História Metamorfose - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fifthharmony, Loveislove, Norminah
Exibições 152
Palavras 2.510
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Festa, Poesias, Policial, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente! Mais um capítulo pra vcs... Eu separei em partes, eu ia até faze-lo inteiro mas hoje o dia amanheceu extremamente triste pra mim e não estou conseguindo raciocinar direito.
PARABÉNS PARA A MINHA NOIVA QUERIDA! O NIVER DELA FOI ONTEM MAS A GENTE AINDA COMEMORA HOJE! TUDO DE BOM E DE MELHOR PRA SUA VIDA! QUE DEUS TE ABENÇOE HOJE E SEMPRE! QUE VOCÊ CONSIGA REALIZAR TODOS OS SEUS SONHOS! E OBRIGADA POR ACOMPANHAR SEMPRE AQUI ♥ @dibble ♥
Dedico esse Capítulo e todas as outras partes dele pra você minha linda! :* ♥
Divirtam-se e tirem suas conclusões sobre Lauren. (Não vou fazer tanto POV Lauren pra não dar na cara ú.u).

Capítulo 14 - Primeiras Vezes - Parte 1


Fanfic / Fanfiction Metamorfose - Capítulo 14 - Primeiras Vezes - Parte 1

Os olhos esverdeados de Lauren tinham um brilho descomunalmente hipnotizante, e a essa altura, deitada sobre seu tronco e a olhando tão de pertinho já havia me esquecido do horror que meus olhos estavam. Aliás, não os sentia tão inchado igual antes. Demos início a um beijo calmo, porém intenso. Sentia cada passada de sua língua sobre a minha e estremecia. Ela então prendeu minha língua em seus lábios e começou a chupa-la com avidez; meu corpo pedia por mais. Esquecendo-me que estávamos em uma praia e em plena luz do dia comecei a rebolar em seu quadril fazendo-a soltar um gemido quase inaudível entre minha boca. Suas mãos desceram sobre meu corpo e pararam em minha cintura onde ela me apertou mais contra si. Estávamos em chamas. Desci uma de minhas mãos até o cós de sua calça e comecei a passear meus dedos nele até chegar ao botão de sua calça. Senti seu peito parar de se mover ofegante; abri meus olhos encontrando os dela arregalados. Segurou minha mão que estava prestes a abrir sua calça e murmurou:

- Aqui não, Camz.

Caí de cara na realidade. O que eu estava pretendendo fazer em uma praia pública, numa manhã tão convidativa e com a possibilidade de minhas amigas voltarem a qualquer momento? Ela me deixava louca e fora de mim.

- D-Desculpe... – Disse desconcertada me desvencilhando de seu corpo.

- Não – Ela impediu que eu saísse por inteira de cima dela e me acomodou ao seu lado, onde deitei minha cabeça em seu peito. – Fica...

Ficamos deitadas assim, grudadas, como um casal, ela passando os dedos em meu cabelo e eu acariciando sua barriga. Eu nada pensava, só fazia e a sensação era indescritível.

 

POV Normani

- Já disse o quanto você está linda hoje?

Caminhávamos sobre a Orla. Dinah estava radiante! Ela vestia um vestido solto florido curto e os cabelos amarrados em um rabo de cavalo. Ela disse que havia levado seus irmãos ao hipódromo de Santa Mônica, no carrossel e por ventura decidiu dar uma caminhada sobre a orla da praia.

- Só hoje Mani? – Ela fez cara de duvida.

- Claro que não Dinah! – Dei um sorriso branco. - Você é linda a todo momento!

- E você é sempre muito gentil! – Ela me olhou de canto com um sorriso. – Esta sendo bom te conhecer cada dia mais.

Sinto minhas bochechas corarem. Eu era ótima com elogios e não tinha inibição alguma ao lança-los para as minhas paqueras e muito menos de ouvi-los de volta, mas com Dinah era diferente. Suas palavras eram doces e demonstrava o que sentia em cada uma delas. São esses tipos de conversa que duas pessoas têm quando se gostam, mas acho que eu estava indo rápido demais, tirando conclusões precipitadas.

- Eu também estou gostando muito de te conhecer, aliás, todos os dias seu avô fala de você, então eu já sabia um pouco sobre a sua pessoa.

- Espero que ele fale sempre bem. – Riu baixo.

- Ah ele fala sim... – Paramos em um posto de Salva-Vidas em uma sombra e eu cruzo os braços. – Das suas saídas noturnas, pegações na balada, discussões com sua mãe...

Dinah escode o rosto em suas mãos.

- O QUÊ?! NÃO ACREDITO! N-Não pense m-mal de mim, Mani – Ela tentava se explicar. Achei fofo. – Já faz um tempo que não faço essas coisas mais! Até as brigas com a minha mãe melhoraram e...

- Dinah – A interrompo segurando em seus ombros. Ela era alguns centímetros mais alta que eu. – Relaxa... Você não precisa se explicar... Não pra mim. Já fui jovem também, eu entendo você totalmente!

- Falando assim até parece que é da idade do meu avô! – Rimos juntas.

- Tudo bem, não faz tanto tempo assim... Mas... Por que parou de sair, se divertir? É bom para distrair... Conhecer pessoas novas... Claro, com responsabilidade. – Dei um sorriso de canto.

- Aaaaah... – Ela virou seu rosto para me encarar. – Porque desde que conheci uma pessoa em especial, não sinto mais interesse em me divertir sozinha ou de conhecer outras pessoas...

Ela falou olhando em meus olhos e sem resistir soltei um suspiro leve. De quem será que ela estava falando? Senti um toque em meu ombro e virando-me imediatamente identifico Ally.

- Oi! Então você que é a Dinah? – Ally dá dois beijinhos no rosto da mais alta. – Mani fala sempre de você!

- Fala, é? – Dinah me olha e dou-lhe um sorriso tímido.

Ficamos sorrindo uma para a outra até a baixinha autoritária nos despertar do nosso sonho vivo.

- Melhor irmos agora Mani. Já faz um tempo que deixamos as meninas lá sozinhas!

- É mesmo! Preciso saber o que aconteceu... ou o que está acontecendo! – Levei minha mão ao queixo.

- Como assim, “acontecendo”? – Ally franziu o cenho.

- Nada. – Me viro e puxo Dinah para um abraço. Nos encaixamos perfeitamente, incrível! – Tem certeza que não quer almoçar conosco?

- Tenho sim. Tenho que levar as crianças de volta daqui a alguns minutos...

- Tudo bem então. – Sorrio. - Até mais DJ.

- Até mais ManiBear. – Ela deposita um beijinho doce em minha bochecha.

Nos despedimos e Ally e eu começamos a andar apressadamente.

- Falou com Troy?

- Falei. Acredita que aquela piranha da Veronica o procurou novamente?

- Outra vez? – Ri sem humor. – Ela quer mesmo te provocar.

- Eu sei disso. E conseguiu. Troy e eu acabamos brigando! – A baixinha solta um gritinho me fazendo rir. – Se eu a encontrar na rua eu juro que arranco os cabelos dela!

- Caalma Allycat! Tudo vai se resolver. – Passo a mãos em seus longos cabelos.

- Mas e então, a Dinah é bonita hein... – Ela me empurra de leve para o lado com o quadril. – E da pra ver que ela está caidinha por você!

- Ela é linda... – Falo olhando para o horizonte a imaginando mentalmente. – Mas acho que não... Ela disse hoje que conheceu uma pessoa especial e que deixou de se interessar em se divertir sozinha e conhecer outras pessoas por causa dela. Já posso tirar meu cavalinho da chuva e...

- Normani, você ouviu o que acabou de dizer? Acho que você não prestou atenção nas palavras da garota. - A olhei espantada. – Ela está falando de você!

Um sorriso começou a se formar lentamente em meu rosto e meus olhos começaram a brilhar.

- Será?

- Claro! Se não ela nem tinha comentado isso!

Meu coração pulsa alegre! Agora me sinto mais confiante em chama-la para sair.

Chegando a parte da praia mais afastada onde tínhamos deixado as meninas, Ally me cutuca.

- Pensa que sou idiota, você e a Camila né? - Avisto as duas e... NOSSA! ELAS ESTÃO DEITADAS UMA GRUDADA NA OUTRA! Não consigo nem imaginar as milhares de coisas que podem ter acontecido. Não acreditando no que estava vendo tentei desviar a atenção de Ally para que visse a cena, mas ela estava tão empenhada no seu sermão que fora quase impossível. – Vocês acham que eu vou engolir essa história de “mania” de usar óculos escuros dentro de casa? Pode me contar essa história do óculos escuro, porque eu não engoli!

- É uma longa história – Intercalava meu olhar entre Ally e meu Shipper favorito. – Mas resumindo, Austin ligou, Camila surtou, chorou pra caralho e os olhos dela ficaram medonhamente vermelhos e inchados. Ela não queria que você e muito menos Lauren vissem o estado dela e também não queria dar explicações do ocorrido na noite passada, por isso colocou os óculos escuros. Satisfeita?

- AAAAAAAAH, EU NÃO ACREDITO QUE AQUELE RIDÍCULO ATORMENTOU DE NOVO A VIDA DA MINHA AMIGA! VAMOS PASSAR AGORA NA DELEGACIA COM ELA e... – Seu tom de voz baixou por FINALMENTE ver tal cena que tanto me encantava. – M-Mas o-oque é isso... – Disse ela colocando a mão na boca. Chegamos perto e elas estavam de olhos fechados. Ally falou um pouco mais alto para que acordassem. – Vocês são loucas?

Lauren e Camila abriram os olhos em sincronia e arregalaram os mesmos ao perceberem que tinham sido pegas no flagra. Eu tinha meus braços cruzados e um sorriso extremamente malicioso no rosto. Agora não dá pra negar, pegamos vocês!

- A-Ally e-eu... – Camila se levantava desengonçadamente e Lauren apenas se ajeitava sobre a toalha com um pequeno sorriso no rosto. Eu a olhava balançando a cabeça. Safadinhas...

- Eu disse Ally que alguma coisa tinha acontec...

- Vocês são malucas mesmo – Ally me interrompeu e acho que ao menos me ouviu. – Dormir na praia com nossas bolsas todas espalhadas. E se um ladrão viesse e roubasse tudo? É capaz das lindas só acordarem daqui 20 anos.

O que?! Será que Ally não viu o que eu vi? Não é possível! As duas... ali abraçadas... dormindo apoiadas uma na outra...

Fiz questão de esperar as duas se recomporem e cheguei perto do ouvido de cada uma e murmurei:

- Camz da Lolo, Lolo da Camz.

 

POV Lauren

Eu estava em apuros. Normani, que já desconfiava de algo entre Camila e eu, acabara de tirar suas próprias conclusões, apenas Ally que demonstrava indiferença pelo fato de dormirmos abraçadas. Seria melhor assim, especialmente para ela que me conhecia a um bom tempo e poderia matar a charada...

Normani não me conhece como Ally então não tem muito problema em ela saber de algo a mais.

Mas tinha um pingo de verdade entre Camila e eu. A nossa Conexão foi instantânea. E no momento em que os olhos dela encontraram os meus no cinema, fraquejei. Na hora pensei em desistir... Ela era além de minhas expectativas, além, muito além do que eu esperava e imaginava. Mas mesmo assim decidi prosseguir com o plano, do jeito que eu estava mesmo, não vim até aqui pra desistir logo no começo.

Depois de sairmos da praia de Santa Monica, fomos almoçar em um quiosque de frente ao mar. Ally sentou-se ao meu lado e Camila de frente pra mim. Estávamos entretidas com a conversa de nossas amigas, mas vez ou outra procurávamos o olhar uma da outra e sorríamos cada vez que se cruzavam. Estava dando certo, mas eu já sentia meu controle da situação sendo perdido.

 

POV Camila

O dia estava sendo maravilhoso, apesar do flagra que nossas amigas nos deram. Fiquei com tanta vergonha que mal conseguia ficar perto de Lauren depois disso. No almoço sentei de frente pra ela e um pouco distante, porém não conseguia evitar e a olhava admirada. Não acredito que a beijei, mas se eu pudesse voltar atrás, eu o faria de novo. Seus lábios são carnudos, macios e gostosos de beijar. Sinceramente, eu já beijei muitas bocas nessa vida, mas igual à de Lauren não tem. Pelo menos não até agora. Sua confissão sobre sua intersexualidade não fez mera diferença para mim, e fico feliz que ela tenha se aberto comigo, mesmo com medo de eu rejeita-la. É uma boba, minha Lolo bobinha.

Depois do almoço, já saciadas, o celular de Lauren toca e ela nos pede licença ao sair da mesa; tento evitar, mas acabo olhando para sua bunda. É linda e empinada. Observo também suas curvas. Como ela fica bem naquele jeans despojado. Minha observação é interrompida por Mani.

- Pare de babar!

- Babar? Quem está babando? – Tento disfarçar arrumando meu cabelo.

- Você! – Ela me olha com seu sorriso cínico. – Agora me conta, rolou alguma coisa na praia, não rolou? – Reviro meus olhos e rio baixinho. – Qual é, Camila! Qualquer um percebe. Da pra ver que alguma coisa aconteceu. Sinto o cheiro de couro de longe!

Seu comentário me faz rir.

- A Ally não percebeu...

- A então aconteceu alguma coisaaaa? – Mani disse com os olhos arregalados.

- Fica quieta que elas podem escutar! – Falo a repreendendo.

- Ally foi tentar falar com a Omelete dela e Lauren está no telefone. Agora conta!

- Omelete? – Pergunto confusa.

- O sobrenome do rapaz, Ogletree, Omelete – Solto uma gargalhada alta fazendo Lauren se virar para nos olhar. Mani lança lhe um beijinho no ar e ela manda outro de volta. Depois pisca pra mim e eu abaixo a cabeça sorrindo. – Mas, por favor, não conta pro Zangado, porque você já conhece né?

- Maniiiii! Não chama a Ally assim! – Eu disse segurando a risada.

- O que está dizendo? Você está se matando de rir aí!

Depois de um breve momento divertido ela insiste.

- Fala Camila, o que aconteceu?

- Aconteceu que nós nos beijamos, Mani!

Ela sorriu largo.

- Awnn. E ela beija bem?

- Extremamente, absurdamente, extraordinariamente, malandramente bem.

Volto meu olhar para observa-la. Ela está recostada na braçadeira da varanda de costas para nós e ainda falando ao celular. Mani cochicha.

- Vai lá Mila. Ela já está a muito tempo falando nesse celular quando ela poderia estar te beijando.

- QUÊ?!

Mani era doida. Lembrei-me repentinamente de Dinah, mas antes que eu perguntasse a morena me levantou da cadeira e me empurrou, literalmente, para perto de Lauren. A repreendi gesticulando com as mãos, mas logo me recompus e me encaminhei para o lado dela. Assim que me viu tratou de encerrar logo a ligação.

- Tudo bem. Sim, tudo certo e indo muito bem. Depois nos falamos, tchau.

- Atrapalhei né? – Eu disse tirando uma mecha de minha franja de meus olhos.

- E como atrapalhou... – Deu um passo a minha frente enquanto eu permaneci imóvel. Levou uma de suas mãos até meu rosto e o acariciou. – Você é incrível!

Sorrio.

- Você que é! – Levo minha mão até a sua que estava acariciando meu rosto e faço o mesmo em sua mão. – Desculpe por hoje na praia, eu...

- Shhhh – Ela coloca seu dedo indicador em meus lábios para que eu pare de falar e levou seus lábios a minha orelha roçando-os nela. – Amei seu beijo, Camz...

Solto um suspiro. Hoje é a noite das garotas e ela vai dormir em minha casa. Sinto meu corpo esquentar diante de sua proximidade e tenho vontade de beija-la, mas algo nela está diferente e estou percebendo isso desde quando ela chegou em minha casa de manhã. Mas prefiro ignorar, talvez seja só impressão minha, coisa da minha cabeça.

- No que está pensando tanto? – Pergunto cerrando os olhos enquanto ela continua de frente pra mim me olhando profundamente.

Seu olhar era suave. Ela começou a aproximar seu rosto do meu até apenas faltar centímetros para que nossos lábios se tocassem. Eu, mais uma vez não enxerguei mais nada ao meu redor, apenas ela. Ela sussurrou olhando ainda em meus olhos:

- Em você!

Colou nossos lábios e senti uma de suas mãos me pegar pela cintura e puxa-la mais para si. Senti sua língua pedir passagem e prontamente atendi; nossas bocas se encaixavam perfeitamente uma na outra. Nossas línguas brincavam entre si ao invés de competir pelo controle do beijo. Era calmo, era doce, era carinhoso, afetuoso, terno... Até que lembrei de Mani, parei o beijo e virei o rosto em sua direção. A morena estava com as duas mãos na boca e os olhos arregalados.


Notas Finais


Desculpem se o capítulo ficou ruim.
O que vcs acham que Lauren está tramando?
Beijos queridos ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...