História Meu Amado Meio Irmão - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Fanfic Taehyung +18
Visualizações 29
Palavras 1.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Perdoem os erros ortográficos por favor...meu corretor é uma bosta!

Capítulo 7 - Eles chegaram?


Fanfic / Fanfiction Meu Amado Meio Irmão - Capítulo 7 - Eles chegaram?

(S/N) ON

Me assustei, e escondi o papel atrás de mim.

(S/N) - Estava lendo...uma poesia bosta que encontrei no meu quarto. - Ele me olhou desconfiado.

Tae - Hum...sei...olha trouxe o remédio, tome... - Ele me entregou uma sacola de plástico, e de dentro tirei uma caixa de remédio , abri a mesma e tirei o remédio de dentro.

Tae - Comprei nosso material, o que achou do caderno? - Ele disse mostrando um caderno de The Walking Dead.

(S/N) - Legal! - Eu pego um copo d'água e tomo o remédio,o papel que kook havia me dado, eu já colocara no bolso.

Tae - Está estranha... - Ele me olhou como se soubesse que eu estava mentindo sobre o papel.

(S/N) - Eu? Impressão sua! - Guardei o remédio dentro de uma gaveta. - Então...me dê meu material. - Ele me entregou uma sacola e lá vi cadernos e materiais escolares enfim... - Gostei! - Vi que Tae estava atrás de mim agora, me abraçou por trás e senti ele mexer na minha bunda? 

Tae - Que bom... - Virei de frente pra ele. O mesmo me encarou. - Lembrou de algo da noite passada? - Ele apoiou as mãos no balcão uma de cada lado do meu corpo.

Neguei com a cabeça. Ele bufou.

Tae - Que pena...porque foi ótima aquela noite! - Ele se aproximou e sentiu o cheiro dos meus cabelos - O mesmo cheiro...continua usando o mesmo xampu? - Assenti e ele se afastou, logo vi em suas mãos o papel que estava no meu bolso. Antes de eu xinga-lo ele saiu correndo...e eu fui atrás.

(S/N) - TAEHYUNG SUA PESTE! - Gritava correndo atrás dele pelo enorme jardim da casa. Vejo ele parar e começar a ler o papel. - Tae! Não leia! - Eu estava ofegante e cansada. Mas ele leu. Se virou pra mim, e me olhou com uma expressão nada boa.

Tae - Aquele...FILHO DA PUTA! - Ele amassou o papel e jogou no chão, passou por mim, sem nem olhar, o segui.

(S/N) - Aonde vai? - Segurei seu braço. Ele se livrou da minha mão e seguiu andando até seu carro, adentrou dentro do mesmo. - Tae! Responda! - Ele ligava o carro. - TAEHYUNG! - Ele me olhou. - O que vai fazer caralho? 

Tae - Colocar Jungkook no lugar dele. - Ele tinha ódio no olhar.

(S/N) - Sabe que se fizer isso, irão pedir explicações,podem desconfiar...de que você gosta de mim de outra maneira. - Ele acelerou. Me deixando na beira da calçada, comendo poeira.

Tentei ligar inúmeras vezes pra ele, mas ele não atendia, eu sabia que iria dar merda, tanto pro Tae quanto pro Jungkook.

(S/N) - E agora? - Eu disse sentada na calçada olhando pro céu, como se esperasse um milagre, continuei olhando o céu azul, e veio na minha mente... - A bicicleta do TAEHYUNG! - Me levantei e fui a garagem, lá encontrei a antiga e velha bike que o meu pai dera para Tae em seu aniversário de 10 anos. Peguei ela e tranquei a casa, um esforço eu fiz pra consegui andar naquela lata velha, mas ela até que foi útil.

Eu não sabia pra onde ir, mas fui seguindo o rastro de pneu que o carro de Tae havia deixado por estar em alta velocidade. 

Acelerei e a bike até que foi rápida, depois de um bom tempo vi o carro dele parado em frente a um enorme prédio, que julguei ser onde Kook mora.

Desci da bicicleta feito furacão, e entrei no prédio, as pessoas me olhavam, passei pela recepção e entrei no elevador, dei de cara com Taehyung.

Tae - Como veio? - Ele me olhou assustado. - peguei sua orelha - Aí aí au!

(S/N) - Vamos voltar pra casa! - Tae negou. - Vamos sim! - Tae urrou de dor e soltei a orelha dele que estava vermelha. 

Tae - Aí! Doeu até meu... - A porta do elevador se abriu e eu e ele nos entreolhamos. Ele correu e eu também.

Ele chegou em uma porta e Berry na campanhia, eu o puxei pelo braço, mas ele não saia do lugar.

Tae - Acha mesmo que me vence na força? - A porta se abriu e revelou Kook.Soltei Tae e agora estava sem reação. - Hey Otário toma essa! - Ele deu um soco no nariz de Kook, o mesmo sangrou.

(S/N) - Não! Taehyung! - Tae continuou a bater , mas dessa vez já dentro do apartamento, ele jogava coisas contra Kook. - TAEHYUNG PARA! 

Tae - Não se mete (S/N)! - Ele partiu pra cima de Jungkook, mas ele se defendeu com um soco e mais outro. - Então gosta da minha irmã né? - Tae deu um tapa na cara já ensaguentada do coitado do Kook - Esse tapa é pelo atrevimento - Ele deu mais um - Esse por ser um completo idiota - Deu o terceiro - E esse porque merece - Deu outro mais forte ainda.

(S/N) - Caramba! Deixa ele...era apenas um bilhete... - Tentei chegar perto...

Tae - FICA LONGE! - Ele me assustou gritando daquela maneira.

Jungkook - Você tem ciúmes dela e a trata dessa maneira? Cara ela é sua irmã e não namorada! Ela tem todo direito de ser feliz! - Kook empurrou Tae, e ficou em cima dele, socou três vezes a cara dele. - Isso é por ser um babaca, que não larga do pé da irmã! 

(S/N) - PAREM COM ISSO! - Já estava chorando, se esses dois brigancem chegaria aos ouvidos dos meus pais, e poderia acontecer o pior.

Kook saiu de cima de Tae e o mesmo levantou...

Tae - Fica longe dela ouviu? - Kook deu de ombros. - E você... - Ele me olhou - Se afaste dele de uma vez por todas! - Ele me pegou pelo braço e saímos pelos corredores, entramos no elevador, e ele continuava a me segurar.

(S/N) - Tae...

Tae - Hum...?

(S/N) - Percebeu no que dar se apaixonar pela irmã? Amizades são destruidas...tudo em volta se destrói Tae...e não quero que nossa família se destrua! - Ele enxugou minhas lágrimas.

Tae - Prometo que isso não irá acontecer! Um dia nós casaremos e seremos felizes em paz! - Ele me abraçou.

(S/N) - Custo a acreditar nisso. - Separei o abraço logo que a porta se abriu, saí e Tae veio atrás.

Em frente ao prédio nós chegamos , e ele abriu a porta do carro.

Tae - Entre. - Olhei a pequena bicicleta no chão. - Não me diga que veio nela! - Olhei pra ele e afirmei com a cabeça. Ele pegou a bicicleta e colocou no porta malas. - Pronto! Vamos! - Entrei no carro e ele também. 

No caminho nem ousei olhar pra ele, agora vinha um arrependimento dentro de mim, não deveria ter cedido e dado esperanças para ele, grande parte daquilo era minha culpa.

Tae - Desculpa por ter te tratado daquele jeito... - Ele pegou minha mão. 

(S/N) - Tudo bem... - Ao chegarmos em casa, eu desci e corri pra dentro de casa, muito telefone tocou e eu atendi, era meu Appa.

LIGAÇÃO ON 

Appa - Oi filha! - Ele parecia ofegante.

(S/N) - Oi Appa! Por que está ofegante? - Falei preocupada.

Appa - Estou carregando malas até o táxi...já chegamos em Seul filha!

(S/N) - Como? - Taehyung entrou em casa e eu o encarei.

Appa - Isso mesmo...não é fantástico? 

(S/N) - Sim...mas omma disse que voltariam em 3 meses.

Appa - Teve um arrastão no aeroporto e perdemos o voo, então cancelamos tudo e voltamos pra Coréia. - Escutei um barulho de porta de carro, ele estava dentro do táxi, e estaria vindo pra cá.

(S/N) - Okay...te espero aqui.

Appa - Até daqui a pouco.

Ele desligou...

LIGAÇÃO OFF

(S/N) - Eles voltarem Taehyung...

Tae - Eles quem? - Disse ele se sentando no sofá.

(S/N) - Nossa mãe e meu pai estão vindo pra cá... - Ele se levantou no mesmo momento. 

Tae - Mas já? 

(S/N) - Houve um assalto no aeroporto lá em Portugal e eles perderam o voo pra Paris, e cancelaram tudo e voltaram...

Tae - Eles estão bem?

(S/N) - Sim. - Estava perplexa, imaginar meus pais descobrindo a briga entre Tae e Kook me fez quase chorar.

Tae - Não chore! - Ele deslizou o polegar na minha bochecha.

(S/N) - Tae...agora eu tomei uma decisão. - Olhei nos olhos dele.

Tae - Qual?

(S/N) - De que devemos ficar longe um do outro. - Deu um passo pra trás.

Tae - Como assim? Por quê?

(S/N) - Viu no que deu nosso "amor incondicional"? Brigas, sexo e arrependimento... 

Tae - Arrependimento? Você se arrependeu? - Tomou um passo a frente, seu olhar tristonho quase me fez desabar em lágrimas.

(S/N) - Sim...agora me dei conta que isso já passou dos limites! - Um carro buzinou. - E agora iremos tentar viver como irmão...pois é isso que somos. - Vi uma lágrima deslizar pela bochecha dele. - Finja que nada aconteceu, e que não sentimos nada um pelo outro, apenas amor de irmãos. - A porta foi aberta e meus entraram...

Appa - Filha! - O abracei é uma lágrima saiu sem permissão.

Omma - Ela está emocionada. - Ela disse apertando minhas bochechas, logo depois me abraçando.

Olhei pra trás e vi Tae e meu pai se abraçando, ele me lançou um olhar de tristeza, o que partiu meu coração.

Appa - Animem-se trouxemos presentes; "Muitos presentes de Portugal" - Disse ele imitando sotaque português. 

Tae continuava a me olhar com aquele olhar, podia ver que ele estava pra baixo e realmente triste.












Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...