História Meu Amado Nerd - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~_Avallon

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Sehun, Suho
Tags Cbw, Chanbaek, Chanbaekwishes, Draminha, Fluffy, Lemon, Sekai, Suchen, Tentativa De Comedia, Yaoi
Exibições 1.725
Palavras 2.456
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii meus amores!

Hoje estou aqui com o pedida da @/baekbiassed \0/

Criatura, ainda bem que eu te sigo, porque tu mudou o user kkkkkkk mas eu tenho que dizer algumas coisas...

EU NUNCAAAA TIVE UM PLOT TÃO DIFÍCIL DE DESENVOLVER!! Eu já tive bloqueio com alguns plots, mas cara, eu escrevi duas fics com mais de 4 caps, umas 4 OS e nada de conseguir fazer esse aqui — UM IMENSO OBRIGADA A @/0Haira0 POR ME AJUDAR COM ISSO —, mas eu precisava fazer essa fic unicamente para fazer essas notas.

Eu te conheci no dia 9/08/15 com a fanfic relatos de michê, que nesse dia estava ainda em sei quinto capítulo e naquela manhã eu ja pude me apaixonar. Eu não esqueci e te acompanho até hoje, tive coragem de comprar apenas uma fic e surtei internamente quando vi um fav seu na minha fic.

Então eu precisava dizer que gosto demais de ti como autora, e que foi um prazer imenso realizar esse desejo.

Peço mil desculpas por ele não ter ficado muito bom, eu gostaria de ter feito algo muito melhor pra você, mas não consegui.

Espero que ainda assim goste ❤

Obrigada Misuzu pela linda capa e Megazord por betar ❤❤❤

Boa Leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único - Dando Gelo


 — Channie... — sussurrou Baekhyun em meu ouvido, começando a beijar e mordiscar meu pescoço e minhas bochechas — Você é tão gostoso de morder.

— Não sei de onde você tirou isso, eu não tenho nada pra morder. — respondi fazendo careta e passando minhas mãos por sua cintura, já que ele estava em meu colo.

— Pra mim tem e eu gosto de verdade de morder você todinho.

— Todinho não pode. — ri e ele chegou mais perto, tirando meus óculos e deixando ao lado da minha cama junto com o seu.

— Mas eu gosto de morder sua bunda e deixar meus dentes desenhadinhos nela, essa coisa gostosa! — falou me dando alguns selinhos que logo tornou-se um beijo lento.

Nunca entendi o que Baekhyun via em mim. Nos conhecemos no terceiro ano do Ensino Médio e éramos amigos, mas não tão próximos, e mesmo nesse tempo, ele já dava algumas dicas de que gostava de mim.

Mas, quando ele se apaixonou mesmo, foi em um dia que agora eu considero um tanto estúpido. No meio do semestre do nosso primeiro ano de faculdade eu tive um ataque de asma terrível.

Após ver que a nota da prova era muito abaixo do que meus pais esperavam, eu comecei a sentir uma falta de ar se apossar de mim, meu peito doía e eu puxava o ar sem parar, procurando um jeito de sentir meus pulmões cheios de ar outra vez.

Baekhyun veio até mim e me segurou pelos ombros, pedindo que eu olhasse em seus olhos e me concentrasse na minha respiração, conforme eu ia me acalmando ele foi pegando a minha mão e me fazendo carinho, até que eu estivesse um pouco mais calmo. Ele me ajudou a chegar a enfermaria da escola onde tinha a bombinha para que eu voltasse a respirar melhor.

O que é estranho é que eu nunca havia esquecido aquela droga em casa, então tem vezes que pensamos que as coisas devem acontecer dessa forma.

Depois desse dia Baekhyun andava ainda mais colado em mim. E ele era tão bonito, mesmo sendo nerd e usando aqueles óculos grandes e redondos, ele era perfeito, todos gostavam dele.

Diferente de mim que era apenas um nerd magrelo com óculos fundo de garrafa e mais alto que o prédio da própria escola, era o que as crianças do fundamental diziam para mim pelo menos.

Eu nunca me achei merecedor de ter alguém como Baekhyun. Ele era perfeito em tudo. Era lindo, gostoso, tinha as melhores notas e era muito divertido.

Porém, no verão seguinte nós começamos a namorar, e isso sempre me deixou inseguro, como se de um minuto para o outro ele pudesse desistir do nosso relacionamento por achar alguém muito melhor do que eu... O que não é difícil.

[…]

Eu estava pela milésima vez no quarto de Suho — um amigo que conheci na faculdade — me lamentando pelo fato de não acreditar ser merecedor de alguém como o maravilhoso Byun Baekhyun.

— De verdade, acho que você está correto quanto a tudo isso que você disse, eu não quis dizer isso para não te deixar mal Channie, mas já que você está caindo tão na real vou dizer... Baekhyun é demais para você e não me surpreenderia se... ele arrumasse alguém como o Chen por exemplo.— Suho disse e deu de ombros, continuando a mexer no celular.

— V-você acha mesmo, mesmo? — perguntei secando as lágrimas inúteis que caim por minha face.

— Acho. Ele é lindo, rico e inteligente, que não ia querer? Eu ia... — sussurrou a última parte.

— M-mas meu Baekkie não pensa assim.

— Cai na real Chanyeol, em algum momento da vida todos pensam assim. Faz o seguinte, testa ele.

[…]

Não vou mentir, saí da casa de Suho com a pulga atrás da orelha com tudo que ele disse. Decidi mandar uma mensagem para Baekhyun, combinando de o encontrar em uma cafeteria perto da universidade, não só porque eu estava super afim de tomar um cappuccino, mas também porque eu sabia que Chen sempre vai nesta cafeteria todas as tardes, Suho me disse isso, e ainda completou dizendo que esse era o melhor jeito de saber a verdade.

E antes mesmo que eu chegasse naquele local, eu pude ver eles conversando perto demais, Chen chegou a dar um abraço de lado em Baekhyun, mas este logo me viu e o empurrou, vindo até mim e segurando minhas bochechas para selar meus lábios.

— Você demorou, amor. — me atrasar fazia parte do plano, claro.

— O que estava fazendo com ele? — perguntei sério e Baekhyun franziu o cenho e soltou uma risada soprada, ainda antes de responder.

— Chen é um velho conhecido, Chanyeol, nada demais.

— Não sabia que vocês se conheciam.

— Namoramos no Ensino Médio, mas isso foi muito antes de eu conhecer você, sabe que eu te amo, huh? Agora vamos tomar o nosso café da tarde juntos.

Ele chegou perto novamente, suas mãos vieram em direção as minhas bochechas, todavia logo as segurei, impedindo que ele me desse outro beijo.

— Tsc, eu tentando me convencer que você não era esse tipo de pessoa, mas... as provas estão sempre contra mim. Isso que a gente tem... acho que acabou aqui Baekhyun.

— O que? D-do que você está falando Chanyeol? — ele falou com os olhos brilhantes.

— Estou falando que... Eu preciso de um tempo, Baekhyun, eu preciso pensar um pouco sobre o nosso relacionamento.

— M-mas Chan... eu não entendo... nós… — algumas lágrimas já escorriam pelos olhos pequenos.

— Adeus Baekhyun! — saí andando para o meu apartamento.

[…]

A droga da semana passava lentamente e para minha infelicidade eu senti falta de Baekhyun em todos os momentos dela.

Sehun e Jongin — os únicos amigos que eu tinha em comum com Baekhyun — diziam que eu estava deprimido e se recusaram a dizer qualquer coisa sobre ele, que por sinal, sumiu da faculdade, o que me deixou levemente preocupado, talvez apavorado.

A falta de Baekhyun me deixava deprimido e seu desaparecimento nervoso — eu não queria admitir essa verdade — e isso me causava crises de asma constantemente.

A crise de asma me fez ficar um dia inteiro internado, nesse dia Baekhyun apareceu no hospital, mas eu não queria vê-lo. É como se algo ainda estivesse quebrado dentro de mim, as palavras de Suho ainda perfuravam meus pensamentos e eu só sabia pensar "o que ele queria comigo? Eu jamais seria um cara incrível pra ele".

[…]

— Channie, você não acha melhor ligar para o Baekkie e falar com ele? Ele ficou preocupado com sua crise de asma. — disse Kai assim que entramos na minha casa e sentamos no sofá.

— Não, por um tempo eu não quero nem saber que ele existe.

— Eu acho que você está exagerando um pouco, cara.

— O Baekhyun foi um filho da puta deixando o Chanyeol assim, Jongin, ele tem direito a não ver a cara dele.

— Ah, que bom saber que se eu falar com um ex-namorado você vai terminar comigo, Sehun, muito bom ver como anda nosso relacionamento, então você deve parar de falar com as putas que dão em cima de você né?

— Não tem puta nenhuma. E não foi o que eu disse.

— Foi o que aconteceu com eles e essa sua opinião me deixou extremamente decepcionado, me faz pensar com que tipo de cara eu vou ficar para o resto da minha vida.

Eles começam a discutir na minha frente e eu não sabia o que fazer. Não bastava praticamente acabar meu namoro ao descobrir a verdade sobre meu namorado, eu ainda tenho que acabar com os dos meus amigos também.

— Parem! Os dois, agora! — falei mais alto do que eles — A minha briga e meu relacionamento com Baekhyun nem se compara ao de vocês. Nós somos assim porque sempre fomos errados, desde o começo, Baekhyun nunca foi o cara certo pra mim...

— Channie...

— Não, Jongin, não tente me contar outra vez.

Depois de saírem da minha casa fico feliz por não ser o responsável pelo fim do namoro deles, visto que eles se entenderam.

[…]

Comecei a passar mais tempo com Suho para não fazer eles brigarem de novo. Suho era sozinho e não teria como se colocar em meu lugar.

Além disso, ele me deu uma mentira a seguir, algo que me faria ser forte com o passar dos dias.

Eu precisa de uma forma de gelo, que seria o motivo do meu afastamento, precisava a preencher com água, que foi me afastar, e então a colocar no congelador, que era dar o tão famoso "gelo" em Baekhyun.

Toda vez que ele tentava se aproximar de mim, eu me afastava e fingia que não estava ali, Suho dizia que eu estava agindo certo, que ele merecia isso, mas admito, doía em mim ver seu semblante triste. Mas doía ainda mais ver Chen tão próximo dele a cada dia que passava.

Houve diversas vezes em que Suho me convidava para sair e Baekhyun estava lá, as vezes com Sehun e Jongin, Sehun até tentou mais de uma vez fazer com que eu desistisse do que ele chamava de ideia absurda e voltar com Baekhyun, mas Suho estava certo, eu precisava dar um gelo nele e provar que eu era mais do que parecia ser.

Naquela mesma noite eu decidi ir para outra boate, foi tão ridículo, eu fiquei tão bebedo e chorei de forma tão estúpida chamando por Baekhyun e dizendo que sentia sua falta, que sentia falta de tudo que ele sempre foi para mim, desde o ensino médio, era como se nos conhecemos a vida inteira, nós tínhamos um algo a mais, eu podia sentir.

No dia seguinte ao porre eu estava cansado, se não fosse por um amigo me ligar e dizer que teria prova eu nem teria ido para faculdade.

Mas vemos como as vezes as coisas são para acontecer.

Eu estava andando com Kyungsoo pelo campus quando vejo Baekhyun com Jongin, Sehun e Chen indo em direção a Suho e em uma fração de segundos Baekhyun estava estapeando o mais velho e puxando seus cabelos enquanto berrava para quem quisesse ouvir coisas como "Você queria que terminássemos para ficar com ele?", "Você empurrou Chen para cima de mim para que eu traísse o Chanyeol!", "Você ficou feliz de ficar com ele e destruir meu relacionamento", "Seu desgraçado!".

Sehun e Jongin separaram a briga, mas ele continuou entre Chen e Suho. Suho acusava Chen de ser fraco e contar tudo a Baekhyun isso foi aterrorizante para mim.

— Chanyeol. — Baekhyun veio correndo até mim — Meu amor, eles armaram tudo para separar a gente, mas mesmo que você tenha ficado com ele eu te perdôo, só volta pra mim amor, por favor. — Baekhyun pedia constantemente.

— Mas eu não fiquei com ele.

— Tudo bem, não importa, eu só quero você.

— Você não acredita, não é? — soltei um riso soprado e saí do meio daquela confusão.

[…]

Eu havia chego em meu apartamento e tomado um bom banho, mas minha cabeça só rodava e rodava e eu não sabia mais o que fazer quanto ao meu relacionamento com Baekhyun.

Ouvi a campainha tocar e abrir a porta lentamente, vendo um Baekhyun cabisbaixo ali.

— Posso entrar?

— O que você quer?

— Você. — disse com uma voz chorosa e selou brevemente meus lábios.

Dei espaço para que Baekhyun entrasse, rapidamente o menor retirou os sapatos e sentou-se no sofá.

Suspirei e fui até ele, sentei e ele logo veio para perto de mim, me abraçando e beijando minhas bochechas, fez carinho em meus cabelos e ficou agarrado em mim como se eu fosse morrer.

— Eu te amo tanto, Chanyeol, uma semana sem você foi a coisa mais horrível da minha vida! Eu não posso ficar sem você e se você fizer isso comigo de novo, eu juro, você vai me ver morto no dia seguinte. — falou chorando.

— Não fala essas coisas, Baekkie.

— Eu falo sério, eu te amo demais.

Nossas bocas se encontraram em um beijo calmo, Baekhyun chupava meus lábios para dentro de sua boca e segurava meus cabelos como se implorando para que eu não me afastasse, e eu não me afastaria, eu sentia sua falta também.

O beijo foi evoluindo para algo mais quente e eu o levantei do sofá, logo tirando sua blusa e o puxando para o quarto, tocando sua pele e sentindo seus beijos em meu pescoço, apreciando o seu jeito de cheirar cada pedacinho da minha pele.

A passos trôpegos chegamos ao quarto, tiramos nossas roupas lentamente enquanto nos beijávamos mais e mais e logo estávamos nus e deitados na cama. E apesar disso, não havia uma necessidade de preliminares quentes e nem de fazer sexo naquele instante. Queríamos sim, mas eu também gostava do jeito de Baekhyun fazer as coisas, e ele ficou fazendo carinho em meus cabelos, beijando todo o meu rosto, meu pescoço minha boca, olhando em meus olhos e fazendo aquele momento ser especial de verdade.

Suas mãos macias passavam por minha pele como se estivesse tentando gravar cada contorno.

Ele pegou o lubrificante que ficava dentro da segunda gaveta da cômoda e sorriu quando levou seus dedos melados com o líquido até a minha entrada.

Eu nunca entendi o que Baekhyun achava de tão incrível em mim e talvez nunca fosse entender.

Mas enquanto estávamos naquela cama, enquanto ele me beijava ternamente, movia seu corpo sobre o meu de forma calma e lenta eu via que ele realmente me amava, eu via que eu o amava tanto quanto.

Baekhyun entrelaçou nossos dedos enquanto seus movimentos ficavam mais rápidos, eu rodeei minhas pernas em sua cintura e gemi baixinho pedindo por mais.

— Ah, eu te amo tanto Channie... — dizia ofegante, me estocando forte e rápido.

Ah, eu também te amo, muito hmm

Ele parou os movimentos para me dar um beijo e logo os recomeçou, ainda mais intensos e me fazendo revirar os olhos e afundar a cabeça no travesseiro sentindo Baekhyun acertar a minha próstata e me fazer gozar sem ao menos me tocar.

Gemi longamente apertando seu membro dentro de mim e logo senti ele se desfazer.

Ele deitou ao meu lado e ficou com a cabeça em meu peito, acariciando minha barriga com a ponta de seus dedos.

Naquele momento ele parecia até mesmo uma criança doce e ingênua.

Eu ainda não me achava bom o suficiente para a criatura maravilhosa chamada Byun Baekhyun, mas naquele momento eu vi que ele pensava o mesmo sobre mim.

No fim éramos dois nerds estranhos, escondidos sob os óculos fundo de garrafa, os imensos livros e a paixão pela tecnologia, era por isso que nos completavamos.

E eu o amava de uma forma que jamais seria capaz de amar outro alguém.


Notas Finais


Perfil dela: https://spiritfanfics.com/perfil/baekkiebiased (Tem fics maravilhoooooosas aqui).

Então foiii isso!

Espero que todos que leram tenham gostado e desculpe qualquer coisa kkkkkkk

Se quiserem falar comigo:

http://ask.fm/AvallonJae


https://twitter.com/_Avallon ;


https://www.wattpad.com/user/_Avallon


kakao e Line: mybabybyunnie


Até a Próxima!!

Bjooos ^.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...