História Metamorfose - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Crossdressing, Drama, Mentira, Revelaçoes, Romance
Exibições 117
Palavras 1.875
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Lemon, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


A partir de agora irei postar de dois em dois dias, porque o capítulo atual alcançou onde tinha parado na minha antiga conta :D

Capítulo 9 - Indecisão


Fanfic / Fanfiction Metamorfose - Capítulo 9 - Indecisão

O despertador só tocava para lhe lembrar que teria que conviver mais um dia com a culpa, Gabriel revirou na cama e olhou para cima. Depois se virou e fitou sua girafa de pelúcia, havia sido o primeiro presente que Eliot lhe deu, pegou às duas pelúcias e guardou debaixo da cama, não queria olhar para elas, também não queria se desfazer.

- O café da manhã está pronto. Ah, Gabriel, você ainda está com olheiras querido. - Teresa aperta as bochechas do irmão de leve. As irmãs pareciam de ótimo humor dês do que houve com Eliot, suspirou.

Havia se passado uma semana desde que terminaram, não foi bem nas provas sabia disso, seus amigos estavam preocupados por isso sempre que tinham oportunidade o levavam para sair. Além disso, Mika vinha conversando consigo atualmente, sobretudo por mensagens, era antecioso com Gabi, mesmo assim não sabia se conseguiria esquecer Eliot, mesmo sendo só uma semana, Mika tinha sido de grande apoio, nunca tinha tido um amigo gay antes e pensava seriamente se não tivesse conhecido Eliot primeiro acabaria se apaixonando por ele.

" Mika, podemos nos encontrar? Gostaria de conversar com você, pode ser na praça. " enviou a mensagem sorrindo de leve, poderia aproveitar os pequenos momentos de felicidade em vez de se afundar em tristeza eterna, foi apenas uma decepção amorosa." eu sou forte. " pensava consigo mesmo de forma positiva.

" Claro, depois da aula estarei lá. " Mikael mandou enquanto tomava o café da manhã com algumas torradas. 
- Está trocando mensagens? - Eliot apareceu, acabando de por a camisa de botões, estava social porque tinha uma entrevista no escritório de advocacia no centro, havia largado o emprego no mercadinho.

- Sim, com o Gabi. Vamos nos encontrar hoje. - Mika sorriu apenas para provocar enquanto o amigo bufava obviamente com ciumes, ele deveria dar o braço a torcer antes que fosse tarde.

- Bom encontro então. - O rapaz dizia com certa desdém, na verdade se deu conta de que não sentia nenhum nojo do pequeno, apesar de ainda magoado, costumava sonhar com seus sorrisos e seus beijos, as vezes algo mais quente, no entanto, era orgulhoso o suficiente para não dar o braço a torcer.

- Eu pretendo propor que nós nos tornemos mais íntimos, quero transar com ele. Possivelmente vai aceitar para esquecer você. - Mika gostava de provocar, queria fazer Eliot chegar ao seu limite e agir, Gabriel era tão fofo que poderia facilmente se deixar apaixonar por ele, no entanto Eliot era tão fechado para relacionamentos e agora havia encontrado alguém... Dilemas.

- O que?! Gabriel não é desse tipo. - Eliot sentiu as bochechas esquentarem quando defendeu o rapaz. - Mesmo que fosse, não é mais problema meu. - Disse bebendo o café.

- Se ele aceitar, te mando o endereço da onde vamos estar. Até mais. - Mika saiu enfadado, contudo, se Eliot não tomasse nenhuma iniciativa, não hesitaria em de fato ter Gabriel para si, mesmo que tivesse que passar por cima das irmãs dele, já havia enfrentado criaturas piores.

Eliot olhou para a própria xícara vazia, pensativo, Gabriel era um garoto, mas não mudava a sua personalidade, ele era fofo e ingênuo, poderia facilmente aceitar o pedido do Mikael achando que era o melhor caminho. Aquilo lhe perturbava, nunca achou que um dia sentiria atração por outro homem, todavia com o rapaz é diferente mesmo agora, por vezes se tocou pensando nele. Era estranho, mesmo que tivesse consciência do fato dele ser garoto não importava muito, era orgulhoso demais para dar o primeiro passo. Gabriel não lhe procurou ou tentou se justificar e isso lhe enervava mais do que gostaria de admitir.

- Eu demorei? - Gabriel indagava quando foi se aproximando do rapaz de cabelos pratas sentado na praça, lendo o roteiro da próxima peça que atuaria no teatro naquele final de semana.

- Não, claro que não. - Mika se afastou e deixou o garoto sentar ao seu lado. Tocando na sua cabeça de leve, era tão bom afagar seus cabelos e o menor não parecia se importar. - Eu tenho uma proposta para você, na verdade vem junto de um convite.

- Oh, pode falar. - O garoto sorria ingênuo enquanto fitava o outro, seus olhos brilhavam e Mika pensou o quanto era encantador.

- Sábado de noite vou atuar no teatro municipal e gostaria que você fosse me ver. Leve seus amigos. - Ele tira três ingressos e entrega na mão de Gabriel, o que faz os olhos do menino brilharem mais intensamente.

- Claro que sim, não perderia isso por nada! - O menino olhava os ingressos com interesse genuíno.

- A proposta... Eu sei uma forma de fazer você esquecer o Eliot. - O rapaz dizia firme e soava totalmente verdadeiro.

- Como?! - Gabriel se antecipou totalmente interessado, o que na visão do Mika, fazia crer que realmente o menor estava desesperado para esquecer o ex namorado. Suspirou, Eliot lhe decepcionava as vezes, tinha uma gracinha andrógena totalmente apaixonada e desperdiçava sem um diálogo da reconciliação.

- Durma comigo, Gabi, se sentir outro homem de firma intima, tenho certeza que o Eliot não vai passar de apenas um detalhe na sua vida. Realmente gosto de você e não quero que sofra mais que isso. - Disse palavras doces, a maior parte era verdade, claro que ocultaria sua malícia em meio ao convite quase inocente.

- Eu não sei... - "eu ainda gosto do Eliot, mas não quero gostar. Se o que o Mika falou é verdade, então... Não tem problema." Gabriel só queria para de sentir aquele aperto no peito. Mika era tão bonito e se sentia bem quando conversavam. - Se... For assim, acho que tudo bem.

- Você é um bom menino. - O maior estendeu a mão, segurando a dele, andando, não importa o que as pessoas pensassem, se é que pensariam alguma coisa sobre andar de mãos dadas com o outro, praticamente todos pensariam que ele era garota.

- É agora?! - Não sabia se estava psicologicamente preparado para perder sua virgindade.

- Se você perder tempo pensando vai acabar desistindo. - Mika dava seu sorriso malicioso que de alguma forma fazia o coração de Gabriel dar um salto. Sem dúvida o menor sentia atração pelo outro, na verdade não havia formas de não sentir. O rapaz era tão bonito e seus olhos lhe encantavam.

- T-ta. - Gabriel começou a ficar nervoso enquanto saiam na direção da moto de Mika, colocou o menino atrás. Foi na direção da casa de uma amiga da faculdade, ela lhe deu carta branca para usar sua casa durante a tarde, assim que chegaram o maior pegou a chave debaixo do carpete.

- Vá tomar um banho. É por ali. - Apontou a direção e timidamente Gabriel foi até lá. Enquanto isso Mika mandou a mensagem para Eliot avisando o endereço, todavia não obteve resposta. Se ele não viesse o menor seria seu e nunca iria abrir dele para o melhor amigo.

Quinze minutos depois Gabriel apareceu com os cabelos molhados e a toalha na cintura, sua pele alva encantou Mika de imediato e quase se arrependeu de ter mandando a mensagem, sentiu o coração dar um leve salto, Gabriel era curvilíneo, macio, os mamilos rosados e protuberantes. Puxou o pequeno pela cintura, Gabriel estava tão nervoso e vermelho.

- Você confia em mim? - Mika queria exigir muito do rapaz para apenas uma semana que se conheciam de fato, mas não importava já que o outro era ingênuo.

- S-sim... - Quando Gabriel disse isso, o maior se aproximou e o beijou, envolvendo - O totalmente, tirando a toalha que cobria sua nudez. Deixando - o exposto. Dando o beijo intenso que tiraria o fôlego do mais novo.

- Sua boca é deliciosa. Fique de quatro na cama. - Mika sussurrou no ouvido dele. O menino corou abruptamente, mas de forma obediente foi até lá, ficando de quatro totalmente envergonhando, sentia o vento fio tocando sua pele, se arrepiando ao simples toque.

Mika pegou o lubrificante e levou na direção do seu botão, melando - O totalmente, penetrando o primeiro dedo, pedindo ao outro para relaxar, Gabriel soltou um gemido baixo e tentou relaxar, funcionou e o maior introduziu mais um dedo, começando movimentos circulares com incrível maestria, o pequeno começava a não conter os gemidos de excitação, não acreditava que perdia a razão com o simples toque dos dedos do outro que não se preocupava com isso. Manejando de forma firme, encontrando o ponto sensível, a próstata, o menino se encolheu com o choque repentino.

- Se masturbe. - Mika dizia autoritário, apesar da voz calma e contida, só queria ajuda - lo a se sentir bem. Gabriel encostava a cabeça no travesseiro, empinando mais o bumbum e tremendo, pegando no membro e começou a se tocar, gemia baixo, arfando, nunca tinha sentindo tanto prazer e o outro lhe proporcionava isso.

Mika notou que Gabriel estava prestes a vim e acelerou o movimento, penetrando - o mais fundo, foi quando seus dedos foram apertados e o gemido do menino ficava mais alto e ele amolecia sobre a cama.

Gabriel parecia tão fofo que queria devora - lo, poder penetra - lo de forma a fazer o menino delirar de prazer, mas se seus cálculos estivessem certo, Eliot não demoraria a chegar. Esperou o menino se recuperar. Ouviu a campainha tocar... 
- Gabi, coloque minha camisa, vou ver quem é. - Tirou a camisa que estava por cima, ela ficaria bem grande no rapaz, andou na direção da porta.

Respirou fundo e abriu, Eliot estava arfando, possivelmente veio correndo da estação até ali, seu rosto estava vermelho, além do suor que deixava seus cabelos grudados na testa, cabelos desalinhados, a perfeita visão do desespero.

- O que faz aqui? - Mika quis saber para ser provocativo. Eliot o empurrou para poder passar.

- Você sabe porque eu vim, cadê o Gabi? - Eliot estava com os punhos cerrados para dar um belo soco na casa do amigo, mas quando ele apontou para o quarto foi na direção.

A imagem que teve encheu seu corpo de tesão. Gabriel estava sentando de joelhos na cama, com uma camisa maior que seu corpo, parecia um vestido, o rosto vermelho, cabelos desarrumados e parecia confuso ao ter a visão do ex namorado ali.

- O que faz aqui? - Não era à recepção que esperava do Gabriel, a voz dele saia embargada e chateada.

- Eu vim te buscar, precisamos conversar sobre nós dois. - Eliot não acreditava que estava fazendo aquilo, mas depois daquela semana pensando se deu conta que não importava se Gabriel fosse homem, queria - o para si, sentiu saudades, queria abraço - lo e vendo - o daquela maneira também queria dormir com ele, fazê - lo seu.

- Não existe mais nós. - Gabriel deu a sentença, mantendo a voz firme sem hesitação, ver Eliot só fez seu peito doer e Mika na porta olhando a cena, mesmo sorrindo, o rapaz estava triste, era como se perdesse algo muito importante, percebeu isso, o menino por ser solitário, talvez percebesse algo em Mikael parecido consigo.

Amava Eliot, contudo, não queria deixar Mika sozinho.


Notas Finais


Obrigada gente pelos comentários. Espero mais ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...