História Meu Amigo é um Anjo - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Jungkook, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Imagine, Jin
Exibições 7
Palavras 2.229
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


KIMGABIE IN YOUR ARE-Á!
Pois bem, aconteceram alguns imprevistos com esse capítulo... Era para ter saído ontem (relatei na minha timeline, me siga/add para ver mais), mas está aqui... E eu estou com muito sono e cansada :v tive que reescrever um baita pedação do capítulo que eu apaguei sem querer kkkkk.

Apenas matem a curiosidade deixada pelo capítulo anterior, e criem uma nova com este e.e

Boa Leitura <3

Capítulo 9 - Memórias


Taehyung passou por Jin, e foi em direção ao garoto que estava ali. Desta vez, não mais para batê-lo mas para cumprimentar e conversar com ele. Como eu deduzia, ele realmente era diferente de Tae. Enquanto Tae ria alto, fazia várias piadas, palhaçadas e caretas, o outro permanecia quietinho evitando contato visual comigo, que o encarava de forma fixa.

- Kook. – Falou Jin. – Está é a (s/n), de quem eu te falei. – Moveu-se para um lado permitindo que nós dois tivéssemos ampla visão um do outro, mesmo estando um pouco distantes.

- P-prazer, meu nome é Jeon Jungkook. – Se apresentou a mim aproximando seu corpo em minha direção. O garoto estava muito nervoso, eu não sabia o motivo, mas queria fazer com que ele se sentisse bem apesar de qualquer coisa.

- Prazer. – Disse de forma firme e contente. – Ele estuda lá no colégio também? – Questionei a Jin.

- Nunca o viu lá? Ele estuda numa sala próxima a minha. – Comentou Jin, que havia momentaneamente esquecido que sua sala era muito distante da minha.

- Além de mim, (s/n) só enxerga você de garoto naquele colégio... – Falou Taehyung, que quase me fez pensar na possibilidade de dizer que ele não era nada meu, até pouco tempo. No caso amigo, não posso me precipitar.

            Em meu ponto de vista, Tae estava passando um pouco dos limites com quem mal conhecia e teve contato, no caso eu, se achando no direito de achar que minha vida está girando em torno da sua existência. Tudo bem que talvez eu esteja criando um laço forte com ele, mas agora ele está mais que sóbrio, deveria saber que não é assim que as coisas acontecem, pelo menos por enquanto.

            Passei o restinho da manhã ali, conversando com os três garotos, conhecendo melhor Jungkook e Taehyung, pois pouco sabia sobre eles. Era uma novidade em minha vida isso, eu sempre estava submetida a um mundo praticamente solitário com Jin em relação as outras pessoas, e agora como consequência do seu relacionamento com Lola, Jin acabou se tornando um garoto com muitas amizades. Isso estava se transferindo para mim, que não sabia mais o que era ter um grupinho de amigos há cerca de três anos, quando meus pais decidiram mudar de cidade para eu ingressar em um colégio renomado.

            Nessa escola, eu até tentava me encaixar em algum grupo criando amizades, mas nenhum parecia suprir e satisfazer o que eu queria e precisava de amigos. Jin havia se tornado insubstituível em minha vida. Mas agora, o destino parecia enfim estar tomando um rumo descente a meu favor; em pouquíssimo tempo acabei conhecendo dois garotos diferentes um do outro, que demonstravam talvez unidos a Jin, serem o que eu necessitava de amizade. Apesar dos acontecimentos precipitados com Taehyung, eu estava adorando conhecê-lo com Jungkook.

            Eu estava surpresa pelo fato de um garoto que nem conhecia, Kook, estar em minha casa. Mas ele é amigo de Jin que é muito responsável, e como Seokjin foi o primeiro a acordar, não vou me preocupar nem questionar isso, são coisas dele com o garoto. Vou aproveitar a oportunidade que estou tendo e conhecer novas pessoas, por mais que seja algo um tanto quanto inesperado tê-las em minha frente.

            O tempo naquele momento, passava rapidamente de forma silenciosa, que ninguém presente ali notava. Já era quase meio-dia, quando fui sentir falta de alguém. Lola em nenhum momento havia aparecido, e sequer o nome dela fora mencionado por Jin.

            - Ah, eu esqueci de perguntar... – Falei receosa. – Onde a Paola está? Ela havia dormido aqui pelo o que lembro.

            - A namorada de Jin? Bom, vieram buscar ela quando eu cheguei. – Respondeu Jungkook, que já estava com sua postura menos tímida em relação quando o avistei pela primeira vez após acordar.

            - Mas... Ela não iria voltar com Taehyung? – Questionei curiosa.

            - Iria, se o pai dela não estivesse sabendo que ela encheu a cara noite passada. – Explicou Jin. Ele demonstrou em sua face uma expressão de decepção, que fez com que eu pudesse sentir o como ele tentou ajudá-la. Mas eu sei como Lola é incontrolável, principalmente com bebidas, não consegue beber apenas um drink. Provavelmente ficou de castigo, seu pai não tolera farra apesar de dar muita liberdade a ela. Como pode uma garota de 18 anos ficar levando bronca dos pais...

            - Pensa no lado bom, agora não tenho o compromisso de levá-la para casa. – Comentou Taehyung. – Posso aproveitar e ficar mais tempo com você aqui.

            Tae falava todas essas coisas de um modo contraditório. Eu não conseguia saber se ele estava sendo sério e verdadeiro, ou se apenas brincava com a situação. Por enquanto, eu estava acreditando na maioria de seus dizeres, por mais que pareçam cômicos na maioria das vezes. Jin continuava transmitindo a mim, sinais de que não estava satisfeito com aquilo; eu conseguia sentir sem dificuldade alguma que ele estava incomodado com aquilo.

            A minha reação ao que Taehyung havia dito a respeito da ausência de Lola, foi apenas rir acanhadamente. Eu não sabia o que responder, porque meu corpo se inundava num poço de vergonha.

            - A (s/n) deve ter coisas para fazer, Taehyung. – Jin falou. Eu apenas olhei no fundo de seus olhos, segurando o riso que estava prestes a escapar de mim. ‘’Você tá com muito ciúme, não é mesmo?!’’, pensei enquanto observava a sua tentativa de mascarar a preocupação que sentia.

            - Acho que não tenho nada para hoje. – Avisei querendo saber qual seria a próxima manifestação de ciúmes por parte de Jin.

            - E sua prova de física, não é Segunda? – Perguntou ele tentando justificar o ciúme com responsabilidade. – Você vive dizendo que é péssima em cálculos, e nunca aceita minha ajuda para estudar.

            - Eu consigo me virar, não se preocupa. – Falei. - E aliás, essa prova foi na quinta.

            - Foi bem fácil, acho que gabaritei. – Comentou Taehyung. Ele não era muito esforçado nos estudos, porém mandava muito bem nas exatas, sempre tinha nota destaque.

            - Desde quando você gosta de estudar? – Perguntou Jin encarando Tae.

            - Eu pretendia falar a mesma coisa... – Falou Jungkook com um sorriso leve estampado em seu rosto. Ele parecia gostar de aproveitar as oportunidades de zombar Taehyung, isso era divertido, e me fazia ficar tentando segurar os risos que poderiam escapar a qualquer momento.

            - Eu não disse que gosto... Apenas me dou bem com números. – Respondeu ele.

            Jin sempre soube que o melhor amigo de sua namorada, sempre teve aquele legítimo perfil de garoto popular do colégio: não curtia muito estudar, e aprovava de ano utilizando a popularidade a seu favor. O que não entrava na cabeça dele, era que apesar disso tudo, Tae era inteligente. Mas isso infelizmente não se aplicava em humanas, apenas em exatas. Nesses 3 anos sendo colega de Taehyung, já o vi utilizando muitas colas em provas, e suas tarefas sendo executadas por pessoas que dominavam humanas.

- Se quiser, eu te ajudo. – Prontificou-se Taehyung me olhando de forma impura.

Não consigo entender quem é o Tae. Ele parece ser a fusão de várias personalidades diferentes. Vezes fica zoando tudo, mostrando sua índole brincalhona fora dos limites de uma pessoa normal, e de repente muda da água para o vinho: mostra o homem que vive atrás daquilo tudo, com aqueles olhares seduzentes. Agora eu consigo entender a mentalidade das garotas loucas por ele. Além de todas qualidades que elas veem nele (popularidade e beleza principalmente), ele parece ser um homem de atitude forte.

Jungkook percebeu a química momentânea que meus olhos vivenciavam observando os de Taehyung que me olhavam de tal forma enlouquecedora. Ele pareceu se sentir desconfortável com aquilo, e decidiu tentar se livrar de presenciar ainda mais momentos como aquele.

- É-é... Acho que já vou indo. – Disse o mesmo.

Virei-me a ele, um pouco surpresa. – Já? Não quer ficar para almoçar? – Convidei-o.

- Obrigado, mas eu tenho um compromisso. – Kook agradeceu, mais uma vez com aquele sorriso doce estampado no rosto. Era tão lindo quando ele sorria, fazia-se uma mistura incrível sua feição angelical com aquele simples ato.

- Eu não cozinho mal, tá bom?! – Falei desapontada com sua negação, arrancando risos de todos do ambiente. – Mas se não pode ficar, tudo bem. Outra hora quando puder, você vem... Será muito bem-vindo. – Tentei retribuir toda gentileza que o garoto havia me transmitido, ele realmente era merecedor dela.

- Você deve ser ótima na cozinha. – Elogiou-me Taehyung, interrompendo minha gentileza direcionada a Kook.

- Diferente de você... – Riu Jin.

- Só não taca fogo na cozinha, porque esse é o dom do Yoongi. – Completou Jungkook.

Eu ri juntamente com os três, apesar de não ter entendido a referência. Quem é Yoongi? E que história é essa dele tacar fogo nas coisas? Vou esquecer isso, e deixar para querer saber em um outro momento, quando for conveniente e da minha conta.

Jungkook saiu de minha casa, indo em direção a sua vó que mora a algumas quadras de distância. Ele se despediu dos garotos, e disse um ‘’até logo, nos vemos no colégio’’ para mim. Isso me fez pensar que finalmente eu consegui achar uma amizade, e que alguém provavelmente iria me procurar na segunda-feira para conversar. Eu não iria ter que ficar sozinha novamente no recreio, pelo motivo do envolvimento de Seokjin com Paola.

Jin acabou conseguindo fazer com que Taehyung saísse de minha casa no mesmo momento que ele. Ele deve ter ficado muito feliz e aliviado, pois eu sabia que ele não estava nem um pouco contente com Taehyung me perseguindo. Jin deve ter seus motivos para fazer tudo isso por mim, mas acaba exagerando. Um dia eu terei que me virar sem ele, e viver minha vida com liberdade de escolha e responsabilidade própria. 

Acabei por ficar sozinha novamente em casa, pois todos os garotos saíram para fazer algo, e provavelmente, eu só os veria no colégio novamente, com exceção de Jin que é meu vizinho. Preparei um prato de comida totalmente colorido e saboroso, pois estava feliz, contente com a vida.

A cada garfada que eu dava no prato, a cada movimento de mastigação que fazia, era acompanhado de memórias que se passavam em minha cabeça. Eu conseguia lembrar dos momentos em família que vivenciava quando era criança. De minha mãe cantando músicas enquanto fazia macarrão com molho-branco, de meu pai olhando filmes infantis comigo, de meus amiguinhos brincando com terra no pátio da casa que eu morava a anos atrás... Era uma sensação boa, parecia que eu estava vivenciando tudo aquilo novamente.

Uma dor bateu em meu peito, pois eu queria estar com meus pais, mas eles estavam distantes, trabalhando intensamente numa das sedes de uma empresa renomada daqui. Eu mal conseguia me comunicar com eles, pois o trabalho não permitia. Mas felizmente, logo isso tudo iria acabar, iriam voltar para o Brasil tendo um dos cargos mais importantes da empresa, e tendo que trabalhar pouquíssimas horas para gerar muito dinheiro.

Mandei algumas mensagens para meus pais. Iriam demorar para retornar, porém precisava dizer mais uma vez o quanto eu sentia falta deles, e contar um pouco do que aconteceu para minha mãe, que adorava saber. Optei por dizer de Taehyung, somente as partes que exaltavam amizade, e não os outros ocorridos; muito menos a folia que foi no karaokê com Lola.

Após comer e mandar as diversas mensagens, eu fui organizar a bagunça. Confesso que me irritei um pouco, pois precisei limpar e arrumar sozinha alguns resquícios do que Lola e Tae haviam desorganizado e sujado enquanto estavam bêbados. Porém fiz isso tão rapidamente, que logo já estava no meu quarto lendo um livro.

Nem uma história agitada, cheia de suspense e aventura, era capaz de acalmar minha euforia interior. Precisava jogar tudo o que sentia para fora; ter contado para minha mãe não havia sido suficiente. Poderia talvez pintar com cores vivas uma imagem, ou me produzir para tirar algumas fotos... Iria ser algo produtivo e com um resultado maravilhoso, mas mesmo assim não iria suprir todas as minhas necessidades.

Começo a procurar em meu quarto algo na qual eu pudesse investir em meus pensamentos e dar asas à imaginação que se aflorava em minha mente. Encontro no fundo de uma gaveta do guarda-roupa, uma caixa de tamanho médio, toda decorada. Meus olhos se iluminam juntamente com um sorriso verdadeiro no momento que eu percebo do que se tratava aquela caixa. Era minha caixa de memórias.

            Eu a abri, e logo peguei um dos itens mais importantes para mim sem dar importância para as outras coisas dali. Um caderninho grosso, quase que inteiramente escrito por mim. Era meu diário, meu querido diário rosa, onde eu anotava as coisas mais importantes que aconteciam em minha vida. 

            Faziam-se anos que eu havia largado ele num canto, e sequer anotado algum relato. Não pensei duas vezes e resolvi passar parte do meu fim de semana completando o que precisava, todas as coisas extremamente importantes ocorridas nesse meio tempo, sem ao menos me preocupar com as datas, apenas em relatar as mudanças de minha vida para depois enfim registrar a felicidade e a notícia do momento.  

            ‘’[...] Diário, eu já estou sonolenta e com a mão doendo de tanto escrever aqui, mas eu preciso dizer algo mais sobre Taehyung. Apesar de tudo isso que eu já falei sobre as precipitações dele, uma coisa é certa: Eu estou apaixonada por ele.’’


Notas Finais


Comecei somente com as ideias do próximo capítulo (não escrevi nada ainda). Mas só tenho uma coisa a dizer:
''ALTAS TRETAS''...

Fiquem curiosos, que eu vou dormir! xD

Desejem-me sorte (para nada de errado acontecer com o próximo capítulo). Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...