História Meu Amor Praiano - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Colegial, Original
Exibições 2
Palavras 1.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


E aí galera, como vocês estão?? espero que estejam bem. Gente do céu to precisando urgentemente ir pra escola entregar os dois últimos trabalhos, se não eu não passo de ano KKKKKKK vocês passaram de ano?
Esse ano passou muito rápido meu senhor.

Capítulo 2 - Mudança


Eduarda narrando:

Era segunda-feira, quando acordei com a minha mãe me chamando pra eu levantar e ir me arrumar pra nossa mudança. Olhei no relógio e era 6:00 a.m, quem se muda nesse horário, tá certo que o caminhão não poderia fazer duas viagens, mas tudo bem né, me levantei e fui andando direto pro banheiro, tomei um banho rápido e quente, escovei meus dentes e lavei meu cabelo, sai do banho e me sequei, logo em seguida me enrolei em na toalha e fui pro quarto de novo, coloquei meu sutiã e a calcinha, e procurei uma roupa. Meu celular tocou e quando olhei no visor era o Caio, atendi o celular e die um sorriso.

{ligação modo on}

-Oi meu amor -falei sorrindo e me sentei na cama-

-Oi gatinha, como você está? -ele falou bocejando-

-To morrendo de sono, e você? -dei risada baixo-

-Nem dormi ainda bebê -senti ele sorrir- Deixa eu te dizer uma coisa

-Fala -me levantei e andei até o guarda roupas-

-Você tá muito gostosa assim de calcinha e sutiã -ele falou rindo baixo-

-Como você sabe que eu to de calcinha e sutiã? -falei rindo e peguei uma roupa-

-Olha pra tua janela -ele falou e desligou-

{ligação off}

Olhei pra janela e vi ele sentado na mesma, dei um sorriso e andei até ele. Já tínhamos nos vistos sem roupa, então foi normal isso. Fiquei na frente dele e passei os braços pela cintura dele, ele me deu um selinho rápido e olhou em volta.

-Vai se mudar mesmo? -ele me olhou nos olhos-

-O que eu posso fazer amor? Minha mãe vai à trabalho e eu infelizmente tenho que ir junto -falei passando as mãos nas costas dele-

-Eu vou lá amanhã, ok? Vou aproveitar e ver o Gabriel -ele deu risada e passou as mãos pelo meu rosto-

-Tudo bem, mas vai mesmo -fiz bico e encostei meu queixo no dele-

-Vim te desejar uma boa viagem, e não quero que sua mãe me expulse daqui me atacando coisas -ele riu e me apertou devagar-

-Vai lá vida, se cuida ok? -dei um selinho demorado nele e me afastei-

Ele sorriu e desceu da minha janela, fechei as cortinas e me vesti. Arrumei meu cabelo e desci pra sala, minha mãe estava arrumando as caixas no caminhão já, ajudei ela e olhei pra ver se o Caio já tinha ido mesmo. Depois que colocamos tudo no caminhão, ela foi até meu quarto e pegou uma caixa, colocou minhas roupas na caixa e colocou o resto que tinha em outra caixa. Foi até o carro e colocou as caixas que faltavam no porta malas, me entregou uma sacola com meu café da manhã, entrei no carro e coloquei meus fones de ouvido, e tomei meu café da manhã lá dentro mesmo. Não demorou muito pra minha mãe entrar e dar partida no carro, o caminhão veio atrás de nós. Ela ligou o rádio e o ar condicionado, não trocamos uma palavra durante toda a viagem pois ela sabia que eu não gostava quando ela me avisava de última hora nossa mudança de cidade, mais um ano. Nunca consigo firmar uma amizade ou um namoro, porquê de ano em ano eu me mudo de cidade, e dessa vez era na praia, eu odeio praia. Ela disse que o serviço dela tinha dito que essa era a última mudança dela, ou seja, eu vou morar na praia pelo resto da vida.

Assim que chegamos na nossa nova casa, logo tirei o cinto e sai do carro. Até que era uma sensação libertadora, a casa ficava de frente para o mar, aquilo me assustou um pouco mas era tranquilizador, olhei em volta e era uma vizinhança calma. Estávamos tirando as coisas do caminhão quando o primo do Caio, o Gabriel, apareceu.

-Fala aí branca, quer ajuda? -ele veio e beijou meu rosto sorrindo-

-E aí Biel, se quiser ajudar, fica a vontade -dei um sorriso de lado e levei as coisas pra dentro-

Ele pegou umas caixas e levou pra minha casa, me sentei um pouco na grama e olhei em volta, vi um menino passando de skate, ele estava sem blusa e parou na casa ao lado da minha, olhou pra minha casa e assim que me viu, deu um sorriso e acenou. Fiz o mesmo e ele se virou, fiquei observando ele e ele logo entrou na casa.

Meu Deus, aquele guri era lindo além de simpático, dei um sorriso olhando pro nada e logo ouvi minha mãe me chamar. Ela tinha dispensado o caminhoneiro e precisava de ajuda para por as caixas nos quartos certos, Gabriel ainda estava lá em casa ajudando. Minha mãe amava aquele guri, mas eu não ia muito com a cara dele não. Sei bem da índole dele, não era uma das melhores. Mas o Caio fazia eu falar com ele, só falava por educação mesmo.

Depois de arrumar todas as caixas nos quartos certos, Gabriel ficou comigo conversando no quintal. O menino do skate saiu de casa acompanhado com uma menina e eu fiquei olhando eles.

-Tá olhando os famosinhos de Santos? -ele falou rindo-

-Famosinhos? -olhei pra ele-

-Sim, o guri alí é o Vinicius -ele falou apontando e me olhou- e a mina é a Beatriz, são melhores amigos e todos conhecem eles.

-Não sabia, só tava olhando o skate dele, é igual o do Caio -disfarcei e desviei o olhar-

Ele riu e logo a menina veio até nós, ela vinha sorrindo e logo atrás vinha o menino, meu coração meio que disparou e eu deixei o nervosismo tomar conta, a menina cumprimentou Gabriel e eu, já o tal Vinicius ficou olhando pros lados.

-E aí Gabriel -ela cumprimentou ele e me olhou - oi tudo bem? você deve ser a nova vizinha -ela sorriu e beijou meu rosto-

-Sou sim -sorri sem jeito e olhei pra ela-

-Prazer eu sou a Beatriz -ela sorriu e olhou pro menino- E ele é o Vinicius

-Prazer -ele sorriu me olhando e beijou meu rosto- 

-Prazer -sorri largo e me levantei-

-Oi Vinicius -Gabriel falou rindo-

O Vinicius só olhou pra ele e olhou pra Beatriz.

-Te espero ali na calçada ok? -ele falou pra Beatriz e beijou o rosto dela- Prazer viu -ele falou me olhando e saiu andando pra frente de casa-

-Cê não perdoa hein Gabriel -Beatriz revirou os olhos e me olhou- Qual seu nome? 

-O meu? -falou colocando o dedo indicador no peito-

-Sim -ela sorriu-

-Eduarda -sorri e olhei pro chão-

-Bom Eduarda, eu vou indo lá com o Vinicius antes que ele perca a paciência -ela deu risada e beijou meu rosto novamente- a gente vai se falando -ela saiu andando até o Vini-

Fiquei olhando pra eles e logo me sentei, olhei pro Gabriel e ele tava no celular, respirei fundo e mexi no cabelo. Gabriel me olhou e deu risada.

-Se encantou com o Vinicius né? -ele riu alto e empurrou meu ombro devagar-

-Não, eu namoro -falei sem jeito e corei-

-Sei, ele tem um rolo com uma guria mó kenga, então toma cuidado -ele se levantou e beijou meu rosto- Vou indo pra casa, até amanhã.

Ele saiu andando e eu entrei em casa, me joguei no sofá e fiquei olhando pro teto. Caio não tinha mandado nenhuma mensagem ainda, não vou mandar porque vai que ele tá ocupado né, respirei fundo e olhei pra minha mãe, ela vinha com dois pratos com lasanha de microondas, sorri e me sentei, ela colocou uma música só pra gente comer e ficar conversando. 

O dia passou tão rápido que quando eu vi já estava me arrumando pra dormir, olhei pro celular e o Caio ainda não tinha mandado mensagem, respirei fundo mais uma vez e logo me deitei, fiquei pensando no Vinicius e sorri á toa, coloquei uma música baixa no celular e não demorei pra dormir.


Notas Finais


https://www.youtube.com/watch?v=GCzrl2ZS7Ds&list=UU5r7PMc-cWnnTtQVko_oGbA&index=17
pra quem quiser ouvir a música, tá aí. Ela demora um pouco pra começar, então vai pulando parte pra ouvir a música.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...