tentava me acertar com pontapés- Emily, escuta caralho, menina surda porra- ela me olhou toda descabelada.- Eu tenho que agir normal, eu sou um chefe de gangue, se eu ficar de mimimi me abalando eu sou morto entendeu?

- Estamos falando da vida de uma pessoa.- esbravejou Emily.

- Você acha que eu não sei?- olhei direto em sua cara, sabia que Emily iria me matar a qualquer momento, eu também não gostava muito dela e ela era chata pra caralho pra ajudar.- Estou movendo três gangues por causa de Quinn, se você acha que isso não é fazer nada.

- Você ainda é o culpado por ter colocado ela nisso, seu babaca.

- Vai ficar colocando a culpa em mim até quando? Você acha que eu não durmo com um puta peso na consciência não é, Emily?- soltei o ar- Pois bem eu durmo, e estou fazendo isso por ela e pela minha equipe. Nunca vou querer que isso aconteça com ninguém a nossa volta, está entendo?

- Sempre soube- Emily deu um sorriso sarcástico e eu fiquei sem entender sua colocação- Sempre soube que você viria pela Quinn ou que tinha algo especial por ela morando dentro de você.

- Não viaja lunática- ri debochado.- Não tem nada, é só o meu futuro de gângster.

- Ok Bieber- ela semicerrou os olhos, fazendo-me rolar os meus, continuou me encarar como se eu tivesse falando alguma mentira, e estava, mas eu sabia disfarçar melhor do que ninguém ali e então deu as costas saindo.

Que diabos estava acontecendo, todo mundo suspeitava de algo que eu poderia ter por Quinn? Ou eu deixava isso mais do que explícito.

Meus pensamentos estavam vazios e só ela os preenchia, isso me deixava extremamente irritado.


 

Algumas horas depois Butler estava em casa, havíamos começado a fazer várias pesquisas de onde poderiam estar e meu escritório de homens e até Emily em procura de alguma pista.

Brad e Jeremy estavam divididos andando pela cidade enquanto tentávamos contato de várias maneiras.

Meus olhos já estavam cansados, telas e telas passavam em minha frente, o monitor daquele computador estava tornando-se tão monótono que eu já estava quase desistindo porém antes de eu ter desistido realmente Jeremy entrou pelas portas.

- Jeremy- ergui os olhos e vi sua expressão.

- Achamos uma pista- ele disse, fazendo que fosse o suficiente para todos ao mesmo instante levantassem de seus lugares.

- Qual seria essa pista?- Brad disse chegando logo atrás dele- Recebi suas mensagens e vim o mais rápido que pude.

- Bom- Jeremy entrou por completo dentro do escritório, parecia que havia sintonia do grupo por que todos deram um suspiro junto com Jeremy.- Arthur tem uma boate, tenho quase certeza que estão lá. A boate é um pouco longe porém está funcionando muito bem nos últimos dias, conversei com umas das atendentes de um posto de gasolina logo ao lado da boate e ela me disse que nunca viu o lugar tão movimentado.

- Então quer dizer que eles estão usando a boate como um esconderijo?- perguntei.

- Sim, mas tem a melhor parte- Jeremy respirou fundo- A atendente disse que a boate só está sendo almejada por causa de uma nova stripper que chegou recentemente, a Maria.

- Eles estavam a fazendo de stripper?- Brad perguntou espantado quase em um grito, espantoso era o fato dele estar indignado com isso mesmo tendo feito sua própria filha como stripper de sua boate.

- Vamos atacar, agora- levantei sentindo alguém me puxar.

- Precisamos de um bom plano pra isso, e eu já tenho tudo em mente- Jeremy disse eu apenas sentei bufando, odiava quando ele fazia tudo por conta própria mas não podia negar que a mente dele era brilhante.

- Bem, sentem-se por que essa discussão vai ser longa.- todos sentamos em volta da grande mesa.- A ideia é de entrarmos lá infiltrados como clientes, precisamos ter pelos menos 10 pessoas lá dentro.

- Mas todos nos conhecem- Chris que estava encostado na parede em pé disse e Jeremy apenas olhou em volta.

- Vamos pegar oito seguranças, e dois vai ser de nossas equipes aqui presentes- todos se entreolharam.

- Jeremy, somos conhecidos- Chaz ia dizendo mas Jeremy deu um sorriso para ele e então vi que do seu lado estava Mike e Emily e que o sorriso na verdade era pra eles.

- Não, eu não vou conseguir fazer isso.- Emily disse já se alterando, nunca vi menina pra ficar irritada tão fácil.

- Não é difícil- Jeremy disse- Aliás, foi você que topou estar aqui.

- Minha amiga pode estar morta dentro daquele lugar e vocês querem que eu entre lá? Me nego.

- Por mim tudo bem- Mike disse e Jeremy abriu um sorriso para ele.

- Boa garoto.- Jeremy disse.

- Justin, fale algo- Emily me suplicou e eu apenas dei de ombros.

- Eu acho uma boa proposta- disse vendo que meu pai ficou me encarando e depois.

- Seu trabalho vai ser fácil, mocinha- Jeremy disse.- O resto de nós vai atacar por todos os lados.

- Mas como vamos chegar de surpresa? Eles sabem quem somos nós, vocês sabem- foi vez de Brad.

- Hoje vai ter uma banda de rock especial na boate, o ônibus dele está a caminho e monitorado- Jeremy mostrou seu celular que dava as coordenadas do ônibus.- Só precisamos pegar o ônibus fazê-los de refém e estamos lá dentro.

- Loucura- Emily disse vendo todos a encarando- Ok, eu me rendo.

- Ok, então Chaz, começa a fazer os mapas- Chaz foi direto a um computador e o resto começou a conversar e se mobilizar.

Acho que a parte de organização de um plano era melhor que executá-lo, éramos juntos as cabeças mais inteligentes do Estados Unidos e agora mesmo estando em Portugal iríamos mostrar quem realmente éramos.

E eu ainda teria ela de volta.

 


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...