História Metal and Dust - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Exibições 51
Palavras 1.938
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - The First Day - Part 1


Fanfic / Fanfiction Metal and Dust - Capítulo 2 - The First Day - Part 1

Eleanor não sabia como, mas apesar de ter retornado para casa no meio da madrugada Charlotte ainda tinha disposição para acordar antes que ela e já estar maquiada com aqueles olhos esfumaçados antes que ela estivesse disposição sequer para tomar banho.

– Como isso é possível?

– O quê? – A irmã loira a olhou curiosa.

– Você... estar assim a essa hora.

– Não é o tão importante primeiro dia de aula?

– Se bem que – Ellie prestou atenção na roupa que a irmã usava: um legging preto, uma camiseta de banda cortada para virar uma regata e os coturnos que ela tinha pensado em usar na noite anterior – não tão importante assim, não é?

Charlotte percebeu a careta da irmã e retrucou:

– Ei! O que você quer dizer com isso?

– Você está vestido uma blusa rasgada. Pelo visto não quer causar uma boa impressão no primeiro dia.

– Quem liga para impressão? Essa é a minha blusa da sorte! – A loira abraçou a si mesma em um gesto cômico e continuou – Se não fosse por ela eu não... – Mas logo parou de falar porque a voz da mãe delas de repente irrompeu vindo de escadas abaixo.

– Meninas! Estão prontas???

Em resposta, Eleanor fez uma careta ao ver o estado que ainda se encontrava, mas Charlie gritou de volta sem pestanejar:

– Não! Preciso de mais dez minutos mãe!

– Porque você não aprende a acordar mais cedo, Charlotte?!

– Veremos!

A vida era assim, elas retrucavam uma com a outra até não poder mais, mas continuavam melhores amigas como desde o primeiro dia que se deram por gente. Charlie tinha mudado e se transformado em outro tipo de pessoa, mas continuava tendo a irmã como cara-metade. Por isso deu um sorriso gostoso quando Eleanor a deu um beijo no rosto em agradecimento antes de ir correndo para o banheiro.

 

O novo colégio não era muito diferente do anterior, mas ainda assim passava aquela sensação de estranheza devido a todos os olhares estranhos a observando. Ellie não saberia dizer se era por serem alunas novas ou por duas pessoas tão diferentes estarem andando juntas. A irmã com aquela roupa toda escura e o cabelo loiro amarrado em um coque estiloso no alto da cabeça era muito diferente dela que por causa da pressa tinha posto o primeiro vestido que tinha encontrado – mesmo que em um padrão florido  de azul escuro e a meia calça preta por baixo era ainda algo que destoava muito ao lado de Charlie – e ainda usava o cabelo escuro solto até abaixo dos ombros.

– Como encontramos a coordenação? – Charlotte lançou um olhar para o corredor completamente perdida.

– Provavelmente é uma das primeiras salas.

– Não, eu não confio nesses seus instintos.

Eleanor ia retrucar algo, mas quando menos viu a irmã já tinha se distanciado e conversava com uma garota ruiva que retirava alguns livros do armário. Ela usava uma camiseta roxa e meias listradas de roxo e preto e parecia bem simpática. Quando Charlotte voltou para perto veio logo dizendo:

– É a primeira porta à direita do corredor.

– Eu bem que diss... – Ellie parou de falar porque a garota ruiva se aproximou delas para falar algo a irmã, mas parou quieta enquanto as observava dos pés à cabeça.

– Vocês são gêmeas?

– Somos sim, Iris – Charlie a respondeu até que gentilmente. Ela não suportava ouvir essa pergunta – Essa é a Eleanor. Obrigada pela informação, nós nos vemos depois.

– Até depois.

– Até. – Ellie a respondeu com um aceno de cabeça.

                                  

Ao entrar na sala de coordenação, um rapaz de cabelo loiro usando uma camisa social branca estava de costas arrumando uma montanha de documentos. Charlotte deu cutucou a irmã insistindo que ela puxasse o assunto, já que não era a melhor das pessoas quando se tratava de conversar com qualquer tipo de pessoa engomadinha.

– Bom dia, nós viemos pegar nossos horários. – Eleanor disse em voz alta.

O menino se virou e as encarou calado por alguns instantes. Charlie revirou os olhos pensando em como odiava aqueles segundos que as pessoas as encaravam enquanto decidiam se elas eram gêmeas ou só apenas duas meninas parecidas. E era impressionante que mesmo que elas fossem inteligentes o bastante para deduzir sozinhas, acabavam fazendo a fatídica pergunta do mesmo jeito.

– Bom dia. Eu me chamo Nathaniel. Vou precisar dos nomes e sobrenomes de vocês.

– Eleanor e Charlotte Montgomery. – A morena respondeu com um sorriso gentil enquanto ajeitava a bainha do vestido xadrez distraidamente.

– Desculpe, mas vocês são gêmeas?

– Sério? – Charlie pensou em voz alta – Sempre essa pergunta?

– Oh, eu sei, desculpe. Realmente cansa e olha que sou gêmeo com uma menina. – Nathaniel esclareceu.

– Não ligue para ela – Eleanor falou enquanto exibia um sorriso envergonhado. – Charlotte só é muito resmungona, mas não morde. – Como previsto pela irmã, a loira revirou os olhos assim que ela disse aquela frase.

– Você vai ou não entregar nossos horários? – Charlotte inquiriu irritada.  Nathaniel foi até uma pasta separada em um canto e a estendeu uma ficha, mas assim que ela viu que tinha o nome da irmã passou o documento adiante – Se você não entendeu a parte que ela se referiu a mim, eu sou Charlotte, então não posso ser a Eleanor.  

– Charlie...

– Ellie.

Nathaniel então entregou a ficha certa e quando a loira a pegou, apenas deu meia volta e saiu da sala sem dizer mais nada.

– E é assim, meus senhores, que você tem certeza que um demônio possuiu sua irmã. – Eleanor comentou em voz alta enquanto esquecia por um momento a presença do loiro na sala.

– Oi?

– Oh, céus. Nathaniel, não é? Eu sinto muito por essa cena.

– Eu fiz algo que não a agradou?

– Não mesmo. Não se preocupe. Ela que se faz de doida, achando que está em um embate contra qualquer pessoa que simbolize autoridade. Sinto muito.

– Ahm – O loiro fez uma careta que acabou se transformando num sorriso amarelo – Tudo bem, eu sei como irmãos podem ser difíceis.

– Bem, foi um prazer conhece-lo, Nathaniel.

– Digo o mesmo, Eleanor.

– Me chame de Ellie, por favor. Até mais.

– Até. Nós nos vemos depois, Ellie.

Eleanor deu um meio sorriso e saiu da sala. O corredor estava mais vazio e a irmã já havia desaparecido de vista. Ela respirou fundo e viu que a primeira aula era de biologia. Pelo menos, começaria a semana com a sua matéria preferida. Esperava que aquilo fosse um bom sinal.

 

A maioria das pessoas odiaria tal fato, mas a aula de física como a primeira da semana não era uma das piores coisas a acontecer com Charlotte. Apesar do seu visual rebelde ela era muito boa com números. As pessoas nunca acreditavam e sempre duvidavam de sua capacidade, assim como o professor do antigo colégio que tinha certeza que ela tinha colado na prova e fez com que ela fosse suspensa por três dias. Porque, aparentemente, não tinha outra explicação para ela ter conseguido nota máxima a não ser um monte de colas que ele nunca conseguiu provar que existiam.

A loira escolheu uma cadeira que viu vazia no final da sala e assim que se sentou percebeu que ao seu lado, sentado no canto, um rapaz de cabelos platinados fazia anotações em um bloco de notas e resmungava algo.

– O que rima com “entrega”? – Ele acabou pensando em voz alta.

Charlie sabia que o rapaz não havia perguntado diretamente para ela, mas assim que percebeu que ele escrevia uma música, a pergunta que saiu de sua boca foi inevitável.

– Como é a frase? – Quando o garoto levantou os olhos e a encarou, só aí ela percebeu que ele tinha os olhos um de cada cor. Junto com o cabelo branco e as roupas de aparência vitoriana parecia como se saído de uma obra de arte. – Eu sou Charlotte.

– Lysandre. – Ele a observou calado por alguns segundos enquanto a observava detalhadamente parando algum tempo a mais em sua camiseta que estampava a imagem do álbum Master of Puppets do Metallica. – Novata?

– Sim, acabei de chegar.

– É um prazer conhece-la.

Charlotte agradeceu com um aceno, mas logo perguntou de novo curiosa – Então, como está o seu verso? – Quando Lysandre ficou mudo mais uma vez, ela completou – Eu também escrevo músicas no tempo livre. Quer dizer, pelo menos eu tento. Então acho que possa te ajudar.

O platino então deu de ombros, pegou o bloco de notas e leu:

– “Quando você se entrega / O meu corpo fala / Que você é o meu sol”.

Charlie encarou o chão, começou a pensar em algo que rimasse e alguns instantes depois disse:

– Que tal “Aquele que me navega / Guiando entre beijos / Até o nosso lençol”? – Lysandre a encarou sério e ela perguntou nervosa – O que foi? Ficou uma bosta?

– Não, não. Ficou bom. Acho que talvez poderei usar. – Ele respondeu.

– Charlie fica feliz em ser útil. 

Foi a última coisa que ela disse antes do professor entrar na sala e eles interromperem a conversa. Durante uma pequena lista de exercícios que o professor passou eles voltaram a conversar sobre rimas e acabaram compartilhando entre si suas bandas preferidas. Então, não foi uma total surpresa que quando o horário acabou e eles se retiravam para trocarem de sala, Lysandre a acompanhou. Ele questionou curioso:

– Então, você escreve para alguma banda Charlotte?

– Não, na verdade não. Assumo que comecei a aprender a tocar bateria faz poucos meses e ainda não achei nenhuma galera, mas...

– Charlie! – O chamado súbito de Eleanor interrompeu a conversa.

– Oi? – A loira viu que a irmã vinha acompanhada de uma garota com um cabelo branco tão comprido que ia até a bunda dela e tinha olhos cor-de-âmbar enormes.

– Confirma para a Rosalya que eu tenho a coleção completa de bonecos do BTS.

– Os de olhos-puxado?

– Sim, os coreanos.

– Sim – Charlotte encarou Rosalya e disse – ela tem todos os bonecos. Falta ter altar e tudo.

– Com licença, garotas – Lysandre falou enquanto fazia uma mesura. – Peço desculpas, mas tenho que ir para a próxima aula. Depois nos encontramos, Charlotte, Rosalya e jovem que não sei o nome.

– Ah, essa é minha irmã Ellie.

– Prazer em conhece-la, Ellie. – Lysandre cumprimentou Eleanor que lhe deu um sorriso de volta.

– Tudo bem, Lys. Mais tarde a gente se vê. – Rosalya respondeu o amigo que já ia embora e então logo se virou para Eleanor – Ok, então. Só avisando que agora eu vou precisar ir em sua casa para abraça-los com muito amor.

– Quando você quiser. Oh, aliás, como fui mal-educada. Rosa essa é Charlotte, Charlotte essa é a Rosalya. – As duas trocaram cumprimentos e então Ellie questionou a irmã – Vai para onde agora?

– Língua estrangeira. Você vem para cá? – A loira apontou para a sala de física.

– Sim.

– Nos vemos no horário do almoço então.

– Ok.

Charlotte observou enquanto a irmã e a amiga que ela tinha feito entravam na sala e iam sentar em carteiras da segunda fileira. As vezes ela não sabia como podia ser tão igual e diferente de Ellie ao mesmo tempo.

Resolveu buscar os fones na mochila e começou a escutar Pearl Jam enquanto descobria aonde era a sala que tinha que ir. O pensamento distraído acabou a levando até Lysandre e como ele gostava de escrever músicas que nem ela e tinha um jeito galante. Além de que era um gato.

Acabou sorrindo vitoriosa quando encontrou a sala de língua estrangeira e ao sentar na mesma posição que tinha sentado na outra sala viu que Iris estava sentada a sua frente.

– Hey, garota, você por aqui! – A ruiva disse assim que a viu.

Charlotte sorriu de volta. Era o primeiro dia e já tinha conhecido duas pessoas bacanas. Esperava que aquilo fosse um bom sinal do longo ano que tinha a frente.


Notas Finais


Espero que tenham gostado :)
Qualquer crítica, sugestão, dica será muito bem vindo.
Um monte de beijo a todas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...