História Meu - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Markson, Namjin, Taeseokkook, Yoonmin
Visualizações 25
Palavras 1.815
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieeew estou postando hj pq amanhã não vou poder postar pq vou sair.

Capítulo 11 - >10_ Bônus<


Fanfic / Fanfiction Meu - Capítulo 11 - >10_ Bônus<

Sou à prova de balas, nada a perder
Atire, atire
Ricocheteiam, você acerta o alvo
Atire, atire
Você me derruba, mas não vou cair
Eu sou de titânio
Você me derruba, mas não vou cair
Eu sou de titânio
•Titanium•


O garoto de 17 anos encarava a parede a sua frente de forma divertida. Tinham pichado o muro da escola de novo, ele gostava, eram inúmeras caretas e frases rebeldes. Ele olhou uma diferente, uma sombra de menino olham Para a mesma paisagem assim como ele. Isso o assustou.

- Sim é você.- o garoto soltou um grito, nada masculino, e saltou.- Desculpe.

- Eu?- o menor apontou para sí mesmo.

- Eu sempre via você olhar e sorrir.- o loiro a sua frente sorriu, mostrando a bela trilha de dentes brancos e bem alinhados.- Então resolviu homenagear meu admirador.

- Eles vão tirar.- o moreno disse um pouco triste.- Mas você sempre faz.

- Com prazer.- o maior riu.- Eu sou Jackson, Jackson Wang.

- Mark.- o garoto estendeu a mão para o loiro.- Mark Tuan.

- Eu sempre quis falar com você.- Jackson admitiu.- Mas nunca tive coragem, eu um cara de 20 anos com medo de um garoto de 16.

- 17!- Mark corrigiu rindo baixo.- Eu também sempre quis conhecer o rebelde que faz isso.

- No começo foi uma rebeldia, mas depois se tornou arte.- os dois garotos se olharam por minutos, que pareciam horas.- Arte para você admirar.

  Mark sorriu e Jackson desejou poder tirar uma foto da que sorriso iluminado.

- MARK!- ele viu sua mãe buzinar a poucos metros dali.

- Eu tenho que ir.- Mark avisou um pouco decepcionado.- Até mais Jack!

- Até Markie.- o loiro murmurou quando ele já estava longe.


|•|•|


   Uma semana sem ver Mark, Jackson estava triste, ele estava prestes a fazer uma nova "obra de arte" para o garoto que não via. E ouviu passos apressados e alguém ofegante.

- Eu... Eu não pode vir.- ele sorriu, Mark estava ali ofegante com uma calça jeans e uma regata preta.- Minha mãe me viu com você e disse que era melhor eu não me aproximar. Pôs você é perigoso.

- Eu sou?- Jackson levantou uma sombrancelha, sim ele era.

  Não era só pichar um muro, era mais que isso. Mas Mark não precisava saber, ela não quer contar.

- Não sei.- o moreno o olhou com sinceridade.- Eu acho Que não quero saber, Jackson?

- Sim Mark?

- É possível se apaixonar apenas em um dia?- Jackson sentiu seu coração pular forte no seu peito.

   É possível.

- Não sei, você acha?- o mais velho sorriu ladino.

- Não faça perguntas difíceis.- os dois riram.- Vai pichar?

- Acho que o termo melhor é... Pintar!- o mais novo riu.- Sorria para mim, sim?

   Mark sorriu e Jackson gravou cada detalhe. O moreno se sentou em um banco de frente para Jackson, então o loiro começou a "pintar". Depois de uns minutos Mark percebeu que era seu sorriso gravado naquela parede, junto a flores negras e um sol vernelho.

- Incomum.- Mark disse virando o rosto para o lado.

    Fofo, era isso que Jackson pensava.

- Você não é comum Mark.- Jackson confidenciou.- Não para mim.

- O que é isso que eu estou sentindo Jackson?- o mais novo apertou o peito apreensivo.- Ah...

- É o mesmo que eu.- Jackson se aproxinou dele. Os dois estavam com a respiração pesada.

- Eu não aguento.- Mark se encolheu.- Ah Jackson... Faça parar, Jackie!

- Do jeito que eu quero fazer você não vai aceitar.- suas bocas quase se tocavam.- Ah foda-se!

  Jackson puxou Mark para perto, o beijando com necessidade e desespero. Suas línguas brigavam por espaço e prazer, lutando uma contra a outra a procura de domínio.

- Jackson.- Mark gemeu baixo quando seu lábio foi puxado com força.- Isso é errado.

- Por quê?!- o loiro olhou nos olhos do meia novo.- Você não quer o mesmo que eu?

- Eu... E-Eu não sei oque está acontecendo Jackie!- Mark passou  a mão no rosto dele devagar.- O que está acontecendo?

- Amor? Desejo? Atração!?- Jackson perguntava perdido em sí mesmo.- Tudo!? Eu quero você, do mesmo jeito que você me quer.

    E então se beijaram de novo, com mais sentimentos e calor. Mark se sentia perdido em sentimentos confusos e loucos, já Jackson queria sentir Mark, da formas mais amorosa e casta possível. Isso era louco.


  •|•|•


    Mark sorria enquanto era puxado para fora da escola. Estavam fugindo, Jackson ria.

   Um mês de namoro, era isso que eles estavam comemorando. Mark perdeu a conta de quantas vezes fugiu para ficar com seu amor. Era gostoso a sensação de perigo e a adrenalina correr por ele.

- Eu amo você!- Jackson disse após entrar no carro.- Como eu te amo!

- Eu também te amo.- o menor riu.

    Jackson acelerou o carro preto em uma direção desconhecida, eles queriam ir para longe. Os pais de Mark não sabiam das suas fugas ou do seu namoro, afinal eles já mostraram não gostar de Jackson.

  - Por quê te amo?- Mark perguntou.

      Eles estavam em uma parte afastada da cidade, era noite e parecia que iria chover.

- Por quê nos amamos?- o loiro sorriu largo.

    Jackson puxou Mark para o seu colo, o beijo começou calmo e depois ficou selvagem. Jackson explorada o corpo do menor com desespero. Mark não sabia oque fazer, era sua primeira vez com alguém.

- Eu...

- Eu sei.- Jackson murmurou contra o pescoço dele.- Eu quero ser carinhoso, mas você me deixa louco, como resistir?

- Não resista.

    Foi como um click, Jackson devorava a boca do seu amante de forma bruta. Mark gemeu quando seu lábio foi sugado o deixando vermelho.

- Jackie...- o menor gemeu manhoso.

   Aos poucos as roupas foram sumindo até sobrar apenas cuecas, com dificuldade eles passaram para o banco traseiro. Mark arranhava as costas do loiro, ele enlouquecia aos poucos e amava também. A única peça que cobria foi rasgada e seu membro latejante pulsou ainda mais.

- Jackson.- ele gemeu quando sentiu as mãos do loiro em seu membro para cima e para baixo devagar.- P-Por favor.

- Por favor oque amor?- Jackson sorriu safado com o prazer que estava dando ao seu amado.

- E-Eu preciso de você.- o moreno gemeu.

  Jackson levou dois dedos na boca do moreno que demorou a entender, quando entendeu começou a lambusar os dedos dele. O loiro achou aquilo a coisa mais excitante do mundo, retirou os dedos da boca de Mark e os direcionou a sua entrada rosada.

- Vai doer um pouco amor.- Jackson avisou penetrando um dedo e Mark gemeu incomodado.

    O segundo dedo foi introduzido, Jackson começou com movimentos leves e suaves.

- Eu... Ah!- Mark gemeu ao sentir sua próstata ser acertada.- Ah... Jack-

    Sua fala foram interrompidas por un beijo afoito, Jackson se desfez da sua box seu membro já liberava pré-gozo, ele se masturbou lubrificando-o.

- Ande logo Jackie.- Mark pediu em meio a gemidos.

- Olhe para mim.- Jackson pediu se posicionando na entrada do garoto.- Eu amo você.- disse começando a penetra-lo.- Amo tanto.

    Eles gemeram quando Jackson estava completamente dentro do menor, o loiro sorriu para ele em conforto. Os movimentos começaram cuidadosos para que Mark não se machucasse, mas o moreno queria mais.

- Mais... Rápido.- pediu com a respiração entrecortada.

     Jackson atendeu seu pedido aumento as estocadas com brutalidade, nenhum dos dois queriam se segurar. Mark mordeu os lábios tentando conter seus gemidos finos e manhosos, quando Jackson percebeu isso direcionou sua mão ao membro do amante masturbando-o na mesma velocidade de suas investidas. O moreno gritou, o vidro do carro embaçava enquanto Mark segurava os ombros do loiro que o ajudava a cavalgar com força.

- Jackson!- o mais novo gritou enquanto se desfazia no abdômen do loiro.

  Foram duas, três, treze estocadas até Jackson gozar preenchendo o interior de Mark.

- Mais um vício que tenho por você.- Jackson disse e os dois riram.

- Eu preciso ir para casa.- o moreno suspirou.

  Eles se arrumaram e Jackson ligou o carro.


❁──♧♧──❁


     Mark acenou pela última vez para Jackson antes de entrar em casa. Ele andou devagar até a escada, mas antes a luz foi acesa, por seu pai.

- Tava com aquele moleque de novo?- o Sr.Tuan perguntou com dureza.

- Pai.- Mark pediu suplicante.- Não vamos falar disso agora, por favor.

- Falar do que!? Que está tendo um caso com um bandido!? Vamos Mark fale!

- ELE NÃO É BANDIDO!- o garoto gritou.- Sim nós estamos namorando, sim eu tranzei com ele e sim eu o amo! Você nã...

   O som de esto foi ouvido, a marca da mão de seu pai estava estava em seu rosto. Ele se perguntava como tudo ficou assim.

- Não te criei para ser putinha de bandido!- o de cabelos grisalhos disse alto.- Ou você termina com esse garoto ou eu te colo em um maldito colégio interno! E posso garantir que só sairá de lá quando eu quiser!

    Sua visão estava embaçada, seu pai, aquele que nunca lhe levantou a mão acabou de lher bater. Mark correu para o quarto discando o número do namorado.

  - Alô Mark? Oque houve?

- Ele me bateu Jack! Me bateu porque eu disse a verdade!

-O que!? Ele não podia... Meu amor você está bem?!

- Eu não quero ir para um colégio interno Jackie!

- Olha vai ficar tudo bem OK? Arrume suas coisas e vá para rodoviária. Nós vamos fugir de tudo isso meu anjo.

-Promete? Promete que não vai me deixar?

- Sim, prometo. Eu amo você Mark.

- Eu te amo Jackson.

Mark pegou suas coisas e uma caixa com dinheiro que tinha economizado faz uns anos. Havia o bastando para fugir e se sustentar por uns dias.

  Ele saiu pela janela tento certeza que seus pais já dormiam, a rodoviária de cidade não é longe então ele foi Andando. Assim que chegou se sentou e se pôs a esperar seu amor.

  Uma, duas, três horas e ele não apareceu. Foi ai que o telefone tocou.

- Onde você está? Eu estou te esperando a horas!

- Eu... Eu não vou com você Mark.

- Como assim não vai!? PROMETEU NÃO ME DEIXAR!

- MAS EU ESTOU PORRA! Eu não quero ir Mark, você mais do que eu sabe que não temos futuro! Você tem uma vida pela frente e eu a minha. Eu não quero passar ela com você.

- Você me amava...

- Sim amava, mas a coisas que enjoam, assim como as pessoas.

- ME USOU FOI ISSO! SÓ POR UMA FODA JACKSON, É ISSO QUE EU SOU PRA VOCÊ!? ALGUÉM FÁCIL!?

-Sim, você foi apenas uma conquista Mark. Só isso.

- Eu odeio você, entendeu? Eu nunca vou te perdoar! Imbecil filho da puta! Você me quebrou...

- Nós nos quebramos meu amor.

Mark chorava alto, seu amor foi uma ilusão boba. Ele se sentiu descartável. Aos cacos ele comprou uma passagem apenas de ida para algum lugar, ainda aos prantos ele subiu no ônibus deixando pra trás sua história que começou por uma simples imagem.

    Jackson olhava o ônibus partir com dor e lágrimas, havia matado seu amor, havia se quebrado pela proteção de Mark. 

   O mundo em que ele vivia não permitia o amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...